Tags:
Atlas: Jalapão, Brasil, Tocantins

As belezas da Serra do Espírito Santo, no Jalapão

Se os Estados Unidos tem o Monument Valley, o Brasil tem o Jalapão. E o Parque Estadual do Tocantins tem a Serra do Espírito Santo, onde dunas, rios e chapadas formam um cenário que só não é mais famoso por não ter sido locação de vários filmes, como ocorreu com Velho Oeste dos EUA.

O principal cartão-postal do Jalapão é avistado várias vezes durante a expedição da Korubo, empresa que montou um acampamento do lado do parque e leva turistas para uma espécie de safári de cinco dias. Eu estive lá em fevereiro e garanto (sem bairrismo) que a Serra do Espírito Santo é tão bonita quanto o Monument Valley. Concorda?

Jalapão o que fazer

Serra do Espírito Santo, no Jalapão

Monument valley, Estados Unidos

Monument valley, Estados Unidos (Foto: Marc Averette, Creative Commons)

Além de passagens ocasionais em frente ao maior cartão-postal do Jalapão, em dois momentos paramos para conhecer de perto a região. A primeira vez, logo no segundo dia da viagem e depois de uma manhã em que fizemos canoagem no Rio Novo, foi a mais marcante. Gastamos cerca 1h30 na estrada, a partir do acampamento, até o pé da Serra do Espírito Santo. Com direito a paradas para fotos, claro.

Veja também: Como planejar uma viagem para o Parque Estadual do Jalapão

Jalapão, o Brasil que você ainda precisa conhecer

Jalapão, Tocantins

Descemos do carro e começamos a caminhar em direção à Serra. No meio do caminho há uma lagoa e dunas enormes, formadas pela erosão da Serra do Espírito Santo ao longo de milhões de anos. Uma trilha leva até as dunas – o melhor visual da região está no alto delas, de preferência na hora do pôr do sol.

Jalapão, Tocantins

Jalapão, Tocantins

E foi ali, do alto da imensidão de areia, que vimos o dia acabar. Tempo de sobra para fotografar, pensar na vida e contemplar a beleza jalaponesa.

Jalapão, Tocantins

Levamos pouco mais de meia hora, já no escuro, para fazer o caminho de volta, descendo as dunas, passando pela trilha, pelo lago e até chegar ao local onde o caminhão da Korubo estava estacionado. No caminho de volta um dos guias apontou para um mirante, numa falésia acima das dunas, e disse: “iremos lá. Mas vocês precisarão acordar cedo”.

Trilha até o Mirante da Serra do Espirito Santo

E foi cedo mesmo: 4h da matina. Os guias nos acordaram, tomamos café da manhã no acampamento e pegamos estrada, isso em nosso penúltimo dia no Jalapão. A ideia era começar a trilha até o mirante da Serra do Espírito Santo bem cedo. Caso contrário, o calor dificultaria – e muito – a subida e descida pela trilha.

Jalapão, Tocantins

O caminho até a entrada da trilha do mirante é o mesmo, com a longa estrada de terra vermelha e a Serra do Espírito Santo ao fundo. Abastecemos as garrafinhas d’água, pegamos nossos cajados e colocamos na mochila os lanchinhos fornecidos pelos guias.

O ideal é ir com roupas leves, um bom tênis de caminhada, bastante protetor solar, repelente, chapéu ou boné e não minimizar a necessidade de água – já passei um aperto enorme durante uma trilha montanha acima, na África do Sul, quando a água acabou e o calor era maior que o previsto.

trilha jalapão tocantins

São oito quilômetros de trilha. Um quilômetro morro acima e três no topo da serra, que é plano. Depois é preciso fazer o mesmo caminho de volta. A duração estimada é de quatro horas, mas é comum que as pessoas tomem mais tempo por conta do excesso de paradas – seja para fotos ou por culpa do sedentarismo. O meu caso? Os dois.

Viagem para o Jalapão

Essa não é uma trilha leve. Há cordas e marcações ao longo da subida, mas também há pedras soltas e momentos em que você tem que se arrastar para cima – ou tomar cuidado para não cair, quando o percurso é no sentido inverso. O visual compensa o esforço.

Parque Estadual do Jalapão

Guias da Korubo acompanham o grupo, que acaba se dividindo nos tradicionais pelotão de elite, a turma do meio e os retardatários. Desnecessário dizer que fiquei com a turma do fundão, né? Mas pouco a pouco chegamos ao topo da Serra e tudo ficou mais fácil.

Trilha pelo Jalapão

Chegamos ao mirante pouco antes da saída dos apressadinhos, digo, do pelotão de elite. Deu tempo de ficar uns 30 minutos lá, para descansar e apreciar a vista, antes de começar o percurso de volta. Que foi bem mais complicado, vale dizer: o calor cobrou seu preço e a descida forçou os joelhos. Acabamos o passeio esgotados e doidos para almoçar.

Jalapão, Tocantins

Embora eu tenha feito a trilha – e toda a viagem pelo Jalapão – com uma agência, teoricamente dá para fazer tudo por conta própria. Encontramos, na parte final da trilha, um mochileiro que vagava sozinho pela montanha. É possível, mas lembre-se que não há sinal de celular e que o Jalapão é um lugar ermo. Tome cuidados e evite situações perigosas até mesmo ao viajar em grupo, mas ainda mais caso vá por sua conta.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.