A máfia dos passaportes roubados no exterior

A máfia dos passaportes roubados no exterior

Está em todos os sites de notícia: no voo MH370 da Malaysia Airlines, aquele que intriga autoridades e imprensa internacional com seu desaparecimento, dois passageiros embarcaram com passaportes roubados. Não que isso seja um atestado de ataque terrorista. Longe disso. Todos os anos, milhões de pessoas de todos os lugares do mundo viajam utilizando passaportes comprados no mercado negro. São fugitivos da justiça, imigrantes ilegais, pessoas em busca de asilo político ou criminosos. Ainda assim, todos nós, que viajamos frequentemente, nos perguntamos: como isso é possível?

A Interpol mantém um banco de dados com cerca de 40 milhões de passaportes que foram perdidos ou roubados e, por isso, são inválidos. No entanto, segundo essa reportagem do El País, apenas no ano passado, estima-se que cerca de 1 bilhão de passageiros embarcaram e desembarcaram de voos internacionais sem que ninguém comprovasse se usavam ou não um documento roubado.

 De acordo com a Interpol, apenas Estados Unidos, Reino Unido e Emirados Árabes fazem a checagem sistemática dos passaportes. Em todos os outros aeroportos do mundo, passageiros voam de um lado para o outro sem que ninguém tenha certeza de que utilizam um passaporte legítimo.

Embarque com passaportes roubados ocorrem em todo mundo

Uma historinha para descontrair

Aconteceu com uma amiga minha, quando nós pegávamos um voo de Auckland, na Nova Zelândia, para Santiago. Na hora do check in, a funcionária da companhia aérea ficou toda estranha, checou no computador várias vezes, mas, por fim, permitiu que ela embarcasse. Dentro do avião, havia um chileno sentado no que deveria ser o lugar dela. Quando foram conferir os bilhetes, eles não apenas estavam designados para o mesmo assento. O moço tinha feito o check in como se fosse ela.

Entender de onde veio a confusão foi fácil: o nome dela era Luciana Carvalho. O dele, Luciano Caravaggio (ou algo do tipo). O que a gente não entende é como ele passou por todos os procedimentos de segurança de um aeroporto sem que ninguém percebesse o erro e, pior, como uma empresa fez duas vezes o check in de um mesmo passageiro sem nem se perguntar o que estava acontecendo. Por sorte, o Luciano, que sem querer se passou por mulher, não era nenhum fugitivo. Ainda assim, o erro expõe a falta de segurança nos processos de embarque dos voos internacionais.

Passaporte: cuide bem dele

Como somos um povo sem etnia definida, o passaporte brasileiro tem preço especial no mercado negro. Qualquer um pode ser brasileiro sem levantar muitas suspeitas. Duvida? Em 1991, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, na época uma criança, resolveu dar um passeio na Disney de Tóquio. Como as relações diplomáticas entre o país que ele governaria no futuro e o Japão não são as mais amistosas, ele viajou com um passaporte falso. Já adivinhou a nacionalidade desse passaporte?  Pois é.

Passaporte brasileiro

E como a brasileirada viaja cada vez mais, o número de passaportes roubados aumentou consideravelmente nos últimos anos: 111% só entre 2009 e 2013. Por isso, cuidado redobrado! A Polícia Federal tem aplicado diversos itens de segurança nos novos passaportes para torná-los mais seguros. Entre as medidas está a implantação de um chip de identificação e a busca no banco de dados da Interpol. Isso significa que, para alguém embarcar com o seu passaporte, só mesmo com uma falha humana. E dessas o mundo está cheio.

Para minimizar os riscos de ficar sem seu documento internacional, procure guardá-lo sempre em lugares seguros e nunca, nunca deixe seu passaporte como garantia em lugar nenhum. Para isso, leve sua carteira de identidade. Foi assim que Luigi Maraldi, o italiano que teve o passaporte usado no voo MH370 da Malaysia Airlines, perdeu seu documento. Ele deixou o passaporte numa empresa de aluguel de motos da Tailândia e, quando chegou para buscá-lo, o documento já tinha ido pro beleléu.

Passaporte roubado no exterior: o que fazer?

Visto e Passaporte

Vai ter dar a maior dor de cabeça, mas não chega a ser o fim do mundo. Procure a polícia local assim que der por falta de seus documentos e faça um B.O. Com o boletim em mãos, procure o consulado ou embaixada brasileira mais próxima – dependendo de onde você está, vai ter que viajar para outra cidade. Chegando lá, você pode pedir uma autorização de retorno ao Brasil e deixar para emitir outro documento quando já estiver acomodado em terras Brazucas. Se você estiver no meio de uma viagem e for visitar outro país depois, também pode emitir um passaporte ali mesmo. Dependendo do seu desespero e da disponibilidade da embaixada, o documento pode ser entregue no mesmo dia ou em um prazo rápido, mas pode ser que ele não tenha validade de cinco anos, como é comum.

Para emitir um novo passaporte ou autorização de retorno ao Brasil, você vai precisar de alguns documentos. Por isso, não viaje sem sua identidade. Coloque-a em um lugar separado para não correr o risco de perdê-la junto com o passaporte. Também mantenha uma cópia do seu passaporte em algum meio eletrônico, como no seu email, por exemplo. Assim, caso você perca o passaporte e a cópia, ainda terá uma comprovação do seu documento.

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma. Siga @natybecattini no Instagram

7 comentários em A máfia dos passaportes roubados no exterior

  1. Aconteceu comigo, e o meu maior medo é saber que tipo de pessoa achou o meu passaporte e que uso está fazendo dele. Daqui uns anos quero voltar pra Europa e minha dúvida é: meu passaporte estar em mãos erradas e eu ao me encontrar fora do país ser acusada de algo que não fiz! É possível?

    • Jo, se você registrou o roubo, não tem que se preocupar muito. Há uma lista com passaportes que foram roubados e seria responsabilidade da imigração checar, mas pouco o fazem, como eu disse no texto.

      Abraços

  2. Natália, já sabia dos roubos, mas não que o número era tão elevado. Em Madrid é um lugar onde os “carteiristas” atuam mais, principalmente no metrô. Tive um colega meu que estava conversando com outro, frente a frente, dentro do metrô, e mesmo assim, uma mulher ficou ao lado dos dois e conseguiu roubar o passaporte dele e dinheiro. Por sorte, quando ele foi à Polícia, eles disseram que o o passaporte dele tinha sido encontrado numa lata de lixo do lado de fora do metrô. Os caras são tão conhecidos que na final da Champions League de 2010, disputada no Santiago Bernabéu em MADRID, a polícia espanhola havia identificado por volta 1000 carteiristas, muitos estrangeiros, atuando naqueles dias.
    Abraços e parabéns mais uma vez!

    • Pois é Sérgio, a situação é tensa. Na Europa é comum esses carteiristas. Eu sempre ando com meu passaporte na doleira. ele já está bem amassadinho por isso, mas ainda está comigo.

  3. Fui viajar com meu pai e já tinha 25 anos. O policial federal olhou meu passaporte 15 vezes porque não acreditou que eu tinha esta idade e ficou achando que eu era menor de idade e meu pai estava me sequestrando do país. No dia fiquei revoltada. Hoje lembro com saudades do tempo que parecia ser tão mais nova…rs

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: