Tags:
Atlas: Cracóvia, Polônia

Visita ao campo de concentração de Auschwitz, na Polônia

Pano de fundo de clássicos do cinema como A Lista de Schindler, A Vida é Bela e o Pianista, Auschwitz talvez seja o maior símbolo do sofrimento causado pelo holocausto. A história das pessoas que passaram – e morreram – dentro dos limites das cercas de arame farpado que representam uma das maiores tragédias humanitárias do século 20 já foi retratada inúmeras vezes no cinema e na literatura contemporânea. Mas o que, afinal, tornou o campo de concentração próximo a Cracóvia, na Polônia, famoso entre todos os outros campos nazistas espalhados pela Europa?

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Inaugurado em maio de 1940, o campo de concentração de Auschwitz, também conhecido como Auschwitz-Birkenau, em referência a um segundo campo construído anexo ao principal, anos mais tarde, para abrigar as câmaras de gás, foi o primeiro a adotar o que os nazistas chamavam de “solução final”. Em outras palavras, a exterminação sistemática de judeus com o objetivo de eliminar esse povo da Europa.

A política assassina de Hitler deu origem a dois tipos de campos: os de concentração, destinado a presos políticos e pessoas consideradas impuras pelo regime, como os próprios judeus, comunistas, homossexuais e Testemunhas de Jeová; e os campos de extermínio, que tinham como objetivo causar a morte em massa de seres humanos nas câmaras de gás. Todos os campos de extermínio nazistas foram implantados na Polônia e, deles, Auschwitz foi o primeiro e mais importante.

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Quando um prisioneiro desembarcava dos trens que de tempos em tempos paravam nos portões de Auschwitz e fazia a melancólica travessia dos portões de ferro, sabia que dificilmente sairia dali com vida. Estima-se que ali dentro morreram entre um milhão e uma milhão e meio de pessoas durante os cinco anos em que esteve em funcionamento. Os judeus eram a maior parte das vítimas, mas o campo também matou ciganos, poloneses e soviéticos. Além do extermínio em massa nas câmaras de gás, muitos também sucumbiram pelas condições de extrema insalubridade às quais eram submetidos assim que chegavam ao campo. Epidemias e fome eram outras armas nazistas para destruir os espíritos dos prisioneiros e levá-los à morte.

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

O campo foi desativado em 1945 pelos soviéticos, com o fim da Segunda Guerra Mundial, e hoje está aberto para visitação como uma lembrança amarga de tudo o que passou ali. Como disse uma reportagem do El País sobre os 70 anos da liberação do campo, em 2015, “na prática cotidiana dos campos se realizava o ódio e o desprezo difundidos na propaganda nazista. Aqui não estava presente somente a morte, mas também uma multitude de detalhes maníacos e simbólicos que tendiam a demonstrar que os judeus, os ciganos e os eslavos eram resíduos, animais, sujeira”.

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Como visitar os campos de Auschwitz-Birkenau

Você pode visitar o memorial de Auschwitz por conta própria ou com tour guiado, que é a maneira mais cômoda, porém menos econômica. Os tours são vendidos em tudo quanto é canto de Varsóvia e é bem provável que você possa contratá-los já na recepção do seu hotel ou hostel, pagando um preço que varia entre 120 e 200 zl, com guia. Uma van te busca na porta do hotel pela manhã e percorre os 70km que separam Cracóvia do campo. O trajeto de volta ocorre em torno das 17h. A grande vantagem de contratar esses passeios é, na verdade, não ter que enfrentar as largas filas que se formam na entrada do campo, já que grupos têm prioridade para passar.

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Se você preferir ir por conta própria, você precisa reservar sua vaga no site oficial, pois há um número limitado de vagas por dia para visitantes individuais, mas a entrada é grátis. Para chegar lá, pegue um trem pela manhã na estação central de Cracóvia. O primeiro trem rumo a Oswiecim, estação mais próxima de Auschwitz, sai às 7h da manhã e chega em Cracóvia às 9h. O bilhete sai por 12 zl. e você pode comprar na hora. De lá, você pode caminhar por 2 km até o campo ou pegar um ônibus que sai de um ponto bem em frente à estação.

Já na entrada do campo, você deve optar por fazer a visita por conta própria – nesse caso, a entrada é gratuita – ou contratar um dos tour guiados oferecidos pela administração por 60 zl. Isso vai das preferências e estilo de viagem de cada um. Embora um guia vá te passar informações históricas que de outra forma você não obteria, estar em um grupo torna sua visita um pouco mais engessada. Uma vez lá dentro, você terá acesso aos campos de Auschwitz I e Birkenau, porém eles não estão tão próximos uns dos outros. Se você optar pela visita solo, deve pegar um ônibus gratuito que faz o transporte entre os dois campos, com saídas a cada 30 minutos.

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz - Cracóvia, Polônia

Os tours estão disponíveis em várias línguas, incluindo inglês, francês e espanhol. O memorial de Auschwitz-Birkenau está aberto todos os dias das 7h30 às 15h no inverno e das 7h30 às 19h no verão. Vale a pena chegar cedo, pois há muito o que conhecer sobre esse registro de um dos períodos mais tristes da história recente.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

60 comentários sobre o texto “Visita ao campo de concentração de Auschwitz, na Polônia

    1. Olá Rodrigo, não necessariamente você precisa ir para a Alemanha. Pode voar para outro destino da Europa e de lá para a Polônia.

      Abraços

  1. Boa noite Natália, suas dicas estão me ajudando demais. Gostaria de pedir mais algumas rsrs… estou indo para Europa em Julho e como sempre tive o desejo de visitar Auschwitz tenho algumas dúvidas. Estou querendo ir de Londres direto para Cracóvia chegar a noite só pra dormir e no outro dia começar a visita cedo. Minha intenção é às 17h estar no aeroporto para ir pra Bruxelas. Você acha que seria possível fazer essa visita 9h às 16h? Teria alguma sugestão de agências que fazem esse serviço e que de preferência já me deixe no aeroporto para ir embora? Toda dica e sugestão são muito bem vindas.Obrigada

    1. Ei Fabiana, infelizmente não sei de nenhuma agência que te deixaria no aeroporto para indicar. Acho que é possível fazer o passeio nesse prazo, mas qualquer imprevisto pode te complicar. Você não consegue deixar a viagem para o dia seguinte?

      Abraços

  2. Lugar deprimente e horrível.Melhor é visitar a famosíssima Mina(Museo)
    de Sal-Wieliczka com Restaurante a 140 mts por de baixo da terra.

    1. Miecislau, é um lugar triste, porém necessário. É muito importante a memoriais e museus para relembrar-nos da história e fazer com que a sintamos na pele. Renegar o passado é correr o risco de vê-lo se repetir.

  3. Estava lá no ano passado, sentindo as mesmas emoções que muitas pessoas que me procederam nos seus comentários.Sinceramente,fico arrependido pela visita (em grupo com guia)Tive a mesma sensação que Pedro Ventura no seu comentário de 24/12/2016.Biblicamente falando,não podemos esperar outra coisa do governante deste mundo que é Diabo e Satanas,desde Jardim do Eden-( 1 João 5:19;Lucas 4:5,6,Apocalipse 12:7-12 )Digo mais, para aqueles pouco familiarizados ou descrentes na Bíblia – 2Timóteo 3:16.Lembremos que Deus não mente-(Números 23:19) Bíblia nós assegura que Deus tudo pode mas,é impossível que minta-(Hebreus 6:18)Para terminar,biblicamente falando,não há homem ou governo humano que possa concertar o mundo em que vivemos-(Jeremias 10:23) A solução,também será bíblica,prometida por Deus em Daniel 2:44 e anunciada por Jesus quando esteve pregando Reino de Deus-(Lucas 8:1) E é isso o que realmente a Bíblia ensina!Fonte:JW.ORG Natália e os demais leitores,peço desculpas se me alonguei demais nas citações da Bíblia e aos realmente interessados no assuno;gentilmente peço consultarem suas Bíblias e verão que é verdade o que escrevi.Agora dica de Benedict Hostel em Cracóvia:[email protected];http://hostel.benedykta.pl e tel.+48 607 532 317-muito simples,limpo e barato mas,fica no coração da cidade.Imperdível é visita a mina de Sal WIELICZKA que é Museo com único no mundo restaurante a 140mts por de baixo da terra.Há tbm em Cracóvia Café Bar RIO servindo todo tipo de excelentes cafés mas,infelizmente, o proprietário não fala português.Sou polonês radicado no Brasil a quase 45 anos,portanto,convido a todos que visitarem a Polônia,tbm visitar a minha terra e sua linda e verdíssima capital POZNAN,o berço da Polônia!

