Em qual país devo fazer meu intercâmbio?

Fazer intercâmbio sempre foi meu sonho. A ideia de morar um tempo fora, conviver com uma cultura diferente e conhecer outras pessoas sempre me atraiu. O sonho se realizou quando eu fui para os Estados Unidos, em 2008. Mas a vontade não passou, na verdade ela só cresceu. Mas, nunca, nem no mais inacreditável dos meus pensamentos, eu imaginei que minha segunda experiência de intercâmbio seria na Índia. Acontece que apesar de eu não ter imaginado a possibilidade, a Índia é um destino popular de intercâmbio entre todo mundo que vai via Aiesec.

Neste post, vou reunir os países mais comuns nos mais diferentes tipos de intercâmbio que as agências vão te oferecer, e também as razões para você ir para cada um deles, mesmo que determinado país não tenha sido sua ideia inicial.

Estados Unidos

Os EUA são um dos destinos mais populares quando se fala em intercâmbio, uma vez que o país reúne uma série de características atrativas: eles falam inglês e têm uma cultura que é muito exportada para nós por meio de filmes, músicas, livros, etc. Além disso, é fácil de chegar lá e o governo americano oferece alguns vistos específicos para intercambistas, o que estimula esse tipo de viagem. Desconheço uma agência de intercâmbio que não ofereça diversos pacotes para os Estados Unidos.

O intercâmbio que eu fiz, o Summer Work and Travel, atrai gente de todo o mundo para trabalhar por três meses nas férias de faculdade, com um mês livre para viajar depois. Muita gente também costuma ir para lá em intercâmbios High School, para estudar um ano do ensino médio. Tem gente que vai para trabalhar como babá, o Au Pair. E, claro, fazer cursos de inglês.

Por do sol em Nova York - Skyline

Nova York

É importante ter noção de que na maioria dos casos o intercâmbio não vai acontecer numa cidade grande, tipo Nova York, Los Angeles, etc, mas sim em cidades pequenas no Maine, Florida ou New Hampshire, por exemplo. É que a maioria das oportunidades de trabalho ou as vagas em escolas ficam em cidades assim. Porém, isso não impede que você visite as cidades maiores. Eu morei numa cidade minúscula, de mil habitantes, e foi sensacional.

Países para aprender ou falar inglês: Irlanda, Inglaterra, Austrália, Nova Zelândia, Canadá

Tower Bridge Londres Destacada

Londres

Além dos Estados Unidos, quem quer fazer curso de idioma ou ter mais experiência com a língua que domina o mundo pode experimentar um dos países acima, que também oferecem muitas oportunidades legais e boas escolas de inglês. Nos cinco países você pode trabalhar e estudar, o que permite dar uma controlada nos custos. Sem dúvida, você vai encontrar um grupo de brasileiros. Se esforçe para não andar só com brasileiros, ou você vai acabar se esquecendo do seu objetivo de melhorar outro idioma.

O legal de escolher um dos países na Oceania está nas diferenças geográficas, na paisagem impressionante e na qualidade de vida inacreditável nesses lugares. O Canadá tem mais ou menos as mesmas qualidades, mas está mais perto do Brasil e a passagem acaba sendo mais barata – então, se você não ligar muito para o frio, taí uma opção mais em conta. Inclusive, mais em conta do que os Estados Unidos, porque tem um custo de vida mais barato.

Irlanda e Inglaterra têm história sensacional, muitos lugares turísticos e ainda por cima estão na Europa. Isso também pode ser uma desvantagem, já que atualmente o continente europeu está em crise, o que dificulta bastante conseguir emprego.

Auckland, Nova Zelândia

Auckland, Nova Zelândia

Intercâmbio profissional: Índia e China

Os dois gigantes asiáticos têm bilhões de pessoas e estão em pleno crescimento econômico. Com isso, concentram a maioria esmagadora de vagas de emprego para intercâmbio profissional, ou seja, quem quer trabalhar na própria área. Vocês sabem que nós escolhemos a Índia como destino. Apesar do nosso trabalho não ter sido dos melhores, foi muito interessante e desafiador trabalhar num ambiente profissional tão diferente, com cultura, hierarquia e noções de produtividade tão diferentes.

