fbpx

Como é o tour pelo Vale Sagrado, perto de Cusco, no Peru

Depois de 23 longas horas de ônibus saindo de Lima, chegamos em Cusco, Patrimônio Histórico da Humanidade e a cidade mais visitada do Peru. Cusco, em si, já é uma grande atração. É também ponto de partida para quem quer visitar as ruínas do Império Inca no Vale Sagrado do rio Urubamba e seguir caminho até Machu Picchu.

Cusco foi fundada por volta do século 11 e fica incrustada nos Andes, a uma altitude de 3400 metros. Era a capital administrativa e cultural do Império Inca, em seu traçado antigo, tinha a forma de uma puma, animal que representa o presente e o mundo material em que vivemos. Nas redondezas, há diversos lugares que, no passado, eram utilizados como centros ritualísticos, sagrados ou para a agricultura. Mesmo tendo sido tomada e saqueada pelos espanhóis a partir de 1532, muitas dessas estruturas pré-colombianas, como palácios e templos resistiram.

Veja também: Onde ficar em Cusco, no Peru
Como comprar a entrada para Machu Picchu

Vista da Praça das Armas, em Cuzco, Peru

A eficiência das construções incaicas foi novamente posta à prova com o grande terremoto que ocorreu em 1950, que destruiu uma construção da Igreja Católica e revelou a forma de um antigo Templo do Sol por baixo dela. A estrutura sobreviveu aos anos, aos espanhóis e à atividade sísmica.

Montanhas do Vale Sagrado de Cuzco

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável em qualquer viagem. Não fique desprotegido no Peru. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício com nosso código de desconto.

O Boleto Turístico para o Vale Sagrado dos Incas, em Cusco

Para para fazer o tour pelo Vale Sagrado de Cusco, vale a pena comprar logo o Boleto Turístico. Esse ticket, vendido em agências ou nas bilheterias de cada espaço, dá acesso a 16 sítios arqueológicos e é válido por 10 dias. Também é possível comprar um boleto parcial, que vale somente para um dos três circuitos e conta só para dois dias. O Boleto completo custa 130 soles (R$ 145) e o parcial 70 soles (R$ 80). Nós compramos o boleto completo porque queríamos visitar o Circuitos I e o Circuito III. (O Circuito II incluí os museus e nós não tínhamos tempo). Existe ainda um boleto especial para quem quer visitar só as Igrejas, que custa 50 soles.

Vale Sagrado em Cuzco Peru

O órgão oficial de venda do Boleto fica na Avenida Sol, 103, Galerias Turísticas. Depois de comprado, ainda é preciso resolver como você vai chegar aos sítios arqueológicos. As agências de turismo oferecem um passeio às ruínas mais próximas da área urbana (mais a Plaza das Armas) que começa às 14h. Para visitar três das ruínas mais distantes as agências oferecem um passeio de um dia inteiro, mas o melhor é combinar com um taxista e montar o seu roteiro. Foi a nossa escolha – primeiro porque queríamos ir a um ponto que os tours não contemplavam. Segundo porque isso nos permitiu organizar melhor os passeios nos dois dias (antes e depois do Machu Picchu). E terceiro porque assim você pode fugir das aglomerações dos tours de agência, que costumam visitar os lugares sempre nos mesmo horários.

Cuzco, Peru - Vale Sagrado dos Incas

Como é tour pelo Vale Sagrado Inca em Cusco

Os sítios arqueológicos que fazem parte do Vale Sagrado Inca são:

  • Sacsayhuaman
  • Kenko
  • Tambomachay
  • Písac
  • Machay
  • Maras (distrito)
  • Ollantaytambo
  • Chinchero
  • Urubamba

Nós começamos o tour pelo Vale Sagrado cedo, às 8h, no primeiro dia. O nosso taxista serviu de guia durante os passeios da manhã. Fizemos Sacsayhuamán, uma antiga fortaleza de onde há uma ótima vista de Cusco e sua forma de Puma; Qenqo, centro cerimonial e astronômico; Puca Pucara, construção militar no topo da montanha; e Tambomachay, uma espécie de casa de banhos.

Pukapukara, Vale Sagrado de Cuzco

Depois do almoço, na parte da tarde, seguimos para Pisac, localizada a 33km de Cusco. Ali estão as ruínas de uma antiga cidade. Como o espaço ali é maior e mais cheio de coisas, contratamos um guia no local para nos explicar como funcionava a dinâmica daquele povoado na época dos Incas. Quando terminamos esse passeio, seguimos para Ollantaytambo, nossa última parada do dia. As ruínas são de outro povoado Inca e impressionantes. Saímos das ruínas de Ollantaytambo direto para estação de trem e partimos para Machu Picchu.

Dicas-viagem-Peru

Vista do Vale Sagrado dos Incas, em Cuzco

Visitamos o restante dos lugares incluídos no Bole Turístico no dia em que voltamos de Machu Picchu. Não aconselho ninguém a fazer esse esquema porque foi cansativo, mas nós realmente estávamos com o tempo muito apertado e seguimos com este cronograma. Conhecemos outro antigo povoado que tem uma vista incrível do Vale Sagrado e também tem construções espanholas onde antes estavam ruínas incas.