  4. Oi Natália, tudo bem? Sempre acompanho seu blog antes das minhas viagens, obrigada! 🙂
    Queria tirar uma dúvida com vc.. vou a Auchwitz agora dia 20/05, mas no site só está disponível a visita sem guia às 8h da manhã. Ou seja, se eu quiser ir por conta própria, obrigatoriamente tenho que estar lá nesse horário, né? Eu tinha lido que podia entrar sozinho até às 10h da manhã.. mas então se eu não agendar para esse horário, terei que ir com a visita guiada? Achei que aparecia mais opções/horários. Enfim, agora estou na dúvida. Até mesmo pq não daria tempo de chegar pegando por conta o trem ou bus, né? Já que não saem tão cedo e aí teria que madrugar…

    Se puder me dar uma ajuda, agradeço mto! Caso não tenha outra opção para entrar sozinha, que é a forma q eu gostaria de ir, para ficar mais livre.. pensei em pegar o tour deles guiado em espanhol, vc gostou do guia deles mesmo? Obrigada mais uma vez! Beijos

    1. Ei Bianca,

      Se eu fosse voltar algum dia (não acho que é um passeio que eu repetiria, mas quem sabe?) faria a visita sozinha. Uma das coisas que prejudicou a experiência é justamente o fato de ser circuito fechado e de, com guia, você não poder ficar o tempo que quiser para absorver tudo, sentir o lugar. Por isso achei os campos da Alemanha muito mais impactantes que Auchwittz, pra ser sincera, e acho que foi pelo tipo de experiência.

      Enfim, essas informações de visita mudam muito e são sempre muito confusas. Pode ser que pra esse dia não tenha mais disponibilidade para visitas individuas mais tarde, você tentou olhar em outro dia? Seria uma solução. Realmente fica difícil chegar lá de trem ou ônibus tão cedo. A alternativa seria ir de táxi ou transporte contratado, mas também ficaria bem mais caro…

      Espero que encontre uma solução!

  5. Nossa Natalia, que show suas dicas… mais fácil, digamos impossível. ue bom encontrar pessoas assim. Estou indo em dezembro e sozinho. Confesso que fico apreensivo. Mas com tanta informação acho que não vai ter erro. Apesar da tristeza, é um sonho conhecer Auschwitz. Tens algum hotel ou hostel bacana em Cracóvia para indicar? (Sei que não tem a ver com o post, mas o cambio da moeda, o que vc aconselha para quem chega com Euros no aeroporto? como proceder? Obrigado.

  6. Oi Natalia! Tudo bem?
    Obrigada pelo relato. Ficou bem claro.
    Estarei na Europa em outubro e gostaria de saber se vc indica o local que se hospedou na Cracóvia.
    Se puder indicar também pra Berlim, agradeço.

  7. OI Nathy, viajo nas suas aventuras. Posso reservar visita não monitorada com muita antecedência? Estou indo em Julho 2018 mas posso reservar hoje para já programar o resto da minha viagem?

    Desde já agradeço e please, keep moving…

    1. Patrícia, não sei com que antecedência eles abrem a agenda, mas você pode dar uma olhada se essas datas já estão disponíveis no site.

