Como viajar pelo mundo durante um ano

Como viajar pelo mundo durante um ano

Minha mãe sonhou que eu ia viajar o mundo inteiro. Como eu só fui entrar num avião aos 23 anos, é óbvio que não acreditei nas premonições dela. Até que eu trombei com uma viagem de volta ao mundo, algo que eu não achava ser uma possibilidade real antes de agosto de 2011. Primeiro como brincadeira, depois levando a sério, eu, Naty e Lu cogitamos comprar uma dessas passagens de volta ao mundo e largar tudo para viajar durante um ano.

Alguns dias depois que uma mesa de bar testemunhou essa conversa, compramos a passagem. Eu só tinha dinheiro para pagar metade do valor dela e nada para pagar os outros gastos de um ano sabático inteiro. Só compramos as passagens. Ponto. Inconsequente? Muito. Mas esse ato irresponsável mudou nossas vidas para sempre. Neste post eu vou te contar como é possível viajar ao redor do mundo por um ano, uma experiência que eu sinceramente desejo que você tenha.

Como conseguir o dinheiro?

Eu resolvi fazer um empréstimo para pagar a viagem. Antes que você torça o nariz para isso, pare e pense em todos que financiam carros, casas e produtos que eles não necessariamente precisam para levar um estilo de vida que eles não necessariamente querem.

Eu escolhi financiar um sonho e não me arrependo disso. Numa sexta-feira, assinei o empréstimo no banco e recebi a certeza de que o dinheiro chegaria na segunda. Com o dólar começando sua escalada, optei por comprar a passagem antes do empréstimo chegar. Na semana seguinte o banco tinha cancelado o empréstimo e o dólar tinha subido de forma absurda.

Não perca: Baixe agora o ebook “Como viajar pelo mundo por um ano”

Foram dias tensos: fizemos loucura? E agora? Outro empréstimo surgiu, eu adquiri ódio eterno pelo tal banco e o problema foi resolvido. Para minha sorte, no confronto juros do cheque especial x aumento do dólar eu levei uma baita vantagem.  Mais tarde, vendi meu carro. Ou melhor, a parte dele que eu já tinha quitado. Nos dois meses antes de viajar, trabalhei em dois empregos. Houve momentos em que eu tive os dois empregos junto com frilas.

Esse é meu relato, minha história. Não estou dizendo para você pegar um empréstimo, vender alguma coisa ou se matar de tanto trabalhar para juntar grana. Meu único ponto aqui é que não é preciso ser rico para viajar um ano inteiro ao redor do mundo.

religião na Tailândia

Vamos falar de dinheiro? Eu viajei durante 10 meses, visitei 14 países e gastei cerca de R$ 25 mil. Não, eu nunca vi um valor desses na minha frente. Antes da viagem isso era muito dinheiro para mim. Hoje eu duvido que você ache alguém que tenha feito uma viagem tão longa com tão pouco.

Esse não precisa ser o seu orçamento, afinal tem quem queira coisas que eu não fiz muita questão, tipo conforto. Mas saiba que é possível – eu estou aqui para provar. Vale dizer ainda que o preço do dólar mudou de lá para cá, o que pode aumentar um pouco o custo de uma viagem assim. Eu disse um pouco: ainda é possível viajar o mundo com um valor bem parecido.

E voltamos para a pergunta inicial: como conseguir o dinheiro? Essa resposta quem vai dar é você. Pense em tudo que você gasta com coisas desnecessárias. No meu caso, por exemplo, eu gastava cerca de mil reais por mês com um carro, entre prestações do financiamento, gasolina e manutenção. Desde que me desfiz dele, nunca senti falta.

Faça um orçamento de viagem. Pense em quanto você precisa e corra atrás. Uma coisa boa: quem pretende viajar por um ano provavelmente vai ter que ficar desempregado antes de entrar no avião. Ao conseguir tempo, você pode garantir também algum dinheiro na sua rescisão contratual.

Como conseguir tempo para um ano sabático?

Nós chutamos o balde. A Naty e a Luiza simplesmente pediram demissão e se jogaram no mundo. Eu trabalhava numa empresa que tem a política de ceder licenças não remuneradas. A parte boa disso foi que eu voltei empregado – coloquei os pés no Brasil e uma semana depois já estava de volta ao trabalho, pronto para pagar dívidas. A parte ruim foi que eu não tive o dinheiro do acerto para viajar, justamente o que me fez adquirir as dívidas.

Se você é jovem, sem filhos e sem grandes responsabilidades familiares, o que te impede de tirar um ano sabático? Nos ensinam que o trabalho de nove às seis é a única vida possível para uma pessoa séria e responsável. Eu tinha um trabalho desses, um que muita gente consideraria bom, numa puta empresa. Mas eu era um profissional completamente infeliz. Qual era o ponto de simplesmente deixar a vida seguir seu fluxo natural?

Corremos o nosso risco e valeu a pena. Voltamos ao Brasil e o fantasma do desemprego  não nos pegou. Semanas depois nós três estávamos empregados – três meses depois eu larguei aquela empresa e me mudei para São Paulo, onde arrumei outro trampo.

Fazer uma viagem de volta ao mundo pode ser também um grande diferencial no seu currículo. Hoje, quando vou fazer uma entrevista de emprego, minha experiência no exterior e minha viagem de volta ao mundo muitas vezes chamam mais atenção do que aquela empresa fodona onde já trabalhei.

Como viajar pelo mundo durante um ano

No Peru

“Tudo bem, eu acredito que tirar um ano sabático traz benefícios. Mas eu tenho filhos para criar, tenho família, um cachorro… não posso largar tudo”. Eu jamais incentivaria um pai abandonar um filho ou um dono abandonar seu cão. O fato é que essa não era minha situação, o que facilitou a decisão para mim. Mas acredito que não podemos achar que uma responsabilidade maior é necessariamente um obstáculo intransponível.

Já li histórias de gente que viaja o mundo inteiro e leva o cachorro. Sei de casais que embarcam numa viagem sem previsão de fim. Já ouvi vários casos de pais que levam os três filhos na jornada, de uma mãe que deu à luz enquanto viajava e de uma família com CINCO filhos que viajam com os pais. Tem quem rode o mundo numa cadeira de rodas. Você até pode achar que isso não é para você, só não diga que é impossível. Só não diga que você não faz porque não tem tempo.

Como diabos eu planejo uma viagem dessas?

A questão da logística também depende do viajante. A forma mais fácil de rodar o mundo é, obviamente, de avião, a não ser que você encontre alguma chave de portal por aí. E se você resolver ir de avião, a forma mais simples é comprando uma passagem de volta ao mundo, ou RTW ticket, nas iniciais em inglês. Foi essa a nossa opção. Gastamos US$ 3,7 mil com passagens para 13 países. Na Ásia, optamos por comprar algumas passagens por fora da tarifa, o que custou uns mil reais.

Mas essa não é a única saída. Também é possível fazer uma longa viagem de carro, de moto, de navio, de trem, de ônibus, de bicicleta e até mesmo a pé. Muitos viajantes já rodaram o globo de todas essas formas, e não faltam relatos na internet para mostrar como é possível realizar o sonho de viajar durante longos meses, independente de qual seja o transporte escolhido.

 Nova Zelândia: Como viajar pelo mundo durante um ano

Na Nova Zelândia

Além do transporte, é necessário se preocupar com as questões burocráticas, tipo tirar os vistos dos países que exigem isso, tomar as vacinas necessárias e separar os documentos exigidos. Como nós tivemos menos de dois meses para planejar nossa viagem de volta ao mundo, escolhemos visitar apenas países que não exigem visto para brasileiros ou que só demandam visto de fronteira, aquele que pode ser tirado na hora da chegada no aeroporto. A única exceção ficou por conta da Índia, país onde moramos durante alguns meses.

Mas não é perigoso?

Nunca foi tão seguro viajar ao redor do mundo, mas isso não significa que seja uma aventura sem riscos. Desde que os brasileiros invadiram o mundo, nós passamos a receber notícias constantes de gente que se perde, fica ferida ou morre no exterior. Como em qualquer outra situação da vida, é simplesmente impossível prever o futuro.

Uma pessoa pode optar por nunca sair do próprio bairro e morrer por causa de um tombo durante o banho ou outro acidente estúpido. Por outro lado, todos os dias milhões de pessoas  viajam e a maioria esmagadora delas volta em segurança para casa. O resto do mundo, em geral, não é mais perigoso que o lugar onde você mora, ainda mais se você mora no Brasil.

Paris, França

Isso não significa que você deva se expor a situações de risco real. Eu jamais iria para um país em guerra, ou com situação política complicada, ou onde a visita seja desaconselhada pela ONU e pelo governo brasileiro.  Já nos recusamos a entrar num avião, no Nepal, quando uma família cheia de boas intenções tentou nos oferecer as milhas aéreas deles numa companhia de qualidade duvidosa para nos ajudar a fugir de uma manifestação política. Já me recusei a entrar em um ônibus em péssimo estado de conservação. Não andei durante a noite por lugares ermos e em becos escuros. Enfim, fui cuidadoso, exatamente como eu seria aqui no Brasil. Por outro lado, não tenho preconceitos para visitar um país seguro, mas que a maioria prefere nem passar perto simplesmente porque não é um destino cool.

Podemos tomar algumas medidas para diminuir ainda mais os riscos. É simplesmente impensável sair do país sem contratar um seguro de viagem, por exemplo. A Luíza acionou o dela quando estávamos na Índia. Eu acionei o meu durante minha viagem para a África do Sul. Além disso, conhecer as  leis de cada país pode evitar muitos problemas.

Cingapura, Ásia

Em Cingapura

Devo viajar pelo mundo durante um ano?

Se você é do tipo que sonha com a possibilidade de tirar um ano sabático e decidir que isso é algo que precisa fazer na vida, simplesmente acorde e vá. E não pense que isso significa que você não tem raízes ou é algum tipo de vagabundo irresponsável. Nunca deixe de observar suas próprias circunstâncias, claro, mas não fique intimidado por supostos obstáculos. Minha experiência me mostrou que muitas vezes criamos impedimentos que não existem simplesmente porque temos medo de realizar os nossos sonhos.

Nosso tempo nesse mundo é limitado a algumas décadas, isso quando temos sorte. Não sei você, mas eu optei por não perder anos valiosos vivendo uma vida que eu não gosto ou que outras pessoas disseram que seria boa para mim. Hoje, nada me dá mais medo do que a jaula representada pelo estilo de vida dito “normal”. Hoje, percebi que viajar virou sinônimo de liberdade.

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

218 comentários em Como viajar pelo mundo durante um ano

  1. Ola, queria dizer que achei o seu texto falando sobre sua viagem DEMAIS tudo o que vocês fizeram é o sonho da vida,
    Sou jovem, estou cursando o ensino médio ainda, mas quando para pensar o rumo que minha vida está tomando fico bem chateado porque minha família paga escola para que eu estude bastante passe em uma faculdade e fique mais 6 anos da minha vida estudando para quando finalmente acabar passar o resto da minha vida preso a um trabalho e contente com o emprego e a VIDA NORMAL trabalho, casa, filhos, e viver essa rotina,isso me assusta. Não estou dissendo que estudar e trabalhar sejam algo irrelevantes, eu adoro estudar, mas o fato é que nao quero passar anos da minha vida estudando para ter como ecompensa um trabalho fixo e chato e ficar anos naquela rotina.
    O meu sonho é pegar minha mochila e sair pelo mundo para conhecer pessoas novas, culturas novas, lugares novos mas tenho certeza que si eu dizer isso a minha familia iram dizer que vou virar uma vagabundo,
    Queria saber si voces passaram por problemas parecidos com suas famílias amigos e coisaa do tipo,
    E é isso, ficarei muito agradecido si me responder vlw

    • Oi, Vinícius.