O mesmo vale para quem vai para a China. Isso conta muito no seu currículo e experiência de vida. Também é uma baita oportunidade para aproveitar e conhecer o continente asiático, que é incrível e barato.

Forte em Jodhpur, Índia

Jaisalmer, Índia

Intercâmbio Voluntário

Apesar de ser possível trabalhar como voluntário em qualquer país do mundo, existem alguns que parecem ser opções mais interessantes para arregaçar as mangas e ajudar o próximo. Você pode cuidar de crianças ou de idosos. Pode participar de um projeto em prol do meio ambiente, trabalhar com animais ou dar aulas para população de risco. Esses intercâmbios costumam ter menos tempo de duração: de algumas semanas até três meses.

Quem tem interesse em fazer esse tipo de ação, mas não tem como gastar muito com a passagem, pode tentar o intercâmbio em países da América Latina, como Peru, Bolívia e Guatemala. Além da proximidade geográfica, o idioma não é tão diferente e esses países têm uma cultura e história muito legal para se conhecer, sem falar nas paisagens.

Quem quer ir mais longe pode fazer como a Naty e ir para a África do Sul. Muitas agências oferecem esse destino, que é um dos países mais desenvolvidos do continente africano, mas ainda cheio de problemas. O interessante é que, segundo meus companheiros de blog, Cape Town é uma das cidades mais legais e bonitas do mundo.

Outro destino interessante para intercâmbio de trabalho voluntário é a já citada Índia. O país tem várias ONGs e projetos sociais interessantes que abrem vagas para estrangeiros – certamente é uma experiência inesquecível. Sem contar que, como a Índia é enorme, você vai ter várias opções de tipo de intercâmbio e local onde você vai poder morar.

Enfim, o mundo é enorme e as experiências que você pode ter são infinitas. Duvida? Leia o relato dessa menina que foi ensinar xadrez para crianças na Bolívia. Ou dessa outra que foi trabalhar com ciganos na Sérvia.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

54 comentários sobre o texto “Em qual país devo fazer meu intercâmbio?

  1. Boa tarde!
    Já li diversas dicas de vocês sobre intercâmbio, mas ainda tô inseguro sobre o que fazer. Penso em ir pro Canadá – Vancouver, quero estudar na VanArts e não sei se faço um intercâmbio profissional/estudo e depois volto em viagem pra estudar. Eu quero primeiro fazer o intercâmbio e depois ir pra fazer a faculdade. A AISEC não oferece opções pra isso lá e não sei quanto tempo seria ideal pro primeiro intercâmbio, qual empresa eu vou e etc.
    Por favor me ajudem.

  2. Que legal seu post, realmente muita gente morre de vontade de fazer um intercâmbio mas uma das primeiras dúvidas é para qual país ir, e o mundo tem tantos países lindos e que oferecem um suporte bem legal para intercambistas.

    Eu fiz um intercâmbio para a Austrália, fiquei um mês fazendo aulas de inglês em Manly, uma cidade “distrito” de Sydney, e além de conhecer esse país maravilhoso, cheio de paisagens indescritíveis, pude conhecer pessoas de outros países, argentinos, suíços, alemães que também estavam lá com o mesmo objetivo que eu, aprender inglês e conhecer um país diferente, na nossa escola de inglês não se podia conversar em outro idioma que não fosse o próprio inglês, mesmo com os colegas brasileiros precisávamos controlar para não soltar um português, mas isso fez com que eu desenvolvesse ainda mais o meu inglês.

    Foi apenas um mês mas posso dizer que não me arrependi de ter escolhido um país tão distante quanto a Austrália. Antes de ir eu busquei diversas informações em sites e blogs diferentes, além do de vocês eu também achei várias coisas legais no site da informationplanet.com.br que é especialista em Intercâmbio para a Austrália e no blog planetme.com.br que tem vários conteúdos sobre diversas regiões e sobre lugares dos países Down Under.

