fbpx
Tags:

Os riscos e o medo de viajar

Meus pais eram funcionários públicos. Como muitas outras pessoas neste país, eles optaram pelo caminho mais estável e seguro que conheciam. Só que, um belo dia, as empresas estatais em que ambos trabalhavam foram privatizadas (sim, na venda das telefonias). Os dois acabaram eventualmente demitidos dos lugares em que, uma vez, acharam que iriam trabalhar até a aposentadoria. Não, amigos, este não é um post que vai te dizer para largar tudo e  viajar porque nenhum emprego presta.

O que eu quero dizer é que tudo na vida tem um risco. Mesmo quando a gente opta por aquele caminho já trilhado um milhão de vezes e que parece tão seguro. Mesmo quando a gente escolhe nunca deixar o conforto da nossa rotina. “Viver é muito perigoso”, já diria Guimarães Rosa. Tudo, absolutamente tudo o que a gente faz tem um risco envolvido. Até atravessar a mesma rua todos os dias. Até ficar no mesmo emprego durante anos. Até largar o emprego e ir viajar. Até viajar para o mesmo lugar todas as férias. Ou mesmo não viajar. Não tem pra onde fugir.

E como a gente faz para viver com isso? É fácil: a gente tenta controlar os riscos o máximo que pode. E arrisca. Todos os dias, a vida inteira.

Varanasi, Índia

Em Varanasi, Índia

O perigo das viagens

Quando a gente viaja, a coisa não é diferente. Você vai pra tal lugar e, com isso, lida com riscos que não está acostumado no seu dia a dia. Isso exige atitudes e precauções também diferentes, mas, acredite, não é nada de outro planeta (pelo menos até popularizarem o turismo espacial).

Eu conheço até mesmo uma pessoa que sofre de hodofobia, o medo de viajar. Pegar a estrada é motivo de grande ansiedade para ela. É como se ela acreditasse que o simples fato de mudar de cidade geraria consequências catastróficas. Se esse é o seu caso, sugiro que procure um terapeuta. No entanto, a maior parte das pessoas vai enfrentar medos menores e mais comuns. Os motivos são os mais variados: gastar muita grana, não conseguir se comunicar, ficar perdido ou o puro medo de enfrentar algo inteiramente novo. O problema de sentir medo é quando ele te impede de fazer o que você quer.

Quando eu entrei em um avião para a Índia, eu estava apavorada com o que eu ia encontrar. Mas eu fui mesmo assim. E voltei. E passei por um milhão de perrengues no meio do caminho. Hoje, no entanto, o saldo de ter enfrentado esse medo não poderia ser mais positivo.

É isso que torna o medo de viajar mais fácil de lidar que muitos outros. Se você conseguir superar, as recompensas serão incríveis. Então, se você tem aquele frio na barriga que te impede de viajar, procure entender o que te aflige, encontre formas de minimizar esses riscos e vá em frente. Muitas coisas da vida são enormes e assustadoras quando a gente faz pela primeira vez. Depois passa.

Katmandu, Nepal

Katmandu, Nepal

O perigo dos lugares

Tem gente que até fica confortável com a ideia de viajar, mas morre de medo do mundo. São aquelas pessoas que não se aventuram pra fora do eixo América do Norte – Europa Ocidental. O lugar mais exótico em que já pisaram foi Buenos Aires. Nada contra se é isso que você gosta e quer fazer. A menos que você se prenda a esses destinos por achar que o resto do mundo é um campo de guerra miserável.

O mapa abaixo foi feito pelo governo do Canadá para auxiliar os cidadãos durante uma viagem. Vê? A maior parte do mundo é, sim, visitável.

Mapa dos países perigosos

É verdade que alguns países exigem cuidados especiais (lembra? Minimizar riscos). Outros devem mesmo ser evitados. No entanto, na maior parte das vezes o que ocorre é um completa desinformação e falta de interesse das pessoas sobre os países pouco usuais. Tem gente que tem medo só de pensar na África, sem saber que lá tem países mais pacíficos que o Brasil. Outros acham que o Oriente Médio é só um refúgio de terroristas. Sudeste Asiático? Lugar miserável.

medo de viajar

Cidade do Cabo, África do Sul

Lembra do que eu disse lá em cima? Que a gente arrisca o tempo inteiro? Não dá para prever o que vai acontecer. É claro que existem casos e mais casos de turistas que sofrem coisas sérias longe de casa. Um número muito maior viaja e volta intacto, só com lembranças boas na bagagem. Você pode dispensar uma viagem por medo e ser assaltado em sua própria casa. A gente nunca sabe e é por isso mesmo que viver já é um risco. O mundo é cheio de lugares lindos e interessantes pra gente conhecer. Depende de cada um decidir o quanto está disposto a arriscar para ver pelo menos uma partezinha dele.

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

11 comentários sobre o texto “Os riscos e o medo de viajar

  1. Aqui pensando que o risco de quem fica pode ser até igual, mas a ansiedade de quem fica é infinitamente maior…aprender a lidar com isso é o caminho minha andarilha de carteirinha.bj

  2. Olá:
    Oportuno o site… Ainda mais pelo TEMA!
    Viajar – uma das melhores coisas da vida; saída da rotina/aventura_até mesmo INDEPENDÊNCIA.
    Só que como TODO O LUGAR, há riscos: ainda mais para os desprevinidos.
    Sempre que viajo: procura me informar de COISAS QUE TENHAM A VER, tipo DISTÂNCIA ENTRE OS LUGARES (e se há outras coisas: LOCAL PARA SE ALIMENTAR, MEIOS DE TRANSPORTE. Também HOSPEDAGEM).
    Olhando o mapa: acho que poderia haver certas MODIFICAÇÕES, tipo os EEUU estarem numa legenda dos perigosos (o que há de crimes lá). Inclusive o BRASIL (há sites de alguns que abordam a SEGURANÇA aqui). E com razão.
    E infelizmente os PAÍSES QUE POSSUEM GUERRAS são belos mesmo. Se para quem nestes reside já seria o difícil… imagine para os DESAVISADOS!
    É isso.

    Saudação viajante,
    Rodrigo Rosa

  3. Os meridianos Christopher McCandless into wild brasileiros são d + um inspiração para min cada texto é palavras que vejo um incentivo , um passo mais de coragem é vejo que momentos dificeis na vida que um vida nova é viagens é amizade novas para esquecer no que passou meu caso um depressão que fiquei recluso , mais belo dia resolvi ler sobre viagens é decidir que viajar era a solução posso dizer um das melhores experiencia meus olhos brilharam novamente quando peguei o avião é me descobrir a mim mesmo , então dizer que ten duvida não tenha medo vá em frente com fé , alegria, unica certeza que temos é só uma então aproveite é faça diferença porque a vida não igual de video game não tem replay.
    Não deixe o sistema impor o que certo pois o certo do sistema com certeza não felicidade certa para ti .

    1. haah “meridianos Christopher McCandless” <3 adorei! Muito obrigada pelo seu comentário! Que legal que você encontrou um motivação e uma forma de superar um momento difícil. Que venham muitas outras viagens na sua vida.

      Abraços!

  4. Sim. Ótimo post !! Viajar é uma decisão como qualquer outra na vida. Quantas pessoas não vão sempre aos mesmos restaurantes, ou frequentam sempre os mesmos shoppings ou compram sempre naquela mesma lojinha de sempre ? Ao sugerir uma vez á um amigo que tentasse Maceió ou Natal por exemplo ao invés de voltar para Fortaleza pela nonagésima vez ele me respondeu: “sei lá, tenho medo de não gostar.” Eu sempre tive em mente que viajar te abre um milhão de fronteiras, te enriquece como ser humano, aguça o senso crítico, diminui os preconceitos e alivia a alma. Mas o desconhecido assusta o ser humano, não adianta, somos assim…rs. A graça de tudo isto está em se superar e no final descobrir que TODA experiência enriquece, seja uma visita ás organizadas e belas cidades européias ou ás sujas e barulhentas cidades indianas, cada uma com seu belo sabor. Viajo logo existo !!!!! Mochila nas costas, tênis no pé e coração aberto. Nice trips

    1. Nossa Patrícia, podia dizer para esse seu amigo que ele não sabe o que está perdendo. Um mundo desse tamanho e ele passando as férias toda vez no mesmo lugar, vê se pode! hahah

      Abraços e obrigada pelo seu comentário!

  5. Ótimo post, mais um texto inspirador para quem ainda não se arriscou nessa empreitada. E realmente muita gente ignora regiões do planeta, por considerar perigosas, quando o perigo pode estar na mesma rua, na própria cidade de muitas pessoas. Então porque não se arriscar e ter prazer ao invés de se trancar e viver só sonhando?
    Parabéns pelo texto, abraços!!

    1. Pois é Ricardo, não tem como a gente saber onde mora o perigo, haha. Tem gente que sai do Brasil pra ser roubado na Europa. Claro que alguns lugares requerem cuidados especiais, mas isso não quer dizer que eles não devem ser visitados.

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.