      Nossas famílias ficam preocupadas até hoje. Mas a questão é que nós fizemos mais que viajar: a gente aproveitou a oportunidade que essa viagem ofereceu. Hoje vivemos viajando e ganhamos a vida escrevendo sobre destinos incríveis. Então teve um investimento profissional também. :)

      Mas devo dizer que nós fizemos essa viagem depois da universidade. Isso não quer dizer que tenha que ser assim, mas que, no nosso caso, os benefícios foram melhores pois estávamos preparados para aproveitá-los bem, inclusive profissionalmente.

      Abraço e obrigado pelo comentário.

  2. Boa noite Rafael, eu já comecei meu planejamento para uma volta ao mundo daqui dois anos, inclusive já estou juntando o dinheiro, mas por vezes penso que talvez não seja possível para mim juntar os 30 mil que desejo para iniciar a viagem, então penso em talvez fazer um empréstimo, mas fico na dúvida, em que banco e modalidade de empréstimo você conseguiu? É difícil um empréstimo para esse tipo de finalidade?

    Até mais,

  3. QUERO VIAJAR PELO MUNDO E PROCURO ALGUEM PARA JUNTOS(AS) ORGANIZARMOS UMA BELA VIAGEM ..FOTOGRAFANDO, CATALOGANDO TUDO QUE FIZERMOS E POSTERIORMENTE EDITARMOS UM LIVRO COM NOSSAS EXPERIENCIAS. PRETENDO FAZER PRIMEIRO DE CARRO TODO O BRASIL E AMERICA DO SUL . JA CONHEçO TODOS OS ESTADOS BRASILEIROS E QUASE TODOS OS PAISES DA AMERICA DO SUL MAS QUERO REFAZE-LOS COM UM COMPANHEIRO(A) DE VIAGEM QUE TENHA FACILIDADE EM FOTOGRAFAR . AGUARDO RETORNO . RESIDO NA SUIçA HA VARIOS ANOS, SOU CIDADA SUIçA E QUERO VIAJAR PELO MUNDO COM UMA PESSOA ESPECIAL… VOCE.

    • Olá

      Sônia tudo bem?

      Li sua mensagem e gostei muito da programação de sua viagem.

      Moro no Brasil em São Paulo no bairro da mooca, tenho 30 anos e estou querendo fazer esta volta ao mundo este ano ainda.

      Gostaria de saber mais sobre você e oq planeja neta longa viagem?

      Aguardo seu retorno

      Beijos de luz

  4. Que post genial! Parabéns pela experiência e por encorajar tantas pessoas a realizarem aquilo que de fato tem vontade. Sempre tive vontade de viajar mas nunca passou de meros planos. Mas acho que chegou a hora de realizar isso!

    Tenho algumas dúvidas ainda quanto ao planejamento e a organização dessa façanha. Tô meio perdida e não sei por onde começar. Vocês foram responsáveis pela organização e planejamento? Ou contrataram alguma agência que o fez? Qual agência vocês usaram para comprar as passagens? Socorro! Fiquei mega ansiosa para colocar tudo em prática. Planejo estar partindo em Jul/2016.

    Muito obrigada desde já.

    Beijo

    • Oi, Tayline.

      Nós organizamos tudo. A agência só emitiu as passagens, por conta do nosso limite de cartão de crédito, que era baixo. Foi a Central do Intercâmbio.

      Em breve teremos uma novidade que deve ajudar no seu planejamento. :)

  5. Oi, Rafael! Parabéns e obrigada por compartilhar suas experiências! :-) Estou programando uma volta pela América Latina. 2 anos talvez. :-O rs Mas no meu caso, vou ao mesmo tempo trabalhando online, embora ainda esteja começando como empreendedora. Uma das coisas que mais me preocupam no momento é a questão de como lidar com as diferentes moedas, nos diferentes países. As taxas são loucas. Compensa usar o cartão de crédito para ter mais segurança e menos trabalho? Como você fez pulando de país em país? Um abraço e vamo que vamo… \o/

  6. Minha meta é dar a volta ao mundo de forma mais espaçada. Comecei pelo próprio Brasil, conhecendo um pouco do Nordeste e Norte. Ano passado fui para Patagônia Argentina e Chilena, passando por Uruguai e Antartida. Trabalhei mais um ano, parcelei a passagem aérea, planejei e paguei por mês hotéis, seguros, est ao longo do ano e para com meu 13º paguei os gastos extras na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda. Voltei mês passado, agora já reinicio a mesma coisa, pago mensalmente durante 10 meses minha próxima viagem, com passagem, etc e sempre guardo um pouco para os extras. Tenho um emprego fixo, meu salário é razoável, porém, evito ao máximo o consumismo a fim de poupar para minhas viagens. A próxima provavelmente será França, Itália, Grécia e Turquia. Com isso, estarei sem dívidas, com emprego e estabilidade garantidos, e girando o mundo (já com 11 países na conta). É uma outra maneira de rodar o mundo,pra quem não tem esse desprendimento todo.

  7. Cara, domingo eu estava conversando com um amigo que planeja fazer um mochilão pela Europa e Ásia e eu pretendo fazer um intercâmbio em 2016. Me inspirei demais nesse post e já tracei como meta fazer uma volta ao mundo até os meus 26 anos, estou atualmente com 20. Parabéns pela iniciativa e quero estreitar contato contigo. Abraços.

    • Oi Lais,

      Só vi seu comentário agora.

      É barato mesmo. Com a alta do dólar certamente vai ficar mais do que isso, mas dá para fazer uma viagem dessas ainda.

      Abraço.

  8. Oii!! Primeiramente, gostaria de parabenizá-los pela excelente iniciativa de dividir as maravilhas e também os percalços que podem acontecer durante uma viagem. Várias dicas que eu li no site, já coloquei no meu itinerário 😉

    Não vou tirar 1 ano sabático, apenas 6 meses. A minha dúvida é: Estou saindo de Manaus rumo a Bélgica. Tenho um amigo lá e em mais dois países da Europa. Então, o gasto com a hospedagem não terei. Esses amigos já me enviaram a carta convite para eu apresentar na imigração, mas eu estou com medo de ficar presa na imigração da Bélgica, pois a minha passagem está marcada para retorno em maio. Mas, não ficarei na Europa todos esses meses, ficarei no máximo 1 mês e meio. Os meses restantes, ficarei com um amigo que tem residência fixa na Ásia. Ficarei estudando e quem sabe trabalhando. Como eu posso comprovar que eu não tenho a intenção de permanecer todos os meses nesse país (Bélgica)? Vocês acham que eu terei problemas na imigração?

    Estou aflita, e com isso, estou pensando em reduzir a minha viagem para apenas 2 meses.

    E antecipadamente, obrigada por qualquer ajuda que puderem me dar!

    • Eu acho que provavelmente não vão te pedir nada (a única vez que me pediram passagem de saída foi na Nova Zelândia). Mas, em todo caso, você pode comprovar isso com uma passagem de saída do espaço europeu.

      Como você vai para a Ásia? De avião? Trem? Se for, imprima essa passagem e leve com você. Quando ele te perguntar quando você vai sair da União Europeia, você diz a data da saída para a Ásia. Se ele pedir, mostre o papel.

      Mas, na boa, acho que não vão te pedir nada não. :)

      Boa sorte.

      • Oiii!!

        Ahh, dei uma de doida e mudei o meu retorno! Volto em agosto :O

        Vou de avião para Ásia, mas vou comprar a minha passagem lá na Bélgica ou na Holanda, ainda não decidi. Mas, já tenho a carta de inscrição da escola que eu vou estudar na Ásia e a carta convite do meu amigo que mora na lá! Vai ser muita falta de sorte minha se mesmo assim, a imigração encrencar com a minha cara.

        E a respeito do seguro saúde? eles realmente exigem? Aqui em Manaus os valores estão tipo, exooorrbitantes, quase o valor da passagem. Eu estava pensando em fazer um, apenas para os dias que eu vou ficar na Europa e na Ásia eu faço outro, pois lá é muitooooo baratinho.

        Tomara que você esteja certo e eles não me peçam nada!!

        • Nunca me pediram, Dayana, em nenhum país.

          Seguro é caro mesmo. Mas, de qualquer forma, eu francamente não viajaria sem.

          É o tipo de coisa que a gente compra e torce para estar jogando dinheiro fora, torce pra nunca usar. Mas, se rola alguma coisa ruim, o seguro pode salvar vidas.

  9. Que Maravilha q eu achei o site de voces.
    Tenho 26 anos e exatamente ontem cai na real q eu posso ir pra qlq lugar do mundo. Por que nao uma volta ao mundo?
    Vejo q nao sou a unica doida. rs
    obrigada pelas dicas… vou namorar esse site por alguns dias =))

  10. ololha meus parabens pelo poster.
    Tenho 17 anos e sou apaixonada por viajem estou planejando uma para abril do ano q vem.
    Tambem estou sozinha e amo fazer novos amigos qm quiser me acompanhar e so falar.
    Meu whatsapp e +556291701802

  11. Ótimo texto! Sempre quis dar a volta ao mundo… Parece coisa de loucos né? Toda vez que eu vou viajar pra algum país o povo fala isso, imagina quando eu for dar a volta ao mundo? hahaha Só aviso quando voltar! 😀

  12. Fala, Rafael. Primeiro parabéns pelo blog! Sensacional. Fazendo uma lista com cinco itens, o que vc diria como os primeiros passos para quem quer fazer uma viagem de volta ao mundo daqui um ano? Abs!

    • Oi, Daniel.

      Desculpa aí, só vi seu comentário agora.

      Bom, 1) pense um roteiro ideal 2) faça as contas e pense em quando dinheiro você precisa 3) planeje e crie metas para conseguir esse dinheiro. Siga esse planejamento de forma séria 4) Mais próximo da data da viagem (3, 4 meses antes) comece a organização em si. Vistos, passagens, hotéis, etc 5) Leia o tempo todo sobre o assunto. E não desista, por mais que pareça ser difícil. É mesmo. Mas é preciso ter uma planejamento e muita vontade.

      Abraço

  13. ola tenho 15 pra 16 anos, desde sempre quis conhecer o mundo todo, agora ainda mais que estou meio perdido na vida sem rumo, sem saber oq fazer, penso que viajando por um tempo minha mente se abra para novos assuntos, entao gostaria de pergunta se eu ja posso começa a planejar uma viajem pra quando tiver uns 18, 19 ou 20 anos, ou e melhor esperar um pouco, nao tem chances de desistir deste sonho pois tem muito tempo q sonho com isso tudo que quero e isso, entao eu ja poderia começa organizar desde agora, nunca falei nada com ninguem mas tenho certeza que minha familia me apoia e ajuda. E eu gostaria tambem d saber como posso organiza essa possivel viajem e possiveis destinos, gosto tanto d cidades grandes quanto pequenas, populosas quanto paradisiacas.

    • Estar perdido na vida é normal, Felipe, ainda mais nessa idade.

      Vai planejando com calma, pensando os lugares que você quer visitar, amadurecendo a ideia. Ainda é muito cedo para começar a comprar as coisas e reservar as passagens, mas você já pode sonhar um pouco. =)

      Abraço.

  14. Muito bom !!! Eu tenho o objetivo de virar fotografo e depois de adquirir experiencia, começar a viajar e ir trabalhando e tirando o meu sustento do trabalho, sendo um freelancer, você acha que da certo ? Tenho uma dúvida em relação aos vistos, como funciona, por quanto tempo voce pode ficar no pais e da para “renovar” ? Se tiver algum site que fale dos vistos ou das medidas de segurança que devemos tomar em outros paises, peço que me passe por favor …

    Mais uma vez um ótimo texto que cada vez mais serve de incentivo para nós, abraços !!

  15. O blog de vcs me fez sonhar, a forma como vcs contam cada experiência é apaixonante, já tinha o objetivo de conhecer a Índia e já ia ser mega difícil, e agora graças a vcs pretendo fazer uma volta ao mundo e passar ao menos um ano viajando vou ter que trabalhar horrores já que não tenho coragem de fazer empréstimos, mas vou dar o meu melhor nos próximos anos pra conseguir o dinheiro necessário.
    Obrigado por compartilhar o que vcs viveram, isso me fez acreditar mais no que eu ainda posso viver.

    • Muito obrigado pelos elogios, Lorenna.

      Com planejamento você consegue fazer tudo isso, tenho certeza. A questão é não perder o objetivo de vista e traçar metas, planos. =)

      Abraço!

  16. Oi Rafael! Adorei sua história, realmente muito inspiradora. Às vezes rola essa vontade de chutar o balde e sair por aí, né? A diferença é que tem gente que com o tempo vai reprimindo essa vontade por impor a si próprio muitos obstáculos que, na maioria das vezes, nem existem. Tenho 18 anos, e vou morar em outro estado pra fazer faculdade ( Sair de SP e ir pra Minas), o que eu já considero uma ”preparação” pra me jogar no mundo, afinal, é um começo. Sair da casa dos pais e, consequentemente, da zona de conforto, pra morar em república, lavar e passar a própria roupa e cozinhar, eu já considero uma boa base do ”Manual basicão do Mochileiro”.
    Bom, eu pretendo colocar esse plano da volta ao mundo após a faculdade só, e queria alguém pra me acompanhar ( de preferência um namorado). Mas se não rolar, o que você acha de uma menina viajando sozinha? é muito perigoso? você aconselharia? E outra, viajar sozinho ou com alguma companhia? Prós e contras?
    Enfim, adorei sua jornada… afinal o mundo é grande e a nossa vida é curta!!

      • Eu ja acho que India e Nepal tem que ter um plan3jamento pelo menos nas primeiras semanas. TIPO onde se hospedar! Eu ja viajei muito e sempre decidia em cima da hora. ACONTECE que acabei gastando mais com hospedagem e passagem de ultima hora. Os trens tambem tem certa epoca do ano qque ficam lotados. Viajei sozinha e unico perigo eh viajar de onibus durante a noite. Tambem as mulheres devem respeitar os costumes de cada lugar. VI europeias de shortinho , blusa transparente. PARA OS INDIANOS O OMBRO EH MUITO SEXY! Entao tratem de cobrir os ombros para nao chamar atencao. E BOA VIAGEM! FIQUEI 06 MESES! VOLTEI AGORA E JAH PLANEJO VOLTAR

        • Oi Marilene,

          Estou planejando uma viagem pra India pro ano que vem e pretendo ficar pelo menos seis meses. Tbm vou sozinha porque é difícil arranjar alguém pra ir junto. Queria saber se você foi por conta ou por alguma agência.
          Obrigada!

  17. Oi Rafael! Tudo bem? Adorei seu texto!
    Quero fazer uma volta ao mundo sozinha ano que vem. Não tenho a grana necessária para bancar a viagem toda e não quero fazer empréstimo. Que países você acha que consigo trabalhar durante a viagem??
    Obrigada desde já!

  18. oi Rafael, parabéns pela coragem e dedicação !
    depois de ler sua história minha vontade de viajar só quadruplicou !!
    já combinei com meu amigo e vamos fazer a viagem ..
    queria que vc tirasse algumas dúvidas minhas:
    1- temos 18 anos e estamos planejando a viagem pra daqui a 2 anos, vc acha que a idade é boa ou devemos esperar mais ?
    2- faço Med. Veterinária e até lá não terei concluido o curso ainda, vc acha que devo concluir o curso primeiro ou trancar é uma boa ?
    3- vc poderia nos passar uma boa rota de viagem ?
    grato .. 😀

    • Oi, João. Obrigado!

      Vamos lá:

      1) Complicado responder isso. Depende de vocês. No exterior, muita gente faz uma viagem dessas entre a saída da Escola e a entrada na Faculdade, ou seja, com 18 anos. Aqui no Brasil quem viaja desse jeito costuma ser um pouco mais velho, em torno de 25 anos. Isso porque muita gente cai na estrada depois da faculdade. Enfim, não há resposta certa para essa pergunta. Depende de vocês.

      2) Outra pergunta complicada, hahaha. Olha, eu não tranquei a faculdade para viajar. Nem a Naty e a Luiza, outras blogueiras do 360. Todo mundo foi depois de formado. Por outro lado, muita gente tranca a faculdade para fazer intercâmbio. E uma viagem de volta ao mundo não deixa de ser uma grande experiência. Você tem que pensar e ver se vale a pena esperar um pouco mais ou ir no meio da faculdade mesmo.

      3)Você pode fazer em dois sentidos: começando pela Europa ou pela Ásia. Francamente, para quem nunca foi ao exterior pode ser melhor começar pela Europa, que oferece um choque cultural menor. Nosso roteiro foi assim: Espanha, Itália, França, Inglaterra, Índia, Nepal, China, Malásia, Tailândia, Cingapura, Indonésia, Nova Zelândia, Chile e Peru.

      Esses dois textos aqui podem te ajudar no planejamento:

      http://www.360meridianos.com/2012/11/como-funciona-a-passagem-de-volta-ao-mundo.html

      http://www.360meridianos.com/2013/03/roteiro-de-viagem-volta-ao-mundo.html

      Abraço!

  19. Rafael! Estou planejando uma volta ao mundo com meu noivo (que será já marido na época) mas estamos passando por uns perrengues: ele é muito econômico e desencanado do tipo que dorme em qualquer lugar, come qualquer coisa e não reclamada de nada.. Mas eu prezo um pouco pela higiene, não como absolutamente qualquer coisa e gosto faço questão de um pouquinho mais de conforto (NADA DE LUXO, mas conforto). Então ele está jogando o orçamento necessário la pra baixo e eu lá pra cima para tentar equilibrar hahaha. Você tem uma média de dólares diários necessários para os países? Europa em geral, inclusive Leste Europeu na maior parte do tempo, África do Sul, Austrália, Egito, China, Índia, Tailândia, Indonesia, América do Sul vários … Li vários blogs que falam que não da pra ir pra Europa com menos de 80 euros por dia e isso está me apavorando. Planejamos viajar por um ano e vamos equilibrar 3 meses na Europa com lugares bem baratos como Tailândia e India… Me dá uma luz aí sobre quanto gastar NO LIMITE! (Aí eu tento equilibrar um pouquinho mais pra cima… pq se depender do meu noivo a gente leva 20 mil dólares pro ano todo. Será que dá?) São 34 países.

    • Oi, Caroline.

      Que legal a sua viagem! 34 países! Inveja de você! hahaha

      Então, essa questão de orçamento é muito delicada e pessoal. Exemplo: na minha primeira passagem pela Europa, calculei o gasto de 80 euros por dia. Fiquei 18 dias lá e depois segui para a Ásia, então não havia necessidade de economizar muito.

      No fim, acho que gastamos cerca de 75 euros por dia. Na Espanha foi muito menos que isso, mas na Inglaterra e na França o custo chegou perto dos 80.

      Dá para fazer com menos de 80 por dia? Dá. Ano passado fiquei dois meses na Europa, com um orçamento de 60 euros por dia. E fiz um pouco abaixo disso até. A questão é que em alguns lugares a única opção para ficar dentro do orçamento acaba sendo quarto coletivo de albergue, tipo Roma, Paris e Londres, por exemplo. Bons albergues, lugares confortáveis, mas dividindo o quarto. Já em Madri, Lisboa, Praga, Berlim e outras cidades você consegue ficar num hotel simples, mas confortável, e se manter no orçamento.

      O Leste Europeu é muito barato, acho que dá para pensar em menos de 50 euros por dia, com tranquilidade. No Sudeste asiático nosso gasto foi de 30 dólares por dia, mas acho que se você subir para 40 a coisa fica mais confortável.

      Qualquer dúvida é só falar! Não sei se respondi tudo. hehe

      Abraço.

  20. Meu Deus, eu fiquei encantada com a sua história. Eu ainda sou de menor, fiz 16 anos há 4 dias, mas meu maior sonho é viajar o mundo todo, ou pelo menos os lugares que eu sempre tive vontade. Eu ainda preciso de muiita coisa pra poder realizar esse sonho, mas prometi a mim mesma que até os 26 anos, daqui 10 anos, eu irei fazer essa viajem, até porque tenho um parente em Londres. Mas é um sonho tão grande, que não enxergo a possibilidade de eu não conseguir. Você é tipo, demais mesmo. Parabéns pela coragem e dedicação ao seu sonho, vc é um exemplo pra mim :)

    • Oi, Amanda! Você vai conseguir sim, até mesmo pelo tanto que você quer isso! E ainda tem muito tempo para planejar tudo direitinho, sonhar bastante…

      Daqui uns anos você me conta, tá?

      E qualquer dúvida é só falar. =)

      Abraço!

    • Amanda, com essa vontade enorme e determinação você vai onde quiser.

      Parece que vc tem uma doença conhecida como “Wanderlust”, parabéns todos aqui no 360 temos

  21. Caraca Rafael , tu serve de inspiração pra qualquer pessoa , e tipo aquela frase ” o impossível só existe ate alguém ir lá e fazer ” , era assim que eu via , pelo que tu descreveu da pra tirar essa associação de que precisa ser multimilionário pra viajar , pelo menos de mim tirou essa venda. Estou muito mais motivado a fazer a minha viajem , e quero tirar umas duvidas ;
    – Questão lugar pra ficar , como vc conseguiu …
    – Estou no segundo período de Engenharia Civil , e quero fazer essa viagem , e bom esperar terminar pra juntar uma grana né ?
    – Caso seja preciso trabalhar la fora , e muito difícil arrumar um emprego…e vc , trabalhou so na empresa de TI
    – Vc ficou quanto tempo em media em cada pais ? tirando a índia…

    • Obrigado, Leandro. =) E essa frase que você falou tem muita verdade mesmo.

      Então, eu normalmente ficava em albergues. A gente reservava pela internet mesmo. Em alguns países, muito baratos, até encarávamos hotéis.

      Se eu fosse você terminava o curso sim. Mas já pensou em fazer um intercâmbio, nas férias da faculdade? De dezembro a fevereiro dá pra fazer muita coisa! O meu intercâmbio foi pela AIESEC, uma organização de jovens universitários. Eles costumam ter vagas de emprego em vários países do mundo. Procura eles. Quem sabe você não faz um intercâmbio e viaja, sem ter que largar a faculdade?

      Na Índia eu fiquei 6 meses. Nós outros países foi menos tempo. 20 dias na Tailândia, 15 na Indonésia… e por aí vai.

      Qualquer coisa é só falar.

      Abraço.

  22. Adorei o post, me deu mais vontade ainda de fazer isso agora. Eu tive a oportunidade de fazer as malas e me mudar pro Japão para trabalhar, mas ainda sonho em conhecer tantos lugares e senti falta de uma coisa no texto… esses R$25 mil que você comentou que gastou com a viagem, isso incluiu o quê? Vocês trabalharam durante a viagem, fora a Índia? (Desculpa se você já tinha respondido isso, mas é que tem comentário pra caramba pra ler todos! hahaha)

    • Oi, Patrícia.

      Esse valor incluiu tudo. Só rola de avisar que na época o dólar estava bem mais barato, então não acho que é possível fazer essa viagem com o mesmo valor.

      Nós trabalhamos durante 4 meses na Índia, numa empresa da TI, ganhando 300 dólares por mês. Parece pouco, mas é muito dinheiro na Índia. Nos sustentamos durante o tempo que passamos lá com esse dinheiro.

      Abraço.

