Tags:
Atlas: Tailândia

Por que a Tailândia não mudou a minha vida

Algumas viagens dão errado. E não é por culpa do Murhpy. É por culpa de decisões erradas, falta de pesquisa ou de informação. E pode ser azar mesmo. No caso da Tailândia, acho que foram todas essas coisas juntas.

Eu sempre quis conhecer a Tailândia. Entre os nossos destinos na Ásia, era o mais aguardado por mim. Por isso, decidimos ficar 17 dias no país. Eu achei que ia gostar de lá por causa da fama incrível de praias paradisíacas e festas inesquecíveis. Imaginei que era um país exótico, divertido e bonito. A questão é que provavelmente a Tailândia é todas essas coisas, mas como todos os lugares do mundo, tem o seu lado ruim.

Palácio de Bangkok - golpes Tailândia

E, no caso, nós fomos parar nesse lado ruim – que atende pelo no nome de Phuket. Mas mesmo antes disso tivemos alguns problemas: tudo começou no planejamento da viagem. Reservamos alguns dias para explorar Bangkok, a capital do país, e outros para ficar em Chiang Mai, província do norte. São lugares legais para visitar, mas demos o azar enorme de lidar com pessoas horríveis. Mais exatamente, dois motoristas de tuk-tuk que foram extremamente agressivos, um deles chegando ao ponto de chamar o Rafa para a briga enquanto nos organizávamos para dividir o valor da corrida em quatro. Essas situações de tensão, em geral, desmotivam as pessoas em relação aos lugares. Depois, felizmente, conhecemos pessoas mais gentis, mas acabamos guardando um pouco desse ranço por conta dos incidentes.

Mercado flutuante de Bangkok - Tailândia

Fora isso, ainda lidamos com várias pessoas tentando nos extorquir dinheiro por meio de golpes e de preços abusivos. Essa vibe de “queremos todos os seus dólares” pode até funcionar com os turistas europeus e americanos endinheirados num país empobrecido, mas é muito difícil lidar com isso quando você é um mochileiro numa viagem ultra-econômica.

Com isso, um dos poucos lugares que conseguíamos nos alimentar por um preço bom era no Seven Eleven, uma rede de lojas de conveniência famosa mundo afora, onde comíamos cachorro quente. Até hoje tenho pesadelos com aquela salsicha sem gosto, temperada com katchup e mostarda e mais nada. Restaurantes estavam completamente fora da nossa realidade financeira – e dos preços cobrados nos outros cantos da Ásia que visitamos. E, quando finalmente encontramos barraquinhas de rua com comida digna, tivemos outro problema: a chuva.

O problema é que estávamos na época de monções. E aí que entra a nossa burrice: entendemos errado o mapa das monções – que é um pouco confuso, dá um desconto. Assim, resolvemos não ir à costa leste em junho, porque ali estaria chovendo. Na verdade, era exatamente o contrário. Acabamos escolhendo Phuket e, mais especificamente, a Patong Beach. Tudo pensado para que eu passasse meu aniversário enchendo a cara numa praia paradisíaca.

praia-phuket-tailandia

Chegando lá, encontramos uma praia das mais mequetrefes, suja e com o mar de ressaca. E uma programação noturna focada na exploração sexual. No dia seguinte, fomos visitar Phi Phi de barco. Amamos e resolvemos que  iríamos ficar ali mesmo – porque ali, sim, era a praia que tínhamos em mente. Só precisávamos buscar nossas malas e fazer check out no hotel de Phuket. Eis que no retorno começa uma tempestade daquelas que fazem as ondas ficarem maiores do que o barco.

Chuva em Phuket - Tailândia

Essa tempestade foi se alongando dias afora, não dando uma mínima folguinha nem para que pudéssemos sair para comer. Passei meu aniversário e os dias que o antecederam trancada num quarto de hotel negociando com a Ibéria – companhia responsável pelo nosso ticket de volta ao mundo – para adiantar nosso voo para Cingapura. Plano que não deu certo. Acabamos diminuindo nossos dias nas praias da Tailândia assim que a chuva deu uma trégua. Voltamos antes do previsto para Bangkok e conhecemos Ayutthaya, que valeu muito a pena.

Por do sol em Phuket - Tailândia

De Phuket só guardo péssimas lembranças da chuva e da exploração sexual. Não, a Tailândia não mudou minha vida, nem é o lugar que mais tenho boas histórias para me recordar, apesar de ter gostado bastante de alguns lugares que vi por lá. Gostaria de voltar para conhecer os tais lugares que mudam a vida de muita gente, como Krabi e Ko Samui, ou a tal da festa da Lua Cheia. Talvez eu goste, ou talvez eu descubra que esse, de fato, não é o  destino certo para mim no mundo.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

65 comentários sobre o texto “Por que a Tailândia não mudou a minha vida

  1. Estou na Tailândia, acabo de chegar da festa da lua cheia, a tudo o que vivi neste país até agora foi pura decepção, mesmo com um roteiro cuidadosamente planejado. Realmente a sensação de pessoas querendo levar vantagem sobre você é constante, a falta de educação de várias pessoas é impressionante e as praias brasileiras não perdem em nada para as daqui. Entramos em templos luxuosíssimos rodeado por puro lixo e extrema pobreza. O comentário da minha amiga sobre Bangkok foi que parecia que a cidade tinha sofrido um incêndio e tinha sido deixada do jeitinbo que ficou depois do fogo. O meu único consolo é saber que nunca mais voltarei aqui, e que a partir destas férias em um lugar pior, estou aprendendo a dar muito mais valor ao meu país.

  2. Se vc gosta de turismo sexual, cheiro de esgoto e comida ruim, vai amar a Tailândia! As praias na época do reveillon fazem vc lembrar de Copacabana! Sair de Portugal ou Brasil e ter que pegar 3 aviões, 1 barco e táxi só para vir aqui não compensa. Brasil tem praias tão bonitas quanto. Não vim de mochilão, fiquei em um bom hotel (café da manhã aqui serve o mesmo que almoço), paguei 2mil euros por 10 dias. Foi bom ter conhecido, mas 26 horas de viagem não compensa.

  3. Olá, tudo bem?
    Eu e meus amigos cometemos o mesmo erro e nos programamos para a época das monções. Sabe se em Setembro a coisa ainda está feia em Bangkok e Ko Phi Phi?

    Obrigada.

  4. E’ realmente toda viajem precisa ser pensada e planejada, temos que ler pesquizar a respeito pois onde quer que a gente va a cultura e’ diferente, os costumes, horarios e clima. tudo isso tem que ser pensado para nao acontecer um erro de calculos e vai virar numa decepecao. Eu acho que o seu passeio foi feito numa epoca errada por isso que tudo deu errado. Estou planejando passar um tempo na Thailandia , mas vou levar dinheiro suficiente para alugar um apto de 1 quarto ou estudio, pois fica mais barato que hotel. e tbm poder comer e passear, mas estou planejando tudo , pesquizando e vendo a melhor epoca pra ir, e tbm a melhor cidade.
    Moro nos EUA sou Brasileira e tenho a cidadania Americana.

    1. Oi Lena,

      Também acho que a Tailândia tivemos um grande problema de planejamento. Espero poder voltar um dia e melhorar minhas experiências.

      Desejo uma boa viagem para você

    1. Olá Marcos,

      Quando estive lá, em 2012, as chuvas em Bangkok não foram tão ruins assim. Porem, no ano anterior, tinham sido bem destruidoras. Isso não é previsível, infelizmente. Cada ano muda.

  5. Não sei se irá responder após alguns anos desse post.

    Nós, meus amigos e eu, costumamos viajar pelo Brasil e internacionalmente… Estamos pensando em ir para Bangkok ano que vem, com uma breve parada em Los Angeles e Las Vegas. Porém, lendo este post, temo que possamos nos decepcionar, pois estamos esperando paisagens paradisíacas e festas inesquecíveis. Com toda sua experiência eu te pergunto: é possível achar isso na Tailândia? ( Vamos em Janeiro/ Fevereiro ). Caso não seja, qual outro destino você nos sugere? (conhecemos Estados Unidos, Chile, Argentina, Uruguai, França, Alemanha, Italia, Espanha, Inglaterra). Abraços!

  6. Oi Luíza!
    Amei a diversidade de opiniões e experiências compartilhada com tanta sinceridade e simpatia. É no mínimo instigante descobrir de que forma irei reagir diante destas questões. Na sua opinião, quais são as melhores praias no Golfo da Tailândia? Estarei na Ásia entre junho e setembro. Abraços!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.