Luiza no Vale Sagrado em Cuzco, Peru

Moray Cuzco Vale Sagrado

E para terminar o circuito seguimos para Moray, uma estrutura circular dividida em terraços, que costumava ser uma área de agricultura, porque cada terraço cria uma condição de tempo (ventos e calor) diferentes. Mas que parece um estacionamento de disco voador, isso não há dúvidas!

Onde ficar no Vale Sagrado de Cusco

Embora Cusco seja a opção mais popular entre as pessoas que vão conhecer o Vale Sagrado, tanto pela oferta de infra-estrutura turística quanto pela facilidade de se deslocar pela região, ficar em uma autêntica vila andina pode ser uma experiência muito agradável e interessante. Acordar com a paisagem bucólica e a tranquilidade das montanhas e ver de perto a vida de pessoas que ainda preservam muito da cultura, da língua e do modo de vida de seus antepassados é algo que a agitada Cusco não consegue superar. Há diversas hospedagens locais nos povoados do Vale Sagrado, mas os que possuem a maior oferta são Ollantaytambo e Urubamba, seguidas de Chinchero e Pisac. Para chegar a qualquer uma delas, basta pegar um táxi ao desembarcar no Aeroporto de Cusco. Aconselho a sair do aeroporto e parar algum taxista na Avenida, já que os táxis que param na porta do terminal costumam ser muito mais caros.

Encontre hotéis no Vale Sagrado de Cusco

Se preferir a opção mais tradicional, não deixe de pesquisar pelos hotéis em Cusco aqui.

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

10 comentários sobre o texto “Como é o tour pelo Vale Sagrado, perto de Cusco, no Peru

  1. Olá, Luiza!
    Pretendo ir para o Peru em novembro e, depois de muuuuuuuita leitura nesse e em outros blogs, fiz um plano de viagem! Porém, não tenho ninguém que conhece tão bem por lá para opinar.
    Tenho no máximo 7 dias para ficar.
    O que planejei:
    Dia 1: chegada em Cusco, conhecer a noite na cidade, ir para algum bar ou restaurante.
    Dia 2: Fazer o city tour pela manhã.
    Almoçar bem e conhecer a cidade.
    Dia 3: 7:00 ônibus de turismo para Puno. Chega às 17:00. Dorme em hotel.
    Dia 4: De manhã, faz o passeio pelas ilhas de Uros. Volta para Cusco de ônibus
    Dia 5: Fazer o passeio pelo Vale Sagrado. De Ollanta, ir para Aguas Calientes para dormir.
    Dia 6: Ir bem cedo para Machu Picchu, no primeiro ônibus. Voltar a tarde direto para Cusco.
    Dia 7
    Pegar o vôo de volta.

    Você acha viável? Ou está tudo muito apertado?
    Não encontrei relatos sobre o Lago Titicaca aqui no blog, então não sei se chegaram a ir, mas acredita que é um destino que vale a pena, considerando que é longe de Cusco?

    Desde já, agradeço!

    Um abraço!

    1. Oi Karina,

      O Rafa foi ao Lago Titica no final do mês passado, os posts logo logo começam a entrar aqui no blog!

      Eu conversei com ele e um pessoal que já fez o que você está planejando – tipo, passar um dia só em Puno – e sim, é viável. Um pouco cansativo e apertado, sem dúvida, mas possível.

      bjs

  2. Olá Luiza,

    Vou para Cuzco agora em Setembro e tenho uma dúvida, se puder me ajudar…
    Eu queria comprar a passagem de trem pela Peru Rail, saindo de cusco à Aguas Calientes, porém vi em alguns blogs que o valle sagrado fica no caminho para aguas Calientes e se pretende fazer esse passeio o ideal seria fazer o passeio para vale sagrado e ja ficar em aguas calientes, e por isso ainda não comprei as passagens mas estou com medo de acabarem os bilhetes para os melhores horários..
    O que você aconselha?
    Beijos e obrigada.

  3. Olá Luiza,

    o Peru certamente está nos meus objetivos de viagem, e adorei suas dicas. Uma pergunta: por quanto saiu mais ou menos o taxi para fazer os passeios, em dolares? Geralmente viajamos eu e meu companheiro e então temos que fazer as contas bem direitinho de tudo pra não extrapolar o orçamento.
    abs
    Waleska

    1. Oi Waleska,

      A melhor forma de verificar qual seria um preço justo do táxi é ver em algumas agências de viagem quanto elas cobram pelo tour e com esse valor em mente, negociar com o taxista. Lembre-se que o tour da agência inclui o guia e isso vai ser uma coisa que você vai pagar a parte.

      Nós éramos um grupo de 4 pessoas, então a divisão fez com que o táxi saísse mais em conta. Talves duas pessoas fique mais caro.

      Espero ter ajudado.

      bjs

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.