Mulheres devem viajar sozinhas pelo mundo?

Mulheres devem viajar sozinhas pelo mundo?

Devem. Eu poderia começar e terminar este post com essa resposta simples. Mas acho importante a discussão, uma vez que percebemos que algumas leitoras do blog têm essa dúvida e o receio de partir sem mais ninguém para conhecer o mundo. Não sei se vocês sabem, mas 64% dos nossos leitores são, na verdade, leitoras. Em 2012, uma pesquisa da Associação Brasileira de Blogs de Viagem (ABBV) revelou ainda que 72% dos acessos nos blogs brasileiros vem de mulheres. Foi a mesma tendência que ouvimos de uma agência de viagem online, esta semana. Então, peraí, se são as mulheres as principais consumidoras de informação sobre viagem no Brasil, por que ainda ouvimos tanto a pergunta do título?

Minha melhor amiga desde a infância passou os últimos 20 dias viajando pelo Caribe. Esteve em diferentes países, aproveitando o único período de férias que ela teria antes de começar a residência em Medicina. Quando contei isso para minha família, o que ouvi foi: mas ela foi sozinha, por quê? Durante nossa Volta ao Mundo, conhecemos muitas mulheres viajando sozinhas. Hoje, sabemos que várias viajantes também compartilham suas histórias em blogs nacionais – como a Mari Campos e a Fernanda Souza. E tem ainda as estrangeiras, como o blog da Liz ou o da Kate. Mas ainda assim, o discurso não mudou, assim como os questionamentos, os olhares tortos e a campanha de medo que surge em cima do tema.

mulher viajar sozinha cingapura

Parque Aquático de Cingapura

Apesar de o cenário estar melhorando com a internet, basta uma mulher falar que vai viajar sozinha (eu incluída) para começar a ouvir o discurso da insegurança, dos horrores do mundo e da necessidade de ter alguém ao seu lado. O discurso é tão constante, e vem de tantas fontes, que isso gera um bloqueio em muita gente e impede a pessoa de ao menos pensar na possibilidade de viajar sozinha. Claro, homens também sofrem com o preconceito contra o viajante solitário. Aliás, nossa sociedade em geral tem muita dificuldade em aceitar que as pessoas são capazes de realizar coisas e serem felizes sozinhas. Viajar, então! É um absurdo não ter alguém ao seu lado. Mas não podemos negar que, para as mulheres, educadas para se acharem frágeis e dependentes, fica ainda mais chocante e inaceitável esse papo de rodar o mundo sem ninguém conhecido por perto para defendê-la.

Os motivos para se viajar sozinha podem ser muitos: ninguém tem folga no mesmo período que você, ninguém tem grana para viajar no momento, ou o simples “eu só quero estar sozinha para uma jornada de autoconhecimento”. Fato é que a decisão de largar tudo por 15 dias ou 1 ano, seja sozinha ou acompanhada, é uma escolha pessoal. E não, não é o fim do mundo. Muito pelo contrário, é só o início dele.

mulher viajar sozinha itália

Veneza

Mas é perigoso para uma mulher ficar sozinha aí nesse mundo?

Esse é o principal discurso, que pode ou não vir junto de alguns números de mulheres que foram assassinadas ou estupradas enquanto estavam viajando. Mas já diria Guimarães Rosa, “Viver é muito perigoso”. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 70% dos casos de violência contra a mulher são causados por pessoas que elas conhecem, sejam familiares ou amigos. Então, o principal perigo para uma mulher está na própria cidade que ela vive, ou quem sabe, dentro de casa.

Sim, ao viajar você vai estar mais exposta a situações que não conhece, a culturas que são muito diferentes e podem até ser (pasmem!) mais machistas que o Brasil. Porém, com o tempo e a experiência de estrada, percebemos que a maioria dessas situações não é muito diferente do que já enfrentamos no nosso dia a dia. Requerem jogo de cintura, cuidado em determinados momentos e um pouco de experiência.

mulher viajar sozinha argentina

Buenos Aires

Também descobrimos que o mundo tem muito mais pessoas legais e generosas que imaginamos. Sempre que viajo, tenho o prazer de ser surpreendida com a ajuda de estranhos, com a simpatia das pessoas e com a bondade alheia. Claro, já passei por situações chatas, mas não se compara com tanto de coisas boas que vivi.

Mas qual a graça de viajar e não ter ninguém para compartilhar?

Bom, cada um acha graça no que quer na vida, mas, sinceramente, apesar de eu adorar viajar com meus amigos, acho que a viagem em si é a parte mais importante. Além disso, é mais difícil descobrir do que você gosta (ou o do que não gosta) e aprender a curtir a sua própria companhia se você sequer tentar viajar sozinha. Como minha amiga, você pode não ter escolha. E, aliás, isso é muito comum. Você tem seu salário, suas férias, a vontade de ver o mundo, mas não tem companhia. Então, vai desistir e ficar em casa se lamentando? Ou vai se dar uma chance de descobrir não só outros países, mas também quem é você sem ter ninguém por perto?

Mulher viajar sozinha EUA

Washington

E, veja bem, ao viajar sozinha você não precisa ficar solitária o tempo inteiro. Viajar também te possibilita conhecer outras pessoas: locais ou outros viajantes. Da pessoa mais extrovertida, que vai falar até com o cotovelo dos outros, até a mais tímida, é possível conhecer pessoas e fazer amigos – eternos ou temporários – durante uma viagem. Com essas pessoas, muitas vezes lobos solitários como você, dá para compartilhar momentos, principalmente quando você se sentir muito sozinha.

Mas o que é preciso para uma mulher viajar sozinha?

Para começar, escolha um destino mais “fácil”. Principalmente se você não tem muita experiência de viagem. Isso vale para todas, mais jovens ou mais velhas. Países com uma língua que você domine ou que seja fácil de entender ou destinos muito turísticos, nos quais uma mulher viajando sozinha não chame tanto a atenção. Também dá para viajar dentro do Brasil, o que facilita no quesito cultura.

Seja esperta. Se você não se expõe a situações perigosas enquanto está em casa, por que faria isso quando está fora? Ao escolher o hotel, pesquise bastante a região que você vai ficar, leia os reviews no Trip Advisor, cheque a vizinhança no Google Maps. Sei mais do que ninguém os sacrifícios que fazemos em nome da economia. Mas estando sozinha, ficar num hotel esquisito ou numa vizinhança perigosa não é a melhor ideia.

Não custa também se informar sobre a situação política do país que você vai visitar. É importante ler notícias e verificar as recomendações internacionais. Mas, claro, não se deixar levar pela histeria midiática, que muitas vezes vem carregada de sensacionalismo e preconceitos. Vale a pena ler blogs e conhecer as histórias de quem foi ou está no momento viajando para o local.

mulher viajar sozinha roma

Roma

Quando já estiver viajando, não dê bandeira de turistona. Não ande com mapa aberto, sem prestar atenção no mundo, sem pesquisar minimamente antes de sair do hotel. Aparentar confiança e experiência – mesmo que você não tenha nenhuma – dá segurança.

Algumas coisas a gente aprende com a estrada, mas também dá para aprender com a experiência alheia. No caso, evite passagens que tenham horário de chegada e saída muito cedo ou muito tarde, quando está escuro ou que o transporte público não estiver funcionando. Não escolha os vagões vazios em trens, mas sim aqueles que tiverem famílias, principalmente em países mais conservadores onde mulheres não costumam se aventurar pelas ruas sem pais ou maridos. Respeite a cultura e os códigos de vestimenta de onde você vai. Mesmo que seja chato não ter a liberdade de vestir o que quiser, lembre-se que viajar também é ter que lidar com a cultura do outro.

A principal dica é a que usamos também nas nossas vidas: confie nos seus instintos e fique atenta à possíveis ameaças. Não tenha medo de gritar, brigar, pedir ajuda, se você se sentir minimamente ameaçada. Somos ensinadas a ser educadas demais, a não levantar a voz, mas em certos momentos, principalmente quando sozinhas, só temos a nós mesmas para nos defender – então não precisa ter vergonha de dar escândalo ou de ser chamada de louca.

 Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook

Siga o @360meridianos no Twitter

Veja nossas fotos no Instagram

Receba novos posts por e-mail

Sou jornalista, tenho 29 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite “morar no aeroporto”. Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

132 comentários em Mulheres devem viajar sozinhas pelo mundo?

  1. Alô, gostei do que escreveu, Sempre fui muito independente e agora com 55 anos viajo todos os anos 1 a 2 semanas SOZINHA. Faço desde os 50 e agora já ninguém acha “esquisito”. É que preciso mesmo para a minha sanidade mental. É o meu tempo, o meu espaço, o meu silêncio e eu conversamos muito nestas alturas. Aconselho todas as mulheres se puderem… façam!!!!!!!!!
    Saudações

  2. Luíza, estou muito feliz por ter encontrado suas palavras a respeito, em Março vou passar 10 dias em Fortaleza sozinha partindo de São Paulo. Nunca viajei de avião e quando pela estrada por aí, sempre em bando.

    Espero me surpreender com a experiência, estou muito ansiosa e cada vez que avanço mais em pesquisar sobre o assunto, converso com mulheres que já provaram o gostinho de aventuras solo, me sinto bem e tenho certeza que vai ser muito importante para o meu autoconhecimento e autossuficiência.

    Um beijão!

  3. Olá Luíza!!!
    Estou planejando fazer a minha primeira viagem Internacional. Confesso que estou um pouco apreensiva, mas bem determinada a realizar esse sonho, mesmo que seja sozinha.
    Montei um Roteiro pela Europa, passando por vários países, mas fiquei um pouco em dúvida pq em um dos seus posts vc colocou q seria melhor optar por países mais fáceis, e no meu roteiro incluí Croácia e Eslovênia. Acha que seria uma boa idéia?
    Beijão!!!

    • Oi Ana Paula,

      Mil desculpas pela demora em responder

      Não acho que seja um problema você colocar esses países, apenas esteja ciente que a locomoção, comunicação, etc, talvez seja um pouco mais complicada. Mas não é nenhum bicho de sete cabeças. E são países muito turísticos também, não acho que você terá problemas.

    • Oi Ana Julia,

      Eu não estive sozinha no Peru, mas com duas amigas e um amigo. Ainda assim, não me senti ameaçada e conheço muitas outras blogueiras que estiveram lá sozinhas.

      Tome as precauções iguais você costuma ter no Brasil e acho que estará tudo certo.

      Abraço

  4. Oi Luiza!Estou nesse momento fazendo uma viagem sozinha pela tailandia e Camboja,e mais uma vez adorando. Compartilho suas percepções! Acho tb que gostar de viajar sozinha e um exercício. As primeiras podem ser difíceis,mas a gente vai pegando o jeito,se conhecendo, vendo o que funciona e em que tempo pra gente mesma.ai fica muito bom.pra mim e uma oportunidade que eu me dou: fortalece minha identidade,me desafia e me tira da zona de conforto.muito bom!!!

  5. Olá, há algumas semanas deixei um comentário falando sobre minha primeira viagem sozinha à Argentina e ao Uruguai, de alguns receios, etc. Confesso que fiquei bem apreensiva, nas semanas que antecederam a viagem, isso foi bom porque pude “estudar” muito sobre os dois destinos e chegar “preparada”. Acabou que eu ABSOLUTAMENTE AMEI VIAJAR SOZINHA, não teve nenhum momento que eu olhasse pro lado e sentisse falta de alguém, talvez, para tirar fotos minhas nos locais, mas, como eu gosto mais de fotografar os locais, as pessoas, do que aparecer fotos, isso nem contou tanto assim. Fiquei absolutamente entretida com a minha própria companhia e já estou ansiosa para a próxima viagem sozinha por esse mundão. Eu contratei um taxista para fazer meu transfer na ida e na volta em Buenos Aires, quando contei a ele o tanto de coisa que eu fiz por conta própria e ele ficou surpreso com a minha coragem e disposição de estar sozinha. Foi tudo tranquilo, claro, que estava muito bem informada sobre os locais que pretendia visitar e também tive bastante cautela a todo momento. Foi uma experiência inesquecível montar meu próprio roteiro de viagem sozinha e, depois, executá-lo. Obrigada a todas pelo encorajamento! Recomendo a todos e todas a experiência. Vamos viajar!

  6. Eu viajei sozinha pela primeira vez em julho, os lugares lindos!
    Mas me senti horrivel! todo mundo acompanhado e eu lá so… sou péssima para me comunicar com pessoas desconhecidas.
    Realmente me senti terrivelmente sozinha, nem de longe foi como imaginei, essa visão romanceada da viagem solitária na verdade é bem triste mesmo. Pelo menos para mim.

    • Oi Simone,

      Sinto muito que sua experiência foi tão ruim! E se você detestou, não recomendo que tente novamente, não é uma experiência que todos vão gostar.

      Mas discordo de você que exista uma visão romanceada da viagem solitária. Talvez você construiu isso na sua cabeça e por isso foi tão difícil. No seu comentário você demonstra que se sentiu horrível por ver pessoas acompanhadas e você estar só. Viajar sozinha é sobre estar sozinha e aprender a conviver com isso, com a própria companhia.

  7. Oi, Luiza!

    Pesquisando aqui no 360 sobre destinos acabei caindo nesse post. Adorei!
    Acabei de voltar da minha primeira viagem de férias sozinha. Já tinha morado fora, viajo sempre a trabalho sozinha (sempre sobram uns dois diazinhos pra conhecer as cidades, hehe), mas férias foi a primeira vez. Dez dias só pra mim, nem o computador eu levei! Fui pra Belém, usando muitas das dicas do Rafael. Amei a cidade, amei o Marajó, amei estar sozinha.

    Eu reservei um hostel, mas acabei indo pra um hotel devido à (falta de) limpeza do albergue. No hotel, só famílias/casais e executivos a trabalho. No café da manhã, todo santo dia, as pessoas ficavam me olhando meio com pena, meio desacreditadas, com aquela cara de “o que deu errado na vida dessa menina para ela estar aqui sozinha?”. Teve um dia em que eu me estressei: um casal de senhores ficava me olhando e cochichando. Me olhei no espelho, não estava suja nem estranha (vai que, né hahaha). No final eu entendi que era por eu estar só.

    Contando tudo isso só pra dizer que todo esse estranhamento que causa uma mulher viajando sozinha não deve abalar a gente – óbvio que, por mais bem resolvida que uma pessoa seja, as pressões sociais acabam pegando na curva em algum momento. Mas acho que é uma declaração muito poderosa pra gente mesma quando a gente vai sozinha, fica sozinha e fica bem, feliz e realizada.

    No final das contas, o grande problema está nas pessoas que não conseguem lidar com uma mulher independente e, para se sentirem mais confortáveis, tem esse tipo de atitude. Só lamento por elas 😉

    Beijo!

    • Adorei seu comentário Dani. Obrigada por compartilhar sua história!

      Outro dia um amigo me perguntou se eu não tinha problema em ir sozinha em restaurante. Eu acho muito estranho isso das pessoas terem “pena” de você fazer coisas sozinha, como se fosse a coisa mais triste ou difícil do mundo.

      Mas é isso, cada vez mais estaremos por aí explorando o mundo sozinhas e as pessoas que se adaptem a essa realidade
      bjs

  8. Luíza,

    Parabéns pelo site e pela postagem, muito bacana. Então, vou encarar minha primeira viagem internacional sozinha, já fiz outros passeios fora do país em que em um ou outro momento eu estava sozinha. Dessa vez, apesar de ter alguns conhecidos na mesma cidade e período, não ficaremos hospedados no mesmo lugar. Decidi ficar em um hostel, em quarto privativo, (verifiquei os sites especializados e li inúmeros comentários de viajantes), é minha primeira vez nesse tipo de hospedagem, o que já me deixa receosa de sair da minha zona de conforto. Dessa vez, vou à Montevidéu em setembro e estou medrosa, apesar de ser uma entusiasta de viagens, dessa vez, está dando um frio na barriga grande misturado com uma sensação de liberdade. rsrsrrs

    • Oi Tassia,

      Sim, achei todos esses lugares seguros e iria para lá tranquilamente sozinha (só tomando os cuidados básicos que temos em qualquer lugar mesmo).

      Abraço

  9. Olá!Resolvi dividir minha experiência aqui por causa do último parágrafo deste artigo. No mês passado fiz minha primeira viagem internacional sozinha. Passei 4 semanas em Toronto e a última semana em NYC. Em Toronto foi tudo muito tranquilo, mas em NY tive alguns problemas. Era a minha primeira vez na cidade e eu cheguei no aeroporto La Guardia depois das 21:00 hrs, com reserva de um apartamento no Brooklyn. Logo que desembarquei fui abordada por um suposto taxista que já foi pegando minhas malas e levando para o carro. Ao chegar no carro, percebi que não era um táxi convencional e disse que não queria o serviço por este motivo, mas o motorista não me ouviu e colocou minhas malas no carro. Com receio de pedir ajuda ou algo parecido, me submeti a esta situação pelos motivos citados acima (já estava com muito medo). Durante a viagem meu medo e desconfiança só aumentaram. Pedi a ele várias vezes para parar, até que ele resolveu parar em um posto de gasolina para abastecer,não porque eu pedi(graças a Deus). Foi então que eu desci do carro e neste momento precisei gritar por ajuda, pois ele não queria entregar minhas malas. Neste momento apareceram várias pesoas que me ajudaram. Não sei porque, mas não sabemos dizer não, parece algo cultural, pois lá fora isso é muito comum para eles. Mas depois de tudo isso tirei algumas lições e curti muito NYC!

