Tags:
Atlas: Cusco, Peru

O que fazer em Cusco: guia completo da capital dos Incas

Poucos lugares conseguem sintetizar a história da América Latina tão bem quanto Cusco. A antiga capital do mundo Inca ainda preserva muito vivas as memórias daquele império na cultura, língua, fisionomia, arquitetura e tradições de seu povo. Ao mesmo tempo, exibe as imponentes construções da era colonial erguidas sobre as bases do povo que habita a região há séculos. Não é à toa que há tanto o que fazer em Cusco e que esse seja um dos destinos mais visitados do continente.

O que fazer em Cusco: atrações no centro e arredores

As principais atividades para fazer em Cusco são:

  • Visitar a Plaza de Armas
  • Fazer compras no Centro Artesanal de Cusco
  • Visitar o Convento de Santo Domingo e o Templo do Sol
  • Visitar o Mercado de San Pedro
  • Conhecer o Sítio arqueológico de Saqsaywamán
  • Ver a vida boêmia do bairro de San Blás
  • Fazer um tour pelo Vale Sagrado dos Incas
  • Viver a vida noturna local

Recomenda-se pelo menos quatro dias para visitar a cidade, antes de seguir viagem para Machu Picchu. Reserve dois para o tour do Vale Sagrado. No primeiro dia, faça atividades mais tranquilas para que seu corpo se acostume com a altitude. Aproveite para fazer uma caminhada pelo centro. Não se esqueça de beber muita água e tomar chá de coca para ajudar na aclimatação. Leia mais sobre como lidar com o mal de altitude.

Leia nossas dicas para visitar Machu Picchu

Plaza de Armas

O que fazer em Cusco - Plaza de Armas

O marco central de Cusco, a Plaza de Armas parece ser aquele lugar para o qual tudo converge. Já nos tempos em que a região era dominada pelos Incas, o lugar era um importante centro cerimonial. Mais tarde, foi ali que os espanhóis declararam conquistada a cidade. Os edifícios construídos ao redor dela preservaram muito da arquitetura pré-colombiana: os alicerces de pedras, milimetricamente planejados, ainda sobrevivem e sustentam as construções coloniais que vieram depois. Entre elas, a grandiosa Catedral de Cusco. A entrada na Igreja é paga, mas quem for em horário de missa entra de graça. Só é preciso acordar bem cedo para estar lá às 6h, 7h ou 9h da manhã, mas o esforço pode valer a pena: a primeira missa do dia costuma ser celebrada em Quechua, idioma materno de boa parte dos indígenas da região. Do lado direito do altar há um quadro da Última Ceia no qual o alimento servido é um cuy, prato típico da região.

Centro Artesanal de Cusco

Essa é a melhor parada para quem quer levar para casa algumas peças de artesanato tradicional cusqueño. Ali, artesãos locais vendem sua produção por preços muito convidativos. As peças incluem tecidos andinos, roupas, mochilas, enfeites, quadros, instrumentos musicais e muito mais.

Endereço: Encontro da Av. El Sol e Tullumayo, Cusco. 

Leia também: Tecidos Andinos: o ato de fiar é uma metáfora para o destino

Convento de Santo Domingo e o Templo do Sol

O que fazer em Cusco - Templo do Sol

Essa igreja católica foi construída sobre as bases do antigo “Inti Cancha”, ou Campo do Sol, no ano de 1534, marcando simbolicamente a substituição da religião originária pelo culto católico. O espaço abrigava alguns dos mais importantes templos Incas, entre eles o Qorikancha, o Templo do Sol, no qual só era permitida a entrada do próprio Imperador e de sacerdotes. O templo era também um importante observatório de estrelas. Além desse, o lugar abrigava o Templo da Lua, o tribunal Inca e outros templos e construções administrativas – e servia de local de celebrações e sacrifícios. Endereço:  Av. El Sol 8.

Mercado de San Pedro

Um enorme mercado local que, por incrível que pareça, conseguiu manter sua autenticidade mesmo no centro de um lugar tão turístico quanto Cusco. Os donos das barracas são, em sua maioria, mulheres das etnias indígenas quéchua e aymara, as duas principais da região, e ali vendem todos os produtos essenciais para a vida dos cusqueños, de artesanato a frutas e legumes utilizados nos pratos regionais, sucos e comida pronta, além de partes de animais para oferendas religiosas e outros artigos menos convencionais.

Sítio arqueológico de Saqsaywamán

O que fazer em Cusco

A região de Cusco é cheia de ruínas históricas e sítios arqueológicos e você não precisa nem mesmo sair da cidade para visitar uma delas. O antigo centro cerimonial foi construído há cerca de 10 mil anos, pelos Killke, um povo que ocupou a região no período pré-inca. No século 13, os incas expandiram o centro e construíram as paredes de pedras enormes que resistem até hoje.  O local também era usado como centro de estudos e considerado uma zona sagrada. A entrada custa 70 soles, mas também está incluída no boleto turístico que dá acesso a outros sítios arqueológicos.

San Blás

O que fazer em Cusco - San Blás

Charmoso bairro que cresceu entre as ladeiras, com ruas estreitas e calçamento de pedra, o San Blás acabou se consolidando como a região boêmia e artística de Cusco. Os casarões coloniais escondem restaurantes de comida típica, bares e cafés, além de ateliês e lojas de decoração. A grande atração é a vida cultural do bairro, mas há alguns pontos de interesse que vale a pena conferir. Entre eles, a Pedra dos 12 ângulos, um dos principais exemplos da genialidade da engenharia inca, que fica na base do Palácio do Arcebispado de Cusco, a Igreja e o Mercado de San Blás

Passeio pelo Vale Sagrado dos Incas

O que fazer em Cusco - Vale Sagrado

Uma das principais atividades em Cusco é fazer um passeio pelas ruínas incas da região, visitando os sítios arqueológicos incluídos no Boleto Turístico. Há diversas agências de viagem que oferecem o passeio, tanto de forma individual, quanto em grupos. Desaconselhamos a última opção, já que os grupos costumam ser muito grandes e seguem um roteiro engessado, visitando os mesmo lugares nas mesmas horas de outros grupos, o que significa ver os sítios sempre muito cheios. Se você puder, invista em um tour guiado particular. Mas como isso pode ser fora do orçamento de muito viajante, outra opção é combinar um preço com motoristas de táxi em Cusco para levar nos lugares determinados. Os preços são bastante acessíveis, ainda mais se você for dividir entre outras pessoas do seu grupo. Em geral, é preciso de dois dias para visitar todos os lugares incluídos no Boleto e recomenda-se que você faça isso antes de visitar Machu Picchu, para não perder o encanto.

Veja mais sobre o passeio no Vale Sagrado dos Incas

Onde ficar em Cusco

Vale a pena ficar em hotéis próximos à Plaza de Armas ou no bairro de San Blás. Ali você estará perto do centro e da vida noturna da cidade. Há boas opções para todos os bolsos e estilos de viajantes, mesmo nessas áreas mais concorridas. Por exemplo, o Samay Wasy Hostel, que é muito bem avaliado por quem ficou lá. Esse albergue fica no San Blas e, julgando pelas fotos, tem uma vista bem bacana da cidade. Para saber mais sobre as regiões, leia nosso guia com dicas de onde ficar em Cusco

Encontre hotéis em Cusco


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.