Tags:
Atlas: Lima, Peru

Huaca Huallamarca, sítio arqueológico em Lima

No coração do bairro mais endinheirado de Lima adormecem as ruínas de um templo mais antigo que Cristo. É a Huaca Huallamarca, uma pirâmide pré-colombiana, pré-inca e pré-lima, para citar três das civilizações que já dominaram essa região do Peru.

Uma das principais comunidades dos Pinazo, povo que habitou essa parte da América do Sul a partir do século 1 a.C, hoje a Huaca Huallamarca é vizinha de gente importante. Pedro Pablo Kuscynscki, o PPK, presidente do país, tem uma casa na calle Choquehuanca, rua que fica atrás das ruínas. Avaliada em 1,3 milhão de dólares, a casa do PPK é apenas uma das residências de políticos que ficam no San Isidro, bairro onde está a Huaca Huallamarca.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável em qualquer viagem. Não fique desprotegido no Peru Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício com nosso código de desconto.

O que fazer em Lima, no Peru

Basta pagar os cinco soles cobrados na entrada e encarar a rampa que permite subir pela pirâmide de barro. Cinco minutos depois, do ponto mais alto de um lugar que já era considerado sagrado há dois milênios, surge uma cidade com 8 milhões de habitantes.

Por mais que as ruínas sejam imponentes, o que impressiona é tentar entender como que um lugar tão antigo acabou cercado por uma das maiores metrópoles do planeta. Se a Itália tem Roma, o Peru tem Lima. E, vou te dizer, a capital peruana tem tanta história para contar quanto a antiga sede dos romanos.

Veja também: 6 roteiros de viagem pelo Peru 

O que fazer em Lima

Onde ficar em Lima: dicas de hotéis e bairros

O que fazer em Lima, no Peru

Huaca Huallamarca: um pouco de história

Na cultura andina, Huaca é o lugar onde divindades são adoradas. Já Huallamarca é um nome moderno, escolhido pelo antropólogo Julio César Tello Rojas, que estudou as ruínas durante a década de 1930. Foi um pouco antes desse período que elas foram redescobertas, atraindo viajantes e pesquisadores a partir do fim do século 19.

E por pouco a Huaca Huallamarca não sumiu do mapa para sempre: houve até projetos de demolição, para que a metrópole engolisse o passado de vez. Em 1950 foi feito um projeto para transformar toda a área num parque público, tentativa que também foi abortada. Ainda bem. A restauração começou nos anos seguintes e foi comandada por um médico que curtia muito arqueologia chamado Arturo Jiménez Borja.

huaca Huallamarca, lima, no peru

A falta de experiência dele teve consequências e a restauração acabou não preservando as características originais da pirâmide, que ficou muito parecida com construções mexicanas. Tudo bem, Arturo, a gente te perdoa por isso. Pelo menos você ajudou a garantir que essas ruínas não fossem soterradas pela especulação imobiliária.

Originalmente a Huaca Huallamarca era um centro cerimonial com 20 metros de altura e com uma base de 85 metros. A rampa que hoje leva ao topo da construção é uma das mudanças modernas patrocinadas pela imaginação do Arturo, assim como a estrutura em três plataformas. Em formato de pirâmide truncada, a construção original tinha um apelido carinhoso, por conta de seu formato: Pan de Azúcar.

huaca Huallamarca, lima, peru

Depois que deixou de ser um centro religioso e moradia, a Huaca Huallamarca foi transformada em cemitério. É possível ver ali como eram enterrados os corpos, assim como algumas múmias que foram encontradas em escavações. Os povos que viveram nessa região depois dos Pinazo também enterraram seus mortos ali.

Além de subir a rampa (e esquecer que ela existe logo depois, tentando imaginar a construção original), vá ao pequeno museu que fica no pé da Huaca, onde são guardados objetos encontrados nas escavações.

A  Huaca Huallamarca fica nas esquinas das avenidas El Rosario e Nicolas de Rivera, no bairro de San Isidro. A entrada custa cinco soles e o horário de funcionamento é 9h às 17h, de terça a domingo.

huaca Huallamarca, lima, peru

Huaca Pucllana e Pachacámac

A  Huaca Huallamarca é a menos conhecida das ruínas pré-incas de Lima. A mais famosa é a Huaca Pucllana, que fica em Miraflores, outro bairro muito tradicional. Segundo alguns pesquisadores, esse templo viu de tudo. Até sacrifícios humanos.

Já o outro sítio arqueológico fica na região metropolitana da capital. É o Santuário de Pachacamac, que ocupa uma área enorme e teve um papel importante na história da conquista dos incas pelos espanhóis. Saiba como é essa visita aqui.

*O 360meridianos viajou ao Peru a convite do Submarino Viagens e da PromPerú.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.