Tags:
Atlas: Barcelona, Espanha

Museu Picasso de Barcelona: como é a exposição e a visita gratuita

Pablo Picasso é um dos artistas com nome mais reconhecido no mundo e certamente tem quadros que são lembrados mesmo por quem tem pouco conhecimento sobre arte. O artista espanhol passou boa parte da vida e da carreira em Paris, onde ficou famoso, mas também viveu em Barcelona durante seus anos de formação como pintor e é sobre essa fase de suas obras que trata o Museu Picasso de Barcelona.

O Museu Picasso, assim como outros diversos museus em Barcelona, tem entrada gratuita em algumas datas e horários selecionados. Foi num desses horários que visitei o espaço. Nesse post conto para vocês um pouco sobre a história do museu e sua relação com Pablo Picasso, as obras expostas, informações práticas sobre a visita e como também conhecer a atração de forma gratuita.

Vai para Barcelona? Leia também: 
O que fazer em Barcelona: 10 lugares imperdíveis (e várias outras ideias)
Onde ficar em Barcelona: os melhores bairros
13 coisas grátis para fazer em Barcelona
E todas as dicas sobre a cidade no nosso Atlas

museu_picasso_barcelona_palacio_janela

O Museu Picasso de Barcelona: a formação de um jovem artista e sua relação com a cidade

Picasso nasceu em Málaga em 1881 e iniciou seus estudos artísticos quando tinha 11 anos. Em 1896, sua família se mudou para Barcelona e Pablo entrou na escola de Bellas Artes por dois anos.

Nos anos seguintes, ficou entre Barcelona e Madri. Foi em Barcelona, frequentando a cervecería Els Quatre Gats, que era um lugar de reunião entre artistas de vanguarda, que fez sua primeira exposição. Apesar de ter se mudado definitivamente para Paris em 1904, o artista seguiu retornando para Barcelona ao longo de sua vida.

museu_picasso_barcelona_rascunho1 museu_picasso_barcelona_rascunho1

O trabalho de Picasso é dividido em algumas fases: período azul (1901-1904), o período rosa (1904-1906), o período africano (1907-1909), o cubismo analítico (1909-1912) e o cubismo sintético (1912-1919). A partir da década de 1920, após a Primeira Guerra Mundial, passou a adotar o surrealismo. Ele não só pintava quadros, mas também fazia esculturas, poesia e litografia.

Sua relação com Barcelona em seus anos formativos fez com que, no início dos anos 1960, decidisse ter um museu ali. O próprio Picasso e seu secretário pessoal, Jaume Sabartés, propuseram a prefeitura de Barcelona a criação de um museu dedicado a obra. O espaço foi inaugurado em 1963, na calle de Montcada, onde ainda está hoje.

museu_picasso_barcelona_quadro4

Retrato de Jaume Sabartés con gorguera y sombrero (1939)

O nome, inicialmente, era Colección Sabartés e não Museu Picasso de Barcelona. O motivo era a oposição aberta que Picasso fazia ao regime fascista de Franco, que impediu a abertura de um museu com o nome do artista.

A coleção do Museu Picasso

Na exposição inicial estavam obras do secretário pessoal de Pablo, e a coleção de obras de Picasso dos Museus de Arte de Barcelona. Em 1968, na ocasião da morte de Sabartés, Picasso homenageou o amigo doando ao Museu Picasso de Barcelona o Retrato azul de Sabartésy e a série Las Meninas. Dois anos depois, Picasso doou mais 900 obras que estavam na casa da sua família em Barcelona.

museu_picasso_barcelona_rascunho4 museu_picasso_barcelona_rascunho3

Hoje a coleção permanente conta com 4251 obras, a grande maioria delas uma referência aos seus anos de formação. Ou seja, muitos rascunhos, ensaios, práticas exaustivas e quadros que compõe principalmente a fase azul.

As obras mais “reconhecíveis” do Museu Picasso de Barcelona, são as da série Las Meninas, os quadros pintados em 1957 são uma interpretação do artista sobre a obra de Velasquez, do mesmo nome.

museu_picasso_barcelona_as_meninas_criança

Las Meninas (1957)

Os palácios de El Born que abrigam o Museu

O Museu Picasso ocupa o espaço de cinco palácios originais dos séculos 13 a 15, na calle de Montcada, no bairro de El Born. São prédios construídos em estilo gótico catalão e são até hoje um exemplo importante da arquitetura civil do período medieval na cidade. Esses palácios eram habitados por ricos nobres e burgueses.

Saiba mais: A história do bairro de El Born e da sua Catedral construída pelo povo

museu_picasso_barcelona_vista_palacio

Quando o Museu Picasso foi inaugurado, ocupava apenas o palácio gótico Aguilar. Uma ampliação, em 1970, incluiu também o palácio del Baró de Castellet. Em 1981, o palácio Meca passou a fazer parte do espaço. Por fim, em 1999, foi inaugurada uma nova ampliação do museu, com a inclusão de espaços de exposição temporários na casa Mauri e no palácio Finestres.

Serviço: como visitar o Museu Picasso de Barcelona

Horário de Abertura:
Segunda-feira: 10h às 17h
De terça a domingo: 9h às 20h30
Quinta-feira: 9h às 21h30

Entrada Gratuita: Toda quinta feira, das 18h às 21h30. Todo primeiro domingo de cada mês, das 9h às 20h30

museu_picasso_barcelona_palacio

O preço da entrada nos outros horários é de 12 euros, com valores extras para visitas guiadas, audioguia e exposições temporárias.

Pode ser necessário reservar sua entrada para o horário gratuito. Para fazer isso, acesse a página de horários e preços do site oficial, e clique em “Reserva de entradas para o Horário Gratuito”, você será redirecionado para outra página, onde de selecione a data e horário e emitir os bilhetes, que podem estar no celular. Quando eu estive lá, porém, ninguém conferiu esses tickets.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.