20 coisas com que me acostumei ao viver em Portugal

Este mês fará dois anos que vivo em Portugal. Também será o mês em que eu vou terminar o meu mestrado em Coimbra e tenho que tomar umas decisões e contar com a boa vontade do SEF (o serviço de imigração daqui) para definir o que vou fazer da minha vida. Mas este não é um post sobre burocracias e sim uma celebração. Dois anos vivendo num país é o suficiente para se acostumar e adaptar à cultura e o dia a dia local. E eu tenho quase certeza que mesmo quem só passa alguns meses em terras portuguesas também vive algumas dessas experiências que vou compartilhar.

Então, segue, orgulhosamente, as 20 coisas que eu me aprendi depois de morar em Portugal – e que vai ser difícil de desapegar – ou só coisas curiosas da vida por aqui. Este post também contou com a colaboração do pessoal do grupo Brasileiros em Coimbra, que aliás é uma boa comunidade para quem vai se mudar para cá.

viver em portugal luiza coimbra

Cozinhar tudo com azeite e outras coisas mais

Em dois anos, a quantidade de vezes que eu comprei qualquer outro óleo de cozinha foi 0. Eu nem frito muita coisa, mas quando faço, é com azeite. Refogo tudo com azeite, uso em quase todas as receitas, sem dó. Uma das melhores marcas costuma sair por €3,50 no supermercado, o potão. Fora quando a gente consegue comprar do produtor local que faz na fazenda. Até no cabelo eu passo azeite extra virgem, para variar do óleo de coco. É mara.

Confirmar a fama de padeiro

No Brasil, os portugueses têm fama de padeiros. Quem nunca ouviu a expressão “o Seu Manuel da padaria” que atire a primeira pedra. Quando me mudei para Portugal, de cara achei que eles mereciam a fama, porque ô pessoal que faz pães gostosos. De todos os tipos, grãos e jeitos. O pão em Portugal é simplesmente maravilhoso e não sei se sei mais viver sem.

Sopa e pão, sempre

Outra coisa relacionada com pão é que não existe absolutamente nenhuma refeição portuguesa que não seja acompanhada de pão e sopa de entrada. Faça calor ou faça frio, estará lá.

café oceano nazaré, portugal

(Colaboraram: Leandro Souto e Karine Nieman)

Caminhar mais e sem medo

Na primeira vez em Coimbra que eu tive que voltar para casa, levemente bêbada, às 4h da manhã, e ainda subir o maior morro, eu me perguntei o que eu estava fazendo com a minha vida. Hoje em dia, eu subo ladeiras contando quantas músicas eu levo até chegar ao topo. Ainda tenho preguiça, mas meu condicionamento físico para caminhadas aumentou muito, porque basicamente, faço tudo a pé, de manhã ou de noite.

A Isadora Lima comentou também isso de caminhar de madrugada, 5h da manhã, sem ter medo. E ainda encontrar um monte de gente fazendo o mesmo.

Acender a luz do lado de fora do banheiro

Eu não sei por-causa-de-quê os interruptores de luz das “casas de banho” em Portugal são do lado de fora do banheiro. Foram incontáveis vezes que eu estava lá, sentadinha na “sanita”, e alguém achou que não tinha ninguém no banheiro e apagou a luz! Hoje, quando eu vou ao Brasil, antes de entrar no banheiro eu fico tentando acender a luz do lado de fora.

Vamos tomar um café?

A Naiara Back, do blog Aqueles que Viajam, fez um depoimento sobre a relação dos portugueses com o café:

“Vamos tomar um café? Hem… um café? Sim! Independentemente do dia e de ser bem cedo ou super tarde da noite, o convite para tomar um café vai acontecer. Não significa que tenha de segui-lo à risca, pois ele é, na verdade, um convite para socializar, com ou sem café. Em brasileiro, a tradução mais adequada para esse tipo de convite é “vamos num lugar qualquer – que pode ser um bar, um café ou uma padaria para conversar, beber ou comer alguma coisa”. Tomar um café em Portugal se resume a tudo e o mais curioso é que é impossível não aderir a esse hábito que está tão presente na vida portuguesa.”

A primeira vez que eu vi isso acontecer foi numa festa de república. Já era umas 2h da manhã e chegaram três portuguesas amigas das minhas amigas. Elas chegaram, cumprimentaram tudo mundo e perguntaram se poderiam fazer um cafezinho. Eu fiquei olhando para elas meio intrigada com a situação. Depois, passei a reparar que nas mesas de bar, não importa o horário, sempre tem uma xícara de café entre as garrafas de cerveja.

Bom dia, boa tarde, boa noite obrigatórios

Eu nunca vivi isso, porque costumo usar bom dia e boa tarde como forma de cumprimento, mas, na maioria do Brasil, um “oi” ou “com licença” bastam. Já aqui:

“As vezes eu chegava dizendo ‘licença, o senhor pode me dar uma informação’ e a resposta sempre era um “bom dia” dito meio mal-humorado. E eu tinha que refazer ‘bom dia, o senhor pode me dar uma informação. – Contou a Jéssica Rodrigues

Jantar, o evento

Jantar é um evento social em Portugal e tem muita gente que vai marcar de te encontrar antes ou depois da janta, porque precisava jantar com a família ou os amigos. Tem época do ano que é difícil ir a alguns restaurantes, porque já está tudo reservado para as jantaradas comemorativas da empresa, da turma da faculdade, etc. E demora até um português ou portuguesa te convidar para um jantar, porque isso é coisa séria. 

Além disso, como bem lembrou a Aline Arim, os jantares costumam ser mais cedo, por volta das 20h (eu pessoalmente acho essa a hora ideal para um jantar).

Intervalo no cinema

A Esperança Peixoto me lembrou de um costume que eu odeio, que é o intervalo no cinema. A primeira vez que fui ver um filme e isso aconteceu, eu perdi uns segundos achando que o filme tinha estragado, ou algo do tipo. Aí percebi que era comum. Mas o costume não desagrada a todos. A Bruna Bechlin, por exemplo, adora: “Dá pra ir ao banheiro, debater sobre o filme ou então trocar Beijinhos ♡”.

Modos ao telefone

Os costumes telefonísticos portugueses são muito diferentes dos brasileiros. Para começar, tenho a impressão que eles falam muito mais ao telefone do que nós. E nem todo mundo aderiu ainda ao Whatsapp, porque os smartphones por aqui são relativamente mais recentes do que no Brasil. A Karine Nieman concorda: “As pessoas aqui ainda têm muito o hábito de fazer ligações. Acho que por causa das facilidades dos planos etc.”.

Além disso, os modos ao telefone, ou ao telemóvel, são os seguintes:

– Atender o telefone dizendo: “Tô”

Ai, depois da conversa, na hora de se despedir, tem todo um ritual: “até logo, beijos, adeus, com licença..”  Tem gente que até acrescenta umas coisas estranhas, tipo “boa continuação”!

E, para completar, a Isadora Lima resumiu bem uma ligação típica: “Tô! Tás boa? Ouve, gostavas de tomar um café às 22h? Pode ser no TAGV, ao pé da praça da república. Tá bem, porta-te bem. Beijinhos grandes”

(Colaboraram: Karine Nieman, Lara Callegari, Esperança Peixoto)

Pagar 1 euro ou menos pela cerveja

Olha, tudo bem que Sagres e SuperBock não são as melhores cervejas do mundo, mas a alegria de pagar 70 centavos numa garrafinha de cerveja é inenarrável. A única coisa triste para mim é que, tal qual no resto do mundo, não tem cerveja de 600 ml para dividir com a galera no bar. Só longneck.

Pagar 2 euros numa garrafa de vinho bom

A cerveja pode até não ser fantástica, mas os vinhos são maravilhosos – e você acha Douro, Alentejano e Dão por 2 euros no supermercado. É quase mais barato do que água.

O Leandro Souto também lembrou que aqui nos acostumamos a “tomar vinho durante as refeições, sejam elas quais forem, e mesmo que seja na hora do almoço e se você for trabalhar depois…”

Belmonte Serra da Estrela bacalhau

Sem senha não tem atendimento

A Sandra Fratane comentou sobre a paixão dos portugueses com senhas. Segundo ela, “eu podia ser a única pessoa em algum lugar que não iam me atender enquanto eu não pegasse uma senha e não anunciassem ela”. Isso pode acontecer em qualquer lugar, tipo na fila do pão do supermercado, na empresa de telefonia, no atendimento ao estudante da Universidade.

O multibanco

Multibanco é o caixa eletrônico em Portugal. Assim como no resto da Europa, o caixa fica na rua, exposto, e você pega o dinheiro ali e segue seu caminho. Nada de porta e segurança. Várias pessoas comentaram que a segurança que sentem aqui é um costume muito bom. Mas, é claro, que, como em todo lugar, existem furtos. Eles só não estão acostumados com o crime ou são paranoicos, como nós ficamos. Isso é motivo para piadas, como bem lembrou o Leandro, que o multibanco tem uma vozinha que berra “RETIRE SEU DINHEIRO” a qualquer hora, para todo mundo saber o que você está fazendo.

Porco, frango e peixe

Como bem resumiu a Glyssia Callai: “Viver de porco e frango… sdds carne (bolso de estudante) 😂” É que carne de vaca por aqui não só é uma pequena fortuna, como não costuma ser boa. Prepare-se para a grande decepção que é comprar uma “picanha” no supermercado em Portugal e ver um bife mequetrefe e com gosto bem duvidoso, mas que custou uns 6 euros por 100g.

O clássico: levar tudo literalmente

Boa parte das piadas de português, contadas por brasileiros, vem do fato deles serem extremamente literais. Nem todo mundo é assim, mas, quando são, é muito engraçado. Para ilustrar, compartilho a história do Tomás Barros:

“Uma vez fui comprar uma passagem de trem com um amigo e o cara no guichê perguntou “qual horário querem?”

Meu amigo respondeu: “por volta da hora do almoço”

E ai o funcionário fez uma cara de confuso e disse: “Como vou saber a hora que almoçam?”

A gente estourou na risada 😂”

Calçadas e azulejos

A Isadora Lima lembrou uma das minhas coisas favoritas por aqui que é andar na rua prestando atenção nos desenhos e padrões das calçadas portuguesas, que costumam ser todas de pedrinhas. Além disso, os azulejos portugueses são puro luxo e estão para todos os lados. As vezes, dá para ver esses detalhes tão bem porque as casas têm muros baixinhos e nenhuma daquelas proteções clássicas, como grades ou cerca elétrica.