  23. Olá, tudo beeem?? meu sonho é fazer exatamente isso.. que bom que alguns conseguemm..
    bomm.. gostaria de saber se, os seis meses em que permaneceram na india se vcs trabalharam, ou ficaram apenas com o dinheiro que vcs ja tinham? obrigada..

  24. Cara… ja faz um tempo que eu sei que vou fazer essa viagem, ja estou ate com uma pequena parte do dinheiro na mao, mas eu nao faço a miniiiiiima ideia de como começar a me planejar, por onde eu começo pelo amor deus hahhaha!!! faço o roteiro ou compro a passagem?! to empacado! help!!!

    • Oi, Antônio.

      Você vai fazer as duas coisas ao mesmo tempo, na realidade. Entra num simulador de venda de passagens das cias aéreas e vai brincando com seu roteiro, vendo o que se encaixa mais, o que você quer, etc. Aí você vai montando seu roteiro. Na hora que tiver tudo certo, aí é só comprar.

      Dá uma olhada em tudo que a gente já publicou sobre essas viagens mais longas, de volta ao mundo. Você acha os textos aqui:

      http://www.360meridianos.com/organizar-viagem-volta-mundo

      Abraço e boa sorte!

  25. Fico muito feliz em ver historias de pessoas que fizeram o que eu quero fazer. Esse desejo de viajar o mundo veio em mim a pouco tempo, ando pesquisando pessoas como vcs que fizeram isso. O que me deixa com “medo” seria: De que forma conseguir dinheiro pra passar esse tempo?
    Ja pensei em vender meu carro pra poder fazer essa experiencia. INSPIRADOR
    Patrick (19 anos)

    • Oi, Patrick.

      Obrigado pelo comentário. Você pode conseguir isso de várias maneiras, mas não há nenhum milagre.

      Eu mesmo vendi meu carro. Tem quem faça horas extras no trabalho antes de viajar ou trabalhe viajando. O mais importante é ter persistência e planejamento. Dá uma olhada nos outros textos que já publicamos sobre esse assunto. Quem sabe eles não te ajudam:

      http://www.360meridianos.com/organizar-viagem-volta-aomundo

      Abraço!

  26. Olá Rafael, como vai?
    Tenho planos de fazer uma vigem parecida com essa, só que me menos de 10 meses, que sabe uns 6 ou 7. Tenho um ”problema”, sou mulher e queria viajar sozinha, é muito perigoso ou dá para encarar? Obrigada!

    • Oi, Heloisa.

      Desculpe-me pela demora em te responder.

      Não acho que seja muito perigoso não, é só escolher bem os países e tomar alguns cuidados básicos. Inclusive, conheço casos de mulheres que deram a volta ao mundo sozinhas.

      Você gostaria de passar por quais países?

      Abraço!

  27. Que vontade de largar tudo e fazer exatamente isso. Encontrei esse blog “acidentalmente” e me identifiquei muito! Desde criança sonho em conhecer um mundo, hoje, 2 anos de formada e trabalhando (exatamente como nossos pais, 10 horas por dia trancafiada em algo chamado trabalho) e ganhando absolutamente para sobreviver e nada mais, sinto que estou ficando pra trás. Certamente meus pais nunca aprovariam essa “loucura”, ainda mais quando se trata de EMPRESTIMO. Mas desde a faculdade venho pesquisando formas de viajar/estudar/trabalhar fora e mais e mais fico triste, pois requer MUITA grana pra conseguir sequer ficar 1 mês fora! Vou seriamente pensar nisso pra ONTEM! Valeu mesmo, queria ter essa opinião de pessoas que assim como eu, não ganham 5 mil por mês mas sonham em conhecer um mundo la fora! :)

    • Oi, Lia.

      Acho que a melhor forma é encarar essa viagem como um investimento de vida. A gente investe tempo e dinheiro em tantas coisas, por que não numa viagem, né?
      O empréstimo é só uma das formas possíveis. Dá pra trabalhar bastante pelo caminho garantindo o dinheiro da viagem, por exemplo.

      Se planeja direitinho e corre atrás, que vai dar certo. =)

      Abraço.

  28. Buenas Rafa, cara incrível tua historia. Um pouco parecida com aminha.
    Comecei minha vida de mochileiro em 2010, em uma simples viajem para Buenos Aires (por fanático de futebol). Conclusão depois dessa simples viajem larguei um emprego estável de 6 anos, aprendi muito como viver somente com o necessário e descobri outro mundo, descobri que para viajar não precisa de tanto dinheiro como há mídia expõe em suas reportagens. Depois disso 2 mochilhão – 10 países conhecidos e me preparando para logo cair na estrada com a intenção de ficar um ano fora.
    Vou começar pela Ásia e de lá vamos ver pra onde vamos, estou trabalhando a ideia de rolar um documentário, mas isso é um projeto que surgiu nos últimos dias!

    Enfim…
    Boa caminhada mochileiro e tudo de bom.

    Abraços!

    • Opa, Isak!

      Legal sua história! Adoro conhecer gente que curte a vida na estrada. hehehe

      Pô, se for fazer mesmo o documentário ou escrever sobre sua viagem em algum lugar fala com a gente. Seria um prazer acompanhar sua aventura. =)

      Abraço.

  29. Caro Rafael,

    Antes de tudo parabéns pela sua coragem.
    Tenho muita vontade de fazer uma viagem como a sua, mas a zona de conforto, por ter um bom emprego é o que mais segura e também pela pouquíssima habilidade de falar outros idiomas.
    Gostaria de saber se mesmo com a limitação do inglês é possível realizar essa aventura; o que levar na bagagem para não reduzir a quantidade de malas e como se virar no inverno.

  30. Que Post! O melhor que já li! Parabéns Raphael! Com certeza você será minha inspiração daqui para frente. Talvez voce ja tenha respondido isso em outro comentário, mas quais foram os países que você visitou? Queria uma ideia de roteiro pois desejo muito cair na estrada com meu esposo e sair dessa vida careta que voce definiu tão bem. Nunca tinha escutado isso de ninguem, mas sempre tive a ideia de radicalizar na minha cabeça! Mais uma vez parabéns!

  31. Adorei !
    tenho muita vontade de viajar pelo mundo, tenho 16 anos ainda, mais como sou sozinha no mundo minha única vontade é fazer o que vcs fazem !
    encorajador !

  32. me ajudem a viajar o mundo qualquer quantia agradeço deem de coraçao. AG: 7879 CONTA: 17088-9 SOU FELLIPE NEVES, E PRETENDO VIAJAR O MUNDO E FAZER UM FILME SOBRE MINHA VIDA, QUERO MORRER MAS QUERO FALAR QUE JA VI DE TUDO NESSE MUNDO.. AGRADEÇO.. OBS: SO DOEEM A QUANTIA QUE VOCES ACHAREM NECESSARIO PARA EU VIAJAR. E ME TORNAR UMA INSPIRAÇAO PARA MUITA GENTE.. ABRAÇOS A TODOS . E FORÇA E FÉ

    • KKkk
      Ninguém pode dizer que vc não tentou. 😉
      Junta grana, vende carro, vende tvs extras, vende tudo que não precisar e fica com o necessário! Se ninguém vai usar por 1 ano, provavelmente vai estragar mesmo.
      Aproveite sua RTW!
      o/

  33. Olá companheiro de viagem! Eu AMOOOOOOOOOOOOOOOOO VIAJAR e já rodei muito…de todos os jeitos. Hoje a vida mudou muito (não trabalho mais – por motivo de saúde) e a simplicidade é necessária e bem vista…às vezes me pego “rindo sozinha” da minha situação atual. Uma coisa te digo: às vezes acho uma glória “ter problemas” e não trabalhar…com isso adquiri uma LIBERDADE que não tem preço! Em novembro sigo para a India por 06 meses sozinha (minhas amigas chegam em março) e, agora, me dei conta que meu dinheiro acabouuuuuuuuuuu…vou cancelar a reserva de hotal que tinha para os primeiros 6 dias e procuro um HOSTEL SEGURO em Mumbai, Delhi e outras dicas que vc tiver…escrevi para alguns ASHRAMS e espero resposta…Se vc responder ficarei grata
    ADOREIIIIIIIIIIII SUA FORMA DE ESCREVER. parabéns

    • Oi, Marilene.

      Muito legal sua história! Obrigado por comentar aqui. =)

      Então, em Délhi eu fiquei na casa de um amigo, então não tenho nenhum hostel para recomendar. Agora, há hospedagem muito barata na Índia. Para você ter uma ideia, eu nunca cheguei a pagar mais de 25 reais num quarto para duas pessoas. Acho que não compensa muito ficar em hostel por lá não…

      Sobre Mumbai, dá uma olhada nesse post aqui. Falamos lá sobre o hotel em que ficamos.

      http://www.360meridianos.com/2012/02/48-horas-em-mumbai-maratona.html

      Abraço!

  34. Rafael, vc diz que gastou apenas R$25 mil? Só isso? então vc foi comprando moedas de acordo onde estava? Pois o euro e o dolar estão altíssimos. Hoje eu teria 7.500 euros com esta quantia. Acha que atualmente viajo assim com esta quantia?
    grata
    abraço

    • Oi, Lia.

      Eu comprei a passagem de volta ao mundo quando o dólar estava R$ 1,60. Já o dinheiro eu comprei em vários momentos, durante a viagem, com a moeda custando em torno de R$2. Comprava dólar e carregava no meu travel card. Acho que hoje não é possível mais fazer essa viagem com esse dinheiro, mas não ficaria muito mais caro não. Tudo depende dos países que você vai escolher. Eu fiquei meses na Índia, passei pelo sudeste asiático, pela Indonésia e Nepal, todos lugares muito baratos. Os países mais caros que eu fui foram Nova Zelândia (11 dias) e quatro da Europa (Espanha, Itália, França e Inglaterra, por 18 dias). Também estive no Chile e no Peru, que não são exatamente baratinhos, por mais que sejam mais econômicos que a Europa.

      Enfim, acho que hoje a conta fica um pouco mais cara sim. O quão mais cara depende dos países que você escolher e do estilo da viagem (se econômica, mochileira, etc).

      Abraço!

  35. olá Rafael
    Parabéns pela ousadia!
    gostaria de saber como foram suas hospedagens.
    Vc trabalhou em que durante a viagem?
    agradeço por responder, já que penso em fazer uma dessas…
    abraço

    • Oi, Lia. Só trabalhei na Índia, numa empresa de tecnologia da informação. Consegui a vaga por meio da Aiesec, que é uma organização de jovens.

      Sobre as hospedagens, eu reservava os hotéis pela internet mesmo.

      Qualquer coisa é só perguntar!

      Abraço!

  36. Cara que texto excelente! Muito inspirador, tenho 16 e sempre tive essa vontade de viajar pelo mundo, conhecer culturas diferentes, a culinária de cada lugar, as belezas naturais, e as diversas línguas. Essa é uma dúvida que eu tenho, eu sou fluente no inglês, mas não sei se basta para ir a locais mais remotos e exóticos, somente com o inglês é suficiente pra viajar pelo mundo?

    • Eu só falava inglês mesmo e deu tudo certo, Lucas.

      Quando a língua da Rainha falhar (vai acontecer) use mímica.

      É impressionante como conseguimos nos comunicar mesmo nessas situações. =p

      Abraço!

        • Oi, Lucas.

          No caso da Europa, levamos um travel card carregado de Euros. Para os outros países levamos um travel card com dólares. Assim, era só sacar o dinheiro assim que chegávamos a um novo país, tudo já em moeda local.

          Além disso, levamos alguns dólares em espécie, para o caso de emergências e para pagar as taxas de alguns aeroportos e um ou outro visto tirado na hora de entrar no país.

          Também habilitamos os cartões de crédito e os de débito para uso internacional.

