fbpx
Tags:
Atlas: Bérgamo, Milão, Itália

O que fazer em Bérgamo, Itália: bate-volta de Milão

Muita gente se depara com Bérgamo ao buscar um voo low cost para Milão. Afinal, é nessa cidadezinha medieval que a Ryanair fez seu hub no norte da Itália. Bérgamo fica a apenas 50 minutos de distância de Milão e certamente merece uma visita além do saguão do aeroporto. A cidade cabe tanto num curto passeio de quem chega ou parte num voo de lá. Ou, melhor ainda – num bate-volta de um dia todo, a partir de Milão. Nesse post conto para vocês um pouco sobre a história de Bérgamo, o que fazer por lá, onde comer e onde ficar.

bérgamo itália fundos igrejas

Como ir de Bérgamo a Milão (e vice-versa)

O transporte entre Milão e Bérgamo pode ser feito de trem ou ônibus (além do carro alugado, óbvio). Para quem chega no aeroporto Orio al Serio, o ônibus ATB no.1 leva até o centro de Bérgamo, passando pela Cidade Alta e também pela estação de trem. De lá, você pode pegar um trem para Milão, que leva uns 50 minutos. Ou seja, é perfeitamente possível programar seu dia para ficar algumas horas conhecendo Bérgamo antes de seguir para Milão.

Leia também: 10 coisas imperdíveis para fazer em Milão

bérgamo itália ruaruas de bérgamo itália

Para quem quer ir diretamente, existem algumas empresas de ônibus, como a Terravision e a Orio Shuttle que fazem o trajeto direto do Aeroporto de Bérgamo e Milão. O traslado custa em torno de 5 euros.

O que fazer em Bérgamo: dicas de turismo

Bérgamo é dividida entre a Cidade Alta, com as características medievais conservadas, e a Cidade Baixa, onde fica o comércio e a vida na cidade. Essa divisão existe desde o século 16, quando a Città Alta foi toda murada e fortificada pela República de Veneza, que dominou a região de 1428 até 1797.

Os muros venezianos e as quatro impressionantes portas da cidade (S. Alessandro, S. Giacomo, Garibaldi e S. Agostino), que tornaram Bérgamo impenetrável, ainda estão lá até hoje. A ligação fácil entre as duas partes da cidade só passou a existir no final do século 19, por meio de dois funiculares.

bérgamo itália vista

Caminhar pelas ruelas da Cittá Alta já é um passeio e tanto. Era tudo tão bonitinho que me lembrou minha vontade de passar um tempo numa cidadezinha assim, estudando italiano. E também estava rolando um festival anual de jardinagem, o que garantiu um visual bem diferente para as praças medievais da cidade.

bérgamo itália biblioteca piazza vecchia

Por ali, procure a Piazza Vechia (ou Praça Velha), o centro da cidade, com uma mistura de arquitetura Renascentista, com a antiga prefeitura, feita em mármore e que hoje abriga a Biblioteca Municipal (foto acima). Mas o destaque mesmo são os medievais Palazzo della Ragione e a Campanone (de 1100 a.C). Na fachada das construções, um leão, símbolo do domínio de Veneza.

A praça era o centro do poder político da cidade até o século 19. A Campanone é uma torre de sinos que tem colunas do período romano. Os tais sinos tocam 100 vezes todas as noites, às 22h. Antigamente, serviam para marcar o fechamento dos portões da cidade fortificada. Hoje, são só uma lembrança muito barulhenta da tradição.

bérgamo itália piazza vecchiacolunas romanas bérgamo itália

Outra praça importante é a do Duomo. Como toda boa cidade italiana, Bérgamo tem a sua enorme cota de igrejas. Na praça do Duomo há três delas: a Basílica de Santa Maria Maggiore (1137 a.C), gigantesca, pertence aos moradores da cidade, tendo em vista que a construção partiu da própria população, durante o surto de peste negra.

bérgamo itália basilica maggiorebérgamo itália basilica maggiore

Parte da basílica, entretanto, foi destruída para a construção do Capela Colleoni (1475 a.C), um mausoléu dedicado a um dos homens mais poderosos da história de Bérgamo, Bartolomeo Colleoni, um mercenário nobre que ganhou muito poder durante as guerras entre Milão e Veneza e tinha certa mania de grandeza, tendo em vista que logo na entrada há referências a Júlio César e Trajano.

Uma história curiosa, que o guia contou, é que por muitos séculos acreditou-se que Colleoni não estivesse enterrado ali, já que ninguém conseguia achar os restos mortais do homem. Foi só em 1969 que o caixão dele foi encontrado, muito bem escondido no gesso da tumba.

bérgamo itália capela colleoni

bérgamo itália simbolo coleone

Dizem que passar a mão aí no símbolo da família Colleoni trás sorte

Claro, na praça do Duomo também fica a Catedral da cidade: o Duomo di Bergamo, outra igreja majestosa. E há ainda um Batistério, de 1340, para completar as construções históricas.

bérgamo itália duomo

Ainda na parte alta fica o Parque Rimembranze, onde está uma fortaleza chamada Rocca, que foi transformada em museu.

Uma dica interessante é procurar o bar/restaurante La Marianna. Esse lugar afirma ter inventado o sorvete de flocos. Ou melhor, o Gelato alla Stracciatella. A Wikipedia confirma o fato. E mesmo que não fosse, é um dos gelatos artesanais mais gostosos que já provei. Fica no Largo Colle Aperto, 4, perto da Porta S. Alessandro.

bérgamo itália gelato stracciatella

Na cidade baixa existem alguns museus e igrejas interessantes, como a Academia Carrara (que tem obras de Botticelli e Rafael) e a Galeria de Arte Moderna, além do Museu Donizetti, dedicado ao compositor de óperas.

Onde ficar em Bérgamo

Existem vários motivos para se hospedar em Bérgamo. O primeiro é se você se apaixonar completamente pela cidade e quiser mais tempo para explorar seu centro medieval e ainda os arredores, como as vinícolas da Lombardia. O segundo é caso seu voo saindo do Orio al Serio seja num daqueles horários ingratos na madrugada. Aí, vale a pena ficar em Bérgamo para facilitar o deslocamento, tendo em vista que os ônibus e transfer saindo de Milão não funcionam 24 horas.

Para quem está no primeiro time, em busca de turismo e charme, veja aqui uma lista com as melhores acomodações na Cittá Alta, já filtradas entre as com melhor custo/benefício.

Já para quem tem como objetivo a facilidade no deslocamento para o aeroporto, separei os hotéis em Bérgamo que oferecem transfer para o aeroporto.

A blogueira esteve na Lombardia a convite do projeto BlogVille Lombardy, que reúne blogueiros do mundo todo para comer, sentir e viver como um morador local na Itália.

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Um comentário sobre o texto “O que fazer em Bérgamo, Itália: bate-volta de Milão

  1. Amei as dicas, obrigada Luiza. Aproveitando a oportunidade, que tal visitar Malta? Pelas minhas pesquisas fica bem próximo da Itália, uma ilha. É que raramente encontro informações deste país. E como sigo este blog e vou fazer intercâmbio no país, nada melhor do que alguém que entende do assunto para dar dicas boas e atualizadas, claro.
    Abraço.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.