Tags:
Atlas: Paris, França

Torre Eiffel: visita, ingresso e curiosidades

Eu já estava há três horas em Paris, mas ainda não tinha me encontrado com o símbolo mais famoso da França. Nem mesmo pela janelinha do avião. Até que, sem aviso prévio, meu queixo caiu. Estávamos no mirante da Sacré Coeur, no Montmartre, o bairro onde nos hospedamos. Enquanto eu andava sem rumo, as árvores que impediam a vista da cidade acabaram. E lá estava ela, a Torre Eiffel, colorindo a noite da cidade luz.

Se esse primeiro encontro já foi impactante, mesmo que eu estivesse tão longe da Torre, o segundo foi ainda mais memorável. Descemos na estação Trocadéro, caminhamos por três minutos e ficamos sem palavras. Ela de novo nos surpreendeu, mas dessa vez deixando claro toda a imponência dos seus 326 metros.

Torre Eiffel, em Paris

História e curiosidades da Torre Eiffel

Monumento pago mais visitado do mundo, a Torre Eiffel já recebeu 250 milhões de visitantes. Com isso, é natural que admirar a vista de Paris a partir da Torre tenha se tornado um daqueles passeios obrigatórios para fazer na cidade. E, você sabe, obrigatório é quase um sinônimo para clichê. Mas não tem problema. A Torre Eiffel pode até ser clichê. Mas é um clichê lindão, viu?

O tempo fez bem à Torre. Inaugurada em 1889, no começo o projeto recebia adjetivos injustos. “Inútil e monstruosa”, “maldade pública”, “tão feia que nem os norte-americanos gostarão dela”, bradavam artistas, engenheiros e cientistas da época, gente que chegou a publicar um manifesto num jornal parisiense e tentou, com todas as forças, impedir que a Torre Eiffel fosse erguida. Ainda bem, eles falharam.

Gustave Eiffel, engenheiro e empresário que bancou a Torre, venceu a parada. Ele pagou a construção do próprio bolso. E, apesar do que diriam os haters da época, aquela estrutura monstruosa foi um sucesso: em seis meses Gustave Eiffel já tinha recuperado seu investimento. “Provavelmente foi o melhor negócio da história do turismo”, garantiu um guia, durante a segunda visita que fiz à Torre, em 2013.

Veja também: Quatro vistas imperdíveis de Paris

Onde ficar em Paris: dicas de hotéis

entrada Torre Eiffel

Apesar disso, por pouco a Torre não foi desmontada. É que a estrutura foi erguida com um objetivo – ser o portão de entrada para a Exposição Universal de 1889, que por sua vez celebrava os 100 anos da Revolução Francesa. Para isso, a Torre foi erguida num terreno que pertencia ao exército (o tal Campo de Marte), que exigiu, no contrato, que a construção fosse desmontada 20 anos depois do evento. Foi apenas a importância militar, em grande parte por conta das antenas de rádio instaladas no alto da Torre, que impediu que isso acontecesse.

Hoje ninguém (quer dizer, quase ninguém) duvida da beleza e da importância da Torre. Visitá-la não é obrigação, mas quase todo viajante gosta de vê-la, mesmo que à distância, compondo o visual de Paris, até hoje como a maior estrutura da cidade.

Veja também: As fantásticas pontes de Paris

vista da torre eiffel

A vista a partir (com sombra) da Torre Eiffel

Ingresso da Torre Eiffel: entrada e preço

Mesmo que você não faça questão de subir na torre, vale a pena pegar o metrô e descer na estação Trocadéro (linhas seis e nove), que fica pertinho do melhor mirante possível, de frente para o Campo de Marte. Se você resolver admirar a vista do alto da torre (eu aconselho), siga para os pés da estrutura. Atualização: atualmente, a Torre Eiffel fica toda cercada. Só é possível chegar pertinho da estrutura com o bilhete.

ingresso torre eiffel

Como estamos falando do monumento pago mais visitado do planeta, é claro que você vai encontrar filas. Nas duas vezes que subi na atração, fiquei mais de uma hora aguardando para comprar meu ingresso. Por isso, recomendamos que você garanta seu ticket pela internet, cuja entrada é com hora marcada.

Você pode comprar o ingresso pelo site oficial ou o ingresso para furar a fila pela Get Your Guide. Custa 16 euros (adultos) até o segundo andar ou 25 euros até o topo. O acesso pelas escadas custa 10 euros. Crianças com até quatro anos de idade entram de graça. É necessário escolher um horário de entrada, dentre as opções disponíveis. Por isso, compre com antecedência.

Depois de pagar, você imprime o ingresso ou salva o e-ticket no seu celular. Ao chegar lá, basta ir para a fila indicada no seu bilhete, dentro do seu horário marcado. 

Passeio Rio Sena, Paris

Torre Eiffel: horário de funcionamento

A Torre Eiffel abre todos os dias do ano, inclusive feriados. O horário varia conforme a estação. Entre 9h e 00h45 (de meados de junho até o começo de setembro) e de 9h30 até 23h45 (no restante do ano).

Tome cuidado com seus pertences quando estiver ao redor da torre (e até dentro dela). Batedores de carteira e golpistas, que muitas vezes pedem assinaturas num falso abaixo-assinado, são comuns por lá.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

6 comentários sobre o texto “Torre Eiffel: visita, ingresso e curiosidades

  1. Ola, boa noite. Eu e minha noiva estamos planejando uma viagem de Lua de Mel a Paris. Porem a data seria o final do mês de fevereiro, uma coisa que esta incomodando é que muitas pessoas dizem que é frio demais essa época. É isso mesmo? Obrigado e parabéns pelo blog.

    1. Uma hora, uma hora e meia. Mais o tempo de fila, que pode ser igual a esse, caso você não compre pela internet, Alessandra.

      Abraço.

  2. Olá! Suas dicas e de todo o site tem me ajudado bastante para montar meu roteiro de viagem! O site é ótimo!
    Estou indo a Paris em Abril/16 e me interessei por este passeio com City Tour. Pelo menos em termos financeiros parece bem acessível. Agora a minha dúvida é, ao passar pelos pontos turísticos Place de l’Opéra, a Champs-Elysées, a Torre Eiffel, o Louvre, a Catedral de NotreDame, Saint-Germain-Des-près, eles fazem paradas para conhecermos ou apenas “mostra”? Porque vi que o passeio contempla apenas 4 horas, para ainda conhecer o Rio Sena e Torre Eiffel.

    1. Oi, Kézia.
      Esse é aquele passeio padrão de ônibus, normalmente só passando pelos lugares e com comentários de um audio-guide. É útil para o dia que você chegar na cidade, por exemplo, e ainda não conhecer nada. Depois você pode voltar nos lugares que te interessaram, até mesmo para entrar neles. O Louvre e Notre Dame merecem a visita mais demorada, por exemplo.

      Abraço.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.