    • Oi Márcia,

      Que situação chata e terrível. Eu entendo demais, as vezes o medo nos paralisa e também é da forma como somos socializadas não querer sermos grosseiras.

      Mas nessas situações, principalmente em aeroportos, o melhor a fazer é sempre gritar, espernear, ameaçar chamar a política e nunca deixar ninguém encostar nas nossas coisas sem fazer o maior escândalo.

      Melhor ter fama de barraqueira do que passar por isso.

  10. Oi,
    Conheci seu blog a pouco tempo e já estou encantada. Esse texto é para mim. Sempre viajei acompanhada e em 2009 me vi sozinha, sem ninguém para ir comigo. Me recuso a passar as férias em casa, me inscrevi em um curso de espanhol, republica estudantil e fui para Buenos Aires. Já tinha 29 anos e pensei que poderia me sentir mal no meio de pessoas novas, mas foi a melhor coisa que fiz. Várias pessoas da minha idade ou mais velhas, muito conhecimento e de quebra, 2 semanas de espanhol. Depois disso, já fui pra vários lugares incluindo Caribe, tudo sozinha. Esse ano voltarei para Buenos Aires mas somente como turista e tenho certeza que será maravilhoso. Não sou muito sociável mas acredito que quando estamos sós, a gente libera uma certa sociabilidade, até pela necessidade de conversarmos. E sim, toda vez que viajo as pessoas perguntam como eu consigo ir sozinha, que não tenho medo, que não deveria ir só. Mas nem ligo, vou continuar viajando sim, é meu direito e trabalho para isso!

  11. Acompanho o blog não faz muito tempo, mas já sou fã! Li os comentários e fiquei feliz ao ver tanta história bacana de gente que venceu esse receio. Resolvi compartilhar uma experiência minha, há uns dias conversava com uma amiga que viaja muito sozinha e eu comentei com ela que sinto um certo receio, porque gosto de cia pra caminhar e conversar, pra jantar, sempre viajo com pelo menos 1 amiga e que achava que não me sentiria tão bem. Mas aí lembrei que eu já havia feito isso!!! Minha primeira viagem sozinha (e única até agora) foi em um cruzeiro e que fique registrado, também foi a minha primeira viagem de navio. Fui para um evento a bordo representando a empresa que trabalhava. O cruzeiro foi aqui dentro do Brasil mesmo, mas já na chegada em Salvador (embarquei no navio lá) havia comprado um transfer pra me levar pro porto e nesse mesmo transfer conheci um casal que também estava indo para o navio devido ao mesmo evento que eu. Começamos a conversar e acabei indo caminhar com eles por Salvador antes do embarque, foi super bacana, eles tiraram várias fotos pra mim hahaha Dentro do navio, acabei conhecendo mais gente durante os jantares, nas palestras do evento e assim, nas cidades em que o navio parou eu já tinha cia pra ir caminhar. Eu não me considero muito sociável, mas como estava sozinha acho que fiquei mais receptiva, essa interação acabou acontecendo muito naturalmente e eu não me senti sozinha em nenhum momento, talvez por isso eu nem tenha lembrado que já havia viajado sozinha enquanto conversava com minha amiga ou por ter sido uma viagem de certa forma a trabalho… Enfim, depois disso vi por experiência própria que não tem nada demais, pretendo fazer isso mais vezes e vou lembrar seguir suas dicas com ctz. Abraços!

    • Oi Ana,

      A trabalho ou não, você estava sozinha e foi muito natural para você se relacionar com as outras pessoas. Isso é bem legal. Espero que agora você veja que é sim capaz de viajar sozinha e também estar sozinha numa viagem, porque a nossa própria companhia as vezes também basta!

  12. Olá Luiza. Conheci seu blog hoje e fiquei encantada não só pelas coisas que você escreve, mas por como você é atenciosa respondendo às pessoas. Isso me encorajou a escrever também e quem sabe você não me encoraje a arregaçar as mangas e sair por aí hehe
    Tenho 30 anos sou muito tímida, medrosa e solitária. Mas esses dias escutei de uma amiga uma coisa que me deu uma sacudida: às vezes dá a impressão que você não está vivendo. Isso me deu um alerta sabe, tem tanta coisa que eu quero fazer, que planejo, principalmente viagens, mas como todo mundo vai desistindo, não faço porque não tem ninguém pra ir comigo. Sou professora, tenho duas férias por ano, uma acaba de acabar e não faço nada nas minhas férias por essa falta de companhia e o medo. Mas esses dias, ao ouvir isso, pensei que realmente eu estou deixando a minha vida passar e decidi que esse ano não vai ser assim. Quero fazer algo antes de julho minhas férias de 30 dias para tomar coragem, talvez eu realize algo que eu sempre tive vontade: conheça Bonito MS em algum feriado, ou, querendo, facilmente consigo 4, 5 dias no meu trabalho. Outro desejo é conhecer o Sul.
    Eu gosto muito de pesquisar e já viajei para Vila Velha comprando passagens pela internet, sem agência nem nada. Claro que lá eu conhecia uma pessoa, uma amiga e fiquei na casa dela. Ela foi me buscar no aeroporto e me guiou o tempo todo.
    Mas essa minha natureza medrosa me deixa receosa de encarar reserva de hotel e contar com os passeios que me serão oferecidos pelos guias turísticos de lá, então acho mais seguro, para a primeira contar com a segurança de uma agência de viagem.
    Espero realmente ter a coragem de fazer e que, como tantas coisas na minha vida não fique só nos planos e sonhos. Sei que a minha mãe vai morrer de medo, mas acho que ela sobrevive e se acostuma.

    • Oi Lorena,

      Você é muito nova para ficar com medo de viver! Aproveite o que a internet te oferece de melhor: diversos blogs de pessoas que já tiveram essas experiências que você tem interesse, fóruns de viagem, tripadvisor. Pesquise tudo o que você puder antes e chegando lá, você já vai estar bem mais tranquila, porque se organizou.

      Medo a gente só supera quando enfrenta ele. Depois você vai olhar para trás e perceber que o desconhecido não precisa ser assustador assim.

  13. Olá galera!

    Eu sempre achei surpeendente viajar, me empolgo com as estórias dos outros, mas nunca viajei, após vários fatos que ocorreram em minha vida nesses últimos 2 anos, decidi enfrentar meu medo e colocar o pé na estrada, minha primeira viagem já estou planejando para o Egito, sempre fui fascinada pelo oriente. Alguém tem alguma dica´para compartilhar?

    bjinhos

    • Oi Jeane,

      Entendo que você seja fascinada pelo Egito, mas não acho que essa seja a melhor ideia para a sua primeira viagem, ainda mais sozinha.
      O país ainda vive algumas tensões e o assédio a mulheres por lá é bem grande. Porque você não vai a algum lugar mais tranquilo de primeira, para ir aprendendo a viajar sozinha e lidar com os perrengues e deixa o Egito para uma segunda rodada?

  14. Puxa, sempre fui louca por viajar e viajar e viajar… eu gostaria de passar a vida viajando. Quero aprender inglês, tenho a esperança de um dia conhecer outros países. Eu nunca viajei para o exterior. É muito legal tudo o que as outras meninas disseram nos comentários, mas o meu medo é por causa da minha cor de pele. Será o mesmo ser uma mulher negra e ser uma mulher branca viajando sozinha pelo mundo. Isso do racismo me deixa muito insegura. O que você me diz para me encorajar? Preciso de uma palavra de encorajamento, se outras mulheres negras são experientes nisso, por favor digam suas experiências.

    • Oi Adriana,

      Entendo seu medo, de fato é justificado.
      Eu não posso falar como uma mulher negra, mas em geral, encontramos pessoas negras vivendo ou viajando em muitos lugares do mundo. Conheço alguns casos de preconceito, mas no Brasil eles também existem, não é?

      Acho que a princípio, você pode buscar destinos mais turísticos e grandes cidades, onde as pessoas já estão acostumadas com muita diversidade. E com o tempo e as experiências, vai se sentindo mais segura.

      Espero que tenha te ajudado.

    • Oi Adriana, como voce sou negra, morei 35 anos na Europa e Africa, hoje moro em Salvador. Qdo cheguei na Irlanda 35 anis atraz nao existia uma so oessoa da minha cor, enm por isso eu fui infeliz. Tinham curiosidade sim mas, o importante eh que tudo estava sempre resolvido na minha cabeca. Hoje viajo sozinha e em comoanhia qdo acho, e munca nottei nada de indelicado contra mim. Talvez tenha existido, mas te juro que se existiu passou batido, nao me importo com isso, nao penso nnisso, so sei que sou negra qdo devo escrever em algum formulario que pede a raca.
      Tudo acredito depende da cabeca e seguranca de cada um.
      O importante eh ser educada, vestida de acordo com o pais que vc esta visitando, um sorrisao na cara, se missturar com os locais, e sem medo de ser Feliz.
      Va pro mundo e curta a vida que eh uma so. Feliz Nattal e seja feliz querida

      • Luiza, você tem razão, isso existe no Brasil. Obrigada pelos artigos, gostei muito!
        Daysy, vou aprender a ser forte e corajosa como você! Suas palavras me animaram, obrigada :))
        Feliz natal para você e a Luiza também.

    • Oi, Adriana!

      Entendo o seu medo. A gente acha na internet sites que encorajam mulheres a viajarem sozinhas mas achar mulheres negras que viajam sozinhas é um pouco mais difícil.

      Sou negra e já viajei para o Exterior, inclusive sozinha. Não lembro de ter enfrentado nenhuma situação de racismo. Eu sempre pesquiso sobre isso ao escolher os lugares para onde vou, por isso ainda tenho uma certa ressalva em conhecer alguns países como a Rússia (li em alguns sites sobre racismo na Rússia). Sempre tive um medo da África do Sul mas ano que vem, pretendo conhecer o país e outros da África, estou pesquisando bastante sobre isso.

      A coisa que mais me incomoda é ser sempre vista com desconfiança na Imigração. Geralmente sou parada e tenho que mostrar todos os documentos. Isso me irrita profundamente mas eu entendo que é o trabalho do policial ou agente. Acredito que isso acontece mais porque estou viajando sozinha e por ser brasileira do que
      por ser negra. Vale a pena dizer que sempre fui tratada com cordialidade mas é chato você ver várias pessoas passando direto na fila e quando chega a sua vez, tem que responder a uma sabatina.

      Liberte-se dos seus medos! Vá sim. Comece por grandes cidades e à medida que se sentir segura, vá expandindo seus horizontes.

      Sobre viajar sozinha: Eu descobri que viajar é algo que me faz feliz. Já fiz viagem de casal, com amigos e sozinha. Gosto muito de ter companhia nas viagens mas eu não tenho o menor problema em viajar sozinha. Entendo que é difícil as pessoas terem ao mesmo tempo: dinheiro, folga e disposição para viajar. Sim, disposição! Porque às vezes você quer ir conhecer um destino de ecoturismo como o Jalapão ou mas seus amigos só gostam de centros urbanos. E aí? O que fazer? Esperar?

      A minha primeira viagem ao Exterior foi para Europa. Era um sonho e minhas amigas que poderiam ir, deram preferência aos EUA. Eu fui, não com a cara e a coragem, fui bem informada, com as reservas e graças a Deus, deu tudo certo. Hoje, se eu tivesse que aconselhar a alguém a viajar sozinho, diria para começar a fazer aqui no Brasil ou em um país vizinho.

      Então, eu acho que com bastante informação e tomando todos os cuidados que você toma no Brasil (falando sobre segurança),tem tudo para sua viagem dar certo.

  15. Olá. bom dia! Também viajo sozinha pelo mundo porque normalmente falta cia…rs.Sobre a opinião dos que acham “errado” ou perigoso uma mulher viajar sozinha, sempre penso: eles pagam as minhas contas? rs. Não…então. Só lamento. Vou continuar fazendo isso com ou sem cia, rs. Beijossssss

  16. Oi Luíza, adorei teu texto! No momento eu moro em Dulbin e estou planejando uma eurotrip pro final do ano, vou passar 5 países em 30 dias (incluindo natal e final de ano), e estava procurando algum texto que me desse motivação. Que bom que achei o teu! O fato de eu ser mulher, vir do interior, ter 21 anos e estar sozinha me preocupa muito e por muitas vezes pensei em desistir dessa viagem por medo, mas daí eu penso em quando morei em Sydney e deixei de viajar por falta de companhia, e lembro que foi um dos maiores arrependimentos da minha vida. Dessa vez vai ser diferente, vou viajar sozinha com ou sem medo! Acredito que uma experiência dessas seja libertadora, ajuda a superar nossas limitações, valorizar as coisas mais simples, ensina sobre o mundo e sobre nós mesmos, ensina a viver. Espero poder voltar com bons depoimentos…
    Abraços!

  17. Oi Luiza sou fã do 360meridianos, leio as dicas e comentários, acho interessante como as situações vivenciadas são compartilhadas, e digo que ajudam sim para quem se aventura a sair da zona de conforto e experimentar viajar, conhecer o novo, rever o conhecido, seja qual for o motivo da viagem. Concordo em como é desafiador e ao mesmo tempo fantástico viajar sozinha, já me mandei para a Espanha em uma ocasião e fiquei cinco meses por lá, ano passado me aventurei sozinha pela Dinamarca, Finlândia e Estonia, estou arrumando as malas para o velho continente novamente, período sabático. Parabéns por seu estímulo e encorajamento às mulheres a viajarem em companhia delas mesmas. Vale a pena! Ah, concordo com sua ideia de ROOM ALONE. Abs,

  18. Oi Luiza, viajar sozinha é igual ler um livro e ‘desenhar’ na cabeça todos os cenários narrados ali. Somente quem faz/ler sabe o quão emocionante é…

  19. Lu, adorei seus posts. Tenho pensado muito em ser Comissária de voo para poder viajar com tudo pago rsrs, mesmo sem nunca ter voado antes. Sempre quis fazer algo grande, desafiador, mas confesso que tenho medo pois moro no interior e não tenho costume de viajar sozinha. Ainda não decidi meu futuro mas concordo com tudo que você escreveu.
    Abraço e boas viagens!

    • Oi Andressa,

      Boa sorte com seus sonhos. Mas a profissão de comissária não é moleza não viu? Você viaja muito, mas fica pouco tempo nos lugares e trabalha bastante! Enfim, só um aviso para você pesquisar bem sobre o trabalho antes de escolher só pelo glamour!

  20. Oi Luiza tudo bem?

    Bom primeiro gostaria de dizer que na verdade nunca tinha me passado pela cabeça “viajar sozinha” entende? Só que me vi diante do fato de que no momento que eu posso ninguém pode ir.
    Então como sempre tive o sonho de conhecer a inglaterra e tinha dinheiro e disponibilidade decidi arriscar.
    Como não queria me sentir muito sozinha optei por um curso de inglês ao sul da inglaterra com uma duração de um mês onde lá facilmente vou conseguir fazer algumas companhias quem sabe até amizades. Porém no final da minha trip reservei um hotel para rodar londres e conhecer a cidade. Não tenho muita noção não sei se é perigoso mas meus pais já foram e disseram que a cidade é bem tranquila (até meu pai que é super preocupado disse que é muito seguro por lá) claro que não vou dar bobeira, ficar andando de noite sozinha ou ficar vulnerável de outras formas. Porém não sei se vou ter companhia.. Acho que não pois reservei hotel e não hostel porque eu não curto muito esse lance de dormir no mesmo quarto que varias pessoas que não conheço e tal.. Mas enfim eu queria mesmo é saber se você conhece algo sobre londres e se acha que é tranquilo para uma mulher viajar pra lá sozinha..
    O bairro que vou ficar hospedada chama kensington não tenho muita noção se é um bairro perigoso..
    Outra coisa, o meu voo da volta sai de londres as seis horas da manhã acho que vou ter de sair no meio da noite do hotel sei que mesmo se o metro estivesse funcionando ia ser perigoso pegar no meio da noite. Você acha que é seguro pegar um taxi mesmo sendo no meio da noite?
    Bem além disso tudo é a primeira vez que eu vou a europa..
    Bem acho que é isso.. Obrigada até mais!

    • Oi Priscila,

      Você não poderia ter escolhido uma cidade mais tranquila para se aventurar pela primeira vez sozinha!
      Sério, relaxa!

      Kensington foi o bairro que me hospedei pela primeira vez lá. É lindo, perto de museus e parques, você vai adorar.

      Te recomendo muito um blog de uma amiga que mora em Londres, a Liliana: http://catalogodeviagens.net/
      Ela vai te tranquilizar ainda mais do que eu =)

      E, uma dica: hostel não tem só dormitório! Tem quartos privativos também, as vezes melhores do que em hotéis e ainda com um ambiente comum mais propício para fazer amizades, ok?

      Abraço

  21. Olá pessoal!! Comprei as passagens e reservei o hotel!!!!
    Mas meu coração está tão acelerado que tenho medo dele sair pela boca rsrs…
    Terei que me virar sozinha mesmo, e são tantos coisas para pensar! Por vezes pensei que seria só pensar em um roteiro, reservar o hotel e pronto! mas não. Tenho que pensar em tudo… desde o roteiro até os pequenos detalhes como troca de dinheiro ou como me locomover, enfim…vou! Obrigada pelo incentivo de vocês.

  22. Ola bom dia!

    Estarei indo a Europa agora em 2015 e depois que eu ja tinha até comprado 80% do euro necessário o meu “parceiro” de trip resolveu dar p tras ..( que merda huahau) viajei com um grupo de amigos para Bolivia, Peru e Chile mas por varias vezes me senti sufocado querendo sair, andar por la sozinho. . .
    enfim: gostaria de saber se tem algum problema viajar sozinho pela europa em especial na imigração. . .ja viajei aki pelo BRA sozinho e adorei…

    Me ajuda aê, por favor! Thanks, 🙂

  23. Nossa, que linda sua postagem ! O texto é muito bom e significativo, parabéns ! Eu já acompanhei vários vídeos seus dando dicas de viajens no youtube , a-do-ro . rs Eu sou uma louca apaixonada por culturas, viajens, mas tbm por natureza, passeios de ecoturismo. Quando é pra viajar sozinha pra locais urbanos não vejo problema nenhum, mas oq pega mais pra mim é quando é pra acampar, fazer trilhas, ir pra parques de reserva ambiental , etc. Nesse caso infelizmente se não tiver companhia eu não vou, oq acho muito chato, pq vejo que é perigoso só porque eu sou mulher. Tem vários amigos homens que são trilheiros, vão pra tudo oq é lugar sozinhos, acampam no meio do mato sem nenhuma preocupação. Deveria ser igual pra mim, não é ? Mas fazer oq. Quem sabe um dia o mundo melhore . Acredito que , inclusive, nós, como mochileiros, contribuimos muito pra essa melhora, ao integrar e adquirir cultura, experiências de vida, novas formas de pensar, etc. Obrigada pela postagem ! Um abs, Ana

  24. Olá boa noite!

    Estava pesquisando sobre viajar sozinha e adorei o texto.
    Na verdade, estava, a quase seis meses, planejando minha primeira viagem para fora do Brasil com duas amigas que seria no final de julho. Iríamos para o Uruguai, lugar que sempre tive imensa curiosidade em conhecer, mas infelizmente, minhas colegas não poderão mais ir. Foi como um balde de água fria! estava muito ansiosa e animada para essa viagem.
    Enfim, começo a cogitar a possibilidade de ir sozinha, mas ahh!!! tenho tanto receio!
    Primeiro, claro o tal: nossa viajar sozinha!? coitada! vai fazer o que sozinha?? é perigoso… e a imensidade de coisas que todas aqui já conhecem.
    Então comecei a procurar na internet…buscando um certo apoio e a tão sonhada coragem.
    Enfim… viajei pouco na vida, não por não querer, mais por falta de grana mesmo.
    Moro no interior, sou solteira e sem uma vida social muito intensa, não sou o que se pode classificar como “descolada”, na verdade, nunca viajei de avião na minha vida!!
    Agora tenho uma certa estabilidade financeira e queria muito conhecer o mundo!!
    Mas um infinito medo de me ver em um lugar estranho sem ninguém para eu ter um apoio.
    sabe, aquele “negócio” que te dá em você olhar para o lado e ver pessoas acompanhadas, tendo com quem dividir o momento, e você ali só?? Embora eu passe muito tempo sozinha na vida cotidiana, mas é diferente estar longe do que você conhece, ou seja, o lugar.
    Sei que é uma sensação bastante cultural, aquele coisa de meninas serem criadas para ser “de casa” e não “ganhar o mundo”.
    Estou divagando, mas na verdade que mesmo é procurar um suporte e um conforto, para quem sabe conseguir vencer esse medo!

    Enfim…
    Abraço

    • Simone, me identifico um pouco com seu relato, mas digo uma coisa: VAI ASSIM MESMO! Na hora é meio chato realmente você ficar sempre o tempo todo sozinha, não vou ter papas na língua não, outro dia estava viajando sozinha (como sempre) e me deu uma vontade imensa de dançar um forrozinho numa festinha de São João num lugar desconhecido que eu estava (Chapada Diamantina) e não havia ninguém pra ser meu par. Muitos poderiam dizer “AH! Convida alguém pra dançar!” mas no momento eu não tava com o astral tão descolado assim. Bem, pra esses momentos de carreira solo (viajo só, moro só, trabalho quase só) eu uso alguns “macetes” quando estou viajando: levo algum livro, aproveito para fazer desenhos do lugar que eu viajo (eu tenho um SketchBook) e todos os dias agradeço por ter a oportunidade de viver isso, mesmo que com a sensação de vazio por não ter ninguém pra fazer um brinde às vezes… No mais, repito: VAI ASSIM MESMO.

        • Erika amiga, a melhor companhia é a sua mesma, eu tbm moro sozinha, e sempre viajo só, e guarda tenho 63 aninhos e amo viajar, não é por isso que deixo de fazer as coisas que mais amo…curto a vida do mesmo jeito. Viva a vida, e não espere por ninguém, aprenda a viver só, isso foi a lição que aprendi e mi dei bem. bjs

    • Oi Simone,

      Espero que esse post e os comentários dele te inspirem a viajar sozinha.
      Olha, o Uruguai é um destino tão tranquilo, uma ótima opção para quem quer se aventurar solo pela primeira vez.

      Medo, no início, você vai sentir mesmo. Mas depois vai se sentir muito bem, te garanto! E, viajando sozinha, se quiser, vai conhecer mais pessoas do que faria se tivesse acompanhada.

      Não precisa ser descolada, moderna ou nem mesmo corajosa para viajar sozinha. Só precisa da vontade de ver o mundo, e isso você já tem! Não deixe de fazer o que sonha pela ausência de companhia!

      e se precisar de apoio, estamos aqui!

    • Eu gostaria de ter o poder de te mandar uma super mensagem positiva e encorajadora Simone.

      Eu viajo sozinha com frequência … e aprendi muito nessas viagens. Conheci muita gente legal, e comecei também a aprender a me defender de situações não tao legais pelo caminho. Adoro estar acompanhada e adoro viajar sozinha rsrsrs. Fiz muitos amigos. Mas assim como você, na minha primeira viagem eu fiquei cheia de receio … mesmo com medo eu encarei a ida pra nova zelândia, ufa, sobrevivi. Depois dessa, um mundo se abriu a minha frente. Para minhas próximas viagens, mais longas, tenho me planejado um pouco mais com relação a minha segurança também.

      Para as mulheres que viajam sozinhas, mas ao mesmo tempo ainda estão preocupadas em como fazer isso da maneira mais segura, eu fiz um post, acho que pode ajudar um tantinho a acertar tudo e irm mais tranquila também!

      http://viajanderia.com/2015/02/01/sozinha-e-fragil-nem-pensar-7-dicas-para-tornar-a-viagem-de-uma-mulher-independente-mais-segura/

      Espero que você se empolgue e volte para me contar que AMOU!!!

      Bjs

      Tati @Viajanderia

    • Olá Simone, vai sim amiga, não se preocupe, lá fora é mais seguro do que aqui. Veja tenho 63 anos,viuva, descolada, viajo sozinha curto horrores. Fiz o Caminho de Santiago 890kms sozinha adorei. Depois pequei o trem fui pra portugal de lá fui pra italia, madri e sem problema. Faço roteiro, pesquiso hotel. Como mochileira mesmo. Levo uma mala pequena com roupas pra sair a noite ou ir num restaurante nada muito pesado por andar muito de trem e curto sem nenhum preconceito. Amo viajar e amo viver… prox ano estarei por 3 meses girando pela europa.

      • Oi Florisbela. Adorei teus comentários, pois me identiquei com vc. Tenho 6o anos. Viúva e morando sozinha e com amigos que não curtem viaja. Resolvi agora em julho /agosto ir para ITALIA.. Quero curtir bem aquele país.
        Vc vai estar por lá ainda este ano? Seria bom trocar experiências com vc.
        bjs
        Daisy

        • Daisy minha querida, obrigada pelo comentário – como disse não deixe de fazer as coisas que ama por falta de companhia. Vá viaja e curta a vida.Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento e desejos é nosso, não é compartilhado. Olha esse ano não irei a europa. Mas morei por muitos anos na Italía, se precisar de dicas sem problema. Irei e já com roteiro pronto agosto-2016. Vou pra Portugal. Quero ficar uns dias em Lisboa e Porto. Depois vou a Barcelona. Uma programação de uns 15 dias. Após esse tour irei novamente fazer o Caminho de Santiago. Começarei da França até Santiago de Compostela. Se ti interessar e tempo disponível, o convite está feito. Vamos sim contactar quem sabe viajamos jtas – e-mail: [email protected] – Um abraço amiga. Florisbela

    • Olá Simone, achei muito interessante seu post, também estou pretendendo viajar sozinha pra outro País e confesso que estou apreensiva. Boa sorte!

    • Simone, vc quase descreveu minha vida hahaha
      Tb não tenho uma vida social mto agitada, passo a maior parte do tempo sozinha, tenho poucos amigos e tb tenho medo de viajar sozinha. Tenho 30 anos e nunca viajei sozinha por medo, insegurança, será q vou conseguir me virar? Será q não vou me sentir sozinha? Será q não vão se aproveitar por eu ser mulher e estar sozinha? Já perdi oportunidades tirando férias e ficando em casa os 30 dias, esse ano de 2015 mesmo folguei todos os feriados prolongados e não fiz nada por falta de companhia. Esse é um medo que quero e preciso perder. Em setembro tirei férias e fui pra florianópolis (acompanhada) e lá conheci uns uruguaios, gente mto boa, e depois disso fiquei com vontade de conhecer o uruguai, até comentei com uma amiga minha mas entra naquela questão de não pode agora por falta de grana ou agendas que não batem. Como disse, preciso e quero perder esse medo e se me der na telha de ir pra o uruguai, pro canadá, pro japão, q seja, sozinha mesmo eu vou! Temos que ter em mente que não nascemos grudados com ninguém e nossa vida não pode depender de ter companhia pra fazer ou não alguma coisa. Depois conta se vc foi pro uruguai e como foi. Beijos!

      • Oi Patrícia,

        Se você passa a maior parte do tempo sozinha, de onde você tem esse medo de estar sozinha quando estiver viajando? Se você não tem medo de andar na sua cidade sozinha, não precisa ter medo de andar em outros lugares do mundo.

        Boa sorte e coragem!
        bjs

  25. passo muito mal antes de qualquer viagem (ansiedade em níveis máximos), se tiver imigração (qq uma, ate a da argentina)pior, sozinha então rola uma somatização séria. mas já fiz duas. uma pra Diamantina e outra pra Londres. quando chego no lugar, não sinto absolutamente mais nada!!! costumo contratar pequenos passeios guiados, q nao me prendam, mas me deem noção da cidade, aí depois volto sozinha onde acho mais legal. a parte q mais gosto é ocupar todos os espaços do quarto com minhas tralhas, sem me preocupar em incomodar ngm, igual na minha casa. e, falando nisso, se uma mulher mora sozinha numa cidade como o Rio de Janeiro, pq ela não viajaria sozinha, né?

    • Você disse tudo, se você mora sozinha, anda na rua sozinha, faz coisas do dia a dia sozinha, certamente é capaz de viajar sozinha e aproveitar ao máximo sua viagem.

      Essa sua ideia do tour guiado é boa. Você pode também tentar um free walking tour, que em geral vai em lugares muito legais da cidade e te contam muitas curiosidades.

      bjs

  26. Eu sempre me considerei uma mulher independente,mas viajar sozinha não estava nos meus planos. Até que comecei a planejar uma viagem a Europa para o próximo ano e meu marido bateu o pé dizendo que não iria e que se eu quisesse poderia ir sozinha. Foi quando comecei a pesquisar e encontrei esse site e pude perceber que mulheres viajarem sozinha hoje em dia é muito normal.
    Como ainda não tinha visto americano,comecei a preparar minha primeira viagem solo,sou da região Nordeste e resolvi tirar meu visto no Rio de janeiro. Foi minha primeira viagem sem meu marido no final do mês de julho. Queria saber qual seria a sensação de viajar sem a minha principal cia. De início estranhei,pois sou extremamente viciada em redes sociais e agora como iria tirar minhas queridas fotos para o facebook??? rsrs
    Foi aí que tive coragem e comecei a pedir o pessoal para tirar minhas fotos,claro que foram poucas,não foi tantas como se eu estivesse com ele,pois eu teria que saber exatamente a quem eu pediria esse favor.
    Sei que no segundo dia eu já não sentia mais falta dele,aquela independência estava me agradando.O fato de decidir meu destino,de sair a hora que quisesse,de não ter que deixar de fazer algo pq alguém não estava de acordo,foram sensações maravilhosas.
    Já estou de passagem comprada para março,o ruim é que não falo nada de francês,mas até a viagem chegar,pretendo aprender o básico.
    Quero agradecer a esse site de ter me mostrado a oportunidade de conhecer o mundo sem depender de ninguém,de dizer que vou deixar de conhecer o lugar x por não ter cia,isso faz parte do meu passado,rs.
    Obg a tds!

    • Oi Tatiane,

      Fico muito feliz com seu comentário. É muito bom saber que conseguimos inspirar mulheres a viajar sozinhas e descobrir como isso pode ser bom e libertador.

      Tenho certeza que você vai amar sua viagem pela Europa, com ou sem marido!

      bjs

  27. Adorei esse post principalmente porque ele me representa 🙂 Eu viajei sozinha pela primeira vez no ano passado quando fiz meu mochilão pela europa e foi a melhor experiência da minha vida. Gostei tanto que até estranhei quando uma amiga veio me encontrar na penúltima semana de viagem. Tive também um frio na barriga antes de viajar, mas depois passou e vi que não era nada ruim. Depois dessa experiência (que foi tão positiva) pretendo continuar viajando sozinha por mais um bom tempo.

  28. Adorei ler esse texto…
    Eu não costumo viajar sozinha, mas sim com meu filho que é especial, o que também acaba assustando as pessoas, recebo olhares de reprovação por viajar sem meu marido(devido o trabalho dele não quase nunca conciliamos nossas férias), ou de acharem muito complicado andar sem alguém para me ajudar…Não ligo não.
    Esse ano,em fevereiro fui para Cancún sozinha, deu tudo muito certo, aproveitamos muito. A próxima viagem já está engatada : Uma semana em Barcelona,com direto a jogo do Barça no Camp Nou…
    O mundo nós espera, e não teno tempo de me prender a reprovações alheias!!
    Em tempo : acompanhando o blog diariamente..maravilhoso!! Parabéns…

    • Oi Roberta, você disse tudo: “O mundo nós espera, e não tenho tempo de me prender a reprovações alheias!!”

      Não dá para esperar agradar os outros, aproveite sua vida com seu filho e problema de quem se incomoda!

      bjs

  29. Acabei de chegar de uma viagem sozinha pela Europa!! Foi praticamente a minha primeira viagem internacional. Falo inglês e espanhol razoáveis e me aventurei sozinha por alguns países europeus. Foi linda a viagem, conheci muitas pessoas, de diversos países, inclusive viajantes individuais e arrisco dizer que se tivesse viajado com alguma cia, não teria conhecido tanta gente….. Foi uma experiência incrível, de muito aprendizado e com aquele gostinho de se fazer algo bom pela primeira vez e sozinha! Recomendo total, claro que é necessário tomar alguns cuidados e ficar atenta a todo momento ,mas isso vale também para as viagens em grupo. Ter referência de pessoas para contactar durante a estadia em cada lugar, mesmo sendo amigos de amigos de amigos…..também é muito bom!!!!!!! Como disse, não falo inglês e espanhol fluente, porém vale muito mais a esperteza de saber se virar sozinha, que o domínio da língua estrangeira.

  30. Olá Luíza!
    Eu morei um ano na França como au pair e foi uma experiência alucinante. Apesar de já falar o idioma, foi a primeira vez que sai do Brasil e foi lá que fiz meu primeiro mochilão para a Bretanha. Passei por várias enrascadas, com direito a se perder em bairro musulmano no Sul da França, mas vale muito a pena, pois você percebe que depois disso, você pode fazer o que quiser sem precisar de ninguém.
    Acho que para países desenvolvidos é muito tranquilo, porém eu não sei se me atreveria a ir para o Oriente Médio sozinha, até porque tenho uma colega que tem um relato de tentativa de sequestro no Egito em plena luz do dia. Eu tenho receio sobre tráfico de mulheres, mas como você disse, se alguém quer se aventurar por esses países, é preciso ter cautela e tomar as devidas precauções. De resto, por enquanto vou tentar a Europa, depois Ásia e quem sabe um dia, eu tenha a coragem de ir para a África! Abraços e ótimo texto!

    • Oi Camila,

      De fato o Oriente Médio é mais complicado mesmo, mas a Ásia e a África tem lugares super tranquilos para se viajar sozinha, assim como a Europa. A preocupação com tráfico de pessoas é importante, porque não dá para negar que o problema existe – Acho importante pesquisar bem a situação do país antes de ir! Mas também não dá para ficar trancada em casa.

      bjs

  31. Adorei o post, estou planejando minha primeira viagem pra fora do país e está parecendo que vai ser sozinha mesmo, mas estou muito animada e esse post veio respondendo exatamente a minha dúvida no caso de ir sozinha.

    Parabéns pelo blog e obrigada pelas dicas 😉

  32. Olá Luiza!

    Sempre programo uma viagem sozinha. Adoro e necessito ficar comigo mesma, e como vc disse fico sozinha quando eu quero, mas se quero conversar com alguem, também converso, então fico livre e solta.

  33. Oi Luíza, quero dizer que adorei teu post. Estou planejando fazer uma viagem de apenas uma semana para conhecer Cancun ou Aruba, mas SOZINHA. Eu me separei ha 03 anos e desde então não tive mais nenhum relacionamento sério. Estou com um pouco de receio, mas sou uma pessoa que se comunica bem, faço amizades facilmente e creio que isto irá ajudar. Depois de ler vários posts minha vontade mesmo é de conhecer Aruba.
    Obrigada por compartilhar esse post, me incentivou muito.
    Bjs

  34. Oi Luiza,
    Já dei algumas voltas sozinha e agora estava querendo fazer mochilao pela America Latina, começando na argentina e subindo até o início do Solimões, pra descer o rio de barco. Conheces algum blog de alguma menina que já fez América Latina sozinha, pra eu poder pegar umas dicas e perder o medo? Obrigada!

  35. Aiai,pensar em viajar sozinha dá um frio na barriga,mas pretendo fazer isso em março de 2015. Sonho em conhecer Paris,quero passar pelo menos uns 4 dias por lá.
    Sempre viajo com meu marido,mas ele disse que não dá pra ele ir nesse período. Queria encontrar uma companheira de viagem pra curtir a aventura,pois acho muito ruim viajar sozinha por conta das fotos,logo eu que adoro postar fotos no face,rsrs
    Espero gostar dessa minha nova aventura!!!

    • Oi Tatiane,

      Paris é uma cidade super tranquila para viajar sozinha, porque tem muita estrutura e muita coisa para se ver e fazer. E se você não conseguir uma companheira de viagem, pode tirar várias selfies ou pedir para outras pessoas tirarem fotos sua.

      Abraço

      • Olá!!!! Estou morando na Alemanha e pretendo viajar para Paris durante 5 dias antes de ir para o Brasil em dezembro. No entanto todo mundo está me assustando!!! Inclusive os europeus que conheço. Dizendo que paris é muito perigoso pra eu ir sozinha. Vc pode me dar sua opinião. Preciso decidir até o fim dessa semana. Muito Obrigada.

        • Oi Fernanda,

          To achando esse povo muito besta. Veja bem, te falarem que ir pra Índia é perigoso, eu até concordo, mas Paris?
          Numa boa, vai tranquila. Claro, tome os cuidados que você tomaria em qualquer lugar sozinha.

          Desculpe não ter respondido antes, eu estou numa correria do final de semestre, não consegui ver os comentários antes

  36. Oi lu… Adorei o blog… Eu estava justamente pesquisando sobre pessoas que viajaram sozinhas, confesso que tenho muito receio, mas não pela violência e sim pq não sou fluente em inglês, mas acredito q as mimicas estão pra isso rsrsr… to fazendo um roteiro de viagem para outubro ou novembro. Sou do Pará, então minha viagem começa assim, Pará à São paulo, Índia – 5 dias (nova delhi, agra, jaipur), Tailândia – 4 dias (bangkok, ayutthaya, krabi ou phi phi don), Hong Kong – 3 dias, Londres – 3 dias (pois tenho amigos que moram lá, ai tudo fica mais fácil) e por ultimo Paris – 3 dias e retorno ao Brasil. Com a sua experiência,o que você acha? loucura? ou dá pra fazer? rssrrs… já olhei passagens aéreas, ferroviárias e hoteis.bjs bjs e se alguém se animar , eu iria adorar companhia =)

    • Oi Grícia,

      Acho que sua viagem dá para fazer sim! Minha única sugestão é que você não fique só 3 dias em Londres, ainda mais se tem amigos morando lá. Eu cortaria Paris (que fazer em três dias também é bem ruim) e ficaria esse tempo em Londres, talvez com uma daytrip para os arredores. Depois você volta e conhece Paris com calma!

      Eu digo isso porque você já vai estar no final da viagem, depois de uma tremenda correria, vai ser muito cansativo. Além disso, Londres e Paris são enormes e é bom conhece-las com mais tempo.

      bjs

    • Gricia vá tranquila amiga, é muito bom viajar sozinha. Sabe aquele ditado mais antes só do que mal acompanhada…rsrsrrs. Viajo sozinha, falo apenas o italiano, e estou aprendendo em casa pela net um pouco o espanhol. Mas viagens ao exterior sempre sozinha e com Deus… curto muito, fico em albergues, pois tem oportunidade de conhecer muitas pessoas e fazer amizades, tipo mochilão. Não deixe de viajar pelo fato de não ter cia…

  37. Muito bom o texto, Luíza!
    Tive essa oportunidade de viajar sozinha pela primeira vez em setembro do ano passado. Por N motivos, mesmo tendo namorado e vida social, ou viajava sozinha ou ficava 30 dias em casa. Jamais a segunda opção foi considerada. Destino: Peru.
    Autoconhecimento, confiança, e introspecção. Fazer o que quiser na hora que quiser, conhecer pessoas… liberdade!
    Ainda hoje quando conto que fui sozinha as pessoas reagem de diversas maneiras, umas fazem cara de pena (coitada solitária viajando sozinha), outros: nossa, mas seu namorado “deixou” (?!)…
    Amo viajar com meu namorado ou com amigos, mas a sensação de viajar sozinha é libertadora! Recomendo!
    Abraços

    • Oi Camila,

      Que legal sua história. O povo é muito idiota mesmo, como assim “seu namorado deixou?” AFF

      Espero que você faça mais e mais viagens =)

      bjs

  38. Oii, adorei o post.
    Me identifiquei muito, pois acabei de chegar de um país totalmente conservador ( e que segundo a mídia) não muito recomendado para viajar no momento… Principalmente sozinha.
    Pois é, larguei tudo aqui no Brasil, e lá fui eu desvandar os mistérios da terra dos Faraós. Fui sozinha para o Egito, (e alguns lugares no Oriente Médio) fiquei um mês lá e simplesmente
    A-D-O-R-E-I!
    Espero voltar nas férias de Julho, e conhecer mais países, especialmente no Oriente médio, pois é um lugar que atrai muito a minha curiosidade…
    E novamente sozinha, lá vou eu…
    Sem receios… Gosto de aventuras 😀

    • Oi Daniela,

      Legal saber que você teve uma experiência boa no Egito. Já ouvi muito relatos ruins sobre mulheres no país e te confesso que não pensava em colocar na minha lista de lugares para conhecer sozinha.

      Muito sucesso nas suas aventuras! Depois volte para nos contar como foi.
      bjs

      • Eu não expliquei direito, eu fui sozinha, sem companhia, mas fui por meio de um Intercambio. Acho que tbm não recomendaria a ninguém viajar sozinha pra lá, pois é extremamente difícil pra se comunicar e conhecer tudo, mas, em relação a ”relatos ruins”, eu e todas as meninas em que tive contato não tivemos problemas algum com nenhum Egypcio, pelo contrario, eles são muito receptivos e adoráveis. Talvez só não seja bom ficar lá andando sozinha, mas com Intercambio eu posso garantir que é uma ótima escolha… Além do mais, tem muitos brasileiros fazendo o mesmo por lá.
        É um dos países que mais recebem intercambistas no mundo.
        Eu volto pra contar a parte 2 😉

  39. Oi Luiza, amei o post!

    Viajar sozinha é um desafio para mim, pois sinto uma falta danada de companhia, mas justamente por causa dessa história de não conseguir encaixar época de férias com ninguém já obriguei a mim mesma a fazer um ou outro voo solo…

    Acho que você abordou o maior medo, a questão da segurança, as dicas de vocês do blog são ótimas para a gente saber o que vai enfrentar e ter a melhor das experiências, sem sustos e traumas.

    Bjão e continuem o ótimo trabalho do 360 Meridianos!