O que visitar no Porto capela das almas

Taxas e mais taxas

Se você acha que paga taxas no Brasil, prepare-se para pagar ainda mais aqui. Como a Isadora também lembrou, o hospital público cobra uma taxa para emergências, que costuma ser de 20 euros. A taxa para o centro de saúde da universidade é 5 euros. Eu já tive que pagar caro nas ligações da companhia telefônica e para a empresa de gás, para reclamar de um problema no serviço deles: é isso mesmo, nada de chamadas 0800. E se tiver que ir um técnico resolver problema na sua casa, dependendo da empresa, você pode ter que desembolsar uma graninha para recebê-lo. E a Universidade, apesar de ser pública, tem mensalidade e custa cerca de 1200 a 2000 euros por ano, dependendo do curso.

Maldito cigarro

Eu sempre reclamo disso, então vou deixar outra pessoa falar por mim, no caso, a Sarah Rodriguez: “O que me irrita em Portugal e que estranhei muito é o fato das pessoas fumarem muito. Dentro do bar, boate, restaurantes. Para quem é alérgico ou não gosta de cigarro fica quase impossível. 🙁 ”

Acrescento: o pessoal não tem o menor pudor em pelo menos abaixar o cigarro ou não jogar a fumaça na cara dos outros. É muito ruim.

Pingo Doce, um caso de amor

Aqui em Portugal tem três supermercados grandes, o Jumbo, o Continente e o Pingo Doce. Sinceramente, não tenho nada contra os dois primeiros, mas vejo que os brasileiros vivem um caso de amor com o Pingo Doce. A questão é a “marca branca” deles. Sério, os produtos são muito melhores do que quase todos de outras marcas e ainda são beeeem mais baratos. O Leandro comentou que até a Coca-Cola versão Pingo Doce é boa, a melhor que ele já provou. Eu basicamente compro tudo da marca e ainda reclamo no caixa quando não tem alguma coisa que tô acostumada. Ah, e no Pingo Doce vende pão de queijo!

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

119 comentários sobre o texto “20 coisas com que me acostumei ao viver em Portugal

  1. Gente, fiz uma viagem no tempo. Como adoro a terrinha! É aí que me sinto realmente feliz.
    Você se esqueceu de dizer que tem homem que não gosta de ser chamado de “moço”, e que infelizmente existem muitos portugueses que são “grossos”.
    Quanto ao fumo em lugares públicos, na última vez em que estive em Portugal (2010) era proibido. Pelo menos no serviço público era proibido.
    Em relação ao PINGO DOCE…que saudade….baratíssimo….
    E você também se esqueceu de falar dos livros de reclamação, que agora podem ser também de “elogios”.
    No mais, adorei o artigo, “rapariga”. kkkk

  2. Muito bom o artigo, luiza! Morando em portugal há 7 meses, comprovo que é tudo verdade! Meu marido foi no supermercado e disse que queria azeitonas sem caroços, o atendente disse que não tinha e, quando meu marido apontou as ditas no balcão, ele disse que aquelas eram recheadas de pimentos! pode? kkkkk
    Outra coisa, nunca vi um povo tão sossegado na vida, por nada chegam no horário marcado, e a administração pública é quase igual a do Brasil…

    1. Eu dia que a administração pública portuguesa fundou a brasileira, por isso é tão igual (e ruim, infelizmente)

      Mas a parte do sossego muito me agrada, na verdade kkk

  3. Parabéns Luiza,vihi em Tugsl por dez anos consecutivos,sem bir so Brasil,estou ca ou ca estou a cinco arrependido pensando em voltar a viver,viver digo em Portugal. Felicidades!!!!

  4. Duas coisas que queria comentar.
    1. Quando você diz, reafirmando o que lembrou a Aline Arim, que “os jantares costumam ser mais cedo, por volta das 20h”, fiquei curioso pra saber de onde você é pra entender quando seria, pra você, aqui no Brasil, a hora ideal para o jantar. Para mim (tenho 61 anos e sou do Rio de Janeiro, embora more há 9 anos em Angra dos Reis), essa sempre foi a hora de costume, assim como para a grande maioria das pessoas que conheço.

    2. Sobre o fato de os portugueses entenderem tudo literalmente, me surpreendi, em 2011, com um cartaz colado a uma porta, em Coimbra, que dizia, literalmente: “Se a porta estiver fechada, significa que estamos fechados. Obrigado.” Imaginei que o recado era para brasileiros… Tenho uma foto aqui, mas não sei se há como enviar.

  5. Olá, Luiza! Adorei sua matéria. Muito clara e direta! Me diga, o problema do cigarro por toda parte continua? Isso ocorre mais em cidades grandes ou não há diferença no Interior?
    Desde já muito grata pela ajuda!
    Forte abraço. Esteja sempre bem!

