Intercâmbio na Argentina: primeiras impressões

Há 10 dias instalados em Buenos Aires, podemos dizer que já criamos uma espécie de rotina na cidade. Vivemos em um hostel com outros intercambistas da AIESEC, além de viajantes, estudantes e pessoas de todos os tipos. É interessante morar em um lugar em que você toma café da manhã com alguém de uma nacionalidade diferente a cada dia, enquanto come medialunas com muito dulce de leche.

Na primeira semana, trabalhávamos pela manhã e à tarde saíamos para um passeio. Conhecemos os principais pontos da cidade dessa forma: Plaza de Mayo e a Casa Rosada, Puerto Madero, Teatro Colón, Caminito, Recoleta, Congresso e as ruazinhas e construções charmosas do centro. Nosso trabalho voluntário não havia começado, por isso tínhamos tempo para explorar. E nos encantamos com a cidade, com o clima de inverno e também com as pessoas.

Mesmo com a rivalidade acirrada no pós-copa, ainda recebemos sorrisos e ajuda gentil de estranhos ao dizer que somos brasileiros. Foi o taxista que nos trouxe do aeroporto que nos deu dicas para evitar roubos e assaltos, o filho da dona do quiosque que nos ajudou a ativar um chip de telefone local e não deixou que comprássemos uma quantidade de créditos absurda,  o moço da banca de jornal que nos informou o melhor lugar para abastecer nosso cartão do transporte público.

Veja também: Por que contratar um seguro de viagem para a Argentina e como garantir um com boa cobertura (e com desconto)

Prédios Antigos em Buenos Aires

Ruas do centro de Buenos Aires

Leia também: Final de semana em Buenos Aires

Por aqui, a derrota na Copa ainda é sentida. Acho que o 1 a 0 deles foi mais doloroso que os nossos 7. E algumas pessoas ainda cantam a musiquinha irritante do “Decime que se siente”. O barbeiro da esquina faz contagem regressiva para a Copa da Rússia. São 1420 dias de espera para que ter a chance de ver a Argentina levantar a taça outra vez, ele diz. E emenda dizendo que, já que o Rafa está aprendendo espanhol, também deveria aprender português. Não o de Portugal, mas o do Brasil, que é falado por mais gente. Até hoje não sabemos se ele estava tirando onda com a cara do Rafa ou pensou que ele era europeu mesmo.

Intercâmbio na Argentina - Buenos Aires

Ainda não tivemos muita sorte com a comida, admito. Eles capricham nos doces, pizza e massas, é verdade, mas como ganhar peso não está entre os meus objetivos nessa viagem, ainda estou em busca de um lugar bom e barato para almoçar. Achei tudo gorduroso e sem tempero. Na janta, cozinhamos no hostel, mas preferimos comer fora no almoço. Ontem encontramos um self service na Avenida de Mayo que vai dar para o gasto, mesmo que tenha padrões de higiene um pouco abaixo do desejado (se alguém tiver uma dica para mim, por favor, deixe nos comentários!)

Freddo - Sorveteria em Buenos Aires

Mesmo com a inflação, o custo de vida aqui ainda é muito inferior ao das metrópoles brasileiras, ainda mais se você compra pesos no câmbio paralelo. Gastamos em média USD 20 por dia e por pessoa, excluindo a hospedagem, mas sem fazer aquela economia de contar as moedinhas que já fizemos em outras viagens. Com alimentação e outras despesas essenciais (leia-se: Quilmes, vinhos argentinos, etc) gasta-se muito pouco por aqui. Talvez para compras, essa não seja mais aquela Argentina de antigamente, mas para ser sincera não andei muito a ver vitrines nesses dias. A Feira de San Telmo me pareceu uma opção interessante para investir em roupas e acessórios, mas não cheguei a pesquisar preços nessa primeira visita.

Feira de San Telmo - Buenos Aires

Aos poucos, vamos contando aqui no blog tudo sobre essa experiência em Buenos Aires: a vida na cidade, o trabalho voluntário e todas as dicas de turismo que você já está acostumado a ver por aqui.


Compartilhe!







Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

22 comentários sobre o texto “Intercâmbio na Argentina: primeiras impressões

  1. Boa noite, vou para Córdoba na arg em novembro no projeto Ubuntu, você tem dicas de grupos para eu já ir treinando meu espanhol??

    Abraços ❤

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.