fbpx

A Tamborada de San Sebastián, no País Basco

No século 19, as tropas napoleônicas varriam a Europa. De território em território, tomaram a Espanha. Era inevitável que, em algum momento, fossem parar em San Sebastián e destruíssem a cidade com um incêndio. E assim foi. Quando marchavam pelas ruas, os soldados tocavam seus tambores, lembrando a todos de sua presença. Também era costume na época que as mulheres fossem buscar água nas fontes. No caminho, ouviam as batidas dos franceses e respondiam, como uma forma de desafio e resistência, batendo em suas moringas.

De protesto, a guerra de percussões se tornou tradição. Todos os anos, à meia noite em ponto do dia 20 de janeiro, dia do patrono da cidade, milhares de pessoas se reúnem na Praça de la Constituición, no centro histórico de San Sebastián para ver o prefeito hastear a bandeira da cidade e os tambores começarem a soar. Pelas próximas 24 horas, sempre haverá, em algum ponto da cidade, uma tamborada tocando as marchas tradicionais de San Sebastián.

Tamborada de San Sebastián

A festa envolve todo mundo. São 15.000 donostiarras (como são chamados os nativos dali) e 100 bandas diferentes percorrendo as ruas com seus tambores e barris. E eles são muito fiéis às tradições. Quem participa das tamboradas se veste de acordo. Os que levam os tambores se fantasiam de soldados franceses. As mulheres que levam os barris se vestem de camponesas, com as roupas tradicionais bascas, mas também podem aparecer, junto com os homens de cozinheiras. Isso porque as Sociedades Culinárias dali são grandes responsáveis pelo sucesso do evento. Foram delas que surgiram a maior parte das bandas.

As tamboradas são formadas por algo entre 20 – 50 tambores e entre 50 – 100 barris, acompanhados de uma banda musical e um porta-bandeiras. Em algumas, nas mais tradicionais, as mulheres não podem tocar, seguem a banda atrás, levando objetos tradicionais e de cozinha. Em outras, elas só podem tocar o barril. Esses costumes, no entanto, estão enfraquecendo e cada vez mais as bandas se abrem para elas. As crianças também participam da festa: a manhã dos dia 20 pertencem a eles. Cada escola local tem sua própria tamborada e é lá que eles aprendem desde cedo a tocas os instrumentos e a cantar as músicas que dão ritmo à celebração.

Tamborada Donóstia

Durante todo o dia de San Sebastián, as únicas marchas que podem soar são as tradicionais. Nos últimos minutos do dia, a multidão volta a se reunir na Plaza de la Constituición e a bandeira é baixada, dando fim ao evento. A partir daí, tudo é permitido e as ruas viram pura festa.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.

Fotos: Shutterstock

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 comentários sobre o texto “A Tamborada de San Sebastián, no País Basco

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.