Tags:
Atlas: Nepal

A comida com amor feita no Nepal

Sabe aquela história de que comida boa é feita com amor? Para mim, poucas verdades são tão incontestáveis como essa. E é por isso que não consigo me queixar da simplista culinária do Nepal: por ser esse um povo simpático, carinhoso, amável, que parece estar sempre disposto a te afagar, seja com um sorriso ou com um prato.

Ao começar a escrever este texto, me lembro imediatamente de uma refeição que provei na cidade de Pokhara. Era um macarrão, muito parecido com o que nós, brasileiros, preparamos no domingo. Foi feito com a boa vontade de uma família que transformou sua casa em hotel e nos recebia sorridente em um dia cansativo da viagem. Nos pequenos mercadinhos muito comuns neste país, compramos suco de goiaba e biscoitos para a Naty, que estava doente, e, intuitivamente, nos deparamos com algo muito comum por lá: no Nepal, não adianta procurar grandes redes de supermercados, porque elas não foram para lá.

Aliás, não são só elas. O nosso amado/detestado Mc Donalds também não possui umazinha unidade em todo o país. Mas não é por isso que ficamos sem comer sanduíche: uma das primeiras paradas foi em um restaurante que servia hambúrgueres, mas nem tão comuns assim, já que a carne era de búfalo.

hamburguer vegetariano

Voltando aos mercadinhos, eles dão uma ideia do que é a gastronomia nepali: frutas tropicais, arroz, massa, vegetais, como abobrinha e pimentão. Tudo com um pouco de curry e picância suave, comparando essa gastronomia à outras do sudeste asiático. Assim como na Índia, a culinária nepalesa traz forte tendência vegetariana.

especiarias_nepal

Dos pratos típicos, dois se destacam: o dal bhat (da imagem no topo do post) , uma porção de arroz (bhat) cozido e servido com creme de lentilhas (dal); e o os momos, tipo de pastéis cozidos no vapor ou fritos, e recheados com vegetais,  carne de búfalo ou de frango. Os momos, vale dizer, são uma influência Tibetana e também aparecem no norte da Índia. A massa leve e delicada é combinada com várias especiarias, como gengibre, coentro e cebolinha, dando um sabor de fato muito gostoso, mesmo quando não se usa carne (base de muitas culinárias ocidentais, como a nossa).

momos_nepal

De sobremesa, o mais típico é o iogurte com mel, também chamado Juju-dhau (rei dos iogurtes, em nepali). Muitas vezes, ele é usado para limpar o paladar antes ou durante a refeição, mas eu particularmente gostei mesmo de prová-lo no fim (só não entendi porque ele ganhou esse apelido tão luxuoso, já que me pareceu mesmo um iogurte bastante comum).

iogurte_nepal

Acostumados a receber turistas de todo o mundo em busca do Everest, o café da manhã também não causa estranheza no Nepal, e traz café, chá (muitas vezes servido com leite), torradas, ovo frito.

O maior perrengue em relação à alimentação, portanto, é um passo antes daquilo que chega à mesa. Eu estou falando da água. O país possui um abastecimento inconstante e, por isso, é bom evitar se alimentar em qualquer lugar. Também não é frescura só beber água mineral. Quer dizer, se você quiser provar algo mais “forte'”, fique sabendo que o Nepal tem ótimas opções para o happy hour, mas isso é assunto para o próximo post.

*Foto imagem destacada: Wikimedia Commons

 


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Aline Gonçalves

Preciso provar outros sabores para ter certeza de que a melhor combinação do mundo é o arroz com feijão.

  • 360 nas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

7 comentários sobre o texto “A comida com amor feita no Nepal

    1. É seguro sim Larissa.

      A maior parte das atrações ficam no centro, então a pé. Mas você também pode se deslocar de tuktuk ou táxi. Para outras cidades do Nepal tem ônibus ou transfers para turistas.

  1. Oi, meninas! Obrigada pelas respostas e conselhos, estou bem confiante em ir pra lá sozinha. Já li tudo aqui e fico cada vez mais empolgada. Valeu pelo encorajamento! 😀
    Bjs

  2. Olá! Li todos os posts de vocês sobre o Nepal e fico cada dia mais apaixonada pelo país… estou tomando coragem para ir em outubro. Vocês acham que é seguro para uma garota viajar sozinha por lá? Minha ideia é fazer Nepal, Tibet e Butão. 🙂

    1. Oi Thaís,

      Só conheço o Nepal, mas já ouvi maravilhas sobre o Butão. O tibet deve ser incrível, pena que tem essa história triste da ocupação chinesa.
      Pelo que conheci do Nepal, acho que é seguro sim para uma mulher viajar sozinha, sim. Não me senti assediada lá, como na Índia. Você vai precisar tomar os cuidados como tomaria em qualquer lugar que viajasse sozinha, mas não vejo impedimentos.

      bjs

    2. Ei Thaís,

      O Nepal é bem tranquilo, o povo é mais pacífico e não senti o mesmo conservadorismo e machismo da Índia. Tome, porém, as precauções básicas que adotaria em qualquer lugar e evite lugares escuros e ermos sozinha.

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.