Tags:

Estereótipos culturais: verdadeiro ou falso?

Dos Estados Unidos ao Japão, da Noruega à África do Sul, nenhum povo ou cultura está livre dos estereótipos culturais. Muitos deles têm lá seu fundo de verdade, outros a gente não sabe de onde vieram. Tipo quando eu ouvi que o Brasil era famoso pela eletricidade e que as brasileiras tinham a tradição de se casar sem calcinha. O interessante é que essas ideias pré-concebidas sobre os lugares podem ter como origem uma infinidade de coisas: preconceitos, história, costumes, um fato isolado que ficou famoso, o sistema político do lugar… Não tem limites para a imaginação e o julgamento do povo. Mas quais dos estereótipos famosos por aqui são reais e quais são mentira pura?

Franceses odeiam falar inglês

Paris, Montmartre (estereótipos culturais)

 Foto: Wikimedia Commons/Domínio Público

FALSO. Essa foi a minha percepção nas três vezes que eu visitei a França. Muito simpáticos e prestativos, os franceses sempre estiveram dispostos a me ajudar em qualquer idioma. É verdade que existem exceções: eu já fui atendida por um cara no metrô que queria me punir por não falar francês e só me vendeu as passagens quando um grupo de adolescentes resolveu me ajudar. Mas gente mal-humorada e infeliz no trabalho existe em qualquer lugar, além de a atitude dele não ter sido o padrão que eu encontrei por ali.

Leia mais: Planeje sua viagem para Paris

A origem desse mito parece estar relacionada à antiga rivalidade entre França e Inglaterra. Talvez realmente houvesse uma resistência quanto ao idioma da rainha no passado, mas isso está morrendo com as novas gerações. É preciso considerar, no entanto, que é muito comum encontrar franceses que não dominam completamente o inglês, especialmente fora de Paris. Mais de uma vez eu já tive que usar mímicas ou gastar um pouco do meu francês pra lá de enferrujado para conseguir me fazer entender. E é claro, aprender palavras básicas, como “obrigado”, “por favor” e “com licença” na língua local mostra que você também é simpático e ajuda a começar uma conversa – e isso vale em qualquer país do mundo.

Franceses não são chegados num banho

Banho: um dos estereótipos culturais franceses?

 Foto: Wikimedia Commons/BrokenSphere

VERDADEIRO. Ainda mais para parâmetros brasileiros, onde um banho por dia é o mínimo aceitável. Na França, 20% da população dispensa a ducha diária. E sabe aquela história de banho só aos sábados? Uma em cada 29 pessoas por lá parecem levar a brincadeira a sério e só tomam banho uma vez por semana, segundo uma pesquisa da Tork, uma marca de produtos de higiene. Mas isso não é exclusividade da França: poucos lugares no mundo têm no banho esse ritual diário e sagrado que temos aqui. Os brasileiros, por exemplo tomam 3,5 vezes mais banhos que os britânicos e mais que o dobro que os norte-americanos. Isso sem falar na China e na Índia, onde a média é de 3 a 4 banhos por semana. É, parece que nós é que estamos na contramão do mundo.

Chineses comem cachorro

Carne de Cachorro, China

 Prato de carne de cachorro na China. Foto: Wikimedia Commons

VERDADEIRO, mas em partes. Sempre que eu conto que estive em Hong Kong, as pessoas me perguntam se eu comi cachorro por lá. A resposta óbvia é não, não apenas porque eu não comeria cachorro em nenhum lugar do mundo, mas também porque a China é muito grande para você reduzir a um estereótipo cultural. Se no Brasil os costumes mudam drasticamente entre as regiões, imagina em um país ainda maior, formado por diversas etnias?

Saiba mais: As pessoas realmente comem insetos na Tailândia?

O consumo de carne de cachorro é comum em algumas províncias, como Zhejiang e Guangxi, mas grande parte da opinião pública chinesa é contra a prática. Em Jinhua, cidade da província de Zhejiang, um festival de carne de cachorro com 600 anos de tradição foi cancelado em 2011, depois que a prefeitura constatou que o pessoal não achava a prática tão legal. Além da China, Coreia, Vietnã, Nigéria e Filipinas são outros países onde o consumo de carne de cachorro é cultural. E se você acha a prática brutal e absurda, pense um pouco no que isso difere do consumo de carne de vaca e veja se o que está falando mais alto não é a noção de superioridade cultural do Ocidente.

Indianos são um povo zen

trabalho voluntário no exterior - McLeod Ganj

FALSO. Acredite se quiser, mas meditação e ioga não são práticas comuns entre a maior parte dos cidadãos indianos. Embora seja um país de tradições e costumes religiosos muito fortes, em geral as pessoas de lá não são mais iluminadas e evoluídas espiritualmente que eu ou você. Sim, você vai encontrar retiros de ioga e meditação, cidades que parecem ter sido cenários do filme “O Pequeno Buda”, rituais sagrados na beira de rios e tudo mais.

Por outro lado, achar que as pessoas comuns – essas que trabalham em empresas de TI e ou telemarketing (ops, outro estereótipo), as que estudam, pechincham para fazer compras nos mercados, dirigem tuk-tuks e etc -, ou seja, a maioria absurda e gritante da população da Índia, é guru espiritual seria uma visão muito errada do país. Essas pessoas comuns são bem… normais e não apresentam nenhum entendimento superior da vida, do universo e tudo mais. É a mesma coisa que achar que toda a população de Roma é beata ou membro da Igreja só porque o Vaticano fica lá dentro.

A Índia é suja

lixão em chandigarh - India

VERDADEIRO. Em especial nas grandes cidades, onde o sistema de coleta de lixo é precário ou inexistente, a sujeira se acumula pelas ruas. Mas isso não quer dizer que você só vai passear no meio do lixo, como muita gente pensa. Chandigarh, a cidade onde eu morava, por exemplo, tem áreas tão limpas quanto um bairro nobre de São Paulo.  Muitas vilas também são agradáveis e limpinhas. Assim como acontece aqui e em outros países em desenvolvimento, as áreas ricas são mais bem providas de serviços públicos, situação que não é diferente na Índia. Cerca de 700 milhões de pessoas não possuem banheiro em casa e apenas 232 das 4.500 cidades do país contam com serviço de esgoto.

Italianos falam com as mãos

Estereótipo Italiano

VERDADEIRO. Em uma conversa durante um jantar, um italiano confessou que na primeira vez que escutou esse estereótipo, ele ficou inconformado. “Mas como assim? Por que você está falando isso?” – ele perguntou. Só que ele mesmo confessou que cada palavra foi dita com um contundente gesto com as mãos. Dizem que o hábito surgiu na época do Império Romano, quando vários povos diferentes estavam sob o domínio do César. Os gestos eram uma tentativa de suprir as dificuldades de comunicação entre pessoas que falavam diferentes idiomas.

Russos, o povo mais bêbado do mundo

Vodca Russa

 Foto: Wikimedia Commons/Th1234

FALSO. Eles na verdade ocupam o terceiro lugar da lista, atrás da Moldávia e da República Tcheca, curiosamente todas com passado de dominação soviética. E isso porque lá na terra do Nabokov, cerveja nem era considerada bebida alcoólica até 2011.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

24 comentários sobre o texto “Estereótipos culturais: verdadeiro ou falso?

  1. Adorei tudo do post. Nunca estive em Paris mas depois de ficar 1 mês no Canadá francês decidi que nunca mais colocaria os pés em um local com franceses. Gente insuportável.

  2. Galera, to vendo que tem gente que não entendeu muito bem o meu post ou levou para o lado pessoal por algum motivo…

    Natalia,

    Eu não cheguei exigindo que o sujeito falasse inglês. Eu cheguei falando “bonjour monsieur” e fiz uma pergunta em inglês e ele respondeu em francês apenas. Aí eu tentei misturar inglês e francês….e não deu certo….aí eu pedi “english please”. E aí ele começou a tirar uma com a minha cara.

    Além disso, até onde eu sei, o Louvre é o museu mais visitado do mundo. A estrondosa maioria das pessoas que vão para a França não falam francês. Aliás, boa parte das pessoas que conheço no Brasil que já foram pra Paris sequer falavam o mínimo do inglês. Eu só imaginei que no museu mais visitado do mundo os atendentes fossem bilíngues.

    E outra, aqui no Brasil, 90% das pessoas não falam inglês. Agora o que eu mais vejo é gente na rua tentando ajudar algum gringo de alguma forma. Não se esquecam que uma boa parte de qualquer comunicação entre 2 pessoas é não verbal. E eu, quando vejo alguém precisando de ajuda, não meço esforços para poder auxiliar de alguma forma. Nunca tirei sarro da cara de ninguém por não saber falar Português.

    Cayanico,

    Eu trabalho perto da Cracolândia. Passo sempre por lá. Só que todos sabem que o Brasil é um país emergente com fortes contrastes sociais. Sempre esperamos o pior ao sair de casa ir trabalhar. Só que talvez por inexperiência em viagens, nunca imaginei que seria roubado na França. Imaginei que tal coisa poderia acontecer na Irlanda, país que faz (ou fez) parte dos PIGS, juntamente com Espanha, Portugal e Grécia. E não foi o caso. Tanto que quanto comento com amigos que fui roubado em Paris, ninguém acredita….acham que estou inventando.

    O meu relato foi de alguém que tinha acabado de voltar de um Mochilão. Foi mais um desabafo, pq dos 7 dias que fiquei em Dublin, só tive bons momentos. Não tive dor de cabeça em nenhuma situação. E nos 3 dias que fiquei em Paris, aconteceu de tudo um pouco. Fazer o que ? Tenho uma amiga que detesta Madri pelas experiências que teve lá. Outros não gostam de Los Angeles. Uns não podem nem ouvir falar em Buenos Aires. Fazer o que ? Viagem é isso. Há os momentos bons e os ruins. Se alguém se sentiu ofendido ou coisa do tipo, não foi minha intenção.

    1. Realmente. Justamente por ser turística, Paris é um dos lugares com mais assaltos dentre as capitais europeias!
      Talvez nos lugares onde as pessoas vivem o dia-a-dia (ou seja, fora dos pontos turísticos) seja mais seguro, mas não é esse paraíso todo não. Meus amigos europeus me alertaram MUITO sobre a segurança em Paris. É claro que nem se compara com a sensação de insegurança que a gente sente no Rio de Janeiro (dá medo de sair de casa de fato).

      De qualquer maneira, é sua opinião, você tem direito de criticar a cidade. Mas lembre-se, que não é porque você teve uma semana ruim em Paris que a cidade é ruim ahahahahha Ponderar e saber perceber esse tipo de coisa também é parte de viajar. Às vezes a gente sai criticando uma cidade por ter passado uma semana lá, e acaba sem perceber criticando o país inteiro! Erro feio! Como todo mundo disse, a França em si é maravilhosa, é só sair de Paris.

      Mais uma vez, sem ofensa pessoal NENHUMA, é só uma recomendação pra vc. Quando tiver grana de novo pra fazer mochilão, passa no sul da França e foge de Paris! haha

      1. Pois é Juliana, talvez por eu ter acabado de voltar do mochilão quando fiz o primeiro post, talvez estivesse mais exaltado. Mas quando voltamos de viagem é assim mesmo….os momentos bons se tornam melhores ainda e os piores, traumáticos ! hahaha

        1. Concordo com tudo, Felipe.
          E passados quatro anos, apenas um reparo ahah
          Portugal é, de longe, mas bem longe, dos países mais seguros da Europa.
          Não há o que temer em Portugal, a sério.
          Quanto a Paris, não entendo porque dizem que está a inventar que foi assaltado nessa cidade, é um caos completo, uma das maiores capitais europeias, evidentemente que é onde se registam mais assaltos.

          Boas viagens a todos 🙂

    2. haha Felipe, na verdade meu comentário não tinha sido em resposta ao seu. Agora que eu vi que ficou parecendo que eu tava te criticando. Eu realmente acho que essa não é a melhor abordagem quando chega em qualquer lugar, mas não sei o que rolou com você, afinal não estava lá, né? hehe Como eu disse, um cara no metrô foi super mala comigo, a ponto de só me vender a passagem quando eu pedi ajuda para três adolescentes francesas, mas como já tinha estado na França várias vezes, isso não me deixou com uma má impressão do país.

      É verdade que no Brasil as pessoas são bem mais prestativas, mas eu acho que é pq mesmo o Rio recebe mto menos turistas que Paris, sabe? Lá eles já devem estar no estado “saco cheio”. Aqui é mais novidade. Pelo menos em BH gringo é raro. Quando tem um todo mundo fica curioso. E, de fato, não ter gente bilíngue no Louvre é um absurdo. Isso é pra gente tirar essa impressão de que na Europa tudo funciona e é certinho, né? Não é bem assim. Inclusive, uma mentira que vendem muito no Brasil é que lá todo mundo fala inglês. Isso é verdade para alguns lugares, como Amsterdam, mas não para outros, como a França e a Espanha.

      Abraços!

  3. O problema dos franceses não é que eles sejam rudes (alguns claro que são) mas a questao é que eles não sabem falar ingles, mas também tem o oposto, quando morei em Paris, e no inicio quando nao falava frances muito bem, pedia ajuda para alguém em francês eles me respondiam em inglês, pq parecia que queriam praticar. Mas eles tem um sotaque extremamente carregado e é pelo fato que eles aprendem de professores com este sotaque também! Mas sabemos que no Brasil, se vc for pedir informação em muitos lugares ninguém vai saber falar ingles, então não devemos esperar o mesmo de quando fomos pra fora.

    1. Pois é Flávia, muitas vezes eles nem sabem falar direito e a pessoa chega exigindo que eles falem inglês “English, please”, como se eles tivessem obrigação de (1) saber falar inglês e (2) falar inglês com você. Deve ser um saco mesmo, uma hora a pessoa acaba sendo rude. Uma coisa que eu fiz na França, foi aprender a dizer “Eu não falo francês” em francês. Eles achavam graça, riam e mudavam para o inglês na hora, quando sabiam. Quando não sabiam, faziam mímicas. Eu não pedia pra eles falarem inglês, apenas informava que não falava a língua deles. E nunca recebi grosseria de volta por agir assim.

    1. Nunca foi integrada à URSS, mas fazia parte do bloco soviético, sendo estado-satélite, integrante da cortina de ferro e sendo subjugada política e economicamente a ela.

  4. Interessante o post….

    Mas discordo contundentemente da história de que os Franceses são, na verdade, pessoas legais.

    Acabei de voltar de um mochilão de 7 dias em Dublin e 3 dias em Paris e vou contar 4 histórias que me fizeram prometer a mim mesmo que jamais pisaria em solo francês novamente.

    A primeira foi quando os funcionários de um bistrô se recusaram a me servir porque eu falava inglês.

    A segunda foi quando um atendente do Louvre (!) tirou uma com a minha cara….eu estava na fila para comprar um ingresso e não estava entendendo o q ele estava falando pq o cara só falava frânces. Aí eu pedi, com educação, “english, please”. Aí ele começou a repetir tudo o q já tinha falado em francês e colocando “english” no meio. Tipo “lalala, English….lalalala, English”……Gente, e isso pq eu estava no Louvre ! O museu mais visitado do mundo !

    A terceira foi quando fui assaltado perto da Champs-Elysees….precisa dizer mais alguma coisa ?

    A quarta foi quando tentei visitar a Torre Eiffel de noite, usando o metrô. Ao descer na estação, me deparo com fiscais verificando quem tinha guardado o recibo do ticket do metro. Porém, eu não sabia que precisava guardar e muito menos que havia essa fiscalização (que não vi em nenhuma outra situação nos 3 dias q fiquei lá). Pois não sou obrigado a pagar 33 euros por não ter o bendito recibo ? Detalhe: não tinha dinheiro na carteira então tive q pagar no cartão de crédito. Legal, né ? Ah e quando implorei pra funcionária não me multar pq eu era turista, não sabia disso e não vi nenhuma informação a esse respeito em nenhum lugar, ela fez o q ? Deu de ombros…

    Isso sem dizer o exército de senegaleses que tentam pegar dinheiro de todo mundo que tenta subir as escadas para chegar a Sacre Couer….só escapei pq sou brasileiro (e eles adoram o futebol brasileiro) e usei da lábia para escapar deles….

    Ah e uma amiga minha, quando esteve em Paris, foi maltratada pelos funcionários do próprio hotel (4 estrelas) onde estava hospedada, sabe por que ? Porque, assim como eu, não falava francês.

    Em suma, é um povo “maravilhoso” o povo francês….

    1. Oi Felipe,
      lamento muito por vc ter tido uma experiência ruim com franceses!
      mas saiba que Paris é a pior cidade para estrangeiros (por mais irônico que isso pareça). Parisienses são mesmo muito arrogantes, e detestam atender em inglês (não todos, mas eu tive a mesma experiência que você, de fato).

      eu morei com 4 franceses e francesas na holanda, e eles eram adoráveis! Conversei sobre isso com eles, e de fato, o problema são os Parisienses! haha
      No sul da frança (onde já visitei várias vezes), as pessoas são extremamente prestativas, e receptivas.
      É só uma questão de local mesmo, igual no Brasil! 🙂

      Espero q vc tenha chance de voltar à França um dia e refazer sua opinião 🙂 Visite Lyon, Montpellier, Angers, ou até mesmoa Bélgica, e vai ver que french-speaking people are nice!

    2. Que tal parar de ir para Paris? Uma das piores cidades da França! Vai visitar Toulouse, Marseille, Lyon, Bordeaux, Limoges! Eu vivo na França ja fazem 10 anos e o povo aqui no sul, sul oeste é muito acolhedor!
      Outra coisa que é engraçada é que quando vou ao Rio com meu marido ninguém quer falar espanhol! Aqui é portugues nao é espanhol a resposta a cada vez!
      Ai ja tentaram rouba lo? e quando você fala de exercito senegales ai fico na duvida, vc ja passou na cracolandia so de carro? Ou na cidade aquelas crianças pedindo esmola e quando vc ofere um sanduiche jogam no lixo na sua frente mesmo? E os dias apos ano novo e carnaval que parece que a cidade inteira é um lixao a ceu aberto?
      Entao o transporte aqui é tao ruim? Ja foi assaltado no onibus ai? ou um perverso veio colar atraz de vc se esfregando? Eu aqui nao, nunca fui assaltada, nem se esfregaram em mim, tb quando alguem deixa um lixo no chao todo mundo vai dizer pra essa pessoa o respeito que ela deve ter pelos outros, quando vejo um mendingo (pq tb existe aqui) ofereço comida e ele me agradece pela atençao e como pq ta com fome! Entao pouco me emporta que nao falem ingles, eu fiz o esforço de aprender a lingua deles…

  5. Ri muito! Realmente muitos mitos pra derrubar e outros pra confirmar!!! Depois que um gringo me perguntou se era perigoso viajar para o Brasil por causa dos índios (ele realmente estava com medo das flechas, hahaha) eu fico me perguntando o que eles fazem na vida além de pensar na caixa pequena!

    Muito bom post!

    1. hahaha tem cada história que a gente escuta sobre o Brasil lá fora, Nine! Temos que rir e achar graça, pq quem leva a sério corre o risco de passar raiva. Abraços!

      1. Como: “vc é Brasileira? tem certeza? vc nao tem boca grande e nao é preta!”
        outra: “tem tv no Brasil?”
        “tem banheiro?”
        “tem animais selvagens no Rio?” “claro no zoologico!”

  6. Oi Nati!!!

    Fui agora no reveillon ao Marrocos e a Paris, além de um diazinho na bélgica. E eu acho que 70% das pessoas que eu perguntava se falavam ingles, respondiam que sim. Aí eu perguntava em ingles algum tipo de informaçao… e adivinha: Eles me respondiam em Frances!!!! hahahahahha Entendiam o q eu falava em ingles, mas nao respondiam! Foi tenso porque normalmente eu já estava perdida!rs

    E sim, os italianos falam com a mão, antebraço, cotovelos e até ombros! hahaha

    O resto dos mitos terei que viajar para saber!

    Quando estava no trem no marrocos conheci duas indianas. E quando falamos (eu e meu namorado) que queriamos ter ido a India, mas não tinhamos muito tempo disponivel, ela disse que fizemos uma boa adaptaçao no marrocos pois lá o transito também é caotico, a diferença cultural também é chocante!

    E vcs? Quando vao ao Marrocos? =D

    Beijos

    1. Ei Isabel, que coisa hein, acho que você deve ter pegado uns desses franceses que não falam inglês. Eu não sabia que era tão comum, mas muita gente lá não fala mesmo. Provavelmente esses que você falou conseguiam entender, mas não eram muito bons em falar. Isso acontece! Pq se fosse o caso do povo que tem birra com o inglês lá, eles não iam nem te responder se a pergunta fosse em inglês. Ignoram mesmo, tipo o cara do metrô que não quis me vender passagens. Aqui no Brasil temos esse mito de que na Europa todo mundo fala inglês, mas isso não é verdade para todos os países. Ai gera essa confusão.

      Marrocos está na minha lista, sem dúvidas!

      Abraços!

      1. Nossa, mas porque os Franceses teem que saber falar ingles obrigatoriamente?!!!
        Nao entendo essa!
        Eles estao no pais deles, vcs vao me dizer que qualquer zelador, pedreiro, carteiro, motorista de onibus ou vendedor ai sabem falar ingles???!
        O ingles aqui na escola, colégio, lycee é muito basico “the sky is blue!” e se a pessoa nao fez um curso intensivo em outro lugar nao tem ingles influente e nem todo mundo tem financias para isso! Ai no Brasil no escola publica tem ingles de bom nivel? Eu tive num colegio particular e nao aprendi tanta coisa nao fui fazer cursinho em fisk etc…E fui pra aliança Francesa pra estudar frances pra vir pra ca e ainda nao aprendi bem, so quando vim pra ca mesmo, Jesus!

  7. Tô aqui rindo com a dos russos, rs. Acho que essa galera do leste europeu é a mais bebada que já vi na vida, tudo envolve bebida(e muita!). Polonês não deve estar muito atrás dos tchecos, ô povinho que bebe. Eles colocam vodka até no sorvete, juro. E a minha experiência na França foi diferente da sua. Já fui lá algumas vezes e nunca me senti bem vinda. Na verdade minha implicância nem é com a França, é com Paris especificamente. Nas cidades que fui fora de Paris foi diferente, mas lá o povo é muito chato e grosso. Com relacão ao inglês então, nem se fala. Uma mulher uma vez berrou comigo na informação do metro porque tentei falar inglês com ela, e comecei com um bonjour e ainda pedi desculpas por não falar francês. Ela gritava que na França se falava francês, e quando retruquei dizendo que com brasileira se falava português(em português) ela respondeu tudo em português fluente. E aos berros, me deu a informação que eu queria, em português. Foi tão surreal receber aquele tipo de tratamento por nada, eu fui super educada com ela, deve ser tpm, sei lá. Quer dizer, o problema não é não falar francês, é falar inglês. Enfim, por causa dos parisienses, não gosto da cidade. Sei que esse tipo de experiência é pessoal demais, mas a minha não é muito boa, e não é por causa só desse fato isolado, sempre tomo patada em cima de patada quando vou em Paris,rs. Bad karma…

    1. Liliana, eu teria ficado sem reação! Ainda mais num guichê de informação, que ridícula! Eu acho que o povo de Paris é bem típico de metrópole, sabe? Apresado e até meio grosso, assim como o povo de São Paulo ou NY. Agora, realmente, essa coisa do inglês nunca foi um problema para mim por lá, tirando com as pessoas que não sabiam mesmo falar e com o cara chato do metrô.Aliás, esse povo que trabalha para a companhia de metrô do Paris deve ganhar muito mal para ter tanto mal humor no trabalho, viu? haaha

  8. HAHAHA adorei o post!
    Algumas coisas eu realmente achava que era só mito, como, por exemplo, essa história dos franceses não serem muito chegados num banho… Mas foi só eu pegar o metrô de Paris em pleno verão que eu descobri que é verdade! hahaha!
    Ainda falando em estereótipos, visitei um amiga numa cidade do interior da Inglaterra e descobri também que outro estereótipo é verdade: os ingleses não escovam muito os dentes! eww! Outra coisa que eu percebi é que a Inglaterra é um país “velho”: a cidade que eu visitei tinha muuuuuuuuuuuitos idosos e essa é uma realidade do país que é impossível perceber visitando só Londres, por exemplo.
    Por outro lado, o estereótipo de que os britânicos em geral são “frios” é puro mito. Os mais velhos podem até ser mais fechados, mas os mais jovens são super queridos, ainda mais se for num bar! hahah 😛
    Mas falando sério… essa é uma das coisas mais legais em viajar, na minha opinião! Poder descobrir coisas novas, desconstruir preconceitos, etc <3

    1. Ei Yasmim, esse estereótipo de “frios” raramente se aplicam, principalmente para jovens. Conheci uns alemães super legais, abertos, adoro todos eles. E doze que alemão é rígido, certinho… pelo menos os que eu conheci passam longe disso… Realmente, essa é uma das melhores coisas de viajar. Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.