  3. Tenho muita vontade sair do Brasil para trabalhar fora mas não sei falar inglês gostaria muito de aprender falar inglês lá fora

    1. Oi Rosineide,

      Você pode fazer um intercâmbio para aprender a falar inglês. Praticamente todos os países de língua inglesa oferecem vistos e cursos

  4. MEUS PARABÉNS LUÍZA , AMEI A HISTÓRIA DE VOCÊS TRÊS.
    TENHO 29 ANOS E MORRO DE VONTADE DE SAIR DO BRASIL SUAS HISTÓRIAS ME EXPIRAM MAIS AINDA. SOU LOUCA PRA CONHECER ALEMANHA.

  5. Olá, estou muito interessada sobre o programa AISEC. Já está marcada minha intrevista, porém estou com muito receio, pois não domino o inglês…isso poderá de desclassificar? Desde já, muito obrigada!

  6. Oi Luiza, achei teu blog por acaso e fiquei curioso qnd li o teu perfil em querer conhecer 30 países até os 30 anos. Tbm tinha esse objetivo de vida. e Hoje aos 30 conheço 30 países e tenho mais 2 agendados pro mês que vem, ou seja vou ultrapassar meu objetivo!
    Ha 3 anos moro na Irlanda e espero que você consiga seu objetivo!

    Um pouco da minha experiencia pode ser vista nesse vídeo:
    https://www.youtube.com/watch?v=qp-QeJlfZbk&list=UUy7BvYvr4BwQ3f_D0Rs0I4w

    Abraço.

  7. Boa tarde Luíza,

    Gostaria de fazer um intercâmbio nos EUA, mas não sei qual a cidade, estou em dúvida de Nova Iorque, San Francisco ou Los Angeles. Eu vou comprar aqui no Brasil já o pacote com a escola de inglês. Qual dessas cidades seria melhor ir??? E também gostaria de visitar o Vale do Silício(sonho).

    Obrigada!! Mariana.

    1. Oi Mariana,

      As três cidades tem suas vantagens e desvantagens. Eu não te conheço, por isso, não conseguiria te indicar qual combina mais com seu perfil. Sugiro que você leia sobre as três e veja qual te interessa mais. Se seu sonho é conhecer o Vale do Silício, então talvez San Francisco é a melhor escolha!

      Abraço

  8. Olá Luiza, boa noite!

    Eu estou pensando em fazer um intercâmbio para estudo, gostaria de ficar uns 6 meses fora e fazer como se fosse uma Pós-Graduação na área de Administração. Eu conclui recentemente 4 anos de Inglês, então tenho um bom conhecimento nesta língua. Me sugeriram para que eu procurasse um país de uma outra língua, fizesse o intercâmbio lá e dessa forma aprendesse mais um idioma. Pensei na Alemanha.

    Você tem alguma dica para me dar? De país? Instituições que possam me ajudar nessa intermediação? Você acha que dá certo isso de aprender a língua no próprio país?

    Obrigado.

    1. Oi Murilo,

      Se você vai passar seis meses em outro país estudando a língua, convivendo com os locais e praticando, acho que dá muito certo sim.
      Nesse caso, não tenho como te dar dica, você que tem que escolher qual língua gostaria de aprender e, a partir disso, procurar uma escola de idiomas internacional no país que escolher. Algumas agências de intercâmbio no Brasil podem te ajudar com a parte burocrática de visto e matricula na escola – se você não quiser fazer isso por conta própria, claro.

      No caso da outra opção, que seria fazer uma pós-graduação, aí vale a pena ir para um país que tenha cursos em língua inglesa. Não necessariamente isso quer dizer que o país tenha inglês como língua oficial. Na Holanda, por exemplo, existem vários cursos de pós que são em inglês. Se for essa sua vontade, dá uma olhada nesse post, sobre como conseguir uma bolsa de estudos no exterior: https://www.360meridianos.com/2014/04/conseguir-bolsa-de-estudos-no-exterior.html

      Abraço

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.