  6. Oi luiza, estou procurando informações sobre morar em Bragança… Se conhecer alguém ou tiver informações sobre custos, noite, clima, a cidade em si, etc., e puder ajudar, agradeço! bjsss

  7. Olá Luiza, gostei muito seu artigo publicado em setembro de 2016.É muito interessante ler como os outros nos observam.Realmente os portugueses fumam muito, principalmente os mais jovens e curiosamente mais as mulheres. Precisamos tomar mais medidas para combater este flagelo como já foi feito em Portugal relativamente às drogas com um sucesso que tem sido alvo de atenção mundial. Pela sua idade, creio que tem frequentado exclusivamente sítios onde é permitido fumar. Eu não fumo, como tal, quando vou a um bar ou restaurante seleciono aquelesscom espaços diferenciados ou apenas para não fumadores.
    Acaba de ser aprovada legislação que vai permitir que em espaços públicos como, por exemplo, cafés, restaurantes, centros comerciais, etc. seja permitida a entrada de animais de estimação.
    Moro muito próximo de uma estação de comboios/trens e durante o período de almoço (em Portugal é normalmente entre as 12.00 e as 14.00 horas) passam 8! qual quereria o seu amigo?
    Felicidades.

    1. Oi Afonso,

      Uma coisa que eu percebi é que em Coimbra é muito comum que qualquer café ou pastelaria permitam que as pessoas fumem dentro. E no Porto não é assim. Acho que é uma cultura da cidade também.

  8. Olá Luiza, adorei seu post. Estou indo de mala e cuia para Portugal, junto com marido e filhos. Minha pergunta é: a conbrança da Universidade é anual? Tipo 2000 euros dividos por 12 meses? Penso em tranferir meu curso de Nutrição para a cidade de Porto. Bjs. Obrigada.

    1. Oi Carmem,

      Varia de universidade para universidade. No primeiro ano do meu curso eles cobraram a anuidade dividida a cada 3 meses. No segundo ano, dividiram a anuidade em 10 meses.

  9. No Brasil, falamos o tempo todo: vamos tomar um cafezinho? Logo, é um hábito bastante comum aos dois povos.
    Quanto à resposta do atendente da estação de trens, de Portugal, não acho nada hilário, porque ninguém é obrigado a advinhar o horário do almoço do cidadão. Ou é?

  10. Luiza, acender a luz do lado de fora do banheiro ou casa de banho, é por questões de segurança e é obrigatório, caso contrário a instalação elétrica dos edifícios não seria aprovada. Dentro dos banheiros, sobretudo quando as pessoas tomam banho, forma-se uma nuvem de vapor de água que em contacto com os interruptores que acendem a luz, podem provocar acidentes fatais.

    1. Oi Pedro,

      Desculpe, um erro ocorreu e seu comentário caiu na caixa de spam.

      Eu supunha que era por razões de segurança, mas em muitos países, inclusive na Europa, não é a prática mais comum.

    2. Luiza Antunes meus parabéns pela sua matéria, adoro ler suas postagens.

      Comentando o comentário do Pedro: Realmente devo concordar plenamente com a explicação, pois faz todo o sentido.

      Eu sou Engenheiro Eletricista e posso falar com propriedade, pois o fato de em Portugal e Europa ser habitual tomar “banhos quentes” o banheiro fica com muita umidade por causa do vapor, o que pode sim deteriorar os contatos internos do interruptor e provocar um curto-circuito. E se a instalação não estiver dimensionada corretamente poderá de fato provocar um princípio de incêndio.
      O que demonstra que estou indo para o país correto, pois percebe-se que estão atentos para as seguranças em mínimos detalhes.
      Parabéns para Portugal e Pedro pela observação.

      1. Luiza,

        Estou de mudança para Portugal (região da Serra da Estrela). Morei na Alemanha por 2 anos e a luz do meu apartamento e da casa de amigas alemãs acendiam dentro do banheiro, então realmente não é uma pratica comum na Europa.
        Adorei sua matéria!

  11. AHAHAH Tá muito bom!
    E eu que odeio cerveja da próxima vez que voltar ao Brasil vou experimentar por lá!! 🙂
    Quanto à carne… Não comeu carne de vaca em São Miguel 😀 😉

  12. Olá, Luíza. Seu post foi absolutamente esclarecedor. Pretendo ir a Portugal em setembro, passar três meses para me certificar de fato como é morar aí e, depois, efetivar moradia na terrinha. Lendo alguns post, não raro, surjem comentários que traçam dos portugueses caracteres de rudeza e de serem nada amistosos. Lendo o seu post e os comentários, entretanto, percebo que os portugueses, ao contrário do que alguns poucos dizem, são hospitaleiros e amistosos, desde que, evidentemente, saibamos nos portar e respeitarmos os valores, costumes e tradições do local.
    Parabéns pelo texto e pela narrativa, ao mesmo tempo, divertida e esclarecedora.

    1. Como em qualquer país do mundo, tem pessoas educadas e amáveis e outras mal educadas e xenófobas. Você vai encontrar dos dois tipos, mas em geral tenho boas experiências

      1. Olá, estou pesquisando a dupla nacionalidade e vejo muitos falando sobre isso. Acredito que são pessoas que não enfrentaram a xenofobia de pessoas de outros estados. Por exemplo: não raro vejo isso das pessoas do sul contra o resto do Brasil. Sou nordestina e mora em SC ha 20 anos e mesmo assim sofro com isso todos os dias. Porém existem pessoas excelentes e boas de coração. Amo o estado e aqui é mu lar. Concluindo minha ideia, acredito que isso não seja um problema grave para não se ir a outros países.