          Espero ter ajudado.

          Abraço!

  37. Obrigado Rafael,

    Realmente temos muito em tecnologia nos dias de hoje, talvez o problema seja meter a cara, um pouco de medo, fato… Enfim mas meu muito obrigado, pois simples palavras já nos ajudam em esperanças, para realizarmos nosso objetivos.

    Terei um enorme prazer em trazer meu relato de minha futura experiência, afinal tudo começou aqui, em um blog cheio de idéias. Vou fazer uma prévia, aguarde-me um possível relato meu neste mesmo mês só que em 2014 haha. Espero que o blog esteja em pé até lá!
    Abraços!!

  38. Olá Rafael,

    Fazendo a leitura de seus posts, acabei então me interessando em saber qual a sua opinião em relação ao meu caso:
    Antes mesmo, meus parabéns pela coragem.
    Acabei de me formar em comércio exterior, meu inglês digamos que esta no intermediário e estou trabalhando em uma multinacional a pouco tempo. Sempre tive o desejo de conhecer a Europa, principalmente pela cultura e pelo estilo de vida que levo aqui no sul. As duvidas são muitas, a primeira é que só tenho 19 anos, a segunda é que não tenho dinheiro, a 3º é que sou apegado demais a minha família, porém gosto muito de viajar e a situação social que vivo atualmente não é das melhores, algumas coisas não estão saindo como queria, e então talvez seja uma saída realmente ficar um tempo fora, talvez o maior dos problemas seja meu estilo regrado, pois penso que posso me arrepender por não ter aproveitado mais a vida enquanto jovem, e em contrapartida tenho receios em largar todos os meus princípios em relação á família e profissão por mim adotado e simplesmente me abrir para o mundo, vou te falar a verdade é uma situação complicadíssima, prezo muito os valores, espero que possa ao menos clarear minhas ideias.Há sem falar que sou apaixonado pelo futebol europeu seria legal conhecer de perto haha! Abraços

    • Olá, Ede.

      Obrigado pela confiança em deixar seu relato aqui.

      Bom, é muito complicado dizer o que fazer. A decisão final, óbvio, você tem que tomar depois de refletir muito.

      Sobre a questão familiar, eu também sou muito apegado aos meus. Na realidade, foi muito complicado ficar esse tempo todo fora. A saudade aperta e você tem medo de largar as coisas lá no Brasil, sem você, sem saber o que está acontecendo e sem poder ajudar, se preciso. Mas no meu caso valeu muito a pena – fui, voltei e minha família continuava lá, cheia de orgulho e feliz pelas minhas conquistas! E lembre-se que a vida passa mesmo. Você tem que levar a sua vida, não a dos parentes. Além do mais, hoje o mundo tem Skype e tantas formas de comunicação que você vai conseguir falar em casa praticamente todos os dias, pagando quase nada. Há alguns anos isso era ainda mais complicado.

      A questão do dinheiro é um pouco mais difícil. É preciso entender que dá para viajar gastando pouco. Basta adotar o estilo mochileiro. Mesmo assim, você vai ter que juntar uma grana. Pode ser uma boa fazer uma viagem mais curta de primeira, assim você conhece a Europa, não precisa de tanto dinheiro e ao mesmo tempo não fica muito tempo longe da família.

      Enfim, pensa direitinho. E depois conta para gente o que você decidiu!

  39. Acho que vc não viu minha postagem no dia 17 de agosto…imagino que estivesse ou ainda esteja viajando…Então, vou repetir:
    Olá Rafael ! Acabei de descobrir esta página e adorei o seu artigo sobre o “ano sabático”. O máximo que consegui até agora, foram 40 dias na Itália, por conta de uma bolsa de estudos em Florença. Foi maravilhoso ! Só que ando com planos de estender esse tempo para, pelo menos 3, 6 meses. No meu caso, viajo sozinha, sou aposentada, tenho 67 anos e não dá pra fazer “mochilão”, no máximo hostel com acomodação individual. Meu maior interesse é por alguns países da Europa e alguns do oriente-médio. A única vantagem de alojamento que ainda tenho é uma tia em Israel. Fora isso, teria que bancar o resto todo e não tenho carro pra vender….Como sou ex-funcionária pública, o meu banco, parece, tem uma linha de empréstimos com taxas melhores para quem tem conta funcional, o meu caso. Com uma reserva de 12.000, que já tenho, de quanto vc acha que eu deveria fazer o empréstimo, para ficar uns 6 meses por lá ? Abraços e obrigada ps: essa passagem de “volta ao mundo” , me explica melhor sobre ela, ou é só procurar uma empresa de aviação para coordenar isso ?

    • Oi Maritza,

      Desculpe-me, não vi mesmo. Estamos viajando desde o meio de agosto, então tem sido um pouco mais complicado responder os comentários. Alguns se perdem na minha caixa de entrada. Mas em breve voltamos ao Brasil, o que deixará tudo de volta ao normal.

      Mas vamos lá:

      Sobre a passagem de volta ao mundo, você tem que procurar uma empresa aérea mesmo. Existem três alianças que oferecem a passagem. Veja qual delas é mais interessante para sua viagem e procure uma empresa que faça parte da aliança. Outra opção é contratar uma agência de viagens, mas nesse caso você paga uma taxa extra para eles. Escrevemos dois posts sobre esse assunto:

      http://www.360meridianos.com/2012/11/como-funciona-a-passagem-de-volta-ao-mundo.html

      http://www.360meridianos.com/2013/03/comprar-passagem-de-volta-ao-mundo.html

      Sobre os custos da viagem, depende. Um quarto privativo certamente encarece a viagem, mas eu entendo seu ponto completamente. Eu mesmo estou pensando em parar de frequentar os quartos coletivos, afinal privacidade e conforto nunca fazem mal.

      Quais seriam os países da Europa exatamente? Os preços variam completamente dependendo do país. No leste europeu você consegue ficar num quarto privativo pelo preço que pagaria numa cama de dormitório em Londres, Paris ou Roma, por exemplo.

      Me diz quais seriam os países que tento te ajudar. E prometo que não demoro a responder. Vou ficar atento dessa vez.

      Abraço!

      • Oi Rafael ! Obrigada por responder. Não se preocupe, sei que quando estamos em viagem, não temos muito tempo disponível para o computador. São tantas coisas para ver e fazer, né ?
        Quanto aos países que gostaria de incluir na lista, seriam:

        Turquia (cerca de 8 dias e vou com uma amiga)
        Israel (mais ou menos uns 9 dias, com a amiga que vai comigo à Turquia – talvez tenha hospedagem aqui)
        Jordania (4 ou 5 – sozinha)
        Grécia (algumas ilhas que ainda não conheço – uns 10 dias – sozinha)
        Itália (30 dias – pensando em alugar apto. através do Air bnb – sozinha).
        ps: ainda existe a possibilidade de esticar até as Ilhas Canárias (tenho um casal amigo lá e talvez tenha hospedagem) .

        Abraços, obrigada e boa viagem!
        Maritza

        ps: a minha dúvida é quanto ao roteiro em relação às passagens; estou meio confusa em relação ao que é melhor fazer primeiro; quero viajar em agosto/ setembro.

        • Só complementando : Na Grécia, sei me virar bem com o deslocamento entre as ilhas. Já estive lá por 29 dias e “tenho um certo Know-how” – kkkkkkkkk. Pretendo ir à Atenas (2 dias – para ver um amigo) Kakynthos. Kefalonia e Koufonissia.

          Na Itália, pretendo ficar em Lucca ou Florença (como base) e conhecer o que não conheço ainda por trem ou ônibus . Gostaria de ir à Verona,Roma ,Pompéia e ir até a Sicilia – dependendo da grana disponível, posso ficar mais do que 30 dias na Itália.

          Acho que é uma viagem muito ambiciosa em termos de grana, mas…sonhar não custa nada, né ? abraços, Maritza

    • Oi Aryel,

      Bom, não deixe isso te desanimar. Nós mesmos sonhávamos com uma viagem assim há anos, mas só conseguimos fazer depois da faculdade. Eu tinha 25 anos quando comecei a volta ao mundo.

      Enfim, você tem tempo. Com planejamento e paciência certamente você realiza isso!

      Abraço!

  40. FAla Rafael !!!
    Cara, tu fez um empréstimo, certo ? Mas como tu programou para pagar ? Daqui um ano ? Como foi essa parte !!
    Sou funcionário público e to pensando em completar a grana com um empréstimo. Vou conseguir juntar acho que uns 20 mil até lá , ai quero completar o resto com um consignado, tirar uma licença não remunerada e partir !

    • Mauro, mil desculpas pela demora em te responder. Estou viajando, então seu comentário se perdeu aqui.

      Mas vamos lá: o plano era pegar um empréstimo consignado, com prestações em conta. O banco dava 3 meses para começar a pagar, mas depois disso seria necessário pagar mesmo durante a viagem. Daí foi necessário fazer a conta já pensando nisso.

      De uma forma geral, pegar empréstimo é uma coisa que deve ser tratada com cautela. Mas é aquilo que eu disse: muitas vezes financiamos coisas bem menos úteis, tipo um carro. Uma viagem dessas é capaz de mudar a vida das pessoas. Aconteceu comigo.

      Qualquer coisa volte a peguntar.

      Abraço!

  41. Simples e encorajador. Ótimo texto, quebra a complexidade que envolve marinheiros de primeira viagem trazendo a realidade: é uma simples questão de opção de vida. De trocar o trabalho e as parcelas que envolvem ter o carro, a casa, os bens materiais por parcelas e suor que permitam aquisição de sonhos de liberdade….

    Penso em viajar como você descreveu, é liberdade. E a liberdade não é característica da riqueza, mas uma opção de vida.

    Jamais discrimino quem não opta por isso, escrevo aqui só para expressar como blogueiro de viagens que me identifiquei com seu texto, parabéns.

    • Opa, Mauro!

      Obrigado pelo comentário! Certamente é uma escolha, uma opção de vida. Cada um faz a sua, claro, mas precisamos entender que escolhas fora do tradicional existem e são possíveis sim.

      Abraço.

  42. nossa é incrível! mas sou muito tradicionalista…gosto de tudo no lugar certo, nunca fui mais longe de 800km, sou muito apegada a família, e meus filhos como faria…uma na faculdade outro na alfabetização…tao complicado mas preciso urgente de uma aventura assim…meu trabalho não e problema posso pedir licença não remunerada, mas tem a faculdade da minha filha…despesas dela! preciso muito fazer uma viagem dessa..

    • Oi Simone,

      Certamente com filhos a situação fica mais complicada, mas não impossível. Com planejamento é possível sim. Já li relatos de pais que fazem viagens assim, alguns deles levando os filhos, inclusive.

      Porque você não pensa numa viagem menor para começar? É uma alternativa também, caso uma viagem tão longa seja um desafio muito grande.

      Qualquer coisa é só falar.

      Abraço!

  43. Rafa, adorei! Já estava até desanimada, pois sou estudante de faculdadr e tenho muitos sonhos, mas não achei que conseguria um dia realizar o de viajar pelo mundo! Você abriu meus olhos… Aproveitando o texto, queria saber onde você se hospedava quando chegava nos países. Obrigada!

    • Oi, Amanda!

      Bom, isso depende do país. Na Europa normalmente ficamos em hostels e albergues. Mas se você estiver viajando em grupo (família ou amigos, por exemplo) compensa alugar um apartamento.

      Já em países mais baratos, é possível ficar em hotéis pagando muito pouco. Já paguei R$ 15 num quarto de hotel com piscina e perto da praia, por exemplo.

      Também é possível se hospedar de graça na casa de pessoas, fazendo couch surfing.

      Enfim, são muitas opções. Qualquer coisa volte a perguntar.

      Abraço!

