Tags:
Atlas: Lucca, Pisa, Toscana, Itália

Visita à Torre de Pisa e à cidadela de Lucca

Não é ilusão de ótica e nem inovação arquitetônica do século 12: os quase quatro graus de inclinação que fazem da Torre de Pisa um dos monumentos mais conhecidos do mundo são acidente de percurso. Construída entre os anos de 1173 e 1370, a famosa torre deveria ser apenas um abrigo para os sinos da catedral de Pisa.

No entanto, as obras mal tinham passado do terceiro andar quando percebeu-se que havia alguma coisa muito errada acontecendo ali. Só então o pessoal envolvido no projeto foi entender o tamanho da burrada que tinha feito: o terreno, formado por areia e argila, era muito instável para aguentar um peso daqueles.

Com a construção quase na metade, o jeito era tentar arrumar o eixo da torre do quarto andar para cima. Para isso, os gênios resolveram fazer os últimos patamares ligeiramente mais altos do lado em que a torre estava ficando manca. O tiro, óbvio, saiu pela culatra: com mais peso justamente do lado em que o terreno era mais instável, a torre entortou ainda mais. Os séculos se passavam, e, com eles, as tentativas de endireitar a torre. Mas nada adiantava, ela ficava cada vez mais torta.

Torre de Pisa - Itália

No século 20, a danada se inclinava 1,2 milímetro por ano. Correndo o risco de desabar se alguma providência séria não fosse tomada, a Torre de Pisa passou toda a década de 1990 fechada para visitas. Nesse meio tempo, dezenas de propostas para salvar a torre foram analisadas, e, entre 1997 e 2001, uma reforma garantiu que ela ia ficar de pé e 40 centímetros menos torta.

Como visitar a Torre de Pisa

Hoje, você pode chegar bem perto e até mesmo subir a torre sem medo de desafiar a gravidade. A melhor forma de chegar até ela é partindo de Florença. Pegue um trem na estação Firenze Santa Maria Novella e desça na Pisa Centrale. De lá, dá para ir a pé para a Piazza dei Miracoli, onde fica a torre. São apenas 10 minutos de caminhada e é bem fácil de achar.

Visitar Pisa é bem legal e dá aquela sensação de ter tirado mais um importante monumento da lista de coisas que a gente precisa ver, tipo a Torre Eiffel e a Mona Lisa. No entanto, tenho que te dizer que subir a torre não é imprescindível para completar o passeio.

Os motivos são vários: em primeiro lugar, a vista de Pisa não é nem de longe tão imperdível quanto as de outras cidades da Europa, incluindo Florença. Em segundo, a coisa mais legal e interessante dali é a própria Torre, justamente o único elemento da paisagem de Pisa que a gente não consegue ver lá de cima.

Veja também: Onde  ficar em Florença

Torre de Pisa - Itália

Dito isso, se você ainda assim quiser subir – pela experiência, curiosidade, pra postar no Facebook ou pra pagar promessa, sei lá – basta comprar os ingressos em um balcão de vendas que fica em uma das laterais da praça. Lá você também pode pedir os tickets para visitar as outras atrações da cidade:  a Catedral e o Batistério, o Cemitério, o Museu dele Sinopie e o Museu da Obra. As visitas são feitas em grupos que entram a cada meia hora e custam 18 euros. E prepare seu fôlego para escalar os 300 degraus em espiral até o topo.

Se você é daqueles que gostam de sair do Brasil com tudo reservado ou está com o tempo contado, pode preferir comprar os ingressos pela internet. Não há necessidade, mas ajuda a  diminuir o tempo de espera no local. Cuidado apenas para não se atrasar e perder a visita.

Depois de subir, descer, encontrar diferentes perspectivas para comprovar que ela é mesmo torta e não apenas uma ilusão, tirar fotos dela, tirar fotos suas em pose jacu, fingindo que está segurando a Torre, é hora de partir. Isso mesmo, Pisa não tem muito mais o que ver e é possível fazer o passeio em meio dia. A dica? Complementar a viagem até ali com outro passeio de meio dia. Caso você tenha vontade de se hospedar na cidade, veja opções de hotéis no Booking.com

Pisa: fotos Jacus

Madeeeeeeeira!!! (Ps: dois bocós em uma só foto)

Torre de Pisa - Itália

Todo mundo tentando segurar a torre

A cidade murada de Lucca

Lucca - Itália

Perto da Torre existe outra estação de trem chamada Pisa San Rossore. É de lá que saem os trens para Lucca, a cada meia hora. A viagem é pequena: em cerca de 30 minutos você desembarca em frente à cidade murada. O lugar é tranquilo e charmoso. Perfeito para passar a tarde caminhando, para alugar uma bicicleta ou para relaxar num dos muitos restaurantes dali.

