Machu Picchu: nossas dicas e relato de viagem

Chegamos em Águas Calientes, cidade que dá suporte a quem vai visitar Machu Picchu, muito tarde, tipo depois de meia noite. Mas a promessa do nosso hotel de que alguém iria nos buscar foi cumprida. Logo na descida do trem (exclusivo para turistas), havia vários membros de staff de hotéis com plaquinhas esperando seus hospedes – isso é bem comum.

Durante a subida até o hotel, em plena madrugada, já deu para dar uma olhadinha na cidade. Não vimos casas de moradores, somente uma sequência de restaurantes, hotéis e lojinhas. O local é parada praticamente obrigatória para quem quer conhecer Machu Picchu: está a cerca de 6 km das ruínas e é dali que partem os ônibus diariamente, a partir de 5h30 da manhã. Também dá para ir a pé, subindo a montanha. Mas não conte comigo para te contar como é essa experiência.

Enfim, chegamos de madrugada e acordamos cedo, por volta de 5h. O pessoal em geral acorda mais cedo ainda, para pegar o primeiro ônibus. Chegamos em Machu Picchu por volta de 7h da manhã. Infelizmente, tinha neblina para todo lado e a visibilidade só melhorou lá por volta de 9h. Então de nada adiantou acordamos cedo, porque não deu para ver muita coisa antes.

Vai a Machu Picchu e não sabe onde ficar? Veja nossa seleção de hotéis e albergues aqui

Dicas de viagem em Machu Picchu

Machu Picchu

Sei lá vocês, mas conhecer Machu Picchu (ou Velha Montanha) era um sonho para todos nós deste blog. São as ruínas mais famosas da América Latina, localizadas na Cordilheira dos Andes, a 2500 metros de altura. O sítio foi descoberto em 1911, tem 30% de construções originais e o resto são restaurações (perfeitas). Tudo foi construído por volta de 1450 e abandonado cerca de 100 anos mais tarde, devido à conquista espanhola. Os espanhóis nunca fizeram nenhum registro sobre essas ruínas, o que leva a crer que eles não sabiam que elas estavam ali. Quanto ao porquê da existência, prefiro deixar para os historiadores e cientistas, que não têm uma conclusão sobre a história local.

A montanha Machu Picchu, Peru

O que se sabe é que Machu Picchu era um povoado, com direito a zona agrícola, templos para o Sol e outros elementos, casas, ruas, praças, etc. Ali é possível perceber todo o avanço dos Incas em relação à Arquitetura, agricultura, e astronomia, entre outros.

Viagem em Machu Picchu

O passeio por Machu Picchu

Andar pelas ruínas requer certo preparo físico, afinal são muitas subidas e o ar é rarefeito. Mas se eu consegui, acho que boa parte da população de 10 a 60 anos, sem perna quebrada, conseguiria numa boa. Contratamos um guia logo na entrada para nos acompanhar por algumas horas, nos mostrar os pontos mais importantes e contar as histórias do local. Infelizmente, o guia que contratamos foi picareta e passou as informações correndo, além de não ter nos mostrado todos os lugares. Fail.

Machu Picchu tem a zona agrícola e a zona urbana. Na primeira, terraços nivelados tomam conta do espaço, alguns circulares e outros retos.

Fotos de Machu Picchu

Já a zona urbana é dividida entre os setor alto (hanan) e o setor baixo (hurin). Entre esses setores se encontra uma praça comprida. A zona sagrada, com o Templo do Sol e as residências reais, fica na parte alta. Já a rocha sagrada e o grupo de três portas ficam na parte baixa.

Machu Picchu, Peru

Machu Picchu, dicas de viagem

Wayna Picchu

Depois de visitar boa parte do Machu Picchu tínhamos um horário marcado às 10h. Era a subida da montanha Wayna Picchu ou Huayna Picchu (“Nova Montanha”), que compramos junto do ingresso. Você pode optar por subir essa montanha quando compra o ingresso, somente 400 pessoas podem fazer esse passeio por dia, em dois turnos, o das 7h e o das 10h.

Quando eu olhei Wayna Picchu de baixo, eu entrei em desespero, porque eu tive certeza que não ia conseguir. Mas ainda bem que continuei na fila e fui. A subida é de fato íngreme, mas com a ajuda de degraus e cabos de aço, não é impossível. A média de tempo para a subida é uma hora. Eu consegui fazer em uns 50 minutos – o que é a prova cabal que não é tão difícil assim, viu? Você precisa de mais incentivo? Bem, é verdade que um adorável casal de ingleses, ambos com cerca de 70 anos, subiu junto comigo. E era a quarta vez que eles faziam a visita.

Foto de Machu Picchu

Do alto de Wayna Picchu, na rota mais simples, dá para ter uma vista ótima de Machu Picchu. Quem for mais aventureiro pode dar uma volta completa na montanha e ver o Templo da Lua. Era demais para mim.

Machu Picchu, turismo no Peru

O retorno

Depois de descer, ainda passeamos um pouco mais pelas ruínas. Saímos de lá por volta das 15h (fecha às 17h). Se você está se perguntando como fizemos com a alimentação, saiba que não é fácil. Não é permitido entrar na área das ruínas com comida – somente água. Então, você pode deixar um lanchinho na entrada, num guarda-volumes. Ou comer na lanchonete que fica lá.

Machu Picchu, Peru

Uma última dica antes de deixar o Machu Picchu: logo na entrada, num cantinho, fica um carimbo com o qual você pode carimbar seu passaporte comprovando que você esteve nas ruínas Incas. É de graça, e é claro que eu garanti o meu!

Novamente em Águas Calientes, tomamos banho no hotel e ficamos enrolando lá (apesar de já termos feito check out cedo) antes de pegar o trem de volta para Cuzco, às 21h. A maioria das pessoas, entretanto, vai direto para as tais águas calientes que dão nome à cidade: piscinas relaxantes numa estância termal. Nós fomos muito lerdos e esquecemos de levar roupa de banho, porque deixamos as malas grandes em Cuzco. Enfim, espero que você seja mais esperto do que a gente. Além disso, quem tiver um pouco mais de tempo e disposição em Aguas Calientes pode passear na feira de artesanatos da cidade ou curtir um dos muitos restaurantes ou bares.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável em qualquer viagem. Não fique desprotegido no Peru. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício com nosso código de desconto.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

29 comentários sobre o texto “Machu Picchu: nossas dicas e relato de viagem

  1. Olá Luiza fiquei fascinado com a foto da subida a Huayna Picchu. Sem dúvida é um desafio. Muitos turistas têm vertigem ao subir esta montanha, porém a vista dali não tem comparação. Com certeza recomendo a agência de viagens onde trabalho. Parabéns pelo post. É uma excelente guia para levar aquelas pessoas ansiosas em conhecer Machu Picchu, abraços.

  2. Oi Luiza, tudo bem?
    parabenizo pelo blog,somente gostaria de acrescentar um dica.

    Como chegar? e quais são as companhias aéreas que prestam serviço ao Peru?

    As companhias aéreas que prestam voos regulares partindo do Brasil para o Peru são: TAM, LAN, AVIANCA. As companhias mencionadas acima oferecem voos regulares com alguns diferencias aconselhamos consultar a companhia escolhida.
    Os aeroportos e companhias aéreas do Brasil que brindam voos diretos ao Peru (Aeroporto Internacional de Lima) são as seguintes:

  3. Olá, para quem tem um pouco de medo de altura, é tranquilo ir apenas a Machu Picchu, ou seja, sem ter que ir a montanha Wayna Picchu?

  4. Olá, estamos indo para o Peru na primeira semana de agosto/2016 (7 dias). Vamos conhecer Lima e pensamos como aproveitar o tempo. Macchu Pichu é muito complicado para quem tem 72 anos (meu mariso) e problema com altitude? Há alguma forma de “driblar” o problema? onde mais poderiamos conhecer se não for lá? Obrigada,

  5. Olá! É muito fantástico viajar em Machu Picchu, você poderá olhar paisagens diferentes, o mais emocionante de visitar Macchu Picchu é fazendo a trilha inca que o levará através de caminhos muito incríveis, a trilha inca é uma caminhada que vai fazer você ter boas experiências.
    Abraços.

  6. Os comentários do site 360 Meridianos, são sempre muito úteis em minhas viagens. Comprei as passagens aéreas para Machu Picchu, para mim e para minha esposa, e precisava fazer um roteiro otimizado. Ao ler os comentários no site Melhores Destinos, via as dicas sobre a empresa viagensmachupicchu. Ao entrar em contato com a empresa Viagens Machu Picchu, conversei com o Juvenal que se prontificou a criar um roteiro que atendesse as minhas expectativas e montou um roteiro de acordo a minha solicitação. Recomendo a Viagens Machu Picchu, pois atendeu as minhas expectativas cumprindo o que foi acordado em termos de passeios, traslados e pontualidade. Recomendo, também, o agente de viagens Juvenal e sua equipe pela presteza e atenção.
    Conhecer Machu Picchu foi um sonho realizado, uma vista inacreditável e uma aula de história ao vivo, que todos deveriam desfrutar.