      Abraços! 🙂

    1. Só estive em Cracóvia e Varsóvia. São duas cidades bem diferentes entre si, mas ambas valem a pena para entender a história do país. 🙂

  8. Boa tarde, Natália! Muito obrigada por partilhar sua experiência e ajudar tantas pessoas. Estou planejando uma viagem a Polônia entre abril e maio de 2018 e o ponto principal para visitarmos, devido o pedido de minha filha, é Auschwitz. Nunca fomos a Europa e pelo que pesquisei não existe vôo direto para Varsóvia ou Cracóvia. Peço, se possível, uma dica sua: é mais viável e em conta ir até a Alemanha, Suíça, República Tcheca, Ucrânia ou Eslováquia, para depois pegarmos outro avião em destino a Polônia. Se puder nos dar uma dica, conforme teu conhecimento, agradecemos muitíssimo.

    1. Olá Margareth, costuma ter voos com bons preços saindo do Brasil para Frankfurt, a Alemanha, mas acredito que também não é direto. Nos outros países que você citou é possível que tenha umas duas escalas. Eu iria para a Alemanha mesmo, por ser um hub aéreo na região.

      Se quiser voo direto para a Europa, será preciso ir para Lisboa, Madri, Londres, Roma… Mas o bom é que dentro do continente há muitas passagens aéreas baratas, inclusive para a Polônia.

      Abraços

      1. Margareth, eu moro em Cracóvia e não existem voos direto do brasil para a Polônia, te concelharia pra aproveitar mais, tentar fazer os trechos de trem, ônibus e quando necessário low cost (cia aérea de baixo custo) Talvez comprar uma passagem Brasil- Frankfurt. E dela pegar um voo para Berlin, de Berlin um trem até Varsóvia( pq não tem trem de Berlin direto pra Cracóvia) e um trem e Varsóvia para Cracóvia.
        Eu gosto muito de usar o site http://www.rome2rio.com para olhar valores de transporte e ver o que mais compensa.
        Auschwitz fica a 70 km de Cracóvia.

      2. Olá Margareth!
        Moro em Praga e estou indo para Varsóvia hoje à noite. Acho que vale a pena pegar um vôo até Frankfurt, ou um para Praga com escala em Frankfurt, e de Praga pegar um trem/ônibus para Cracóvia. São 7h30 de viagem de ônibus e 6h de trem. Depois você pode ir para Varsóvia, que é mais ao norte.
        Espero ter ajudado 🙂

    2. Oi Natália, vou a Europa em dezembro e uma das minhas prioridade é conhecer um dos campos de concentração. Gosto muito das coisas que leio sobre o Auschwitz, porém ele fica um pouco contra-mão para mim. Você já conheceu algum campo mais próximo a Alemanha com tamanho impacto quanto o Auschwitz? Indicaria algum?

  9. Bom dia, comprei uma visita sem guia, visto já não haver disponibilidade com guia em inglês, mas a minha visita começa as 17:20… o campo não encerra às 15h???

  10. Boa noite.

    Vou a Auschwitz dia 30 de julho mas, infelizmente, já não existem vagas para visitas sem guia.

    Sabe-me dizer que poderei entrar mesmo sem reserva prévia?

    Obrigada pela ajuda que possa dar.

    Cumprimentos

    1. Ana, não tenho como te garantir isso, me desculpe…

      Você pode tentar comprar um passeio nos hotéis ou agências da cidade…

      Abraços

    2. Boa noite. Para visitas sem guia é necessário reservar vaga? Pensei que sem guia era do chegar e visitar…irei em novembro, suponho que nessa altura não haja problema, mas onde posso confirmar a disponibilidade e eventualmente reserva de vaga?
      Obrigada

        1. Obrigada. Natália, sabe informar qual o numero de ónibus que temos de apanhar de Cracóvia lá e de onde se apanha? Ouvi dizer que a linha de trem está em obras e por isso demora muito tempo…obrigada, uma vez mais!

          1. Olá, Ana,

            o número do ônibus eu não sei informar não… mas acredito que seja uma informação bem tranquila de conseguir uma vez lá.

            Abraços e obrigada por passar por aqui!

