Visita ao Coliseu de Roma: curiosidades e dicas

Visita ao Coliseu de Roma: curiosidades e dicas

Para não morrer nas garras de animais selvagens, 29 prisioneiros fizeram um acordo. Eles matariam uns aos outros, nas celas da prisão, minutos antes do espetáculo começar. Isso aconteceu no Coliseu de Roma, construído entre 72 e 80 d.C. E não foi um caso isolado.

Em quase dois mil anos, o Coliseu viu muita história rolar. E muito sangue também. Cerca de 500 mil pessoas e um milhão de animais selvagens morreram dentro das paredes do anfiteatro, segundo estimativas de historiadores. O Coliseu foi cenário para todo tipo de entretenimento, err, saudável. Batalhas de gladiadores, execuções, lutas de homens contra feras e até, acredite se quiser, batalhas navais, quando a arena era enchida com água e o povo duelava até a morte dentro de navios. Tudo isso para a alegria de 50 mil espectadores, claro. Só faltava a pipoca.

Mas não deixe esse mar de sangue te assustar. Seja por conta da história ou da arquitetura, a visita ao Coliseu é uma das coisas mais marcantes que você pode fazer em Roma. Antes de falarmos sobre o que você vai encontrar por lá, mais um pouco de história. A história do nascimento do maior anfiteatro já feito.

Dicas de hospedagem em Roma, Itália

História e curiosidades do Coliseu

Erguido durante a dinastia Flaviana, o Coliseu foi uma jogada política do imperador Vespasiano. É que o povo não estava muito feliz com o governo, tudo culpa de Nero, que tinha governado Roma alguns anos antes. Para quem não se lembra, naquela época a cidade foi destruída pelo fogo – incêndio que começou, garantiam os fofoqueiros de plantão, por ordem de Nero.

Quando o Imperador resolveu ocupar uma das áreas destruídas pelo incêndio com um enorme palácio, bem, o boato pareceu ter mais sentido ainda. O resto é história: Nero se matou, Roma entrou em crise e vários imperadores nem esquentaram o trono direito e logo sofriam impeachment (leia: eram assassinados ou suicidados).

Até que chegou Vespasiano. Como bobo ele não era, bolou duas formas de tornar o seu governo popular: guerra e entretenimento, necessariamente nessa ordem. Foi durante o governo de Vespasiano que Roma esmagou a rebelião dos judeus, invadindo Jerusalém. Eles destruíram o templo e saquearam o ouro dos judeus. Para celebrar a vitória (e com a grana extra que o Império recebeu nessa brincadeira), Vespasiano resolveu construir um grande anfiteatro, espaço para shows, espetáculos e matanças, enfim, tudo aquilo que iria acalmar o povão.

Aí veio a jogada de mestre: que lugar seria melhor que a área que Nero tinha surrupiado para seu palácio, logo depois do incêndio? O anfiteatro começou a ser construído em 72 d.C e foi concluído em oito anos, com a ajudinha de dezenas de milhares de escravos, entre eles judeus.

Veja também: Onde ficar em Roma

Visita ao Coliseu de Roma

O nome oficial da mais famosa arena multiuso romana era Anfiteatro Flaviano, uma homenagem à dinastia que ergueu, inaugurou e ampliou a construção (Vespasiano, Tito e Domiciano). Mas e o nome Coliseu, vem de onde? Olha a ironia: vem de Nero, pelo menos segundo a teoria mais popular. É que uma enorme estátua do antigo Imperador, o Colosso de Nero, ficava na entrada do Coliseu. Os séculos se passaram, a estátua virou pó, mas o nome  Colosseum continuou, só que batizando a arena.

Durante quatro séculos, tudo seguiu em paz no Coliseu. Banho de sangue para lá, matanças diárias para cá, enfim, tudo conforme o planejado. Nesse meio tempo, a busca romana por animais selvagens acabou com algumas espécies no norte da África. Até que, para sorte dos animais, o Império ruiu. E o Coliseu também.

Vários terremotos, incêndios e saques colocaram o Coliseu no chão (2/3 da fachada original foram perdidos). Já na Idade Média e sem uso, o Coliseu virou uma espécie de pedreira. É sério isso. O material usado na construção de diversas igrejas de Roma era, na realidade, parte das ruínas do anfiteatro. Provavelmente esse foi o destino da tal estátua de Nero, que parou de ser citada nos registros históricos durante a Idade Média.

O Coliseu só não sumiu do mapa porque a Igreja, por volta do século 17, passou a defender que o local deveria ser motivo de peregrinação e respeito, afinal inúmeros cristãos teriam morrido ali. Hoje, quase dois mil anos depois que Vespasiano ordenou o começo das obras, o Coliseu é um dos monumentos mais visitados do planeta e uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

ingressos-coliseu-roma

Como visitar o Coliseu de Roma: ingressos e dicas

Antes de mais nada, tenha em mente que a visita ao Coliseu é parte de algo muito maior. O anfiteatro está ao lado do Fórum Romano, coração da antiga Roma, e do Palatino, casa dos imperadores. O ticket dá entrada aos três monumentos. Mas, a não ser que você tenha pouco tempo na cidade, evite cometer o erro de ver tudo isso no mesmo dia.

