Inhotim, Ouro Preto e Belo Horizonte: roteiro de quatro dias

Inhotim, Ouro Preto e Belo Horizonte: roteiro de quatro dias

Eu, que moro aqui, sou o primeiro a dizer: não é o tempo ideal. Mas como muita gente desembarca em Belo Horizonte em feriadões, muitas vezes sobram apenas quatro dias para conhecer a região  – e quem sabe ficar com vontade de voltar. Há alguns anos os turistas que tinham esse tempo se dividiam entre a capital, Ouro Preto e talvez Tiradentes, que fica um pouco mais distante. Até que surgiu Inhotim. Agora, a viagem dos sonhos que cabe (apertada, mas cabe) num feriadão envolve Belo Horizonte, Ouro Preto e o centro de arte contemporânea.

Tem mais tempo? Ótimo. Aí dá pra incluir Tiradentes, São João del-Rei, Congonhas, Serra do Cipó, Capitólio, Diamantina e até mais alguma cidade histórica. Mas isso é tema para outro texto. Neste, concentraremos no passo a passo para o roteiro de quatro dias por terras mineiras. Vamos lá?

Inhotim, Minas Gerais

Inhotim

Dias 1 e 2: Chegada em BH

Se você vier de avião, chegará no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, também conhecido como Confins, a cidade da região metropolitana onde está localizado. E isso significa que você estará longe da capital, já que são 42 km até o centro de BH. Você pode fazer esse trajeto de ônibus, do Conexão Aeroporto. As principais opções são o convencional, com paradas na Pampulha e na Rodoviária (R$ 13,45); ou o executivo, que para na Avenida Álvares Cabral (R$ 29,35), um pouco mais perto do eixo Savassi/Lourdes/Centro, onde ficam muitos hotéis.  Não vou falar mais sobre isso porque já escrevi um texto apenas sobre o assunto, que você pode ler no link abaixo. Por falar nisso, olha nosso guia de BH, ó:

Veja também: Como chegar ao aeroporto de Confins (Belo Horizonte)

Onde ficar em Belo Horizonte: os melhores bairros

O que fazer em Belo Horizonte

Comida mineira: 7 pratos típicos do estado

Belo Horizonte, MG

Praça da Estação, em Belo Horizonte

Uber e Cabify funcionam em Confins. A corrida pro centro dá cerca de R$ 70. Já um táxi custará em torno de R$ 120. O que leva a outro tópico prático: vale a pena alugar um carro em BH? Depende. Se sua passagem pela capital for durante dias úteis, minha resposta é não. Melhor seguir para o hotel sem o veículo e passear pela cidade usando transporte público ou os aplicativos de motoristas, assim você não tem problemas com o trânsito e nem para procurar por estacionamento.

Por outro lado, pode compensar ficar os quatro dias com o veículo caso você esteja mesmo viajando num feriadão, quando as ruas estão mais tranquilas. Já para conhecer Ouro Preto e Inhotim eu aconselho o carro, principalmente se você não estiver viajando sozinho. Não é que seja impossível ou complicado fazer esse roteiro de ônibus. Dá tranquilamente e eu mesmo já fiz algumas vezes. Mas, na ponta do lápis, se você viajar acompanhado de mais uma pessoa e topar dirigir já compensa alugar o veículo pelo menos para os dias em Ouro Preto e Inhotim. Se resolver alugar, conheça nossas dicas para garantir o melhor custo/benefício.

Chegou em BH? Deixe as coisas no hotel e aproveite esses dois dias para conhecer parte das atrações da cidade. Nesse dia dá para encaixar um passeio e almoço no Mercado Central (meu preferido por ali é o Restaurante Casa Cheia); um passeio pela Praça da Liberdade e seus museus e a vista da Praça do Papa e do Mirante das Mangabeiras, ótima escolha para a hora do pôr do sol.

onde ficar em bh pampulha

Lagoa da Pampulha 

O Parque da Serra do Curral, onde é possível fazer uma trilha curta com vista incrível para a cidade, é outra opção de passeio, assim como o das Mangabeiras.  Não deixe de conhecer também a Pampulha, declarada Patrimônio Cultural da Humanidade, onde ficam o Mineirão, o Mineirinho e o Conjunto Moderno projetado por Oscar Niemeyer e idealizado por JK, ainda na década de 40.

A noite da capital mineira é outro destaque, em especial para os bares da Savassi ou para os do Santa Tereza. Também já escrevi um texto apenas sobre alguns dos melhores botecos de Belo Horizonte.

Dia 3: saída para Inhotim e noite em Ouro Preto

Se você não alugou carro em Confins, agora pode ser uma boa hora. Cerca de 60 km separam a capital de Inhotim, pela BR-381. Espere gastar uma hora no trecho e reserve um dia inteiro para conhecer os jardins e o acervo do museu, que abre às 9h30, de terça a domingo – não funciona nas segundas-feiras. Nos dias úteis o parque fecha às 16h30, mas nos finais de semana e feriados o encerramento é às 17h30.

inhotim jardins

Inhotim

O ingresso custa R$ 40, mas a entrada é de graça toda quarta-feira, desde que não seja feriado. Já o estacionamento é gratuito. Há restaurantes e lanchonetes dentro de Inhotim, nos mais variados preços. É bom chegar o mais cedo possível lá, na hora de abertura dos portões, para dar tempo de conhecer tudo com calma. É possível (e recomendado) comprar o ingresso pela internet, principalmente se você for num final de semana ou feriado. Assim você pode evitar a fila da bilheteria, já que a espera para a retirada dos ingressos comprados pela internet costuma ser menor. Detalhes aqui.

Inhotim, onde ficar

Inhotim 

A ideia deste roteiro é que você deixe o hotel de BH com mala e cuia, dirija os 60 km até Inhotim, mas de lá siga diretamente para Ouro Preto. Para tornar essa viagem ainda melhor, a “volta” é por outra estrada (você não passa por BH) e há uma baldeação. Coloque “Restaurante Topo do Mundo” no GPS e siga por cerca de 40 km. O trecho envolve uma subida longa, por isso conte em gastar pelo menos uma hora no percurso. A vantagem? Chegar no alto da Serra da Moeda na hora do pôr do sol.

topo do mundo bh

Nos finais de semana e feriados esse mirante fica lotado, tanto na estrutura do restaurante como ao redor da pista de parapente que existe ali. Se o dia estiver bonito, não tenha dúvidas. Verifique a hora do pôr do sol no Google e deixe Inhotim pelo menos 1h30 antes do horário estimado. Vai valer a pena, inclusive se você não for incluir Ouro Preto no roteiro. Nesse caso, basta retornar para BH pela BR-356, num trecho de apenas 34 km.

Já quem vai para Ouro Preto também tem uma viagem curta pela frente. Assim que o sol se pôr pegue a BR 356, entre no trevo de Ouro Preto, perto de Alphaville, e siga para a cidade histórica: serão 73 km no total, com duração média de 1h10. Você chegará em Ouro Preto na hora do jantar. Corra para O Passo, o melhor restaurante da cidade.

Veja também: Como planejar sua viagem para Ouro Preto, MG

O que fazer em Ouro Preto, Minas Gerais

Onde comer em Ouro Preto

Ouro Preto MG

Inhotim e Ouro Preto: como chegar de ônibus

Prefere ir para Inhotim e Ouro Preto de ônibus? Sem problemas. Há ônibus diários entre a capital e Inhotim, que fica em Brumadinho. Os ônibus saem da rodoviária, sempre às 8h15, e voltam às 16h30 (dias úteis) ou 17h30 (finais de semana e feriados). A passagem custa R$ 33 o trecho, pela Viação Saritur. Também há um serviço de vans a partir do Hotel Holiday Inn, que fica na Savassi (por isso mesmo é uma boa opção de hospedagem). Custa R$ 60, ida e volta, mas é preciso reservar o transfer com 24 horas de antecedência.

Quem optar pelo ônibus ou van terá que voltar para BH e pegar outro ônibus para Ouro Preto a partir da rodoviária. A Viação Pássaro Verde faz o trajeto BH – Ouro Preto. A viagem dura pouco mais de duas horas e custa R$ 29.

Dia 4: Ouro Preto e retorno para BH no fim do dia

São várias igrejas, um dos centros históricos mais charmosos do mundo, muitos restaurantes e, claro, algumas minas de ouro, como a Mina da Passagem, que fica entre Ouro Preto e Mariana. Por falar nela, a cidade vizinha também é interessantíssima – vá se você tiver tempo. Após um dia em Ouro Preto, retorne para Belo Horizonte. São apenas 96 km de distância, trecho que pode ser percorrido em cerca de 1h30.

Mina da Passagem, Ouro Preto

Mina da Passagem

Sobrou tempo? Se você só for voltar para casa no dia seguinte, pode ser uma boa passar também em Congonhas, outra cidade que guarda um Patrimônio da Humanidade. Congonhas está a apenas 55 km de Ouro Preto, pela MG 129. Desse jeito você passará por três Patrimônios da Humanidade em apenas quatro dias (Ouro Preto, Pampulha e Congonhas). E ainda teve Inhotim.

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara.

4 comentários em Inhotim, Ouro Preto e Belo Horizonte: roteiro de quatro dias

  1. Detalhe muito importante que o autor esqueceu de mencionar:
    Inhotim é um museu localizado na cidade de BRUMADINHO, que faz parte da região da Grande BH.
    Em BRUMADINHO, também existem outros pontos turísticos importantes como a Serra do Rola Moça, o Topo do Mundo, diversas cachoeiras.

    Obrigada!

  2. Fui na semana retrasada(Do dia 04 – 09/04), fiquei 5 dias e fiz Bh, Inhotim e Ouro Preto. Ahh, o Parque da Serra do Curral estava fechado devido ao macaco morto que encontraram, com suspeita de que é indício de febre amarela. Reabriu essa semana?
    Fui Em Ouro Preto, mas não rolou ir pra Mariana, pois íamos voltar pra BH. Amei o três destinos! BH é linda, e o povo, mara!

  3. Fiz semana passada um roteiro bem parecido. Pra ir pra Inhotim que acabei preferindo Uber mesmo do que o busao. Deu cerca de 100 reais e como estávamos em 3 pessoas ficou mais barato que o ônibus da Saritur. Só combinamos bem com o motorista para ele nos buscar depois, pq fica complicado chamar o Uber estando em Inhotim.

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: