fbpx
Tags:
Atlas: Espanha, França

6 curiosidades sobre o País Basco

De uns tempos para cá, San Sebastian, Bilbao e Biarritz tem entrado mais no vocabulário de viajante em busca de belos destinos na Europa. São todas cidades do chamado País Basco, uma região dividida entre os territórios da França e da Espanha, que durante muito tempo foi associado ao ETA, a sigla basca para Euskadi Ta Askatasuna (Pátria Basca e Liberdade), ou, como todos conhecemos, o grupo terrorista que, durante anos, lutou pela independência da região.

Desde 2010, o grupo não pratica mais ataques ou luta de forma armada e se uniu a grupos políticos a fim de lutar por seus objetivos no parlamento. No entanto, a história sangrenta de 800 mortos ainda ecoa nas memórias de todos nós.

O que fazer em San Sebastian: Peine del Viento

San Sebastian

O País Basco vai muito além de suas pretensões separatistas. Riquíssimo em cultura, história e gastronomia, a região tem o poder de encantar todo e qualquer viajante que coloca os pés por lá. Veja abaixo alguns motivos que tornam esse lugar tão fascinante:

6 curiosidades sobre o País Basco

1. Onde fica o País Basco no mapa

Mapa do País Basco

Mapa do País Basco. Crédito: Zorion, CC-BY-SAWikimedia Commons

A região do País Basco, ou “terra do euskara” fica exatamente entre o norte da Espanha e o Sudoeste da França, próximo da cadeia de montanhas dos Pirineus e banhado pelas águas do Golfo de Biscaia.

Leia também:
Cervejas, pintxos e revolução no País Basco
A Tamborada de San Sebastián, no País Basco
Delícias do mar e da terra: conheça os principais pratos da comida basca

2. A língua basca não tem nada a ver com o espanhol ou francês

Euskera, lingua basca

O que você pode esperar de uma língua que está espremida entre dois países de fala derivada do latim? No mínimo ela vai apresentar alguma semelhança com o espanhol ou o francês, não é mesmo? Pois você imaginou errado. O euskera, idioma do País Basco, não tem nada a ver com essas nem com nenhuma outra língua, sendo considerada por alguns estudiosos a mais antiga língua viva da Europa.

A origem do idioma, na verdade, intriga tanto os linguistas que eles foram buscar explicações em lugares distantes do mundinho indo-europeu, como nos povos nativos norte-americanos e até na Ásia.

Outra corrente polêmica afirma que o povo basco é o único sobrevivente de uma família linguística que se espalhava pela Europa em tempos ancestrais.  O mais provável, no entanto, é que ele tenha se derivado do Ibero, uma língua falada na Península Ibérica antes do domínio Romano.

Durante a ditadura franquista, o euskera e outros idiomas e dialetos falados na Espanha foram proibidos, o que colocou essa língua em um grave risco de extinção. Hoje, no entanto, a existência de escolas bilíngues e ações que visam preservar a cultura local fazem do basco um idioma vivo, não apenas nas placas e museus, mas também na boca de crianças e adultos que vivem ali.

3. Cesta Punta, o esporte basco

Um lugar entre a Espanha e a França tinha que gostar de futebol. Quem acompanha os campeonatos europeus certamente já ouviu falar do Atlético de Bilbao, clube que só aceita jogadores bascos em sua equipe. No entanto, o futebol passa longe de ser o único esporte que faz sucesso por ali.

Com uma bola menor que a de tênis, e raquetes, cestas ou a própria mão dos jogadores, a Pelota Basca mobiliza desde profissionais até atletas de final de semana. Esse esporte é, na verdade, um grupo de esportes com características semelhantes. Da mesma forma como há o futebol de campo, de quadra e areia, existem também vários tipos de Pelota.

Um dos mais famosos deles é a Cesta Punta, ou Jai alai, promovido pelo Governo Basco como o esporte mais rápido do mundo.

Quando estive em Biarritz, assisti a uma partida e garanto: o negócio é rápido mesmo. Tanto que demorei a entender as regras. Mas depois de quatro tempos, posso dizer que funciona mais ou menos assim:

Quadra Cesta Punta

As equipes, formadas por dois atletas cada, jogam em quadra delimitada por linhas horizontais e três paredes (nas laterais e no fundo, deixando apenas o lado da plateia livre de paredes). O objetivo é atirar uma bolinha menor que a bola de tênis com toda a força na parede. Quando a bola quicar e voltar, os jogadores do time adversário devem pegá-la com a cesta e atirá-la de volta na parede. Quem deixar a bola cair dá um ponto para a outra equipe.

Se você não entendeu nada, imagine uma espécie de tênis na qual, ao invés de passar a bola pro outro lado da rede, você precisa bater com ela na parede. Pronto, essa é a Cesta Punta, muito prazer.

4. As três coisas que não podem faltar em uma vila basca

Uma igreja, o prédio do conselho municipal e uma quadra de Pelota Basca.

Vila no País Basco

Quem me contou isso foi o gerente do hostel onde fiquei hospedada em Biarritz, enquanto cruzava a fronteira da França com a Espanha em um tour por esses adoráveis lugarejos.

Apesar das cidades mais conhecidas do País Basco serem Bilbao, San Sebastian e, do lado francês, Biarritz e Bayonne, essa região é formada também por diversas vilas pequenininhas e charmosas. Casinhas brancas com detalhes coloridos de verde, vermelho e marrom, ruas de pedra e jardins coloridos perdidos no meio dos Pirineus fazem do País Basco um lugar único.

5. Católicos, mas do jeito deles

A maior parte do povo basco é da religião do Papa, mas nem sempre foi assim. Antes da Igreja Católica dominar o continente europeu, os habitantes daquela região costumavam adorar um deusa conhecida como Mari, que tinha um marido, mais ou menos importante, chamado Sugaar. O casal controlava deuses menores, espíritos, gigantes, ninfas  e gênios, assim como toda boa religião pré-cristã.

Igreja católica no País Basco

Repare no barquinho pendurado no teto

A questão é que, quando a Igreja Católica chegou querendo mandar na área, teve que negociar com o povo e ceder em alguns pontos, incorporando algumas características da religião antiga, afinal fé é uma coisa que você não enfia pela garganta de ninguém. O resultado desse sincretismo religioso e outras características próprias da cultura basca ainda podem ser percebidas por ali.

No litoral do País Basco francês, por exemplo, é comum que as igrejas tenham barcos de madeira pendurados no teto, como uma forma de pedir a Deus que abençoe a pesca. Em algumas dessas igrejas, o teto possui a forma do casco de um barco.

Além disso, era comum, em tempos antigos, que a parte superior da igreja fosse ocupada apenas por mulheres, enquanto a inferior era reservada aos homens. Quem for mais observador vai reparar também que em muitas igrejas as cruzes são símbolos quase inexistentes, outra herança da religião da deusa Mari. Por outro lado, a cruz basca, símbolo do país, é encontrado não apenas em lugares sagrados e cemitérios, como em todos os lados.

Cruz Basca

6. O País Basco está na moda

Eu não sei se tem algum leitor aficionado por moda aqui, mas fique sabendo que uma peça de vestuário típica do País Basco virou tendência nos últimos tempos, inspirando estilistas da Chanel, Yves Saint-Laurent, Burberry, Louboutin e Hermés. São as alpargatas (Espanha) ou espadrilles (França).

Alpargatas

Elas surgiram há 8 séculos, por isso podemos dizer que demoraram um pouquinho para cair no gosto do povão. No entanto, por aqueles lados do País Basco e em outras regiões dos dois países, elas nunca saíram de moda.

Com solado de corda, hoje em dia são fabricadas em várias cores para diversificar a produção e aumentar o consumo, mas tradicionalmente são usadas em vermelho, branco ou azul.

Dicas de viagem para o País Basco

Se você pretende viajar para o País Basco, temos diversas dicas para você, que pode conferir nos textos abaixo:

Dicas de Bilbao:

Dicas de San Sebastian:

Outros locais:

Clube Grandes Viajantes

Gostou deste texto? O 360meridianos faz jornalismo de viagem profissional, completo e de qualidade. Com a pandemia, vimos o site entrar em risco. É que produzir conteúdo bem-feito dá trabalho – e custa caro. Infelizmente, não conseguimos escrever reportagens especiais, dicas de viagem completíssimas e histórias cativantes sem dinheiro.

Foi por isso que criamos o Clube de Assinaturas Grandes Viajantes, um espaço para apaixonados pelo 360meridianos, por viagens e por leitura. As contribuições de 9 ou 19 Reais garantem não só que consigamos continuar produzindo textos como este, mas também te prometemos diversas recompensas exclusivas: ebooks, lives, um grupo de discussão, um minicurso de escrita e muito mais! Venha fazer parte do Clube Grandes Viajantes.

recompensas clube recompensas clube


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

121 comentários sobre o texto “6 curiosidades sobre o País Basco

  1. Olá, morei na espanha 15 anos conheço praticamente as principais cidades do país e suas diferenças no sotaque… Do idioma e suas tradições… Para mim que sou negro…de BH /Minas Gerais (Mulato,) a melhor região no meu conseito foi Andalucía… A Espanha toda fala Español como padrão… Mais cinco estados (Provincias) falam seus idiomas locais… Morei mto tempo na cidade de Lleida, em español e Lérida em cátala. Falo os dois idiomas… Então não tive problemas… A cidade Lleida se encontra na província de Cataluña… Nos Pirineus quase faz divisa com o sul da França. Está mais o menos a umas 4 horas de Toulouse na França. Tambm vivi em Coruña, na Galicia onde se fala bastante gallego… Idioma bem similar ao português de Portugal mais español… Tambm nada difícil falo gallego mto bem tambm rsrs…. Li a matéria não concordo que no país Vasco seus habitantes são receptivos com relação à outros habitantes de outras regiões… Claro que isso vem mto de pessoa para pessoa… Mais a história por sua vez influencia bastante… Para mim de todas as régios que conheci todas do país digo lhes que a mais receptiva foi Andalucía… Talvez pelas características de brasuca parecido com mulsumano que tenho… Enfim não tenho nada contra nenhuma das regiões do país… Mais mesmo conhecendo bem Guipúzcoa, Santander… E outras cidades da região… Eu ainda prefiro a Cataluña ou o sul do país… A Espanha é um país incrível mesmo vivendo lá 15 anos e viajando mto com o trabalho de bailarino… De discotecas e anos depois como produtor musical e Dj… Sinto que mesmo viajando e morrendo por temporadas em diversas regiões, sinto que ainda não usufruir de tanto conhecimento desse país incrível… Por fim viveria 50 anos na espanha fácil e mesmo assim ainda teria mto para conhecer. Ouve momentos que Barcelona alguns locais avenidas que passei por incrível que pareça me senti a como se eu estivesse em Belo Horizonte… Ouve momentos que alguns prédios e regiões faziam lembrar mto… Principalmente a região do palácio das asrtes em bh e a prefeitura devido a Arquitectura do prédio… Mais claro, não se engane Barcelona não tem nada a ver com BH… Enfim espanha é Espanha… A objetividad das pessoas em serem diretas é uma das coisas mais incríveis que pude sentir… Por fim no geral o Europeo não tem mto mimimi como brasileiros são bem diretos adorei profundamente isso… Algumas pessoas os vêem como mau educados eu vejo como objetivos… Até mesmo porque é melhor ouvir o que pensam de Vc do que te dá beijos e meterem o pau em Vc pelas costas como nossa tradição brasileira em fim… Assim foram minhas experiências Na espanha e toda Europa! Ótima página.

    1. Olá Derick!

      Eu tbm morei na Catalunha (Barcelona) e amo a Andaluzia! Com certeza as pessoas de lá são muito alegres e receptivas. Os bascos são mais fechados e “sérios”, mas sempre foram muito simpáticos e educados comigo, muito prontos para contar sua história e mostrar sua cultura, por isso disse que são receptivos, pq se orgulham dela. Talvez minha experiência tenha sido diferente pq estava lá como turista e não como imigrante. Como já fui imigrante em outros lugares sei que o tratamento muda bastante, né?

      Abraços!

  2. Olá Natália ,
    Tenho procurado se tenho algum parente no pais Basco . meu avô teve uma irmã que nasceu em Cuna Basca , no pais Basco , só que eu não encontro esse local , essa aldeia , ou sei lá. Meu avô morreu quando meu pai era criança , e minha avó tambem faleceu muito cedo , sendo meu pai criado pelo avós maternos , assim pouco se sabe sobre as origens do meu avô , sei que ele tem irmã de origem Basca . Gostaria muito de saber onde fica Cuna Basca , e se tem como saber se tenho parentes por lá. O nome do meu bisavô era JOSÉ MARIA DA CUNHA VASCO e do meu avô JOSÉ DA CUNHA VASCO.
    Gostei muito dos seus comentários , parabéns.
    cordialmente , Luiz A. cunha vasco

    1. Olá Luíz, muito incrível sua história, mas infelizmente não sei como te ajudar nesse tema… Fico feliz que tenha gostado do post!

      Abraços

  3. Olá Natália, morei no País Vasco, mais precisamente em Vitoria – Gasteiz e Miranda de Ebro e confesso que não gostei muito pois o povo é muito “frio´´e de pouca conversa com estrangeiros. Estive algumas vezes na gélida San Sebastian (Donostia), cidade muito bonita !! é o típico lugar pra escritores.
    Conheço poucas pessoas que estiveram no País Vasco e que também não gostaram muito. Mas pra mim valeu como experiência, agora pretendo conhecer a Albânia por causa das praias e da receptividade do povo albanês. Parabéns pelo Blog, pra quem pretende viajar é muito útil saber quais documentos e em quais circunstância são exigidos na imigração.

    1. Olá Adriano, obrigada por comentar. Eu tenho amigos bascos com quem me relaciono muito bem, mas realmente eles são considerados mais fechados que o resto da Espanha, por exemplo.

      um abraço!

  4. Olá, Natália!
    Gostaria de saber se chegou a visitar Basauri.
    Se sim, como é a cidade, o clima, gastromia, as pessoas..?
    Tenho vontade de conhecer esse lugar

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.