  11. Oi Natália! Eu estou planejando ir à Cracóvia principalmente para visitar Auschwitz, mas eu vou no verão e tenho medo de estar muito cheio e não conseguir entrar se não comprar com antecedencia. Vc acha q deixando pra comprar um tour somente ao chegar lá eu corro o perigo de não conseguir? Mesmo que eu decida não ir por conta própria e contrate uma empresa ao chegar em Cracóvia? Ou seria melhor comprar antes pela internet?

    1. Rutiele, acredito que dá pra esperar pra comprar lá… mas como é alta temporada, não dá pra prever né? Nunca ouvi dizer de ninguém que ficou de fora, no entanto.. Se você tiver uma certa flexibilidade de dias não deve ter problemas, mas se quiser ir em um dia específico, talvez seja melhor comprar antes…

      Abraços

  12. Oii Natália, tudo bem?! Estive na Cracóvia em 2010 e gostei bastante. Visitei Auschwitz e realmente é uma experiência que mexe muito com a gente.
    Eu e meu marido estamos planejando as férias para início de Novembro. Vamos para Hamburgo visitar alguns amigos e queremos incluir mais duas cidade no roteiro com fácil logística a partir da Alemanha. A nossa dúvida é: além de Hamburgo, incluir Berlim e Varsóvia ou além de Hamburgo incluir Amsterdam e Bruxelas. O que você acha?? Estamos considerando 3 dias em cada uma dessas cidades…
    Em ambas as opções eu já conheço uma das cidades. Conheço tanto Berlim, quanto Amsterdam, mas meu marido não conhece nenhuma delas. Sei que a primeira opção é uma viagem mais de cunho histórico e a segunda é mais romântica.

    1. Carolina, montar roteiro é muito pessoal, todas essas cidades têm seus atrativos… depende do que vocês querem ver e do clima da viagem, como você disse! Tenho certeza que qualquer escolha será incrível!

      Abraços!

  13. Boa noite! Só gostaria de esclarecer se o preço da visita guiada à entrada é mesmo esse, se não varia de acordo com a disponibilidade. Eu vou lá no domingo mas no site oficial já não existem vagas para visita guiada, queria saber se fosse de comboio, havia a possibilidade de ainda participar numa visita comprada na hora…

  14. Oi, Natalia, gostei do seu relato e estou levantado dados para uma viagem para lá no futuro. Gostaria de saber se o passeio por conta própria tem o auxílio de livretos ou material áudio visual, e se a gente perde muito de informações básicas se não fizer o passeio guiado. E qual a duração aproximada da visita.
    É possível ir até lá de carro?

    1. Fernando, eu só fiz o guiado, então não sei te dizer se perde muito. Em geral eles sempre dão mapas e panfletos com informações na entrada… Você também pode pegar um audioguide.

      Abraços!

        1. Fernando, eu e meu esposo fizemos o passeio sozinhos em agosto/2016, fomos de ônibus de Cracóvia e lá no campo de concentração mesmo compramos um guia bem completo (por R$ 15,00 em inglês) com mapas e explicação de cada sala, se você quer economizar essa é uma boa opção.

  15. Estive em Auschwitz em outubro, e foi uma das experiências mais dúbias que já senti na minha vida. Ao mesmo tempo que me sentia fragilizado pela constatação da crueldade humana, me sentia em profunda paz por estar em um local tão silencioso, apenas ouvindo passos e cantos de pássaros. Foi uma experiencia intrigante, mas não me surpreendi, pois o ser humano ainda não aprendeu a respeitar um ao outro e atrocidades como as da 2ª Guerra ainda acontecem. Por quantos Holocaustos passamos e passaremos ainda?

    Parabéns 360, pensei em me oferecer para contar algumas experiencias que passei na Polônia (Cracóvia, Varsóvia…) mas vocês já postaram muita coisa! Amo esse blog, cada vez mais completo!

    1. Pedro, obrigada por comentar. Realmente é um experiência que mexe com nossos sentidos e sentimentos. Quando eu fui não senti essa paz não, acho que estava muito cheio no dia…

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.