Como viajar pelo Brasil gastando pouco

O mundo é um caldeirão de discordâncias, mas há coisas que causam um inesperado consenso. A certeza que o Brasil é um país caro para o viajante é uma delas, mais unanimidade nacional que samba ou futebol (ainda mais em tempos de 7 x 1).

“É mais barato viajar pela Europa que pelo Brasil”, bradam uns. “Passagens para a Miami são mais baratas que para o nordeste”, garantem outros. “Queria ser rico e poder parar de viajar para Paris e finalmente conhecer a Amazônia”, completam os exagerados.

Nem o governo fica de fora da gritaria. “É caro fazer turismo no Brasil”, disse em 2013 o então ministro do turismo, Gastão Vieira. Flávio Dino, presidente da Embratur, completou: “Temos que levar em conta que o turismo doméstico está muito caro. Conforme o próprio IBGE já registrou, as passagens aéreas e as diárias de hotéis estão ficando cada vez mais caras”.

Eu, que bobo não sou e também tenho bolso, não vou discordar. Sim, viajar pelo Brasil poderia (e deveria) ser muito mais barato. Mas nos últimos meses acumulei experiência em viajar pelo nosso país gastando pouco. E, a melhor parte, você também pode fazer o mesmo.

Onde ficar em Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Planejamento: a palavra de ordem

Por mais que o custo do turismo precise cair no Brasil (e que o governo tenha um papel nisso aí), precisamos admitir uma coisa: nós, brasileiros, somos ótimos em planejar viagens para o exterior. O próprio 360 é prova disso. Diariamente recebemos comentários de pessoas que planejam viagens para agosto, setembro ou outubro. Do ano que vem! Gente que se preocupa com detalhes de viagens que serão realizadas daqui a 12 meses (ou mais).

Quando o assunto é conhecer outras terras, a maioria de nós já aprendeu que planejar com antecedência razoável significa economia. Passagens compradas antes são quase sempre mais baratas que as compradas na véspera da viagem, seja no Brasil, na Europa ou na Cochinchina.

Portanto, não adianta deixar janeiro chegar para dizer que as passagens para Fortaleza ou Salvador durante o carnaval estão mais caras que os tickets para a Espanha. Muita gente quer ir para o nordeste no carnaval. Fuja da lei de oferta e procura e garanta sua viagem antes. Isso vale tanto para passagens aéreas quanto para hotéis, como ficará claro nos itens a seguir.

Como achar passagens aéreas baratas no Brasil

Era uma noite qualquer de janeiro. Eu estava de bobeira na internet, procurando passagens para o mês de abril. Não importava o destino, eu só queria viajar naquele mês. E pagando pouco. Foi quando achei uma promoção de passagens nacionais. Tudo por até R$ 250, ida e volta e com taxas, partindo de Belo Horizonte. Repito: tudo. Eu poderia ter comprado passagens para 10 destinos diferentes, em qualquer parte do país, escolhendo as datas e garantindo uma viagem por mês até o fim do ano. Comprei para dois destinos: São Luís (voos diretos) e Maceió (voos com conexão em São Paulo).

Lençóis Maranhenses, Maranhão

Lençóis Maranhenses

Meses depois, outra promoção, dessa vez com milhas aéreas. O Smiles, programa de fidelidade da Gol, prometia passagens nacionais por 4 mil milhas o trecho. Assim que a promoção começou, entrei no site e passei a procurar as passagens que julguei que seriam mais complicadas de conseguir: para Manaus, Belém e Fernando de Noronha. Achei todas que eu quis. Acabei optando pelas duas últimas – estarei em Belém em agosto (paguei R$ 50 de taxas de embarque + 8 mil milhas) e em Fernando de Noronha em setembro (paguei R$ 41 de taxas de embarque + 8 mil milhas).

“Ahh, mas eu não tenho milhas para gastar”, alguém pode dizer. Eu também não tinha até outro dia, pelo menos não com empresas aéreas nacionais. Até dezembro do ano passado eu acumulava milhas só com empresas aéreas estrangeiras. Foi só no fim do ano que eu passei a levar os programas de milhagem nacionais a sério. Em seis meses, eu acumulei cerca de 20 mil milhas no Smiles, a maior parte com gastos do cartão de crédito, e garanti duas viagens. Duas passagens praticamente de graça.

Fernando de Noronha

Fernando de Noronha (Ricardo Polisel Alves CC BY 2.0)

Acho que nunca gastei mais de R$ 250, ida e volta e com taxas, para viajar pelo Brasil. Isso inclui também as viagens que fiz para Florianópolis, Porto Alegre e Foz do Iguaçu, entre outras. É lógico que os preços variam de acordo com o estado onde você mora, mas duas atitudes podem garantir passagens aéreas baratas.

1 – Fique de olho nas promoções.

As empresas aéreas fazem promoções em quase todo fim de semana. Saiba quando as promoções vão acontecer. Para isso, leia nosso texto com dicas de como conseguir achar passagens baratas na internet.

Utilizar metabuscadores, como o Kayak e a Expedia, é uma boa forma de pesquisar os preços em todas as empresas e agências de viagem e depois fazer a compra no site da empresa que oferecer a melhor oferta. Alguns deles permitem também que você crie alertas de preços, que avisam quando o valor da tarifa que te interessa caiu.

Além disso, as companhias aéreas têm newsletters. Sabe quando você pede para receber avisos de promoções por e-mail? Faça isso. Sim, sua caixa de entrada vai lotar de e-mails, mas no meio daquilo tudo pode aparecer alguma coisa interessante. O aviso sobre aquela promoção de milhas que me garantiu passagens para Fernando de Noronha por R$ 40 foi dado por e-mail, dias antes da promoção. Se você não quer assinar a newsletter de todas as empresas aéreas nacionais, pelo menos faça isso com a empresa que você mais costuma voar.

Maragogi, em Alagoas

Maragogi, Alagoas

E foco no planejamento. Quer viajar no feriado de 7 de setembro, uma segunda-feira? Ou no de 12 de outubro, outra segunda? Você precisa comprar suas passagens agora. Isso vale até para o Natal e para o Ano-Novo. Esta semana o Melhores Destinos falou sobre uma promoção de passagens nacionais com preços a partir de R$ 113, ida e volta, para as festas de fim de ano. Outras promoções ainda virão, mas é importante não deixar a compra para a última hora.

Por fim, saiba quando você gostaria de viajar, aonde você gostaria de ir e quem viajaria com você. Fica mais fácil comprar uma passagem promocional quando você já sabe o que quer. Afinal de contas, passagens promocionais acabam rápido. É uma questão de minutos.

2 – Faça parte de um programa de fidelidade

Escolha o programa de fidelidade da empresa aérea que você costuma voar mais. Depois de estudar as regras e verificar se compensa fazer parte, passe a dar preferência para aquela empresa. E, mais importante, acumule milhas com seu cartão de crédito.

Como as passagens promocionais não costumam dar milhas (ou dão poucas), a maior parte das milhas que você conseguirá juntar virão dos gastos no cartão. Você pode optar por pagar tudo no crédito – até aquele cafezinho – ou apenas as compras maiores. Em todo caso, a cada mês verá seu saldo de milhas crescer. E uma nova viagem surgir.

Por isso, pode compensar usar cartões que garantam mais milhas por dólar gasto, mesmo que a anuidade seja um pouco maior. Bons cartões também podem te garantir um seguro de viagem, embarque preferencial no avião e até acesso liberado às salas VIPs dos aeroportos (normalmente em voos internacionais).

No Brasil, os programas de milhagens são o Smiles, da Gol, o Multiplus, da TAM, o Tudo Azul, da Azul, e o Amigo, da Avianca. Clique nos nomes dos programas para saber as regras de cada um.

Como conseguir hospedagem barata no Brasil

A princípio vale a mesma regra das passagens aéreas: planeje-se. Se você pretende viajar em alta temporada, não deixe para reservar de última hora. Além disso, alguns serviços online de reservas de hotéis não cobram taxas e têm um enorme banco de opções, dos mais variados preços. É o caso do Booking, que é parceiro do 360meridianos.

Assim como as empresas aéreas fazem promoções, os hotéis e hostels também abaixam os preços. Basta saber como procurar. Nós já explicamos como você pode achar hotéis em promoção no Booking, por meio de um mecanismo chamado oferta esperta. Marque a caixinha mostrada na imagem abaixo e a página passará a exibir apenas resultados com desconto.

Booking.com Ofertas espertas

Veja também: Como achar e escolher hotéis pela internet

Mas a dica mais importante é outra: esteja aberto para diversas opções de hospedagem. A pessoa que está disposta a ficar num hostel, em Londres, pode ser a mesma que faz questão de ficar num resort all inclusive no nordeste. E depois reclama do preço.

Quando eu fiz meu primeiro mochilão pelo Brasil, há cinco anos, as opções de hospedagem econômicas eram bem mais raras e completamente fora da realidade. Cheguei a achar um albergue em Itacaré que cobrava mais por uma cama em dormitório do que qualquer pousadinha da cidade. Em Ouro Preto, também em 2010, havia apenas duas opções de hostels. Hoje são dezenas.

Se ficar em quarto coletivo não é para você, pesquise os preços de pousadas, apartamentos e casas. A Lu, por exemplo, conseguiu achar um apartamento pelo Airbnb em Pernambuco, em janeiro, pela metade do preço dos hotéis. Eu já me hospedei na casa das pessoas algumas vezes. Pode até não ter café da manhã, mas fica bem mais em conta. Inclusive, essa deve ser minha opção em Fernando de Noronha, onde as diárias de hotéis são caríssimas.

Por fim, não dispense modelos gratuitos de hospedagem como o CouchSurfing. Você não paga nada e ainda conhece pessoas interessantes.

Veja também: Como funciona o CouchSurfing

Controle outros gastos

Mês passado eu e a Naty estivemos em Ouro Preto. Comemos num restaurante sem balança (e com sobremesa incluída), Depois de muitas repetições, me surpreendi com o preço: R$ 12 por pessoa. É possível comer bem e barato em qualquer cidade, inclusive nas capitais. Basta procurar os restaurantes certos – e não estou falando de uma espelunca com padrão de higiene questionável. Com um pouco mais, cerca de R$ 20, você garante uma ótima refeição em praticamente qualquer lugar.

viajar pelo Brasil gastando pouco

Pôr do Sol em Ouro Preto, Minas Gerais, no mês passado

É claro que a alimentação em lugares turísticos – praias incluídas – fica mais cara. Nessas horas, não tenha medo de ser farofeiro. Milhares de parisienses levam lanchinhos (e até garrafas de vinho) para beber na beira do Sena. No Brasil ainda impera a ideia de que isso é, sei lá por qual motivo, brega. E assim julgamos quem leva um isopor com cervejas para Marataízes, mas os parisienses seguem com o piquenique numa boa. E economizando uma grana.

A mesma coisa vale para gastos com passeios. Nos Lençóis Maranhenses, nós abusamos deles, que custavam em média R$ 50 por pessoa e duravam cerca de cinco horas. Fizemos um passeio por dia, durante os quatro dias que ficamos lá. Quando o passeio parece ter um preço injusto – caso do trem que liga Ouro Preto e Mariana, em Minas Gerais – pense antes de fazê-lo. Porque, amigos viajantes, ninguém precisa fazer tudo. Deixar uma atração de lado pode não só ser econômico, mas também abrir espaço para uma coisa importante: tempo para relaxar durante a viagem. Pese bem as atrações, museus, igrejas, parques e programas antes de decidir quais você fará durante a viagem.

O valor final da viagem depende, claro, de você. Gastar muito não é um problema, desde que você sinta que o investimento é justo e vale a pena.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

48 comentários sobre o texto “Como viajar pelo Brasil gastando pouco

  1. Verdade! É isso aí, Rafael!

    Tô viciado em promoção agora! HAHAHAHA
    Só no primeiro semestre fui pra Fortaleza em Março, vou pro Rio de Janeiro em Maio e Gramado-Canela em Julho! FOra que fui pra Salvador no carnaval, com escala de 12h (opcional) em Brasília (que deu pra conhecer bastante coisa em 1 dia) (mas muito planejamento e pesquisa, rs)!
    Quase comprava pra Manaus, mas me contive pq só dava pra ser ainda no 1º semestre rs

  2. O meu grande problema é exatamente passagens. Moro no Interior de Goiás, e o aeroporto é minúsculo, e só tem voo da azul que sai daqui (super caro). Goiânia fica a mais de 200 km e Brasília, que tem melhores e mais baratas opções de voos fica a quase 500 km. Fica difícil viajar assim :'(

  3. Adorei as dicas, sou novata nesse ramo “viajar e curtir a vida” sempre adiei meus sohos por achar que sairia caro.
    Vou comecar a me arriscar

  4. Rafael, irei para Ouro Preto nos próximos meses. Gostaria de saber o nome desse restaurante que você mencionou no texto, e se há outras opções baratas de alimentação por lá. Sabe como é, né… o orçamento anda meio apertado… rsrs

  5. Rafael tem coachsurfing no Brasil? Pq só achei de outros países. Pode me indicar o site? Esse q está nas dicas só tem em inglês, não consegui traduzir. Obrigada pelas dicas, amo vcs três do 360

  6. Rafael, qual cartão de crédito você utiliza?
    Andei pesquisando e a grande maioria esmagadora de cartões cobra anuidade.
    Existe algum com custo benefício de anuidade acessível?
    Os que não cobram anuidade não são tão benéficos assim…

    1. Cara, eu uso um cartão do Banco do Brasil. Cobra anuidade sim, mas aquela básica, de cartão normal. E nem é um cartão que ajude a acumular muitas milhas. Quero trocar pro do Smiles. A anuidade é o dobro, mas é melhor pra acumular milhas.

      A Naty já tem e acha que vale a pena.

    1. A lógica é a mesma, Vilma. Fique de olho nas promoções de passagens, procure hospedagem barata, planeje-se antes. Não tem muito segredo não. 🙂

  7. Adorei as dicas!
    Ri quando você disse: “não tenha medo de ser farofeiro”!kkk
    Isso mesmo! Não devemos pensar no que os outros vão achar! Se isso for o melhor para nós, por que não?
    Abraço,

    1. Oi, Candida.

      Estava mesmo querendo te falar isso. 🙂 Chego dia 8 de agosto. Minha passagem de volta é para o dia 15. Estou pensando em ir por uns dias para Marajó também. Aceito suas sugestões.

  8. Olá Rafael!!!

    Como sempre, post certeiro!!! Basta procurar. Acabei de comprar passagens para Brasília por R$ 88,00 o trecho desde Porto Alegre.
    Mês passado, garanti passagens para Bariloche, com ” pit stop” na ida e na volta em Buenos Aires por 30mil milhas total.
    E quando fui para Norinha, paguei a bagatela de R$700 ida e volta com txs desde Floripa. Quer dizer, basta tempo e paciência.
    Sempre me perguntam: Como você consegue encontrar as passagens para onde quer viajar? E a resposta é sempre a mesma: Eu não escolho o destino, ele me escolhe. Tenho vários lugares que quero conhecer, e quando surge aquela promo, é para lá que eu vou!!!

    Ps: Quando vcs vem a Floripa???

    Abraço.

    1. Exato, Claudia! Eu sonho em conhecer um monte de lugares, mas me guio pelas promoções. Uma hora chega a vez de um destino. 🙂

      Estive em Floripa em 2013. Está na hora de voltar, mas o mundo é tão grande, tão cheio de opções, que fica complicado dizer. haha

      Abraço.

  9. Falou tudo! Comprei passagem de SP para Manaus por R$ 60, Belém por R$ 62, BH R$ 46, Salvador R$ 50 em feriado prolongado… Basta procurar e comprar rápido! Aí VC viaja todo mês e as pessoas acham que VC é rico hahaha

  10. Rafael, você é maravilhoso!! E suas postagens no facebook sobre promoções de passagem aéreas são mais maravilhosas ainda. To sempre de olho. Beijao

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.