  44. Boa noite Rafael!

    seu blog é incrível e realmente muito inspirador sou de Recife e vim parar nesse blog, ao clicar no google e pesquisar: ”Meu sonho é viajar pelo mundo…” hehehehhee meu sonho é poder viajar pelo mundo pois acho que uma das maiores riquezas do ser humano é conhecer esse mundão que Deus criou!
    Enfim mas é como você mesmo fala: do padrão de vida ”normal” que a sociedade estabelece, me formo em admininistração geral no inicio de 2014 tenho 21 anos e meu sonho é pode viajar pelo mundo e a partir desse seu relato que dá pra viajar com 25 mil reais por 1 ano… estou pensando seriamente em vender meu carro e a largar o estagio! kkkkkkkkkk mas não pretendo fazer isso sozinha não! quero ir com meu namorado enfim parabéns pelo blog ele é encorajador e pretendo realizar isso em 2014 com todas as minhas forças!!

    Que Deus me ajude a realizar esse sonho!!!

    e que a rotina não apague de mim esse sonho, pois a vida é curta literalmente e só temos uma! então vamos aproveita-la VIAJANDO!!!

    😀

    • Oi Jéssyca,

      O mais importante é não deixar a rotina apagar esse sonho mesmo, porque ela é cruel.

      O valor da viagem em si pode variar, depende de uma série de fatores, inclusive da cotação do dólar, mas o ponto é que é sim possível viajar gastando pouco. Bem menos que que nós normalmente pensamos que é preciso.

      Abraço e boa sorte!

  45. Ai…Já posso começar a chorar?
    Amei o o post e acho que com uma alta dose de empatia, pois muita coisa do que v. diz aí eu concordo e já me peguei falando ou pensando…
    No meu caso são as amarras do e depois…Sou ZERO apegada a questões materiais, mas temo retornar e não poder dar seguimento a minha motivação maior que é viajar …Infelizmente o trabalho ainda é um ponto de inserção social importante e não posso esquecer que vivemos em um ambiente (muito!) capitalista. Enfim…Este é o PROJETO DA MINHA VIDA e vou considerar muito todos os pontos que ponderou para tomar a minha decisão! Com a cereja do bolo que é: ir sozinha! 😉
    Parabéns pelo blog que é um dos que eu mais curto na nossa blogosfera! Bjs

    • Oi Lidiane,

      Que legal que o texto significou tanto assim para você!

      Sem dúvida, não é uma decisão fácil e deve ser tomada com cautela e muito planejamento. Mas que é possível é!

      Obrigado pelos elogios!

      Abraço!

  46. Ola Rafael, adorei sua historia e me incentivou muito, eu costumava trabalhar em navios de cruzeiro e agora que voltei pro Brasil vejo o quanto esta difícil ficar por aqui, pelo menos no Rio as coisas estão bastante complicadas sempre quis terminar de conhecer o mundo e talvez essa seja a hora certa, apesar de eu sempre viajar sozinha sinto que agora seria legal ter uma companhia se sabe de algum grupo sobre isso ou algo parecido?Obrigada por ler isso! te mais! Abraço

  47. Rafael,
    Obrigada por compartilhar suas experiencias, e ainda ser tão atencioso respondendo a todos, eu pretendo cometer a “minha loucura” mas para isso quero ter uma luz, e essa luz creio que seja você. rsrsrs
    Seguinte você citou que são 17 países queria saber quais foram, e também saber as dificuldades mais comuns que enfrentarão durante o percurso.
    Você citou que trabalhou na Índia, foi o único trabalho que realizou na viagem?
    Sua fã***

    • Oi Cristyanne,

      Poxa, obrigado pelo seu comentário =) Ganhar uma fã e ser chamado de luz ao mesmo tempo melhora o dia de qualquer um. hehehe
      Bom, durante a volta ao mundo estivemos em: Espanha, Itália, França, Inglaterra, Índia, Malásia, Nepal, Tailândia, Cingapura, China, Indonésia, Nova Zelândia, Chile, Peru e, obviamente, Brasil. Além disso, já viajei para outros países. Você acha tudo sobre nossa volta ao mundo aqui:

      http://www.360meridianos.com/organizar-viagem-volta-mundo

      Sobre as dificuldades, acho que varia dependendo do país. Na Ásia o problema do choque cultural pode ser bem forte. Além disso, o idioma pode ser um problema para quem não fala inglês. De uma forma geral não é perigoso, basta evitar países onde a situação é realmente tensa (tipo a Síria atualmente, por exemplo).

      E sim, o trabalho na Índia foi o único que realizei durante a viagem. Atualmente trabalho e viajo ao mesmo tempo. =)

      Qualquer coisa volte a perguntar!

      Abraço!

  48. Olá Rafael, fiz uma viagem pra europa no mês de julho onde conheci alguns países e morei um mês em Malta. Com 24 anos foi a primeira vez que saí do país e passei me odiar por nunca ter feito isso antes. Desde então, venho amadurecendo a ideia de passar um ano viajando. Trabalho em uma empresa privada onde sou professora de inglês, eu teria que realmente jogar tudo pro ar, colocar a mochila na costa e o pé na estrada. Confesso que tenho medo, e sei que vou assumir muitos riscos, porém tenho certeza que nunca me arrependerei. Comecei a ler o blog de vocês hoje e não consigo mais parar porque me identifiquei muito com tudo o que vocês escrevem. Achei que estava ficando louca, mas vejo que somos muitos! heheheh Vou pesquisar sobre RTW ticket que nunca tinha escutado falar. Tks!!

  49. Olá Rafael ! Acabei de descobrir esta página e adorei o seu artigo sobre o “ano sabático”. O máximo que consegui até agora, foram 40 dias na Itália, por conta de uma bolsa de estudos em Florença. Foi maravilhoso ! Só que ando com planos de estender esse tempo para, pelo menos 3, 6 meses. No meu caso, viajo sozinha, sou aposentada, tenho 67 anos e não dá pra fazer “mochilão”, no máximo hostel com acomodação individual. Meu maior interesse é por alguns países da Europa e alguns do oriente-médio. A única vantagem de alojamento que ainda tenho é uma tia em Israel. Fora isso, teria que bancar o resto todo e não tenho carro pra vender….Como sou ex-funcionária pública, o meu banco, parece, tem uma linha de empréstimos com taxas melhores para quem tem conta funcional, o meu caso. Com uma reserva de 12.000, que já tenho, de quanto vc acha que eu deveria fazer o empréstimo, para ficar uns 6 meses por lá ? Abraços e obrigada ps: essa passagem de “volta ao mundo” , me explica melhor sobre ela, ou é só procurar uma empresa de aviação para coordenar isso ?

  50. Olá,Rafael, pesquisando no Google para saber do que se tratava um ano sabático, encontrei o seu Blog e fiquei maravilhada com sua experiência, e gostaria também de poder fazer algo parecido, mas sem companhia é tudo mais complicado. Sorte sua ter encontrado pessoas com os mesmos objetivos que o seu, assim um deu força para o outro, não é verdade? Sou funcionária publica, e ainda estou em estágio probatório, portanto penso em começar a economizar para futuramente poder pedir uma licença não remunerada, e usufruir de uma aventura como essa ou mesmo fazer um curso de inglês no exterior, já que esse sempre foi um sonho, mas o medo do novo e de ter que fazer tudo sozinha me causa certo desconforto. Enfim, você me motivou a pensar num ano sabático com seriedade, pois não estou contente com meu emprego e estilo de vida. Obrigada por partilhar toda essa vivência, isso é no mínimo motivador!

    • Oi Grace! Obrigado pelo seu comentário! Sem dúvida com companhia é mais fácil, pelo menos foi pra mim. Sem a Naty e a Luiza, outras autoras do blog, eu nunca teria encarado uma aventura como essa. Mas olha só, não é impossível fazer uma longa viagem sozinho não. Tem gente que até prefere ir sem companhia, já que assim você é meio que forçada a fazer novas amizades e a conversar em outro idioma. Planeje-se que dá! Abraço!

  51. Olá! Gostei imenso do seu relato. Não penso em uma volta ao mundo, penso em um roteiro pela Europa e outro pelos EUA. Poderiam ser 2 meses para cada roteiro… Viajar só não é problema. A coisa pega no meu trabalho… Sou empresária e o máximo que já consegui tirar de férias direto, foram 30 dias… Normalmente, tiro uma semana aqui, 10 dias ali… e vou viajando e fazendo roteiros que caibam nesses prazos. Em 2014 pretendo tirar 4 ou 5 semanas para estudar inglês em Londres, melhorar minha comunicação e alçar voos maiores pelo mundo. Ler experiências de gente que conseguiu fazer o que também sonhamos é reconfortante! Amo viajar. É o que me move, o que dá significado a minha existência.

    • Oi Cândida! Também é muito reconfortante ler comentários como os seus, pode acreditar. Realmente, o mais difícil é conseguir o tempo necessário para poder cair na estrada e fazer uma grande viagem. Mas isso não significa que seja impossível, né? É necessário algum desapego, coragem e muito planejamento. Com tudo isso, certamente você vai conseguir. Muito obrigado pelo seu comentário! Abraço!

  52. Oi Rafa! “catei no google como viajar sem dinheiro” e acabei encontrando teu blog. haha Bem, eu também larguei tudo que tinha pra viver uma aventura, tenho 28 anos e não tenho apegos, filhos ou o emprego dos sonhos, então porque não me arriscar! não será possível uma volta ao mundo mas a princípio irei pra bolívia e pro peru, que são países baratos, bom, eu só tenho mil dólares pra passar 5 meses e seja o que Deus quiser! Vou trabalhar em alguns hostels e fazer couchsurfing, também quero me envolver com alguns projetos sociais, não pretendo ganhar dinheiro lá, mas gostaria muito de tentar isso na Europa, por exemplo. Bom, eu tenho passagem de volta para 5 meses, não sei o que pode me acontecer, já pensei em ficar mais tempo também, como um ano, mas tentando chegar até a colômbia, venezuela, Nicaragua..mas sei que vai ser realmente difícil viajar muito pela américa do sul, até porque não tenho tanta grana e já vai ser loucura ficar tanto tempo mochilando entre a bolívia e o peru (talvez argentina) com mil dólares. Bom, eu não planejei muita coisa, nem roteiros, eu só quero o vento nas costas, descobrir muito sobre essas culturas, as pessoas e mais de mim mesma. Deseje-me sorte! :) Beijo grande e parabéns por esse blog, é um incentivo e tanto!

    • Nossa, bem bacana sua viagem! E que orçamento apertado o seu! Vai ser um desafio, mas com economia e trabalhando no meio do caminho certamente vai dar certo. Muito obrigado pelos elogios e boa sorte para você! Não deixe de aparecer por aqui de vez em quando para contar um pouco das suas aventuras pra gente!

  53. Passando só pra agradecer por dividir suas experiências. Hj eu me encontro numa crise, me perguntando pq passar maior parte da minha vida fazendo algo q não quero, pra poder no tempinho que me resta fazer o que realmente quero,como conhecer outros lugares e outras culturas. Mas vem vários medos juntos e tal. É bom ver relatos como os seus e até os comentários de outras pessoas aqui. Obrigada!

    • Oi Micheli,

      Obrigado pelo seu comentário. Significa muito pra gente saber que este blog é capaz de motivar pessoas. E os comentários do pessoal aqui são incríveis mesmo! Torço para que você consiga realizar seus sonhos, conhecer o mundo, outras culturas e novas pessoas. E não deixe de contar pra gente quando cair na estrada =)

      Abraço!

  54. Rapaz, bendito texto esse seu!! Uma vontade enorme de fazer algo assim me invadiu agora. Eu já estava infeliz com o emprego que estava, então pedi demissão esse mês. Acho que vou aproveitar isso e meter a cara no mundo!! O mundo é nossa casa, temos que explorá-lo!! Do que adianta existir sem viver? (essa frase está me motivando a fazer diversas coisas que nunca tive coragem)

    Bem, só tenho a agradecer por compartilhar uma experiência dessa conosco!!

    • Oi Victória,

      Que bom que você gostou!

      É muito legal ler histórias como a sua! Aproveita essa nova fase mesmo, caia no mundo! E depois conta pra gente como foi.

      Abraço!

  55. uou,adorei esse post,deve ter sido uma grade aventura,tenho 16 anos,não vejo a hora de poder fazer isso,sair pelo mundo em busca algo,digamos em busca de aventura,eu estou a procura do meu terceiro emprego de carteira assinada e decidi começar a reservar esse dinheiro(como eu recebo pencão acabo gastando praticamente atoa)para futuras viagens,pretendo com 18 fazer um curso de inglês(eu sei que não se aprende a falar fluentemente da noite pro dia mas farei só para ter noção),depois viajar durante um ano talvez e na volta pretendo trabalhar como comissario de bordo,minha prima disse que essa profissão c encaixa em minha pessoa já que sou bastante extrovertido e dinâmico (claro terei que aprender mais linguás)…o que acha disso,vc como um cara experiente e um viajante nato tem alguma dica que possa estar me passando?
    Desde já agradeço!
    Um grande abraço!

    • Oi Alison,

      Se você gosta de viajar então esse é um dos caminhos mesmo.Invista sim num curso de idiomas, pelo menos no inglês. Dominando o básico vai ficar mais fácil de você se virar quando cair na estrada. Fora que o inglês é exigido para comissários de bordo, então você já se adianta nisso aí.

      Sobre a profissão, realmente é uma boa para quem gosta de viajar. Existem outras: trabalhar em cruzeiros, fazer um intercâmbio em outro país, cursar hotelaria…

      Enfim, já vai pensando no que tem a sua cara!

      Abraço!

  56. ola,
    realmente é incrível sua história. e concordo com vc com essa frase: muitas vezes criamos impedimentos que não existem simplesmente porque temos medo de realizar os nossos sonhos. Sempre quis conhecer o mundo desde de pequena, tirei meu passaporte sem saber s iria viajar ou não. Depois d um ano d passaporte sem usa-lo ganhei uma bolsa do santander para a espanha e vi como é facil viajar e como o preço das coisas d lá e parecido com o preço daqui. Esse ano retornei para a europa e conheci 3 paises, mas eu quero mais. Acho o que fica nesse mundo são as realizações e a minha é conhecer o mundo, não vejo mal nisso.
    Mas me conta realmente ta para conhecer 14 paises com 25 mil reais ? Vocês tiveram algum problema d saúde ?

    • Dá Marcella. Mas para isso você tem que concentrar a maior parte do seu tempo em países mais baratos que o Brasil. Foi por isso que ficamos 8 meses na Ásia. Lá eu gastava R$ 25 por dia na Índia, por exemplo. Também é preciso abrir mão de alguns confortos e virar um mochileiro mesmo. Ou seja, dormir em hostel, evitar restaurantes caros, etc.

      Mas vale muito a experiência. Nós gastamos cerca de R$ 25 mil e estivemos em 14 países, inclusive quatro da Europa.

      Tivemos alguns probleminhas de saúde, mas nada mais sério. Mesmo assim, é fundamental ter um seguro de saúde para evitar qualquer problema mais grave.

      Qualquer coisa é só perguntar!

      Abraço!

  57. Meus parabéns pelo post. Engraçado… Estava eu procurando no Google como viajar trabalhando ou (trabalhar viajando) quando achei seu site / blog (não sei). Enfim, achei demais essa aventura de vocês. Sou recem formado em relações internacionais e, mesmo que pareça infantil ou seja lá qual for a analogia que fará em sua cabeça, resolvi fazer esse curso por três paixões. História das civilizações, politica e viajar. Não me via em outro curso.
    Enfim, já estou trabalhando em uma grande empresa multinacional há mais de 4 anos e tive a oportunidade de fazer algumas viagens aqui pelo Brasil e para o México. De qualquer forma, meu sonho é conhecer o mundo e infelizmente, apesar da empresa ser daquelas para se construir uma carreira, não é o que eu quero.

    Gosto de conhecer novos lugares e acho que uma viagem dessa mudaria minha vida e minhas perspectivas.

    Na verdade, quero parabeniza-lo pela coragem e espero que eu tenha a mesma em breve de jogar tudo para o alto e fazer o que eu gosto de verdade.

    • Marlon, muito bom receber seu comentário! E pode chamar de blog mesmo, porque essa que é a intenção. Trazemos relatos pessoais de viagens e buscamos incetivar o espírito aventureiro nos leitores.

      Acho que seu curso tem tudo a ver mesmo com viagens! Espero que em breve você possa realizar esse sonho.

      Abraço.

  58. Olá Rafael

    Muito bom o seu post, eu também estou preste a fazer um ano sabático,já faz mais de 6 meses que estou me preparando entre pesquisas,visitas a agências,análise de
    experiências de outras pessoas,meios para conseguir a grana enfim são muitos detalhes, não dá para queimar etapas.Sou funcionária pública e estou decidida a largar tudo e viajar para estudar idiomas, depois disso não pretendo voltar para o Brasil,quero fazer minha graduação na Alemanha, pois tenho a cidadania espanhola.

    • Muito legal, Viviane. Com planejamento e força de vontade é possível realizar sonhos assim!

      Espero que dê tudo certo!

      Abraço!

  59. Olá Rafael!

    Nossa adorei a historia… Tenho muita vontade de viajar mas o problema é a cia… afinal fica tudo mais fácil com alguém ao lado!!! Assim que conseguir uma cia eu vou!!! beijos

    • Que bom que gostou, Telma. E tem muita gente que faz viagens assim sem companhia. Há quem até prefira, já que assim é mais fácil fazer novas amizades e conhecer pessoas.

      Não deixe isso te desanimar! =)

  60. Postagem show de bola! Sou blogueiro – e de viagem também –, curti bastante essas dicas e estou planejando essa trip também. Estou na fase de levantar $$$ para realizar esse sonho! Ótimas dicas e inspirador para todos que estão pensando em fugir pelo mundo. Mais uma vez, parabéns!

  61. Muito interessante o relato de vcs, tenho certeza que este é o sonho de muita gente, e o que falta é coragem, comoé o meu caso, vontade não falta, o que falta é coragem e algumas preocupações, gostaria de algumas dicas, de como por exemplo: como lidar com o idioma, melhor maneira de se hospedar economizando, e a burocracia para entrar em algunas países, fico no aguardo é desde já parabenizo pela coragem e o espirito de aventura.
    Abraço a todos

    • Oi Adriano,

      Boa parte do mundo fala inglês ou espanhol. Algumas noções básicas de espanhol e um nível de inglês que permita a comunicação resolvem esse problema. Mas sempre consulte como é a situação no país para onde você vai, evitando problemas. E esteja disposto a fazer muitas mímicas.

      Para economizar, fique em hostels, que são bem mais baratos, e consulte o histórico dos hostels em sites como o Trip Advisor. Outra alternativa é fazer couchsurfing, ficar de graça na casa de uma pessoa que você não conhece, mas que esteja disposto a te receber. Mais detalhes sobre isso aqui: http://www.360meridianos.com/2013/02/couchsurfing-hospedagem-gratuita.html

      Para entrar nos países, saiba que muitos deles não exigem visto para brasileiros. Basta seu passaporte e comprovante de vacinação contra febre amarela. Esse é o caso para boa parte da América do Sul, Europa e até alguns países da Ásia, como Tailândia, Hong Kong, Cingapura e Malásia, por exemplo. Em outros é possível tirar o visto no aeroporto, na hora que você chega. Esse é o caso para Nepal e Indonésia, só para exemplificar.

      Nos outros casos, consulte listas na internet, tipo essa aqui: http://www.mochileiros.com/lista-de-paises-que-exigem-visto-de-brasileiros-t67760.html

      Mas atenção! Se resolver ir para determinado país, não deixe de confirmar se precisa ou não de visto na embaixada deles, no Brasil. Basta olhar no site oficial.

      Espero ter ajudado. Qualquer coisa entre em contato.

      Abraço!

  62. Olá Rafael, inspirador o seu post! Como eu cai aqui no seu blog? De saco cheio digitei no google: largar tudo e ir viajar. E aqui estou eu. Gostaria de fazer algumas perguntas, ok? Eu tenho 22 anos, larguei um curso superior na UEM aqui em Maringá e estou aqui tentando entrar em outro. Aquela velha história na cabeça: se forme, trabalhe, case, procrie, morra. Mas eu sou um exemplo da definição do barroco. Pura angústia e conflito interior. Já fui pra fora do país (Itália) com 18 anos apenas e fiquei alguns meses (intercâmbio). Enfim, o meu maior problema é: eu realmente não tenho dinheiro nenhum! Sou dependente dos meus pais, não trabalho, só estudo e ai fica só a vontade de largar tudo e sumir. Mas como? Eu não tenho carro pra vender, nem nada. Quem tem dinheiro é o meu pai e ele não me daria assim, do nada kkkk. Você tem alguma dica pra um jovem do interior do Paraná que morre de vontade de sumir no mapa? Você trabalhou durante as viagens? Acha que seria muito díficil arrumar empregos pelo caminho? Apesar de parecer, não sou um jovem mimado e já trabalhei algumas vezes, então trabalho não é o problema. Desde que voltei da Itália (e dei um pequeno rolezinho pelo país) o “bicho” me mordeu e eu me apaixonei pela vida com uma mochila nas costas. Então é isso, você só foi gastando o dinheiro ou fez algo para ganhar alguma graninha na viagem? Valeu, desculpa o desabafo kkk abraços e sucesso!

    • Oi Diogo, achei divertidíssimo saber que o Google indica o blog quando o assunto é largar tudo para ir viajar. hehehe

      Olha, estou numa situação parecida com você agora. Em 2011 eu larguei tudo, mas a ideia era ficar um ano fora e depois voltar pro Brasil e ter uma vida normal, essa que você falou: arrumar emprego, ser promovido, aposentar, morrer, etc…

      Bom, voltei há 9 meses. Já me mudei de cidade (vim morar em São Paulo) e três vezes de emprego. Conclusão: eu não me adapto mais e preciso largar tudo de novo, levar uma vida na estrada. Só que dessa vez eu não tenho nada pra vender, restam algumas dívidas da última viagem e definitivamente minha família não vai me dar dinheiro para viajar. O que posso fazer? Bom, existem algumas opções para o nosso caso:

      Eu sou jornalista, então trabalho produzindo conteúdo. Posso fazer isso de qualquer lugar, por isso meu objetivo é conseguir que minha profissão (e este humilde blog) passem a dar algum dinheiro em breve, quando eu adotar de vez o estilo de vida itinerante. Aplicando para o seu caso: você conseguiria trabalhar um tempo no Brasil, pra juntar dinheiro e ir? Tem alguma atividade que você saiba desenvolver e que possa fazer remotamente, para clientes no Brasil?

      Além disso, sempre dá para juntar um dinheiro, ir para algum lugar e lá trabalhar com alguma coisa. Atenção: não estou te incentivando a ser um imigrante ilegal, não é nada disso. Mas tem viajante que resolve trabalhar de forma temporária colhendo frutas, atendendo hóspedes em hostels, fazendo trabalhos braçais, vivendo numa comunidade hippie (sério)… tem muita gente no mundo fazendo isso, você só precisa checar as leis de cada país e ver onde isso é permitido e possível.