Uma boa ideia é começar o passeio percorrendo os 4 km no alto da muralha erguida no século 16. Dentro delas, a cidade foi preservada durante os séculos e possui construções de diferentes épocas. As mais antigas remontam a ocupação romana, em 180 a.C. Um resquício interessante dessa época é a Piazza do Anfiteatro. Construída no local do antigo teatro romano, a praça ainda preserva sua forma oval e está rodeada por bares, restaurantes e casinhas coloridas. A Catedrale di San Martino e a Igreja San Michele in Foro são duas construções que valem a pena conferir ali, pela beleza da arquitetura. Fora isso, gaste tempo andando pelas ruelas labirínticas e se deixe surpreender pelo que aparece diante de seus olhos.

Igreja San Michele in Foro - Lucca

Para os mais atléticos, vai uma dica esperta: a bicicleta é uma paixão pelas ruas de Lucca. Diversas agências oferecem tours de bike, tanto dentro da cidade quando dali até outros pontos da Toscana. São trilhas de diferentes durações e dificuldades, que levam por algumas das paisagens mais lindas da Itália. Se você se apaixonar por essa cidade pitoresca, confira as opções de hospedagem por lá.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.

Piazza Anfiteatro - Lucca

Se você tiver interesse em fazer um tour guiado pela região da Toscana com a mesma guia que nos acompanhou na nossa visita, a Deyse Ribeiro, pode fazer um orçamento gratuito! Tem vários tipos de tour para todos os bolsos. É só preencher o formulário abaixo ou entrar em contato com ela diretamente pelo site – mas não deixe de avisar que é leitor do 360meridianos!


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

15 comentários sobre o texto “Visita à Torre de Pisa e à cidadela de Lucca

  1. Tive o privilégio de passar uns 3 dias em Lucca, indo também a Pisa, Florença e Veneza. Viagem e lugares inesquecíveis. Lucca é encantadora, vale a pena !

  2. Poxa, que saudade batu agora. Eu fiz esse roteiro de um dia tb saindo de Florença. Mas eu peguei o trem para Luca na Pisa Centale. Não sabia dessa outra estação. Mas deu tudo certo rsrsrs. Lucca é uma cidade tão gostosa. Amei! Aluguei uma bicicleta por 1 hora. Gostaria de ter passeado por lá com mais calma. Só fiquei lá por umas 3 horas :(. Amo o blog! bjo

  3. Olá Natalia, parabens pelo post, estou querendo muito fazer uma viagem para Itália. Quanto tempo vc acha que é necessário para conhecer as principais regiões/lugares? Pensei em Roma, Milão, Florença, Veneza, Turim, mas nem olhei no mapa. E que época do ano ir sem passar muito frio, mas também sem se deparar com milhares de turistas?
    abs
    Waleska

    1. Ei Waleska! Para esse roteiro que você falou, acho que seriam necessários entre 15 e 20 dias, dependendo do seu ritmo de viagem. Vá em setembro e outubro, quando ainda não está frio, ou em abril e maio, quando já esquentou um pouco, mas te aviso que alguns lugares, como Roma, Florença e Veneza estão sempre cheios de turistas. A alta temporada na Europa vai de junho a agosto.

      Abraços!

      1. Obrigada pelas dicas! Fiz Londres e Paris esse ano em agosto e em alguns momentos a multidão de turistas irritava um pouco…ou muito! 😉
        abraços,
        Waleska

        1. Ei Waleska! Muita gente irrita mesmo, mas nas cidades mais famosas da itália é um pouco difícil de evitar, mesmo em baixa temporada.

          Abraços

  4. Confesso que é a primeira vez que sinto vontade de conhecer a Itália. É um país que nunca me despertou interesse, exceto pela noite em Roma que dizem ser muito boa e este este post…

    A foto na torre de pisa ficou muito engraçada! É cômico ver como tem gente que acha mais importante prender uma foto a se admirar pelas impressões e sensações que cada destino nos passa… enfim…

    keep travelling!! =)

    1. Ei Danilo! A Itália é o melhor país pra mim! Um dos meus lugares favoritos, principalmente pela comida! =) Que bom que eu consegui mostrar um pouquinho isso no meu post! Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.