Só o Fórum Romano tem atrações para um dia inteiro. A visita ao Coliseu tende até a ser mais rápida, mas é interessante passar um tempo longo por lá, imaginando como eram as lutas de gladiadores e refletindo em tudo que aquelas paredes já viram. Por isso, reserve dois dias para ver todo o complexo com calma. A parte boa é que o mesmo ingresso vale para dois dias seguidos.

Veja também: O mapa do Fórum Romano, monumento a monumento

coliseu-de-roma

Outra dica importante: em poucos monumentos a fila de espera é tão grande, ainda mais em alta temporada. Por isso, uma solução é entrar pelo Palatino, onde as filas são menores (o mesmo ingresso permite a entrada pelas duas portarias). Mas menores não quer dizer que sejam pequenas. Nós ficamos um bom tempo na (confusa) fila do Palatino, durante um mês de outubro.

Para evitar o tempo perdido, a melhor coisa que você pode fazer é comprar seu ingresso online. Eu não fiz isso e me arrependi, mesmo pegando a fila do Palatino. Há uma taxa de reserva pela internet, com isso o ingresso sai um pouco mais caro, mas vai por mim: vale a pena.

Se optar por esse caminho, indicamos a Ticketbar, uma empresa europeia parceira do 360meridianos e que vende milhares de ingressos diariamente. Eles têm até site em português, o que facilita sua compra, e de quebra você pula a fila e ainda ajuda o blog, que recebe uma pequena comissão. Clique aqui para reservar seu ingresso.

A Ticketbar também tem outros dois passeios envolvendo o Coliseu, ambos interessantes: um tour guiado pelo Coliseu, com um guia local e provavelmente em inglês. Custa 39 euros e inclui a entrada e o direito de pular a fila. Saiba mais aqui.

Outra alternativa é visitar o Coliseu de noite, um passeio que eu juro que ainda vou fazer. É que além da beleza das luzes da noite, esse tour, feito em grupos bem menores, te dá o direito de pisar na arena e no subsolo do prédio, onde ficavam os gladiadores e os animais! Infelizmente esse tour não estava disponível quando eu estive no Coliseu (a arena e o subsolo estavam fechados para reforma), mas você pode ir lá e me contar suas impressões. O passeio ocorre toda quinta-feira, às 21:10, e conta com um guia local. Detalhes aqui.

Coliseu, Roma, Itália

Foto: Diliff, Creative Commons

Coliseu de Roma: informações práticas

Para chegar ao Coliseu, pegue a linha B do metrô e desça na estação Colosseo. Os ônibus 75, 81, 673, 175 e 204 também param na região, assim como a linha 3 do trem. Também é possível ir a pé, afinal o Coliseu está numa área bem central, mas isso depende também da localização do seu hotel.

O Coliseu abre durante todo o ano, exceto nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. O horário de funcionamento varia ao longo do ano, por conta da hora do pôr do sol. Isso não afeta as visitas noturnas, em grupos menores, que foram citadas acima.

De 30 março a 31 agosto o encerramento é às 19:15
De 1º setembro a 30 setembro o encerramento é às 19:00
De 1° outubro a 30 outubro o encerramento é às 18:30
De 31 outubro a 15 fevereiro o encerramento é às 16:30
De 16 fevereiro a 15 março o encerramento é às 17:00
Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.
Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

38 comentários em Visita ao Coliseu de Roma: curiosidades e dicas

  1. Boa boite,

    Comprei o ticket para o coliseu através do site indicado aqui no blog.
    Recebi um email com a confirmação e um numero de ordem de compra. Isso é tudo q eu tenho que apresentar la na hora?
    Obrigado!

  2. Oi Rafael, tudo bom. 1ª sou fã de vcs. Sempre dou uma pesquisada aqui antes de montar minha próxima trip.
    Estou chegando em Roma na quinta à noite dia 13/04, em plena semana santa santa, minha dúvida é: quanto tempo devo gastar para conhecer o Coliseu, Fórum e Palatino? Pretendo visitá-los na sexta-feira, e soube que por ser sexta da paixão, ele vai fechar às 15h.
    Será que consigo ver os 3? antes deste fechamento?

    • Olha, em geral eu recomendo um dia inteiro, Ale. Mas se você tem menos tempo, corre que dá. Tente chegar cedo, para garantir, até porque sempre há uma fila.

      Abraço e obrigado pelos elogios ao blog. 🙂

  3. A entrada do fórum romano é próxima da do coliseu? É que ficarei hospedado perto do Panteão e conforme sua dica pra eu entrar no fórum primeiro, vindo a pé do meu hotel, eu teria que passar por fora dele todo até a entrada próximo ao Coliseu. Tem alguma entrada “pelos fundos”? Assim seria uma reta só é não precisaria voltar tudo de novo. O Google maps me joga sempre pra uma entrada próximo ao Coliseu. Muito Obrigado

  4. Olá Rafael, estou indo pra Europa em março, farei uma escala em Roma de umas 14 hrs na ida e mais 16hrs na volta. Estou programando em um dia ir até o Coliseu, panteão, Fórum Romano e Fontana di Trevi… será que vale a pena entrar no Fórum Romano e Coliseu com esse tempo? Havia separado 3hrs do meu roteiro para esses 2 locais, para voltar cedo ao aeroporto e evitar contratempos… No outro dia pretendo explorar a parte do Vaticano… Obrigada.

  5. Boa tarde Rafael.

    Se pude me ajudar..

    Estou indo a Roma no comecinho do ano que vem, em janeiro.

    O problema é que no site do Coliseu me pareceu que só vendem tickets válidos até o final deste ano. Seria isso mesmo ? Eu terei que esperar virar o ano para comprar meu ingresso antecipado ?

    Obrigado,

    Daniel

  6. Boa Tarde Rafael,
    Chegarei em Roma no dia 30/04 e tinha programado inicialmente ir ao Coliseu no dia 01/05. Li em outro site que o Coliseu e outras atrações não abrem nesse dia. Poderia me ajudar?
    obrigado

  7. Visitamos ontem o Coliseu e achamos incrível. Uma dica legal é ir bem cedo no Coliseo, que fica mais vazio, e depois já ir direto no Fórum Romano. Vimos tudo em umas cinco horas. É lindo demais e tem MUITA coisa para ver.

  8. Primeiramente, parabéns pelo site de vcs!
    Agora, gostaria de saber de vcs(se possivel), quanto eu gastaria numa viagem de um mês pela Itália.. Sendo que sem hospedagem, pois tenho amigos italianos e vou ficar na casa deles, uma mora em Fiorenzuola d’Arda, outra em Piazenza estou programando essa viagem em comemoração pela minha formatura, daqui 3 anos.. Desde Já, agradeço!

    • Oi, Fernanda. Acho que uma boa base é pensar em 60 euros por dia, mais as passagens e seguro de viagem.

      Dá pra ficar mais barato e mais caro que isso, mas essa é a média para uma viagem econômica. Isso sobe em cidades como Roma, mas abaixa um pouco em outras partes do país.

      Abraço.

    • Pois é, Luciana. Acho puxado mesmo. Tem coisa para dois dias de passeio, tranquilamente.

      Vou olhar seu vídeo sim. 😉

      Abraço.

  9. Excelente relato e muito boas as as informações. Não sabia da possibilidade de visitas noturnas e ainda por cima acrescidas do bônus de acesso a entrada na arena.

    Prá ficar perfeito e completo só faltou falar que nos primeiros domingos do mês, exceto janeiro, as entradas são gratuitas, emboras as filas sejam colossais.

  10. Que bom saber que é possível visitar o Coliseu à noite. Melhor ainda é pisar na arena, achei que não fosse possível. Fica para a próxima 😀
    Parabéns pelo artigo 😉

  11. Minha dica do Coliseu:
    Não vá de elevador, é sério!
    Lá dentro tem um elevador panorâmico, para não ter que ficar subindo todas aquelas escadas milenares entre um andar e outro.
    Mas óbvio que um lugar construído há uns dois mil anos não é lugar para um elevador né?!
    Resultado, fiquei preso no elevador, com uma galera de tudo quanto é lugar no mundo e tivemos que ser resgatados pelos bombeiros, ou um pessoal que usava um uniforme parecido! kkkkkkkkkkk

  12. A foto anterior ao “Como visitar o Coliseu de Roma: ingressos e dicas” é muito interesssante pois possui elementos divergentes(asfalto, construções perceptivelmente de épocas diferentes) e é muito ampla. Estou viajando nessa foto!

    Eu iria preferir fazer igual ao 29 prisioneiros.Que coisa visivelmente horrível e dolorosa deve ser alguém sendo devorado vivo.

    Sim,o Rafael sabe muitos fatos e como compartilhar de maneira instigante!
    Isso é admirável!!

    • Roma é toda assim, Natália. Cada foto, cada imagem mostra várias camadas de tempo. É por isso que é uma cidade especial.

      Obrigado pelo elogio.

      Abraço.

  13. O coliseu não é das minhas atrações preferidas, mas você tem um jeito tão gostoso de contar histórias, Rafael! Elogio é bom e todo mundo gosta. Parabéns!

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: