Tags:
Atlas: Cingapura

O que fazer em Cingapura: as principais atrações da cidade-estado

Não faltam opções de o que fazer em Cingapura. Moderna, arborizada e com uma urbanização de deixar muita metrópole mundial por aí com vergonha, essa cidade-estado do futuro é também um importante hub aéreo no sudeste asiático e também soube, como ninguém, criar seus próprios atrativos turísticos. Se o território é pequeno e não foi presenteado com as praias incríveis dos vizinhos, criatividade é o que não faltou por ali.

Vai viajar? O seguro de viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável nas férias. Não fique desprotegido em Cingapura. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício para o país – e com cupom de desconto.

O que fazer em Cingapura: Marina Bay Sands

No que diz respeito à escolha da acomodação, Cingapura não é tão baratinha quantos os vizinhos asiáticos. A moderna cidade-estado atrai diversos hotéis luxuosos, de 4 ou 5 estrelas, como o Marina Bay Sands, o Fullerton Bay Hotel e o Shangri-la Hotel. Mas se seu orçamento para longe desses nomes, não se desespere, há também espaço para mochileiros e gente em busca de guest houses e hospedagens mais baratas. Para isso, procure por quartos na região da Chinatown e Little India. Não deixe de ler nosso guia completo de onde ficar em Cingapura.

Encontre hotéis em Cingapura

O que fazer em Cingapura

  • Passear pela Marina Bay
  • Ver a cidade do alta da Singapore Flyer
  • Visitar o Gardens by the Bay
  • Ver a piscina infinita do Marina Bay Sands (e, quem sabe, mergulhar?)
  • Passear pelas vizinhanças étnicas da cidade
  • Visitar a Sentosa Island
  • Passear no Universal Studios Singapore
  • Ir de compras na Orchard Road
  • Comer em um restaurante nas margens do Singapore River
  • Visitar o Museu Civilizações da Ásia

Quer uma mãozinha brasileira para te mostrar o melhor de Cingapura? A Patti Neves, blogueira e guia de turismo na cidade oferece passeios privados completíssimos com tudo o que você precisa ver por lá. O tour de 8 horas sai por aproximadamente 180 USD, mas dá para montar passeios menores também. E o melhor? Leitores do 360meridianos têm 25% de desconto. Ficou interessado? Então manda um email pra gente: [email protected]

Marina Bay: o que fazer na baía de Cingapura

Um bom passeio por Cingapura começa pela Marina Bay, a baía da cidade-Estado. Ali ficam algumas das principais atrações, como o Merlion, a estátua de uma criatura metade Leão, metade peixe, que é um símbolo local. Também na mesma região está a Singapore Flyer, uma roda gigante inaugurada em 2008. Do alto dela, num dia de boa visibilidade, é possível ver três países de uma só vez (uma ilha da Indonésia, a Malásia e Cingapura).

Ali pertinho também ficam o The Float, a maior plataforma flutuante do mundo, e o Esplanade Theatres, um prédio onde ocorrem espetáculos e que lembra a forma de um durian, uma fruta típica do Sudeste Asiático. Logo ao lado do imenso durian fica o Gardens by the Bay, um complexo de cúpulas que guardam um jardim botânico. O Gardens by the Bay estava em fase final de construção quando passamos por lá. Além disso tudo, a baía oferece museus, shoppings e muitos restaurantes. E se você passar por lá na época certa vai presenciar o GP de Fórmula 1 de Cingapura, a primeira corrida noturna da categoria que é disputada nas ruas da região.

Gardens by the Bay

E um detalhe: pouco tempo pode fazer diferença na lista de atrações da Marina bay, afinal quem visitou Cingapura há alguns anos não conheceu construções que hoje fazem a fama da cidade-Estado. Um bom exemplo atende pelo nome de Marina Bay Sands.

Marina Bay Sands

No quesito cartão postal, o Marina Bay Sands mudou completamente Cingapura. Esse resort foi inaugurado em junho de 2010 e inclui um hotel, teatros, um museu, um shopping e um cassino, só pra resumir. Mas por que o Marina Bay mudou Cingapura? Basta olhar para o formato do complexo – os três prédios unidos por um terraço de mais de 300 metros de comprimento. E lá em cima fica a piscina infinita de Cingapura, que ganhou fama mundial desde que o complexo foi inaugurado.

Marina Bay Sands - Cingapura

O que fazer em Cingapura: principais atrações estão na Marina Bay

Ok, tudo bem, parece um hotel legal, mas se não for pra ficar hospedado lá, o que há pra fazer? O show de água e luzes do Marina Bay Sands é imperdível e de graça. Ocorre todos os dias, às 20h00, 21h30 e 23h00 e dura aproximadamente 15 minutos. E atenção para o melhor lugar para assistir ao show – no deck embaixo do prédio. Só de lá é possível ver as imagens que são projetadas na água e ouvir a música da apresentação. Muita gente se reúne para ver o show do outro lado da baía, perto do Merlion e perde a melhor parte. Nós mesmos fizemos isso no primeiro dia e só descobrimos o ponto ideal no último dia que passamos por lá. Foi sorte: a apresentação é emocionante.

E também há o Sands SkyPark, um observatório no 57° do prédio. Lá ficam bares, restaurantes, uma boate e, é claro, a piscina infinita. Com exceção da piscina, não é preciso ser hóspede do hotel para frequentar o lugar. Se dinheiro não é problema pra você, vale dar uma olhada nas tarifas do Marina Bay Sands, que não são impagáveis. Se você estiver no esquema baixo orçamento e muita diversão (como nós estávamos), fica a dica do blog Viagemafora: na torre 3 do complexo estão tanto o observatório quando o restaurante KU DÉ TA. Se você optar pelo primeiro, vai ter que desembolsar o equivalente a U$ 16 de entrada. Já o acesso ao segundo é gratuito, e você pode investir os dólares economizados numa bebida ou simplesmente descer sem consumir nada. E do Club Lounge, também com entrada gratuita, é possível ter uma ótima vista da piscina infinita. Você não vai nadar nela, mas pelo menos vai invejar com mais propriedade quem estiver por lá.

Os bairros de Cingapura

Cingapura é uma típica metrópole asiática, mas no modo easy. É que a cidade-Estado é limpa, arrumadinha, moderna e cheia de imigrantes de todas as partes do mundo. Em Cingapura você vai entrar em contato com chineses, malaios e indianos, que formam a maior parte da população, mas também com gente de outros lugares que foram ali aproveitar as excelente oportunidades de trabalho que surgem no país. Então, antes de entrar nessas culturas tão diferentes, que tal provar um gostinho em Cingapura?

Little India Cingapura  Chinatown Cingapura

O que fazer em Cingapura: Visitar as vizinhanças étnicas

Little India

A Índia mais limpinha e organizada que você vai encontrar. A população de origem indiana em Cingapura vive aqui, e nessa região você vai se deparar com templos, restaurantes de comida típicas, mercados e por aí vai. Para quem tem vontade de visitar a Índia, esse bairro de Cingapura é um bom começo. Você vai poder conhecer um pouco da cultura hindu sem enfrentar os problemas e o imenso choque cultural que a Índia causa em qualquer viajante.

Arab Quarter

Parte da influência malaia em Cingapura é encontrada nessa região, que fica pertinho da Little India. Prepare-se para ver muçulmanas de burca e toda a fé do Islã. E não deixe de ir ao Sultan Mosque, uma boa oportunidade para conhecer uma mesquita e derrubar possíveis preconceitos sobre essa religião. Ahh, por ali também ficam restaurantes, mercados e lojas com produtos típicos.

Chinatown

Dos bairros de Cingapura, esse é o meu favorito. Tudo bem que sou suspeito para falar sobre o assunto: sou fã de Chinatowns ao redor do mundo, e não é sem motivo que Hong Kong é um dos meus lugares favoritos na Ásia. Na China de Cingapura você vai encontrar barraquinhas com comida e produtos chineses, restaurantes e mercados. E tudo na lógica de Ásia para incitantes: limpo e sem confusão. Não deixe de passar na Pagoda Street, uma rua somente para pedestres. E também tem o Chinatown Heritage Centre, um museu que conta a história dos imigrantes chineses que vivem na cidade-Estado. Ali você também encontra templos chineses e o mais importante templo hindu de Cingapura, o Sri Mariamman. Definitivamente não esqueça de visitar esse bairro, afinal é Chinatown.

Sentosa Island: a ilha da diversão em Cingapura

Com diversas lojas, restaurantes, hotéis de luxo, cassinos e parques, a Sentosa Island é uma ilha-resort localizada a apenas um quilômetro da ilha principal de Cingapura e é um polo de lazer tanto para moradores locais quanto para turistas. O acesso até lá se dá por ponte, e ônibus públicos fazem o trajeto por $2. Mas já que é para ser turistão mesmo, tem um teleférico que faz o trajeto entre Sentosa e Mt. Faber, atravessando o Keppel Harbour, e custa $35 (dá para comprar o ingresso online no site oficial). Já na ilha, o transporte nas vans locais é gratuito.

Universal Studios Cingapura

Mas as principais atrações da ilha são, sem dúvidas, o Universal Studios Singapore, que reproduz alguns dos principais ambientes da filial de Orlando; e a Siloso Beach, uma praia artificial com areia, coqueiros e até pedras importadas. Essa é uma excelente pedida para quem viaja com crianças, já que a praia é completamente seguras, com salva-vidas para todos os lados e muita sinalização. O local também é próprio para a prática de esportes aquáticos como o stand up paddle.

Há ainda na ilha uma loja de chocolates que vai fazer você se sentir dentro da casa do Willie Wonka, a Candylicious; uma estátua de 37 metros do Merlion, mascote de Cingapura e a Tiger Sky Tower, uma torre de observação com 131 metros de altura de onde se pode ter uma vista em 360º da ilha. A Tiger Sky Tower fica logo na saída do teleférico e custa $18.

Leia nosso post completo sobre o que fazer na Sentosa Island

O que fazer em Cingapura: outras atrações

Sim, Cingapura ainda tem mais a oferecer. Para quem quer fazer compras há a Orchard Road, repleta de shoppings do começo ao fim. E a cidade-Estado também tem ótimos museus, como o de Civilizações da Ásia (site oficial), que conta um pouco da história dos povos que habitaram o continente desde os primeiros agrupamentos humanos até os grandes impérios. A região ao redor do Singapore River é cheia de restaurantes e bares, e vira ponto de encontro para os locais, uma ótima pedida para tomar algo no fim da tarde ou mesmo encontrar algum lugar mais bacaninha para jantar.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

5 comentários sobre o texto “O que fazer em Cingapura: as principais atrações da cidade-estado

  1. Bacana seu blog, vou pra Singapura em Dezembro, ta longe ainda eu sei.. hehehe mas gostaria de saber com que antecedência vc costuma reserva seus hotéis ? estava pensando em ficar pelo menos uma noite no Marina Bay, mas não tem disponível no booking nem Decolar e afins, somente no site do próprio hotel, porem muito Caro !! Voce lembra quanto pagou por noite em dólar singapura ?
    Muito Obrigado !

    1. Eu não fiquei lá, Victor, só conheci o bar do hotel e o mirante no topo. Mas era coisa de 100/ 120 dólares por noite, se não me engano.

      Eu reservo alguns meses antes da viagem (dois ou três), mas pode ser bom reservar mais cedo, caso o local seja concorrido.

      Abraço.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.