Comida típica italiana: oito pratos e produtos que você precisa provar

É impossível comer mal na Itália, que é a terra das massas espetaculares, dos vinhos ótimos e baratos e dos queijos. Muitos queijos. Para provar o tanto que a culinária deles influenciou o mundo, resolvemos fazer um texto, ou melhor, quase uma ode à comida típica italiana.

Vai funcionar assim: pense numa comida ou produto italiano que a gente te mostra de onde ela é. Muitas vezes o nome da cidade é o nome do produto, mas a gente nem se dá conta disso. Tipo o…

Veja também: 12 roteiros de viagem pela Itália
Guia completo para viajar pela Itália

Produtos e comida típica italiana

Queijo Gorgonzola

O senhor de todos os queijos nasceu há mais de mil anos, em Gorgonzola, cidade de 20 mil habitantes que fica na região metropolitana de Milão. Amantes do produto em viagem pela Itália podem – e devem – incluir uma passadinha rápida na cidade para conhecer o berço de um produto que ganhou o mundo.

comida italiana

Foto: Dominik Hundhammer, Wikimedia Commons 

Queijo Parmesão

O parmesão verdadeiro é feito em Parma, cidade de 200 mil habitantes no norte do país. Mas o parmesão de lá atende por um nome um pouco mais sofisticado: Parmigiano-Reggiano.

Nós já te contamos aqui no 360meridianos que esse nome é mais do que um uma estratégia de marketing. O Parmigiano-Reggiano tem um processo de produção complexo e que dura meses. A qualidade do queijo é testada antes que o produto vá para as prateleiras. Se não for aprovado no padrão de qualidade, o queijo não recebe o selo de identificação e será vendido como um produto inferior.

Fazendo-queijo-Parma

Presunto de Parma

Parma é uma cidade sortuda. Além do parmesão, é dali que vem o nome de um presunto consumido em todo o mundo. Durante minha passagem pela cidade, tive duas experiências opostas com o Prosciutto di Parma, como é chamada iguaria por lá. A primeira foi comendo o presunto, sempre acompanhado de uma cerveja.

Se a primeira experiência foi ótima, visitar uma fábrica e ver de perto um estoque com centenas de milhares de porcos transformados em presunto não foi exatamente uma coisa legal. Mesmo assim, não dá pra negar que o presunto de Parma é bom. Ele é feito da perna do porco e tem uma receita complexa, que envolve o envelhecimento da carne e temperos específicos.

Presunto de Parma - Itália

Bife à milanesa, campeão da comida italiana

Existem pratos que tem um pé na Itália, viraram moda no mundo e por isso mesmo foram adaptados de várias formas, dependendo da culinária do país. Um bom exemplo é o bife feito à moda de Milão, nosso tradicional à milanesa.

A origem é polêmica, mas muita gente defende que o empanado mais famoso da Terra foi inspirado na cotoletta alla milanese, comida que surgiu em Milão. A cotoletta é um dos pratos mais tradicionais da cidade – o registro mais antigo sobre ele é do ano 1148.

Mas qual a diferença da comida made in Milão para o bife empanado que comemos no Brasil? Além do tipo de carne, que na Itália é costeleta de vitelo (com osso), o modo de preparo também é outro. Mas até que a aparência não é muito diferente não. Ó:

comida italiana

Foto: Marcelo Teson, Wikimedia Commons

Espaguete à bolonhesa

De Milão para Bolonha, outra cidade no norte da Itália. E novamente para falarmos de um prato que dá uma polêmica danada. Não há um italiano sequer que concorde que o espaguete à bolonhesa é de fato de lá. Os bolonheses deixam claro que o prato adorado pelo mundo não é feito de acordo com a receita inventada pelos ancestrais deles.

As diferenças? O mundo adora espaguete. Já em Bolonha essa massa é feita com tagliatelle. Lá, entre os ingredientes do molho estão cenoura, bacon e até vinho. Outra coisa importante é que o prato se chama ragù alla bolognese e foi até patentado pela Câmera de Comércio de Bolonha.

ragù bolognese

Em resumo: para os bolonheses, o espaguete à bolonhesa não existe. Mas ninguém discorda que a inspiração para o prato foi o tal do ragù alla bolognese. Ou seja, mais uma comida internacional que tem um pé numa cidade italiana.

Vinagre Balsâmico de Modena

Ele não é um vinagre qualquer. É de Modena, cidade do norte da Itália que tem 180 mil habitantes. Esse tipo de vinagre é produzido na cidade desde a Idade Média e tem várias características especias, entre elas o aroma.

É produzido com o suco de uvas brancas e armazenado durante muitos anos em barris de madeira, de forma a aumentar o sabor.

O curioso é que Modena só ficou conhecida ao produzir vinagre porque era incapaz de produzir ótimos vinhos. É que o clima na região não era dos melhores para produzir a bebida, mas permitia a fabricação do condimento.

Vinagre Balsâmico de Modena

Foto: Sputnikcccp, Wikimedia Commons

Linguiça toscana

É muito comum que o tipo de linguiça receba o nome do lugar onde foi criada a receita original. A Toscana é um dos estados (ou regiões) italianos, cuja capital é a cidade de Florença.

Segundo a Wikipédia, a linguiça toscana nasceu pertinho da Torre de Pisa. A origem seria Lucca, uma cidade com 80 mil habitantes e mais de dois mil anos de história.

Lucca, viagem ItáliaLucca

O primeiro registro histórico da linguiça foi feito pelo Império Romano e até a palavra vem do italiano, da expressão luganega. Mas a mente brilhante que criou o prato é motivo de rivalidade – vários estados italianos brigam pelo título de inventores do produto, incluindo Vêneto – onde fica Veneza – e a Lombardia, onde fica Milão.

Pizza napolitana

O documento mais antigo a falar da comida dos deuses, digo, da pizza, foi escrito na região de Lazio, no ano 997 d.C. Mas seja quem for o pai verdadeiro dessa maravilha, ele não fez questão de patenteá-la – as pizzas já existiam há um tempinho quando esse documento foi escrito.

Já que apontar a origem da pizza é tarefa das mais ingratas, vamos focar numa cidade que tornou a comida ainda mais famosa: Nápoles, no sul do país. Lá fica a Associação da Verdadeira Pizza Napolitana, uma organização fundada em 1984 e que tem como objetivo guardar a honra da pizza original de fábrica. Pelas regras, a pizza só é napolitana se for feita no forno a lenha e artesanalmente, além de outros aspectos, tipo não ter mais de 35 centímetros de diâmetro.

Quer uma boa notícia? O objetivo dessa associação é levar a receita original para pizzarias que estejam perto de você.

Veja também: A história da Pizza: de Nápoles para o mundo

pizza napolitanaFoto: Valerio Capello, Wikimedia Commons

Outros pratos típicos da Itália

Nosso mapa gastronômico da Itália poderia incluir outros nomes famosos. Tipo o queijo pecorino toscano, o manjericão (e o pesto) genovês, a bisteca Fiorentina, que é típica de Florença… e ainda têm aqueles pratos que não são italianos de origem, mas criados por imigrantes que foram viver em outros países. Tipo arroz à piemontese.

Seja italiano de origem ou não, uma coisa é certa: a Itália é fundamental para a gastronomia do mundo. Prova disso é que esses produtos são protegidos por lei. É que a União Europeia tomou medidas para proteger produtos artesanais que fazem parte do patrimônio de cada país.

A regra tem nome: Denominação de Origem Protegida. Isso significa que muitos queijos podem dizer que são “do tipo Parmesão”, mas só os produzidos pela receita de Parma levam o selo de Parmigiano-Reggiano. Está curioso para conhecer quais são as comidas com denominação de origem protegida da Itália? Clique aqui. Mas já aviso que a lista é enorme.

comida italiana típica

Clube Grandes Viajantes

Olá, somos a Luíza Antunes, o Rafael Sette Câmara e a Natália Becattini. Há 10 anos fazemos o 360meridianos, um blog que nasceu da nossa vontade de conhecer outras terras, outros povos, outras formas de ver o mundo. Mas nós começamos a sonhar com a estrada ainda crianças e sem sair de casa, por meio de livros sobre lugares fantásticos. A gente acredita que algumas das histórias mais incríveis do mundo são sobre viagens: a Ilíada, de Homero, Dom Quixote, de Cervantes; Harry Potter, Senhor dos Anéis e Guerra dos Tronos. Todo bom livro é uma viagem no tempo e no espaço. E foi por isso que nasceu o Grandes Viajantes: o clube literário do 360meridianos. Uma comunidade feita para você que ama ler, escrever e viajar.

Somos especialistas em achar livros raros, já esquecidos pelo tempo. Fazemos a curadoria de crônicas, contos e histórias de escritores e escritoras incríveis, que atualizamos numa edição moderna e bonita. A cada mês você receberá em seu e-mail uma nova aventura sempre no formato de livro digital, que são super práticos, para você ler onde, quando e como quiser.

Além do livro raro e do bônus exclusivo, recompensas que todos os nossos associados recebem, oferecemos duas experiências diferentes à sua escolha:

1) Para quem quer se aprofundar nas histórias e conhecer pessoas com interesses parecidos;< br/>
2) Para quem, além de ler, também quer escrever seus relatos.

Conheça cada uma das categorias e escolha a que combina melhor com você. Venha fazer parte do Clube Grandes Viajantes.

recompensas clube recompensas clube


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários sobre o texto “Comida típica italiana: oito pratos e produtos que você precisa provar

  1. realmente os variados temas, as descriçoes esmiuçadas e principalmente a honestidade dos textos e das informaçoes me surpreende positivamente a cada lida e relida. Parabens vcs não são simples blogueiros vcs poderiam ser chamados de guias das coisas boas pelas viagens neste mundo. Sou grato e torço para que continuem a nos brindar com essas informaçoes e dicas tão bem descritas e oportunas. Abraço.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.