O que fazer no Recife em 2 ou 3 dias: principais atrações

Recife, capital de Pernambuco, pode não ter praias tão lindas como suas vizinhas Porto de Galinhas e Tamandaré. Mas nem por isso deixa de ser um lugar muito legal! Os pernambucanos, com seu sotaque delicioso e simpatia mil, têm uma capital animada, interessante e onde você encontra muita cultura e comida maravilhosa. Então, mesmo que seu plano seja conhecer as praias do estado, não deixe de dedicar uns dias na capital. Neste post dou dicas do que fazer no Recife, baseadas nas minhas experiências.

Você pode também ler meus outros textos sobre a cidade:

Onde ficar em Recife e Olinda
Onde comer em Recife: dicas de restaurantes
Tubarões em Boa Viagem e o desequilíbrio ambiental
Guia de praias de Pernambuco: qual praia visitar?

onde ficar em recife pernambuco

O que fazer em Recife: o centro histórico

O Recife Antigo, ou melhor, Bairro do Recife, é onde a cidade surgiu e onde ficam as casinhas históricas, os prédios antigos e algumas das atrações que eu mais gostei. Recomendo começar os seus passeios por ali. A região está sendo revitalizada há algum tempo, então há um mix entre prédios mais acabados e outros reformados e iluminados. Algumas ruas dão um pouco de sensação de insegurança depois do anoitecer, outras são super movimentadas, com bares e pessoas.

De tudo ali, minha atração favorita foi o Museu Cais do Sertão. Sério, é um museu tão incrível que eu acho que todo brasileiro tinha que visitar. O museu fica num antigo armazém do porto e conta histórias e tradições do povo e universo sertanejo e da obra de Luiz Gonzaga. A instalação é uma mistura de tecnologia e tradição.

museu cais do sertão recife

luiz gonzaga cais do sertão recife

O filme que eles passam na entrada é tão bem feito e emocionante que eu até chorei. Há salas no segundo andar para aprender a tocar instrumentos e até uma espécie de karaoke individual. Aberto de terça a domingo, das 11h às 17h.

 recife luiza cais do sertão

Do museu, você pode seguir para a Praça do Arsenal, passando pela Torre Malakoff – uma torre construída em 1853 e nomeada em homenagem à Guerra da Crimeia. Na simpática praça há vários bares, barraquinhas de comida de rua (aproveitei para comer uma tapioca típica) e é onde fica o Paço do Frevo, um centro cultural dedicado ao frevo e toda a sua tradição. O espaço é interessante e você pode conferir no site oficial a programação na época da sua visita. Eles têm exposições permanentes e temporárias.

paço do frevo o que fazer no recife

Em seguida, a sugestão é que você caminhe pela Rua do Bom Jesus, que tem esse nome desde 1850, mas antes era conhecida como Rua dos Judeus. É que ali ficavam muitos comerciantes judeus e a Sinagoga Kahal Zur Israel, a primeira de todo o continente americano, fundada no período de dominação holandês na região, em 1630.

o que fazer no recife rua do bom jesus

Nessa rua também fica a Embaixada de Pernambuco dos Bonecos Gigantes de Olinda. O passeio é um tiquinho pega turista e não é todo mundo que curte: afinal, são 10 reais para ouvir uns 10 minutos de descrição sobre a construção dos bonecos e depois tempo livre para circular entre as mais de 60 figuras, que representam celebridades e personalidades do Brasil e do mundo. Eu achei legal, mas isso vai do gosto de cada um.

o que fazer no recife embaixada dos bonecos

Por fim, na esquina da rua está o belo prédio da Caixa Cultural de Recife, que tem programações artísticas e culturais gratuitas e pagas.

o que fazer no recife caixa cultural

De lá, é só atravessar a rua para chegar no Marco Zero, também conhecido como Praça Barão do Rio Branco, local de onde se inicia a contagem dos números da cidade. Essa praça mega movimentada é onde fica o disputado letreiro “Recife”. Dali também se tem uma boa vista para as estranhas formas do Parque das Esculturas Francisco Brennand – dá para fazer um passeio de catamarã pelo rio Capibaribe e chegar até lá.

praça do marco zero o que fazer no recife

o que fazer no recife letreiro

o que fazer no recife parque de esculturas brennand

Na praça em si, o Centro de Artesanato vale uma olhadinha, mesmo para quem não vai comprar nada. Também pode valer a pena dar uma parada nos reformulados Armazéns do Porto, onde há um dezena de restaurantes e bares interessantes. Foi ali que eu sentei para comer e tomar uma cerveja com uma recifense legítima, a Luisa Ferreira, minha xará do excelente blog Janelas Abertas. Aliás, recomendo demais vocês darem uma passada lá no blog dela, porque ela dá dicas de uma região do centro antigo que não andei, depois de cruzar a ponte, para ver alguns palácios e igrejas!