    Sayuri

  40. Comecei a viajar sozinha com 16/17 anos. Primeiro para cidades próximas, aquelas em que eu já havia visitado, onde tinha amigos. Até os meus 19/20 anos foi assim. Até que com 21 anos resolvi estudar/me mudar para uma cidade de fronteira totalmente desconhecida por mim (Jaguarão/Rs) – praticamente região oposta de onde moro (Pará). Os comentários eram: “você vai sozinha?”, “mas você não conhece ninguém!”, “você é louca?!”. Fui sozinha, fiquei 4 meses (que pareceram 4 anos), conheci muita gente e sim, sou louca, louca pelo desconhecido 😀
    Foi uma experiência tão legal que ano passado, 3 anos depois, voltei ao lugar para rever muitos amigos. No ensejo, tirei 1 semana para conhecer Porto Alegre, que apenas conhecia de passagem, e depois segui viagem, sozinha ainda, rumo ao Uruguai. Foi incrível! Tanto que neste ano quero ir além! Provavelmente em maio e junho associarei estudo de idiomas com um mochilão pela Europa. Seja o que deus quiser!

  41. Adorei o post, Lu! Engraçado que entrei no blog hoje justamente porque estava pensando sobre a vontade de viajar que me dá sempre que volto de viagem. Vocês sempre me lembram que navegar é preciso e viajar é possível . Nunca viajei sozinha e sempre me julguei medrosa e muito pouco proativa para isso, mas de uns tempos pra cá tenho sentido cada vez mais vontade e confiança de que minhas pernas são bastante capazes e as únicas responsáveis por percorrer minhas travessias (que onde o real se encontra, como diria nosso amigo Riobaldo ). A viagem da nossa amiga do post me fez pensar sobre isso, e suas dicas sempre reforçam essa luzinha dentro de mim. Beijão

  42. Oi Luiza, adorei o post. Acho fundamental discutir mesmo esse assunto para outras mulheres começarem a conhecer o Mundo com seus próprios olhares. Já viajei sozinha, mas não por falta de companhia, mas porque eu quis. Engraçado que depois que voltei e as pessoas viram que eu fui sozinha elas me perguntavam “mas por que você não me chamou pra viajar com você?”. E a maioria que perguntou foi mulher!
    Com certeza rola um medinho pelo novo. Eu mesma na primeira viagem fiquei com frio na barriga, mas o mais legal foi descobrir que eu sou capaz de descobrir o Mundo sozinha e conseguir me virar em situações que antes não imaginava.
    Recomendo a todas que, por favor, não deixem de viajar por falta de companhia.

  43. Tô ficando de saco cheio de viajar sozinha… no começo é curtição, novas amizades, novidade…novidade…novidade… Mas, na boa? Tô querendo companhia, tenho espaço sobrando na mochila 🙂

    • Um bom ponto de vista também Mila, não necessariamente viajar sozinha é a melhor coisa o tempo inteiro. Ter companhia também é bem legal e faz falta. Só acho que as pessoas não deviam deixar de viajar só porque são mulheres e não tem alguém para ir junto =)

  44. Muito bom o texto, Luiza. Existe mesmo esse preconceito.
    Viajei por duas vezes sozinha para fora, mas em ambas fui para estudar por três meses, então é mais fácil fazer amizades nas aulas – diria até que inevitável rs.
    Ainda pretendo me jogar sozinha de tudo, para autoconhecimento mesmo. Nem que sejam só uns 15 dias de andanças, mas acho que assim a gente se conhece melhor e se permite fazer o que der vontade, sem depender da opinião alheia.
    Beijos

  45. Muito inspirador o seu texto, Luíza!
    Até bem pouco tempo, eu, como alguém que foi criada para ser educada, boa moça e “pra casar”, não conseguia me imaginar saindo por esse mundo afora sozinha. Mas a vida foi me mostrando que a solidão não é ruim e, pelo contrário, pode até ser de grande valor! No ano passado, fiz minha primeira viagem sozinha. Foi aqui no Brasil mesmo (aliás, recomendo muito o lugar: Cambará do Sul / RS). Fui me acostumando aos poucos com aquela descoberta de que, ohhh, minha própria companhia era bem agradável! Já no final da viagem o estranho para mim era a cara que algumas pessoas faziam quando eu chegava num restaurante e pedia mesa para uma pessoa, ou quando eu dizia que estava viajando sem ninguém. Depois disso, voltei mais uma vez ao RS sozinha (é que eu amo aquele lugar!) e fui preparando o meu espírito para o maior desafio que já enfrentei: viajar sozinha para outro país. Tá certo que o destino não é assim tão desafiador, mas as circunstâncias, sim. Estou indo para os EUA, mas vou para cidades não tão turísticas assim, com exceção de Los Angeles e São Francisco. Vou viajar pelo sul, meio-oeste e depois pular para o noroeste americano. Mas tem mais um detalhe: até bem pouco tempo, eu falava um inglês bem meia-boca que mal servia pra me virar! O que eu fiz? Enfiei a cara nos estudos e tenho conseguido ficar mais fluente. E o mais legal disso tudo é que, há um ano, eu jamais me imaginaria fazendo tanta coisa! E, cara, a sensação de enfrentar um desafio com coragem faz um bem pra autoestima!
    Ainda me deparo com olhares surpresos de quem não entende o que leva alguém a querer passar 20 dias sem a companhia de outra pessoa. Mas aqueles que não conseguem conceber essa ideia ainda não aprenderam que viajar sozinho não é um problema quando não nos sentimos solitários!
    Um grande abraço e obrigada por compartilhar suas experiências!
    Quando voltar, passo de novo por aqui para falar como foi a viagem!

    • Oi Mônica, adorei sua história. Acho muito inspirador quando as pessoas vencem as limitações e tem coragem de fazer o que querem.
      E mais legal ainda você se esforçar para aprender outro idioma para ir viajar.Tenho certeza que você vai ter uma experiência incrível nos Eua. Volta mesmo para contar como foi!!

      Muito boa a frase: “Ainda não aprenderam que viajar sozinho não é um problema quando não nos sentimos solitários!”

      bjs

  46. Luíza, este post disse tudo! Como já mencionei algumas vezes por aqui, em outubro parto sozinha para uma viagem de volta ao mundo. Não aguento mais ouvir as pessoas (principalmente mulheres mais jovens, vai entender) dizerem o quanto é perigoso, e que eu sou louca por fazer isso sem companhia…
    Viajar sozinha não é um bicho de sete cabeças!

    • Isso mesmo Bruna, não é um bicho de sete cabeças. Mas são as mulheres jovens que mais recebem o discurso de que viajar sozinha é perigoso, então é mais comum que elas o reproduzam – até porque, acabamos por internalizar um pouco esse medo.

      Mas tenho certeza que sua viagem vai ser ótima e você vai acabar inspirando mais mulheres a sua volta a fazer o mesmo!

      bjs

  47. Adorei o novo post! Mas só de pensar em viajar sozinha minha pressão cai. É possível que seja pelo “medo e terrorismo” que inculcam em nós, vai saber. Espero que eu me livre logo desse medo. Vamos ver!

    Abraço, Luíza! 😉

    • Ei Ligia, dá uma olhada nos comentários. Um monte de histórias legais para te ajudar a superar esse medo. A gente é muito mais forte e corajosa do que aparenta!

      bjs

  48. Excelente post, mais uma vez, Luíza! Realmente inspirador.. estou programando pra 2015 (no mês do meu aniversário de 30 anos), viajar sozinha pela 1ª vez e cada vez que leio um post desses por aqui, me animo ainda mais 😉

  49. Genteeeee, sou muito louca por viagens tb! rsrs
    Já viajei sozinha… mas fui cautelosa… fui ali em buenos aires só! rs
    Acho que todo mundo deveria viajar sozinho/a! Eu confesso que eu fiquei me sentindo muuuuito solitária no famoso horario do jantar!
    Mas amei todas as experiencias que passei por estar sozinha.
    Além disso, tomei alguns cuidados que se eu tivesse com mais alguem não teria.
    Ah, vou contar uma coisa: foi a primeira vez que pisei num albergue! tava morreeeendo de medo! hahahahah que besta, né?

    Mas, o que me estimulou a comentar aqui (leio TODOS os post, serio, TODOS! mas acho que comentei em 3 até hoje.. rsrs) é pq eu acho as fotos de vocês três muuuito legais! E ai, eu fico me matando de curiosidade pra saber onde é cada uma! Que tal botar a cidade e pais de cada foto? =DDD

    Beijos

    • Ei Isabel,

      Legal que você não só viajou sozinha como também superou seu preconceito com albergues né!

      Logo depois do seu comentário coloquei as legendas nas fotos. Obrigada pelo toque!

      bjs

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: