Como conseguir uma bolsa de estudos no exterior

Este é um guia completo para quem busca conseguir uma bolsa de estudos no exterior. Existem vários programas nacionais e internacionais que oferecem bolsas de graduação, mestrado e doutorado para brasileiros. O processo pode até ser complicado, mas não é impossível. A parte chata é a burocracia, as exigências e os calendários. Mas felizmente a internet facilita muito o processo.

Nós falamos muito aqui no blog sobre como uma vivência internacional pode enriquecer seu currículo, melhorar suas experiências profissionais e mudar a sua vida. Estudar no exterior pode ser uma chance de conseguir isso – e de quebra garantir um diploma em alguma das melhores instituições do mundo.

Leia também:
Preparativos para intercâmbio: dicas essenciais para quem está de partida
Passagens aéreas com desconto para estudantes
Seguro saúde internacional com desconto para intercambistas e estudantes
Apartamentos e quartos com desconto para estudantes brasileiros na Europa

estudar em portugal dicas bolsas de estudo

Estudantes comemorando a formatura na Universidade de Coimbra, Portugal

Quando pedir a bolsa de estudos?

Muitos dos programas de bolsas de estudos exigem que você primeiro seja admitido numa faculdade estrangeira, para só depois pedir a bolsa. Ou seja, para solicitar uma bolsa da Capes no Brasil ou da FCT em Portugal, primeiro você precisa ter sido aprovado num programa de mestrado / doutorado.

Outros programas têm processo seletivo conjunto: você já faz o pedido da vaga no curso e da bolsa ao mesmo tempo. Isso acontece em programas de bolsa de graduação dos Estados Unidos ou nos Mestrados do Erasmus Mundos, na Europa.

Independente de quando pedir, lembre-se que é preciso planejar sua inscrição com muita antecedência. Os processos podem levar meses. Por exemplo, quem quer começar a estudar em setembro do calendário internacional precisa se preparar a partir de outubro do ano anterior. A única exceção é Portugal, cujo calendário de candidatura é aberto em abril.

Como encontrar uma bolsa de estudos no exterior?

Abaixo, listei os links mais interessantes para você pesquisar sobre bolsas de estudos no exterior oferecidas para brasileiros. Minha sugestão é que você salve os que te interessarem nos seus favoritos e se inscreva nas newsletters, para não perder nenhuma informação.

Além disso, as universidades costumam ter parcerias próprias com fundações públicas e privadas. Então não deixe de ficar atento aos comunicados do departamento de relações exteriores da sua universidade de preferência.

Instituições Brasileiras

Instituições Estrangeiras

No site do Ministério das Relações Exteriores estão listados diversos programas de bolsas oferecidos por governos e embaixadas estrangeiras no mundo inteiro. 

  • Erasmus Mundus (Consórcio de universidades europeias com bolsas de mestrado para estudantes internacionais)
  • OAS (Organização que oferece bolsas em todo continente americano)
  • Fundação Beca (Fundação espanhola que oferece bolsas em diversos países do mundo)
  • Programa Santander Universidades (Oferece bolsas de graduação nacionais e internacionais)
  • FCT (Bolsas de doutorado / investigação em Portugal)
  • Instituto Camões (Bolsas de graduação e mestrado em Portugal)
  • Chevening (Bolsas de mestrado no Reino Unido)
  • British Council (Bolsas de cursos técnicos, graduação e pós-graduação no Reino Unido)
  • Comissão Fulbright (Bolsas de cursos técnicos, graduação, pós-graduação e pesquisa nos Estados Unidos)
  • Orange Tulip (Bolsas de graduação e pós-graduação na Holanda)
  • Fundação Carolina (Bolsas de doutorado e pós-doc na Espanha)
  • DAAD (Bolsas de graduação e pós-graduação na Alemanha)
  • Campus France (Divulga bolsas de graduação e pós-graduação na França)

estudar no exterior bolsas de estudo

5 dicas práticas: como se candidatar para uma bolsa de estudos numa universidade estrangeira

1. Fluência em inglês ou outro idioma

Com exceção de Portugal, a maioria dos programas de bolsa de estudos exige um nível avançado de inglês ou da língua local, como espanhol ou francês. Para comprovar sua fluência é necessário fazer um teste como o IELTS ou TOELF. Confira na página das exigências da bolsa ou da universidade para saber qual certificado eles aceitam.

O exame é caro. E você tem que marcar com pelo menos dois meses de antecedência da data limite de inscrição: além do número de vagas para esses exames serem limitadas, também é necessário contar o tempo que leva para o certificado ficar pronto e chegar na sua casa. Ou seja, se você pretende ir ano que vem, vale a pena marcar seu exame de proficiência agora.

2. Documentos oficiais legalizados

Todos os seus documentos (diploma, histórico escolar, etc) precisam ser validados e apostilados em cartório. Esse processo burocrático envolve reconhecer todas as assinaturas desses documentos e torná-los válidos internacionalmente.

Além disso, com exceção de Portugal, será exigido que você envie também uma tradução juramentada, ou seja, feita por um tradutor público, matriculado na junta comercial do seu estado. Não adianta você ou um amigo traduzirem. Essa tradução é bastante cara e os preços são mais ou menos tabelados.

Dicas sobre a tradução: se você enviar os documentos escaneados, lembre-se de conferir se mandou frente e verso, afinal, todos os carimbos e assinaturas também precisam ser traduzidos. Lembre-se também de pedir para que o tradutor tenha a assinatura registrada em cartório.

 3. Cartas de recomendação e de motivação

Praticamente todos os processos de admissão solicitam no mínimo duas cartas de recomendação, em geral de professores – alguns aceitam também cartas de chefes. Essas cartas devem mostrar que o professor ou profissional te conhece bem e te indica para aquela vaga. Evite copiar modelos da internet: quanto mais pessoal o tom, melhor. Em alguns casos, esse professor pede que você mesmo escreva a carta para que ele assine – pense com muito cuidado quais são seus pontos fortes e como é a sua relação com essa pessoa e tente expressar isso no documento.

Já a carta de motivação é o momento para você se apresentar para o coordenador do curso que deseja fazer ou para os recrutadores da bolsa de estudos. Essas cartas costumam ter o limite de 500 palavras (mais ou menos duas páginas). Escreva sobre quem é você, quais são suas experiências na área, como você pode acrescentar para aquela universidade e por que deveria ser escolhido, além de quais são suas perspectivas profissionais ou acadêmicas no futuro. Capriche muito, que essa é sua maior chance de vender seu peixe.

4. Currículo e demais exigências

Em geral, os programas de pós-graduação também pedem seu currículo, na maioria das vezes num formato específico e indicado pela universidade. Ao fazer o currículo em outro idioma, tome cuidado extra para não passar nenhum erro e mantenha tudo no mesmo tempo verbal. Também é necessário preencher formulários específicos de cada instituição.

Cursos de mestrado ou pós-graduação podem exigir exames como GMAT ou o GRE, que testam as habilidades verbais, lógicas e analíticas dos candidatos, em especial nas universidades norte-americanas e europeias. Já quem tenta graduação fora do brasil pode ter o exame nacional do país, tal como brasileiros fazem o ENEM.

5. Cuidado com os prazos e detalhes

Em geral, todos esses processos são online. Por isso, você não precisa mais gastar litros de dinheiro com postagem internacional. Antes de enviar sua candidatura, confira tudo com muito cuidado, veja direitinho como a instituição recomenda que os arquivos estejam nomeados e em qual formato devem estar. Siga à risca todas as recomendações da universidade. Faça um checklist com o que precisa ser feito. Um simples errinho ou descuido que deixar a sua application fora do padrão fará com que ela seja desconsiderada pelos recrutadores.

Também fique atento às datas limites para enviar os documentos. Lembre-se que além da data também tem a questão do fuso horário, ou seja, se você deixar tudo para última hora e atrasar cinco minutos, pode perder todo o trabalho (e só vai poder se inscrever de novo no ano seguinte). Por isso, não deixe para a última hora.

Estudar no Exterior: 8 experiências de intercâmbio

Você tem alguma dúvida ou dica extra? Sabe de algum programa de bolsas que eu deixei de fora da lista? Por favor, indique nos comentários!


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

129 comentários sobre o texto “Como conseguir uma bolsa de estudos no exterior

  1. Adorei o post, Luiza! Super informativo. Eu não conhecia metade dos programas e instituições! Vou recomendar alguns que não estão na lista: Eiffel Excellence Scholarship Program (França), Clarendon Oxford e Gates Cambridge (UK) e Maastricht University Holland-High Potential Scholarship Programme (Holanda).

  2. boa tarde, minha filha colocou na cabeça em fazer sua graduação em portugual, mas nao sei se existe alguma universidade lá que ofereçam bolsa pra graduandos…. as que vi aceitam nota do Enem mas o custo fica acima do que posso arcar!

    1. Oi Alexsandra,

      A graduação em portugal não costuma ter opções de bolsas não. Mas não custa verificar em alguns desses sites indicados no post.

  3. Ei Luíza, tudo bem?
    Bom, eu faço Psicologia e tenho interesse em fazer o meu mestrado através de bolsas de estudos na França. Pelo o que li é bem burocrático a questão da documentação e principalmente dos testes da língua.
    Mas a minha dúvida master é em questão a bolsas e mestrado e que não consegui achar em nenhum lugar e que talvez vc possa me ajudar é pra saber qual o perfil ideal pra alguém conseguir uma bolsa de mestrado, digo quais são as notas que são olhadas como “excelência” para as universidades, pq aqui no Brasil é de 0 a 100 um semestre. Existe algum diferencial no dossiê que chama mais atenção de um aluno do que o outro?

    Obrigada.

    1. Oi Aline,

      Sua pergunta é bem complicada porque cada programa de bolsa procura características diferentes em cada aluno. O que eu recomendo? Leia o edital e o site pro programa de bolsas com toda atenção. Ali você encontrará exatamente o que eles buscam no aluno e poderá direcionar a sua documentação nesse sentido.

  4. Olá, Luiza!
    Estou me inscrevendo para uma bolsa de graduação em Portugal, e tenho a opção de escolher entre a Universidade do Porto e de Coimbra, sou estudante de Jornalismo.
    Queria saber qual das duas é mais conceituada nessa área e qual você indicaria.
    Obrigada!

  5. Olá luiza, gostaria de saber os valores exatos dos mestrados na UC, onde posso encontrá-los? Você pode me passar um link se possível?
    Outra dúvida, para ser aprovado na UC existe alguma fase de prova? (Como se fosse um vestibular), inglês fluente é exigido? Muito obrigada aguardo minha resposta.

    1. Oi Stefany,

      Há valores diferentes para diferentes cursos, você precisa entrar na página do curso que quer para ver o valor da propina.

      Não há nenhuma prova.

      O inglês fluente não é exigido, porém, convém ter algum conhecimento da língua por conta das leituras e possibilidade de aulas ou palestras em inglês.

  6. Oi Luiza, tudo bem?

    Muito bom os seus posts, estão me ajudando bastante a tirar dúvidas.

    Queria uma opinião tua, quero fazer um curso de pós graduação em Portugal, e quero tentar o financiamento. Tenho cidadania italiana, e entao estou na dúvida se faço o processo para conseguir o financiamento como estudante brasileira ou como estudante italiana? Visto que tenho pretensão de tentar um trabalho lá e ficar.
    Acha que posso entrar em contato direto com as universidades que me interessei e explicar a situação?

    Muito obrigada!!!

    1. Oi Luiza,

      Só conheço o processo como brasileira, que são as informações e links desse post.
      Porém, como italiana você paga uma mensalidade bem mais baixa em Portugal, além de não ter os custos com o visto e a renovação.

      Logo, se o seu plano é ficar por aqui, o melhor é tentar como italiana. Mas aí para tentar uma bolsa precisa buscar na internet oportunidades de bolsas para Europeus.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.