Aliás, para quem tem vontade de passar o carnaval em Recife e Olinda, a Luísa escreveu para a gente um guia para iniciantes do carnaval de Pernambuco.

o que fazer no recife armazens do porto

o que fazer no recife armazens do porto

Boa Viagem

Fora do centro antigo, a região de Boa Viagem é onde ficam as praias de Recife. Não vale a pena ir em Recife só pela praia, mas, uma vez lá, vale dar uma olhadinha e até arriscar um mergulho – só se a maré estiver baixa! Se não, ainda rola de passear pela orla. É na beira do mar que fica o Parque Dona Lindu, projetado por Oscar Niemayer.

onde ficar em recife boa viagem

Em Boa Viagem se concentra a grande maioria dos hotéis e apartamentos para se hospedar no Recife, então, grandes são as chances de você ficar por ali. Apesar das atrações turísticas ficarem mais no centro, a região de Boa Viagem tem bons restaurantes. Eu já escrevi sobre isso: se você quiser comer comida típica sem gastar uma fortuna, pode experimentar o Parraxaxá ou o Chica Pitanga.

parraxaxá recife pernambuco

Por fim, para quem curte arte, há dois espaços da família Brennand, uma das famílias mais ricas do Brasil. A Oficina Brennand é um parque de esculturas com obras do artista plástico Francisco Brennand (o mesmo das esculturas do Recife Antigo).

A outra opção, que nós decidimos visitar, é o Instituto Ricardo Brennand, que por muitos anos foi empresário de sucesso até que se aposentou, decidiu construir um espaço que lembra um castelo medieval para abrigar suas coleções de arte e exposições, e especialmente uma coleção de armas e armaduras que está entre as maiores do mundo, com objetos que vão do Egito antigo aos dias de hoje. Fica aberto de terça a domingo, das 13h às 17h, e custa R$25,00 a inteira.

o que fazer no recife instituto ricardo brennand

o que fazer no recife coleção de armas instituto

o que fazer no recife coleção de armas

As duas atrações ficam no mesmo bairro, em margens diferentes do rio. É bem longe e não dá para chegar lá sem carro ou táxi. No Viaje na Viagem tem um post explicadinho de como combinar no mesmo dia a visita ao Instituto Ricardo Brennand, Oficina Brennand e ainda a Fundação Gilberto Freire.

Essas atrações aí preenchem facilmente dois dias de passeio. Para o terceiro dia, a sugestão é que você siga para a vizinha, Olinda, que também já tem post próprio de o que fazer por lá.

Não deixe também de conferir as nossas dicas de hospedagem, com as explicações de quais os melhores bairros do Recife e Olinda para ficar, além de boas sugestões de hotéis para todos os bolsos.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

13 comentários sobre o texto “O que fazer no Recife em 2 ou 3 dias: principais atrações

  1. Bom dia Luiza,
    esse centro de artesanato que você fala é o mesmo chamado de CASA DA CULTURA, onde funcionava um antigo presídio???
    Ah! outra pergunta.
    Antes de ler suas dicas tinha visto um outro com as mesmas dicas só que o seu é mais completo, só que fiquei com uma dúvida, é melhor começar a visita a Recife antigo pelo MARCO ZERO como estava no primeiro que li ou começar pelo MUSEU DO CAIS como você começou… é apenas uma dica sua que irá facilitar minha ida até lá.
    Na realidade já é minha quinta vez em RECIFE, mas na primeira que fui fiz um city tour bom, mas rápido e muita coisa passou despercebida, outras duas vezes carnaval e uma quarta em família que o tempo era meio curto, então, fomos apenas ao shopping e uma passada de carro pelo centro, desta vez farei mesmo um turismo pela cidade de três dias.

    1. Oi Liana,

      Não sei se a Casa de Cultura ficava num antigo presidio. Fica bem em frente ao marco zero.

      Sobre o que começar a fazer primeiro, Marco Zero ou Museu, realmente tanto faz. Escolha o que for mais fácil para o seu roteiro.

    2. Liana, a casa da cultura e o museu do cais são distintos. O primeiro fica na Rua Floriano Peixoto, 141 e o segundo fica no bairro do Recife. Dá até para ir caminhando se você tiver disposição e sapatos confortáveis rsrsrsrs. Consulta antes a distância na net…
      Dá uma passada também no forte das cinco pontas

  2. olà! ainda estou preparando minha viagem pela costa, Então eu gostaria saber sua opinião, sobre quantos dias eu deveria ficar em Recife, Maragogi, Marceio e Salavador.
    Além disso, há outros lugares que eu deveria visitar entre Recife e Salvador?

    muito obrigada

  3. Olá! Preciso fazer uma sugestão. A região mais linda da cidade, por incrível que pareça, é a menos visitada pelos turistas. Trata-se dos tradicionais bairros da Zona Norte, como Casa Forte, Jaqueira, Parnamirim, Graças, Espinheiro e outros. É uma região sofisticada, com ruas muito arborizadas, pavimentação impecável e maravilhosos restaurantes! No bairro de Casa Forte, recomento uma visita à Praça de Casa Forte (praça tombada pelo IPHAN por ser o primeiro jardim público criado por Burle Marx)… na praça está localizado um dos melhores restaurantes do Recife, o lindo Nez Bistrô, do pai da famosa blogueira Camila Coutinho. Pertinho da Praça de Casa Forte tem uma rua histórica chamada “Estrada Real do Poço” que é simplesmente encantadora, repleta de casarões antigos e um lindo pavimento de pedras do século XVIII; e tem também o Museu do Homem do Nordeste e a Fundação Joaquim Nabuco. Recomento ainda na Zona Norte uma visita ao lindo Parque da Jaqueira, ao Museu do Estado de Pernambuco, ao polo gastronômico da Rua da Hora no Espinheiro… enfim, é uma região simplesmente maravilhosa da cidade, e com inúmeras opções. Qualquer coisa, veja no Google Street View!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.