  7. Olá, Luíza…

    Li com atenção o seu diário de viagem e achei ótimo, ele traz muito valor para as pessoas que querem viajar. Pessoalmente recomendo chegar para Machu Picchu através da trilha inca, eu tenho certeza que adorarão.

    Parabéns pelo blog, convido todos pra visitar Peru….Abraços.

  8. Como fizeram com a bagagem para machu Picchu? O que recomenda fazer? É tranquilo levar toda a bagagem para aguas calientes, vindo direto do passeio do vale sagrado? E quanto a vestimenta para machu picchu, o que aconselha?

  9. Oi, gente. Sei q o.post é antigo, mas acho q vale a pergunta. Como vcs saíram às 15h de Machu Picchu e voltaram pro hotel em Águas Calientes e ainda tomaram banho, fiquei me perguntando quantas diárias pagaram já q chegaram na noite anterior. Poderiam esclarecer? Obrigada.

    1. Oi Ana Cláudia,

      Nós só pagamos uma diária. Mas como era hostel, com banheiro coletivo, eles deixaram a gente esperar nosso horário de ir embora lá e tomar banho. Em geral o pessoal toma banho nas tais aguas calientes, mas a gente foi burra e esqueceu os biquinis. abraço

  10. Olá gente!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para mostrar a todos os brasileiros que desejem conhecer a terra dos incas.
    Se alguém deseja algumas dicas e recomendações pra a sua viagem, sera tudo um prazer ajuda-los em realizar o sonho de conhecer Machu Picchu Cusco, Lima, Lago titicaca, Arequipa, Nazca, Paracas, Puno, Trujillo e outros destinos que ainda não foram explorados pelo brasileiros.

  11. Muito legal o relato. Eu fui para MP em 2009, e fiz o trajeto Aguas Calientes – MP a pé. É um tanto puxado, mas nada impossível. Leva mais ou menos 1 hora. Vale a pena para quem quiser chegar à cidade antes de todo mundo (que sobe com os microonibus) e quiser depois falar “eu cheguei andando à Machu Picchu”. rsrs.

    Minha grande dica aqui é: não fazer o percurso Cusco – Aguas Calientes de van! Prefira sempre o trem. A van passa por estradas (muito) perigosas e demora muito mais.

  12. Oi, Luíza! Uma pergunta: vocês pegaram o trem das 21h para Ollantaytambo, correto? Pois vi que não há muitas opções de horários direto para Cusco.
    De Ollantaytambo vocês seguiram na mesma noite para Cusco?
    Eu vou pegar este mesmo trem e minha grande dúvida é se é tranquilo e seguro pegar táxi ou ônibus para Cusco depois das 22h, pois não queria dormir em Ollanta.

    Abraço!

    1. Oi Vivian,

      Isso, pegamos o trem que chegava em Ollanta e de lá pegamos um taxi para Cusco.
      Quando você desembarca tem uma quantidade enorme de vans e taxis que fazem esse trajeto lá esperando os passageiros do trem.

      bjs

  13. Oi Luiza, lindas as fotos!!
    Vou em junho, em uma viagem de irmãos! hehehe
    Eu escolhi o destino e fico com medo dele achar que levei ele “pra ver um monte de pedras” Eu pesquisei muito e estou muito ansiosa pra conhecer a velha montanha, espero que ele goste tb. Ficarei 3 dias em Lima e 4 em Cusco…

    Beijo!

  14. Oi Luíza,

    Suas dicas estão sendo de grande valor, estarei indo para Machu Picchu agora no dia 30/40. Algumas dúvidas que eu estava, agora já não temos mais! Rss…
    De qualquer for obrigado pelas dicas!

    Bjão

      1. Oi, Luiza

        Vi algumas fotos e fiquei receiosa. Eu e meu marido temos medo de altura, além de não termos muito condicionamento físico e já temos 47 anos. Ficar / passar por um caminho estreito e a beira de precipício poderá nos travar, por medo e não conseguir sair do lugar. Também vi umas escadas bem íngremes… E são coladas a ao precipício???
        Vi que vc comentou que nem é tanto, mas poderia comentar mais sobre isto? No meu caso, mais até que o medo de altura é a sensação de insegurança de estar alí, se eu achar que posso cair, eu travo.
        Li que existem uma cavernas, que seriam ainda fora da parte paga neste ingresso especial, sabe dizer se é verdade e se chegar lá é mais tranquilo? O caminho, se vai por um e retorna por outro, dando a volta na montanha??

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.