    2. Também compreendi que a maneira que se portam não é por ser rude, e sim os costumes que devem ser respeitados sejam eles de qualquer nacionalidade

  13. To adorando o blog, parabéns por compartilhar tudo isso conosco!
    Estou pensando em ir pra Portugal em Setembro, mas a passagem tá pela hora da morte. Vcs acham que até mês que vem abaixa? A média que estou achando hoje é mais de R$ 3.200,00 com taxas.
    Minha idéia é chegar por Porto e voltar por Lisboa e alugar um carro pra fazer o percurso e conhecer outras cidades.
    Uma outra dúvida. Eu não como bacalhau nem peixe, tem restaurantes bons que oferecem outros tipos de pratos com carne que não sejam caros?

  14. Hj 05/04/17, fazem menos de 10 dias que voltei de Portugal, onde fiquei hospedado por 22 dias, junto com minha esposa em Barcelos, na casa de minha cunhada…..taí um lugar onde eu moraria sem dúvidas. Povo hospitaleiro, como na maioria são na terrinha, lugar fantástico, boa culinária e clima agradável. De lá fui visitar a França e Espanha, mas em Portugal o charme é outro. Nunca tomei tanto café expresso na minha vida, vinhos então…nem se fala, além das bacalhoadas e sardinhas na brasa nos restaurantes de Esposende, acompanhadas de camarão e vinho verde. Já tô com saudades e planejando a volta….

  15. Post muito legal, mas deixo a dica de colocar créditos nas fotos, aquela igrejinha do início do post me deixou curiosa por saber onde fica. Abraços e sucesso na terrinha

  16. e a musiquinha que toca o dia todo no mini preço…

    “miiiiiiiiini preço, preço baixo sem igual, seja no seu bairro, ou em cada parte(canto, não lembro certinho) de Purtuuugal

  17. Por incrível que pareça uma das coisas que mais gosto em Portugal e em geral na Europa é o fato de podermos estacionar nas calçadas. Todo mundo se ajeitando sem essa do estado ficar se metendo. Gosto desse descompromisso com o politicamente correto. Sou meio anarquista nesse sentido.

          1. Isso acontece porque em muitos locais há falta de lugares de estacionamento na rua, há poucas garagens de rua (somente em shoppings e assim) e não existe a profissão de manobrista. Mas é chato sim e é um problema que temos de resolver. Infelizmente em Lisboa investem sobretudo em tornar os lugares de estacionamento de rua pagos e em multas em vez de investirem na melhoria do transporte público e na criação de parques de estacionamento à entrada da cidade.

  18. Oi Luiza .. te sigo no insta, acho teus post ótimos. .gostaria de saber de ti como é o campo pra emprego aí. .eu e meu esposo estamos querendo mudar .. porém tu tens alguma dica de agências bacanas pra procurarmos..abraços

  19. Caramba, Luiza! Já faz dois anos que tá aí?
    Lembro dos seus posts de quando tava indo, na minha cabeça fazia no máximo um ano… Como o tempo passa!!!!
    Que dê tudo certo com seus planos futuros. Torcendo por você 🙂

  20. Adorei esse post! Parabéns pelo blog. De volta a realidade brasileira e já saudosa do lugar amado Portugal, recebo este link do deu post da minha prima, via WhatsApp. Me identifiquei com TODOS os ítens ahhaha. E olha que passamos apenas 15 dias, mas intensos. O único lugar que bão pretendo voltar: Évora! Fui em pleno verão e me pareceu uma amostra do inferno, os próprios portugueses concordaram. Me apaixonei loucamente por Porto e seu estilo de vida. Lisboa nem preciso comentar, voltarei em breve. Me encantei também com o mercado da ribeira. Comer pratos feitos por chefs, vendo tudo sendo feito na hora, pagando preço justo e acompanhado por vinhos, não tem preço. 😍😍 ❤️ Portugal

  21. Oh pá!
    Estamos aqui à pouco mais de 2 meses. O cigarro é péssimo, além de jogarem bitucas para todo o lado. As calçadas são lindas, quando não estão cheias de carros estacionados em cima delas, mas a tranquilidade que temos em andar pelas ruas à toda hora supera todos esses detalhes, é giro, é fixe!

  22. LUIZA: ADOREI O SEU TEXTO, EMBORA JÁ TENHA IDO A PORTUGAL, POR DUAS VEZES, SEMPRE DESCOBRIMOS HÁBITOS OU FALAS DIFERENTES DOS NOSSOS. SE NÃO FOSSE PELOS NETOS AQUI NO BRASIL, GOSTARIA MUITO DE MORAR EM PORTUGAL. AMEI LISBOA, PORTO, BRAGA, BARCELOS, COIMBRA, BRAGANÇA, ETC. A CULINÁRIA É INCRÍVEL, OS PORTUGUESES SÃO MUITO CALOROSOS, BRINCALHÕES… E SAIR PARA TOMAR UM CAFÉ É TUDO DE BOM, SEM CONTAR A SENSAÇÃO DE SEGURANÇA QUE TEMOS POIS DÁ PRA FAZER TUDO À PÉ, INDEPENDENTE DO HORÁRIO. AH, ESQUECI, OS VINHOS SÃO BONS E BARATOS. BJINHOS

  23. Primeiramente, fora Temer!! Rsrs mas adoro os portugueses. Muito giro suas observações, mas também acho a superbock muito boa, melhor q as nossas aqui no Brasil. Faltou falar, acho, dos pastéis de Belém nó Continente a 017 cêntimos!!! E os nossos queridos portugueses sacaneiam a gente sempre q podem, pois esculhambamos com a língua deles!!! Rsrs adoro Portugal e Coimbra é um sonho mesmo. Estive aí agora em agosto e foi deslumbrante como sempre.

    1. Fernando, além de esculhambar a língua portuguesa, que eles adoram dizer que nós falamos Brasileiro, língua inexistente, você acabou de esculhambar uma paixão nacional: pastel de Belém! Esse só é encontrado na pastelaria de Belém, ponto turístico, em qualquer outro lugar é pastel de nata, e todos fazem questão de te lembrar disso! Outra coisa, quem fala “giro” são as mulheres, ou quando um homem se refere a uma mulher bonita, tipo: ela é gira. Os homens fala fixe. Pá, como dizem são as cenas que vamos a descobrir a viver cá.

      1. Eu sei que os de Belém são só em Belém! Mas sei também que os do Continente sao muito gostosos e bem mais baratos!!!! Rsrs e quanto ao giro, não sabia da exclusividade feminina. Acho que é pela frequência que falo com as portuguesas e o pouco ou nada que falo com os gajos, se é que né entende!!! Rsrs abraços e obrigado pela dica!!

    2. Oi Fernando,

      Eu gosto da Superbock, mas assim como no Brasil, eles ficam acrescentando milho a cerveja. Sempre me faz um pouco mal.
      Pastéis de Nata (Belém, só na Pastelaria de Belém, em Lisboa)!

  24. Me identifiquei tanto, mas tanto hahahah to morando em Lisboa e logo to voltando e tenho certeza que essas coisinhas das quais me acostumei são as que mais farão falta! O que dizer desses cafés? Demorou tipo uns 5 cafés para um gajo me chamar para jantar hahahha.

  25. Filipe Bento gostei muito apesar de em alguns pontos discordar, no geral, ainda bem que se sentem bem na Terrinha. Já eu acho que a cerveja daqui é bem melhor que na do Brasil, assim como a carne. Mas gostos são gostos. Quanto aos smartphones, valia fazer pesquisa antes de falar algo errado… já da piada eu diria a mesma coisa por conta do trem/comboio e a resposta do funcionário. A que horas almoças? Quem pediu no horário do almoço, que foi besta e a resposta foi genial 🙂 Parabéns ao funcionário que teve humor inteligente na resposta dada… no ponto do cigarro, o mesmo se aplica, somente se fuma dentro de bares e discotecas o que para mim também não deixa de ser desagradável, pois não sou fumante, mas não é geral em todos os lugares como o artigo deixa a entender…

    1. A carne é horrível, normalmente dura e extremamente cara! Quanto a cerveja, não posso opinar porque não bebo, mas todos dizem que é mais forte, e comparando com a do Brasil é infinitamente melhor. Com relação ao funcionário dos comboios, duvido muito que tenha sido uma tirada de humor, realmente eles costumam ser literais e deve ter respondido de forma dura como é muito comum por aqui. Agora a relação dos portugueses com tecnologia é caso de estudo, comparando com o Brasil o acesso a internet e produtos tecnológicos aqui é muito fácil, mas os equipamentos não são tão baratos se compararmos a outros países da Europa. A grande maioria da população não gosta muito de novidades tecnológicas, até porque temos que levar em consideração a idade média da população, que são mais idosos, como eles são a maioria, os mais novos acabam seguindo o habito.

  26. Bom dia Luiza. Adorei seu Post. Você tem alguma dica para quem está indo para Coimbra com a família agora em outubro (dia 4 chegamos), e precisa procurar apartamento e começar o doutorado já na sexta dia 7.
    Estão indo minha filha, o marido e minhas netas de 4 e 1 ano. O processo está sendo muito corrido, entre ela começar a habilitação ao doutorado, aprovação e autorização de liberação para ela fazer o curso foram só dois meses.
    Estamos meio perdidos quanto ao lugar onde morar ( como alugar apartamento? O bairro próximo à Faculdade
    é bom para morar? Há imobiliárias como no Brasil? Qual imobiliária prestaria um serviço de confiança?)
    Reservamos o Ibis para nos instalarmos inicialmente, mas será que há algum hotel mais barato com uma qualidade razoável? E escola ou creche para as crianças, por enquanto ela está pensando na creche da faculdade?
    Minha neta mais velha é sua chará, Luísa. Um abraço.
    Rodolfo.

    1. Oi Rodolfo,

      Como vocês vão ver, Coimbra não é uma cidade grande e as pessoas costumam fazer muitas coisas a pé. Famílias com crianças pequenas acabam comprando também um carro, mas isso vai do perfil de cada um.

      Tenho posts sobre como alugar apartamento e sobre onde se hospedar em Coimbra. Dá uma olhada:

      https://www.360meridianos.com/2015/04/como-alugar-apartamento-coimbra-portugal.html
      https://www.360meridianos.com/2014/10/onde-ficar-em-coimbra.html

      Sobre a escola ou creche eu realmente não posso ajudar!

      Um abraço para vc e toda a família!

  27. Olá, sobre o “Maldito cigarro”… se tivesse escrito este seu comentário há cerca de 10 anos atrás até o compreendia e estaria totalmente de acordo! Agora o que escreveu ano de 2016 está completamente desactualizado e fora da realidade, uma vez que existe uma lei que proíbe fumar em todas as repartições públicas, complexos desportivos, cinemas e teatros, mais em todos os estabelecimentos e em grandes centros comerciais existe uma área destinada exclusivamente a fumantes, e só é permitido fumar naqueles, onde na porta de entrada, está expressamente indicado que permitem a entrada a fumantes!
    Sugiro que futuramente se informe melhor e seja mais cuidadosa na informação que nos escreve. E como o senhor A. Pinto acima referiu em todos os estabelecimentos existe um livro de reclamações, que é obrigatório por lei… e eu já o usei!

    1. No texto a autora referiu as “boates” e bares e está completamente certa, é só fumo por todo o lado. Diria até que o senhor é que me parece estar desactualizado. 😉

    2. O post sobre cigarro está corretíssimo! Comparando ao Brasil, aqui se fuma muito! E vemos muitos jovens fumando, coisa que no Brasil era relativamente comum até a década de 80. No Brasil nas grandes capitais não é permitido fumar dentro de nenhum ambiente fechado, basicamente só se pode fumar dentro de casa ou na rua, e em bares mesmo na rua, se tem cobertura não se pode fumar (Essa lei é do Rio de Janeiro), quando cheguei a Lisboa em 2014 foi um choque, vindo do Rio, convivendo com a “geração saúde” vi muitos adolescentes fumando por aqui, abertamente em qualquer lugar, praticamente todos fedem a cigarro, e se não fuma, toma por tabela porque sempre tem alguém fumando. É uma realidade muito triste de ver.

      1. Os portugueses fumam é verdade, mas por favor não sejam ingénuos, estive no Brasil recentemente, em São Paulo e o que vi lá não tem comparação com Portugal. Muitos jovens brasileiros, dormindo na rua sob o efeito de consumo de drogas. Não consomem uns produtos consomem outros cujos efeitos secundários são muito mais nefastos.
        Portugal oferece uma qualidade de vida superior ao Brasil … mas gostei de lá estar, tirando os fios aéreos da eletricidade, as ruas mal pavimentadas e mal cuidadas, o metro em hora de ponta, os sem abrigo e o desrespeito dos condutores pelas regras de trânsito

        1. Ana, você tem toda razão, em momento nenhum fui ingênuo no meu comentário, o problema com as drogas no Brasil é muito grande, o Rio de Janeiro de onde venho é dominado pela violência gerada pelas facções criminosas que brigam pelo controle de vendas de drogas. Em SP as regras de trânsito ainda são mais respeitadas do que no Rio, em geral porque tem mais engarrafamentos, e o metrô não se compara, até porquê a cidade de São Paulo tem mais de 11 milhões de habitantes vivendo em 1.523km², enquanto Portugal tem 10 milhões de habitantes vivendo no país inteiro. É por conta de problemas como esses que imigramos, são problemas de proporções gigantescas que quando comparados com a realidade que se vive aqui em Portugal parecem surreais! Mas infelizmente existem. E mesmo Portugal sendo minusculo comparando com o Brasil, o problema das dorgas também aflige o país, numa proporção muito menor, mas não seja ingênua, porque ele existe, na Baixa o que não faltam são traficantes, e vendem drogas a luz do dia pra qualquer pessoa, e todos fingem que eles não estão lá.

          1. Infelizmente fuma-se muito em Portugal. Tem sido complicado legislar isso porque muitos fumadores (fumantes) acham que não incomodam ninguém e que ainda estamos a limitar as suas liberdades rsss Em espaços fechados não se pode fumar ou só se pode fumar em uma zona específica que cumpre normas de ventilação, então esse problema realmente já não existe. Mas desenvolveu-se outro hábito, o de fumar à porta dos edifícios e assim termos de levar com um corredor de fumo de tabaco cada vez que entramos/saímos.
            Quanto ao problema das drogas, claro que em Portugal também existe, mas queria só fazer um reparo importante. Esses supostos traficantes de droga na Baixa que você fala na verdade não vendem droga verdadeira e, como não são violentos e abordam sobretudo turistas (porque os lisboetas já sabem que são falsos), acabam por ser ignorados. Portugal é o país com menor consumo de drogas da Europa Ocidental e é considerado uma referência mundial no combate ao consumo de drogas (pode confirmar no Google). Vários estudiosos vêm de propósito a Portugal para estudar o assunto, tanto que o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência é em Portugal.

  28. Olá, estás boa?
    Ficou bué de fixe teu texto miuda.
    Gostei da sua lista e eu nem sei por onde enumerar uma minha.

    E morei com a Bruna Bechlin e ela REALMENTE gostava dos intervalos nos filmes, eu reclamava sempre.

    Quando dizia que no Brasil não se fuma em lugar fechado os portugueses ficavam chocados e alguns preocupados com o direito dos fumantes.

    Mas te diria uma coisa que me deixava chorando: Frutas brasileiras mais baratas na Europa que no Brasil

    1. hahaha onde que você achou essas frutas baratas Marco? Sério, a manga custa 3,99 o Kg e o o maracujá eu provavelmente teria que vender um rim para poder comer com a mesma frequência!

  29. Ai gente, é muita saudade do tempo que morei ai. Admito que morri de amores pelo Pingo Doce. E que mais do que padeiros, eles são bons ˜pasteleiros˜! O gente boa de fazer doce, Deus do Céu!
    Um beijo grande de uma alma portuguesa brasileira!
    Bruna – Expressinha

  30. Alô Luísa e equipa do 360

    Muito bom este post. Para quem é de Portugal como eu, e que trabalho na área do turismo, é super interessante ler este tipo de observações de um Brasileiro e tão “naturalmente” escritas.

    Deixo uma provável razão do interruptor fora do banheiro. Por segurança, porque quando você toma o seu duche muito quente e com a porta fechada, a condensação de vapor e água no interruptor pode provocar um acidente por electrocussão. Não sou electricista, mas esi que há regras rígidas na construção sobre estas questões.

    Abraço

    António

  31. Por favor, parem de fazer publicidade ao pingo doce, o Jerónimo de Sousa já ta rico que chegue e paga mal os funcionários. A empresa também esta sediada em Amsterdam, por facilidade fiscal , apesar de só haver estabelecimentos em Portugal, estranho não?

    De resto, muito bom post e apoiem o comércio local 🙂

    1. Olá, Jorge.
      Jerónimo de Sousa é o secretário geral do PCP.
      Alexandre Soares dos Santos é aquele sr. moralista que vem dar lições de como devem economizar seus empregados com o parco salário que recebem da Jerónimo Martins. Ele já não é o CEO e sim o filho. Mas o Soares dos Santos, para bem aparecer na fotografia social criou uma Fundação. Mas a Holanda é um bom sítio para lá pòr a sede fiscal. Temos gente. Cmps.

  32. Eu sou portuguesa e conheço muito bem o meu País e os nossos costumes e eu acho que não teria escrito um Post melhor que este 😉

    Os meus Parabéns 🙂

    P.S. Vai um cafézinho?

    Beijinhos de Portugal

  33. Oii Luiza, sou leitora do blog há 3 anos e finalmente estou planejando o meu primeiro mochilão, as dicas do 360meridianos estão sendo fundamentais, muito obrigada a toda equipe!
    Eu e minha amiga pretendemos passar 25/28 dias na Europa em julho 2017, dividindo da seguinte forma:
    4 dias em Lisboa, 3 ou 4 dias em Madri (não decidimos ainda), 4 dias em Paris, 3 dias em Amsterdã e o restante em Londres que seria aproximadamente 7 dias. Não estamos contando com o dia de deslocamento entre os países pois ainda não foi definido se será de avião, trem ou ônibus. Gostaria de pedir a sua opinião sobre o roteiro, quais são os erros/acertos. Desde já agradeço.

    1. Oi Mariana,

      Não tem erro no seu roteiro. Só a contagem de dias está para baixo: deu 22 dias na conta que você falou. Ou vocês já estão contando os dias de deslocamento?

      Eu aumentaria um dia em Paris tb!

  34. Exactamente o que por lá vivi no ano em que fiz meu pós-doc na Católica de Lisboa. Excelenete percepção e seleção de fatos significativos!
    Vontade imensa de voltar … para ficar!
    Obrigado pela matéria. Compartilhei no meu FACE e passei para meus amigos de lá.

  35. Ótima matéria.
    São coisas que realmente chamam atenção.
    Sobre a sopa, tomei caldo verde no McDonald’s.
    No supermercado encontrei caixinha congelada de bacalhau a Brás e arroz de pato, semelhantes à lasanha que temos aqui. São verdadeiras delícias. Muito prático.
    A sensação de segurança é incrível. Parávamos o carro e colocávamos as moedas no parquímetro. Tenho a impressão que por aqui o parquímetro seria arrombado no primeiro dia.

    1. De fato Hercílio, tem uns congelados maravilhosos no supermercado. E eu costumo brincar que o McDonald’s daqui deve ser o mais “saudável” do mundo

  36. Nossa, chegou a bater uma “bad” de tantas saudades de Coimbra. Subir as monumentais pra chegar esbaforida na FLUC por estar atrasada, ou acordar de hora em hora, com o barulho do sino da Sé Velha e da Cabra…

  37. Eu amava o pingo doce, mas não abria mão de caminhar da praça da república até o Dolce Vita (falecido) pra comprar no jumbo. A marca branca do “polegar” é boa e eles vendem coxinha no balcão! 😀

    1. Acho que pq ela contou com várias pessoas para ajudá-la a reunir esses fatos mais interessantes, como ela disse no começo do post, acho bacana ela dar esse crédito. 🙂

  38. Olá. [Maldito cigarro] Todo estabelecimento que presta serviço de atendimento ao público tem Livro de Reclamação, seja hospital público, Repartição de Finanças, retaurante ou café/snack bar. Em hospitais ou repartições do Estado é proibido fumar. Há cafés/restaurantes que, na porta, está afixado o dístico de proibição de fumar. Cafés ou restaurantes há em que existe uma zona de fumadores. Nessa zona ‘deverá’ haver aparelhos de exaustão de ar. Se tal não acontecer, o Livro de Reclamações também servirá para reclamar do incómodo. È obrigatório o servente disponibilizar-lhe o livro. Para isso, V. terá que se identificar e, assim, a decisão da Entidade Reguladora lhe seja comunicada. Às vezes este acto provoca, digamos, algum atrito. Cmps.

  39. Adoreeeei esse post. Esse lance da sopa reparei mesmo quando viajei esse ano, todo lugar ofereciam sopa. Viamos gente comendo sopa inclusive no café da manhã. Sobre o interruptor do banheiro ser pra fora vi isso tbm na italia não entendo hsaushuahsu. E adorei o pingo doce comprei uns donuts marabilhosos!!!!!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.