      Outra alternativa: você já pensou em trabalhar num cruzeiro? Conheci gente que passou anos trabalhando em navios, e com isso conheceu o mundo todo. O trabalho é intenso, mas você é transportado de graça para lugares bacanas, onde pode tirar seus dias de folga. E quando o cruzeiro acabar você tem bastante dinheiro, já que não é preciso gastar praticamente nada do que você ganha dentro do navio.

      Uma alternativa para universitários é a Aiesec, uma organização mundial de jovens que promove intercâmbios. Nesse caso, você se associa e passa a procurar uma vaga de trabalho em outro país, que pode ser na sua área de atuação. Desse jeito a gente conseguiu um emprego na Índia, onde trabalhamos durante seis meses, produzindo textos. O salário que a gente ganhava lá era suficiente para pagar as contas, e foi fundamental para que a gente conseguisse viajar durante tanto tempo. Eu acho a Aiesec uma boa saída, mas é preciso ser universitário ou recém-formado.

      Enfim, foram essas saídas que eu consegui pensar. Francamente, acho sim que é possível. Agora, definitivamente é uma coisa que exige esforço, você teria que se planejar, correr atrás, etc…

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida é só falar!

      abraço!

    • Fico feliz que você está gostando, Luana! E sim, uma viagem dessas é incrível! Eu mesmo quero fazer outra, logo logo…
      abraço.

  63. É xará… Belo relato! Parabéns ! …. Pesquisava o Google a respeito disso no meu tablet hj depois do almoço. Tive um momento “nostálgico”, onde por um segundo imaginei em fazer algo parecido, mas com o diferencial, não voltar ao Brasil.
    Sou fotógrafo, tenho uma empresa estabelecida, mas muitas vezes a vontade que nos da é exatamente essa, vender tudo e começar do zero em algum lugar do mundo. É tudo muito complexo aos olhos de quem está de fora, de quem nunca saiu do BR. Mas estou com 28 anos, acho que terei algum tempo pra me capitalizar mais, fazer um teste de 1 mês em algum canto da Europa e se der certo……. Começo tudo denovo, fotografando 3×4 em qualquer cidade bucólica do Velho Continente. :)

    • Fala cara! Olha, esse é meu objetivo: sair de novo e viver fora por mais um bom tempo, viajando. Planeja tudo com calma e veja quais são seus objetivos, que certamente é possível fazer. O bom é que sua profissão favorece a uma aventuras dessas! Boa sorte!

  64. Rafael,

    Parabéns por sua coragem em seguir em frente e realizar seu sonho! Seu blog é bastante motivador e com certeza está inspirando muitas pessoas que têm a mesma vontade que você teve um dia. Eu também amo viajar, mas nunca me imaginei viajando por um ano inteiro, sempre me limitei a planejar viagens de férias, 15 ou 20 dias, e de repente ler sobre sua experiência me faz pensar o quanto limitamos nossos sonhos, quando na verdade podemos ir muito além! Parabéns!

    • Oi Patrícia! Fico feliz de saber que conseguimos inspirar as pessoas nesse assunto. Esse é nosso maior objetivo, afinal sabemos como uma viagem dessas tem o poder de mudar a vidas das pessoas. Muito obrigado pelo seu comentário!

    • Oi Silvia, seu comentário nos deixa muito felizes, de verdade. Incentivar as pessoas a esse tipo de decisão é o grande objetivo deste blog! Que venha 2014! =)

  65. Texto incrível Rafa!! Estou a ponto de completar dez anos fora do Brasil e ainda que eu não tenha tirado um ano sabático, deixar o Brasil e me aventurar pelo mundo foi, sem dúvida, a melhor coisa que eu fiz.Já vivi em três países diferentes e já viajei por outros dezesseis. O problema é conseguir voltar, eu acho que o pior de viajar, ou morar fora durante tanto tempo é se acostumar outra vez com a vida no Brasil.
    Adoro o blog de vocês.
    Um abraço!

    • Nossa, realmente você falou tudo. Já viajei por 4 paises apenas, mas a volta foi terrivel. Custei a me acostumar e tive preguiça de voltar a trabalhar e o pior é que não queremos parar mais. Ainda bem que não é só eu, agora vejo que é muito normal isso.

  66. Parabéns pelo texto e pelas reflexões! Realmente, tirar um ano sabático e viajar por meses a fio não é nada simples para a esmagadora maioria dos brasileiros. Mas nem tudo está perdido, já que é possível conciliar muito bem uma vida profissional “careta” com muitas viagens inesquecíveis. A única diferença é que essas viagens irão durar 3 ou 4 semanas ao invés de um ano. Eu, por exemplo, tenho eleito um país de cada vez e feito viagens incríveis sem gastar muito, ou pelo menos, algo que eu consiga arrecadar sem grande esforço durante 11 meses de trabalho. E as fotos do meu blog estão lá para provar!

    Abraço, vou seguir teu site!

    • Pois é, Robson. O importante é que cada um conheça o próprio estilo de viagem, as próprias circunstâncias. Se o sonho da pessoa for uma viagem mais longa, tipo um ano sabático, então nós incentivamos mesmo que a pessoa corra atrás. Agora, muitos simplesmente não desejam isso, têm outros sonhos. Para esses, nada como um mês de férias depois de um ano trabalhado, não é? Abraço e ótimas viagens para você!

  67. Fala Rafa,

    Realmente se é um sonho tirar esse tal de ano sabático e viajar o mundo, a pessoa precisa acordar, se virar nos 30 pra conseguir grana e ir.

    Como a Fernanda, tive problemas para conseguir outro emprego. No meu caso ainda não tive o estalo para abrir outra empresa. Estou numa fase que realmente não sei qual o próximo passo a tomar, mas isso faz parte da vida.

    É bom ler relatos de pessoas que estão passando por coisas parecidas…valeu

    Abraços

  68. Adorei o post, e cada dia admiro mais a capacidade de vcs não se conformarem com o óbvio…não se moldarem ao que pela maioria é considerado normal…saudade dos meus dois viajantes prediletos…

  69. Ótimo post!! Eu ainda quero tirar meu ano sabático e conhecer a Ásia e os Estados Unidos, sempre tive esse sonho e espero um dia realizá-lo!!! Parabéns pelo blog, estou sempre acompanhando!! Abraços

  70. Amei o texto! No meu caso, vendi o carro que já estava quitado e gastei R$35 mil em 1 ano. Mas, minha volta para o Brasil não foi nada fácil. Minha área de trabalho é complicada e eu não consegui me recolocar facilmente e as empresas não super amaram a minha história de volta ao mundo e experiência profissional. Mas, volto a repetir que minha área é careta e eles não dão valor para certas coisas.
    Tudo bem que depois de 6 meses, eu realmente desisti da minha antiga profissão e resolvi me virar nos 30 e trabalhar com outras coisas e estudar para concurso. Mas, mesmo que eu soubesse que a volta (em termos profissionais) teria sido tão complicada, teria feito tudo de volta. Aliás, teria ficado pelo menos mais 1 viajando.

    • Obrigado pelo comentário, Fernanda. Acho que demos a sorte de que é relativamente simples achar emprego em nossa área atualmente do que há 10 anos, por exemplo. E, no caso da comunicação, é inegável que um blog é um ótimo portfólio, o que ajuda também. Eu também ficaria muito mais tempo viajando, se pudesse. =p

  71. Rafael, belo post! Mas não sei se rio ou se choro. rs. Eu estou no meu segundo mês de um ano sabático. Sou concursada e pude tirar licença não remunerada, como você fez. No entanto, ainda não fiz absolutamente nada nesse tempo, além de me revoltar comigo mesma por ter passado cinco anos e meio desperdiçando minha vida num emprego que me fazia completamente infeliz. rs. Queria muito tomar coragem como vocês, mas, convenhamos, vocês (você e as meninas) tiveram uma sorte danada, por terem se encontrado na vida, hein. Penso que até mais fundamental do que o dinheiro, foram as companhias, não? Faltam-me companhias e sobra-me medo de ter de voltar para o emprego do qual me afastei e não pretendo jamais voltar (mesmo sabendo que, se eu não fizer nada, vou acabar tendo de voltar). O pior, de todos os sonhos que minha mãe teve comigo, o mais recorrente foi um afogamento. rs. De todo modo, é muito bom saber que deu certo com vocês. Tomara que, antes do fim do meu ano sabático, eu consiga fazer algo legal que seja capaz de me tirar de vez do meu “trabalho careta”. Hei de me inspirar com essa história.

    • Oi Cristina,
      Se você puder escolher, escolha sorrir que é melhor. Olha só: você já conseguiu o ano sabático, que é a parte mais complicada. E ainda tem 10 meses pela frente, tempo suficiente para correr atrás de sonhos, viajar, conhecer novos lugares. Se é isso que você gostaria de fazer – o que me parece provável, afinal você comentou aqui – eu só digo uma coisa: não desista. Sério. Acredita, corre atrás, que dá.

      É claro que o fato de sermos três nos ajudou a ter coragem. Mas muitos dos que saem de casa para viajar, talvez a maioria, é formada por viajantes que vão sem companhia. Muitos escolhem viajar assim, já que essa é uma oportunidade de realmente se forçar a conhecer novas pessoas, falar novos idiomas, conhecer os seus próprios limites… E tem gente que viaja sozinho porque achar companhia realmente não é fácil. Envolve achar quem tenha tempo ao mesmo tempo que você; quem tenhas os mesmos sonhos que você. Uma coisa eu te garanto: mesmo que você saia de casa sozinha, com certeza consegue fazer amigos pelo meio do caminho. Existe toda uma comunidade de pessoas que viaja assim.

      E eu entendo que você tenha medos. Francamente, eu mesmo tinha muitos. Mas eu fui, talvez por ter tido a sorte de arrumar companheiras que não tinham os mesmos medos que eu. E eu voltei. Enfim, nosso principal objetivo é incentivar as pessoas, mostrar que viajar é possível, que esse tipo de aventura não precisa ser um sonho distante. Se nós conseguimos te estimular a pensar, fico feliz.

      Se você precisar de ajuda para planejar sua viagem, de dicas, sugestões, etc… é só falar, que estamos aqui para ajudar. =)

      • Obrigada pela força, Rafael! Vou tentar superar, sim, meus medos. Quem sabe eu faça algo mais “certinho”, tipo ir para estudar algo, mas aproveitar e dar umas esticadas. Desse modo, eu garanto que mudo de vida profissional, que, em verdade, foi para isso que eu tirei minha licença. Eu não vou desistir. =D

        • Pois é, essa pode ser uma ótima saída. Escolhe um lugar mais tranquilo, fácil de morar e vai estudar. Lá você vai conhecer muita gente que com certeza vai animar essas esticadas. Boa sorte para você! =) E depois conta pra gente o que você decidiu, tá?

    • Cristina, concordo com você! Quando encontramos alguém com a mesma disposição, acredito que as coisas fiquem mais fáceis, os medos são menores, mas ao mesmo tempo não podemos deixar de fazer algo por falta de compania. Como disse o Rafael, você pode conhecer muitas pessoas viajando só. Eu estou no mesmo impasse, quero fazer uma viagem para estudar inglês, mas não encontro alguém que possa na mesma data e/ou mesmas condições, então pela primeira vez penso em viajar sozinha. Boa sorte nos seus planos!

    • Olá Cristina, tambéme estou planejando um ano sabatico e vou fazer uma viagem por vários paises,graças a Dus tive a oportunidade de trabalhar por conta propria numa empresa de vendas diretas. Então quando eu quiser e tiver juntando um dinheiro bom vou fazer essa tão sonhada viagem. Pelo que li você está completamente insatisfeita com seu trabalho certo? Entre em contato comigo para trocarmos ideias, tenho uma ótima oportunidade para você. Quem sabe dá certo né?
      Meu email: [email protected]

      E não desanime, a vida é muito curta para não ir atrás de nossos sonhos. Vida sem graça e monotona nunca mais ! Beijoss :*

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem