Tags:
Atlas: Barcelona, Espanha

A Catedral do Mar e a história de uma igreja construída pelo povo em Barcelona

Uma igreja para o povo e feita pelo povo. “Olhe ali, acima do portão”, apontou a Cris, minha amiga e guia de turismo do blog Sol de Barcelona. Ela mostrava as figuras esculpidas acima do portal da Basílica Santa Maria del Mar. A igreja, também conhecida como Catedral do Mar, tem nessas figuras uma das várias homenagens ao povo que financiou e trabalhou para que o templo fosse construído.

Inaugurada oficialmente em 1391 e de pé até hoje no coração do bairro El Born, a igreja ganhou esse apelido carinhoso graças ao romance de Ildefonso Falcones, que usa a história de sua construção como fundo para a trama envolvente de “A Catedral do Mar”. E, quando você olhar para a Santa Maria, tenha em mente que cada pedra ali foi carregada nas costas de um homem. Tamanha devoção está refletida no portal em bronze e dentro da igreja em relevos de pedra e mármore que representam esses carregadores portuários. 

Leia também:
Onde ficar em Barcelona – dicas de bairros e hotéis
Pontos turísticos de Barcelona – um roteiro do que fazer pela cidade
13 coisas para fazer grátis em Barcelona

el born barcelona santa maria del mar

Até o século 18, Barcelona ficou confinada dentro de muros e portões. Essas muralhas, inicialmente do período romano, foram se expandindo. Mas foi em “A Catedral do Mar” que eu aprendi que o El Born, que já foi chamado de bairro da Ribeira do Mar, ficava fora das antigas muralhas e era habitado por pescadores, estivadores e gente proveniente de classes sociais mais baixas. Ali, havia uma pequena igreja, Santa Maria das Areias, onde estariam enterradas as relíquias de Santa Eulália, uma mártir do ano de 303. Mais tarde, com a construção dos portos de Barcelona e o afastamento da praia, essa igreja passou a ser Santa Maria do Mar.

Com o tempo, a burguesia de Barcelona cresceu e precisava de um lugar para viver. E foi ali, nos limites da cidade, onde passava o tráfego do porto, que eles decidiram se estabelecer. Os artesãos e mercadores fizeram do bairro sua residência, o que se traduz, me explicou Cris, nas ruas com nome dos ofícios que ali eram praticados, como Rua dos Ourives ou Rua dos Padeiros.

el born barcelona beco

ruelas el born bairro barcelona

Hoje, El Born é um bairro de ruelas estreitas e prédios antigos, que é mais charmoso e tranquilo que o Bairro Gótico. Enquanto caminhávamos por essas ruas, entre as elegantes boutiques e bares hipsters, a Cris me indicou o tal livro “A Catedral do Mar”, que eu corri para ler.

Trata-se de um romance que narra a história de duas gerações: um pai camponês catalão que foge com o filho para a cidade de Barcelona em busca da liberdade e a história do filho até a vida adulta. Como pano de fundo, Barcelona, a construção da catedral, e também acontecimentos como a peste negra, a inquisição, o ódio aos judeus típicos do século 14, as guerras, as relações comerciais e as disputas entre nobreza, burguesia e camponeses.

Saiba mais: As curiosidades e mitos de Barcelona
Os segredos do Bairro Gótico de Barcelona
Bairros de Barcelona: Vila de Grácia
A pluralidade do bairro El Raval

O autor estudou bem a história da cidade, fazendo com que a narrativa seja não só interessante do ponto de vista literário, mas também muito rica historicamente. Em 2018, estreou uma série espanhola baseada no livro, disponível na Netflix Espanha.

Segundo Falcones, o motivo de Santa Maria ser uma igreja do povo é porque a antiga igreja romana dos pescadores ficou pequena para os novos habitantes do então próspero e rico bairro da Ribeira do Mar. Só que, nesse mesmo período, no século 14, os esforços econômicos de Barcelona estavam focados na reconstrução da Catedral da Cidade, que hoje fica no Gótico. Assim, tanto paroquianos ricos, quanto pobres, unidos pela devoção à virgem, solicitaram a permissão para erguer um novo monumento.

Quando a autorização foi dada, os burgueses mais ricos pagaram pela construção e os com menos dinheiro trabalharam por ela. Os bastaixos eram os homens que carregavam as pedras nas costas, da pedreira em Monjuic, até o local da obra. Era um exercício de fé e penitência que lhes rendeu as homenagens que vemos hoje na igreja. Vários personagens do livro exercem essa função.

portal santa maria del mar ribeira

Outra característica única da Basílica Santa Maria do Mar é a forma como a igreja foi pensada. A catedral do mar foi construída sob a igreja antiga, de forma a não interromper os serviços religiosos. Suas obras foram executadas e finalizadas num período de 50 anos, com uma só influencia arquitetônica e com poucos elementos acrescentados.

basilica de santa maria do mar barcelona basilica de santa maria do mar barcelona

Mas sua principal virtude e aquilo que sentimos quando entramos é exatamente o que Berenguer de Montagut, o construtor original, planejou para a Igreja. Que ela fosse enorme, mas simples. Que as luzes mediterrâneas e o espaço encantassem mais do que esculturas ou decorações. Que o povo pudesse assistir as celebrações lado a lado na enorme nave

A imagem da Virgem do Mar, que hoje você vê ao visitar a catedral, é a mesma que foi colocada ali no período medieval e é venerada pelos personagens do livro. Ela sobreviveu ao terrível incêndio de 19 de julho de 1936, quando a basílica ardeu por onze dias seguidos. Os muros, colunas e algumas das janelas também sobreviveram ao fogo e têm um tom escurecido por conta disso.

Como visitar a Catedral do Mar 

A Basílica Santa Maria do Mar fica aberta de segunda a sábado, das 9h às 13h e de 17h às 20h30. Nos domingos abre de 10h às 14h e de 17h às 20h. Porém, as visitas turísticas ficam limitadas aos horários da tarde, gratuitamente.

el born catedral do mar barcelona

Para quem deseja assistir a uma missa, há celebrações todos os dias, às 19h30. Nos domingos também há missa às 12h.

Há visitas guiadas as torres, telhado e cripta de Santa Maria, num tour que dura cerca de uma hora. Custa 10 euros, com descontos para crianças, estudantes e idosos. O tour que leva apenas as torres e telhado custa 8 euros.

Dicas para visitar o bairro El Born, em Barcelona

Dá para passear no El Born por conta própria e explorar os vários bares, restaurantes, lojas e boates da região. Um bom ponto de partida é a charmosa avenida Passeig del Born, além da basílica. A Naty já deu algumas dicas sobre a noite em Barcelona.

el born praca barcelona

Também é no Born que ficam o Museu Picasso, o Museu Têxtil, o Mercat del Born (que é um centro cultural) e o Palau de la Musica Catalana, que merecem a visita.

passeig del born barcelona

Se você tiver vontade de conhecer mais detalhes e curiosidades históricas sobre o bairro com uma guia brasileira, que é doutora em história, recomendo fazer um tour com a Cris, do Sol de Barcelona.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

2 comentários sobre o texto “A Catedral do Mar e a história de uma igreja construída pelo povo em Barcelona

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.