fbpx

Jericoacoara: o paraíso é logo ali

Logo ali de mineiro, ou seja, longe pacas, pelo menos se você tentar chegar em Jeri no modo econômico. Eu fiz isso. Peguei um ônibus em Fortaleza, às 18h30. Cerca de 300 km separam a capital do Ceará de sua praia mais famosa, um número que pode ser entendido de forma simples: quase sete horas de viagem. Ou seja, eu deveria chegar em Jeri por volta de 1h da manhã. Mas cheguei quando os relógios marcavam mais de três.

É que Jeri, uma antiga vila de pescadores cercada por dunas, está dentro de um Parque Nacional, o que dificulta a construção de rodovias até lá. Por isso, o ônibus mesmo, confortável e com ar-condicionado, só vai até Jijoca de Jericoacoara. O resto do percurso, mais de uma hora, é feito numa jardineira, um veículo com tração nas quatro rodas e capaz de vencer o mar de areia que separa Jijoca do paraíso.

Veja também: O que fazer em Fortaleza

Como chegar em Jericoacoara a partir de Fortaleza

Onde ficar em Jericoacoara

jericoacoara-ceara

A jardineira atrasou, o que tornou a troca de veículos mais demorada que o previsto. Clientes brasileiros nervosos de um lado, um francês que mora em Jeri revoltado do outro, e a jardineira chegou no momento em que o clima entre os viajantes começava a ficar tenso. Entrei no ônibus. Ufa, agora estamos quase lá.

Mas o mundo em forma de areia que é preciso superar era maior do que eu esperava. Jardineira atolada, marcha à ré e muito balanço. Dunas que não acabam mais e – surpresa – o mar logo ali, do lado da janelinha. No céu, estrelas que nenhum morador de cidade grande está acostumado a ver. E até eu, que não entendo de astronomia, identifiquei uma ou duas constelações, com destaque para o nosso Cruzeiro do Sul.

A jardineira enfim chegou em Jeri, mas a areia não acabou – as ruas da vila também são assim. Vila que é simpática e cheia de restaurantes e bares, alguns deles ainda em funcionamento no meio da madrugada, quando chegamos lá.

Existe algo especial nos lugares que são muito difíceis de serem alcançados. Enquanto eu estava na jardineira, cansado, doido para dormir e balançando loucamente, pensei. “É bom que essa tal de Jericoacoara seja mesmo incrível”. É.

Isso ficou claro no primeiro dia, quando desci pelas ruas de areia até a Praia de Jericoacoara, que fica pertinho da vila. Mar lindo, águas mornas, uma duna enorme à minha esquerda e incontáveis velas no canto direito, a composição de um cenário inesquecível.

jericoacoara, no ceara

Os ventos que sopram em Jeri não sopram em qualquer lugar. Ponto mais ao norte do Ceará, Jeri recebe ventos constantes que vêm da África. E o mesmo vento que sopra dunas para lá e para cá, a ponto de soterrar Tatajuba, uma vila vizinha, empurra as velas de kitesurf e de windsurf. Incontáveis esportistas, muitos deles gringos, desembarcam em Jeri todos os anos. “Alguns deles ficam meses por aqui”, explicou Tiago, o guia de um dos passeios que fiz por lá. É fácil entender a razão.

Os ventos que transformam Jeri num dos melhores lugares para essas práticas esportivas no Brasil tornaram a vila popular entre estrangeiros. Diversos idiomas se misturam nas areias da Rua do Forró – se muitos brasileiros não fazem ideia de onde fica Jericoacoara, os gringos parecem não ter esse problema.

jericoacoara, ceará

Mas não foi sempre assim. Jeri já foi realmente uma vila de pescadores (hoje ninguém mais pesca por lá, garantiu o guia). Mas isso foi até a década de 80, quando o Washington Post desembarcou em Jeri, listou a praia como uma das 10 mais bonitas do mundo e colocou esse cantinho do Ceará no mapa turístico mundial.

Os brasileiros conhecem Jeri por causa de dois cartões-postais. Marquei presença num deles no primeiro dia de viagem, ao pôr do sol. Bastou caminhar por 40 minutos morro acima para avistar a Pedra Furada. Gente, é claro, não falta por ali, mas isso não prejudica a experiência.

Jericoacoara, Ceará

Mas o símbolo máximo de Jeri, aquele que faz milhões de brasileiros sonharem com essa praia, mesmo não sabendo onde fica ou como falar esse nome, não é mar, mas lagoa. Várias lagoas. Lagoas com água, cara de Caribe e jeitão de preguiça. Preguiça com direito a redes.

jericoacoara, Ceará

Vou falar a verdade: eu achava que esse negócio de deitar numa rede, com a bunda na água e só metade do corpo submerso, ia ser bom só na foto. Que ia cansar. Que o balanço poderia incomodar. Mas eu já estava há uma hora lá, no balancê das ondas e com um copo de cerveja na mão, quando eu percebi o óbvio. Aquilo era bom. Era ótimo, principalmente depois que eu deixei a câmera de lado e passei a curtir o momento.

Jeri melhorou o conceito de praia ao institucionalizar o direito à preguiça. E com água doce e ondas, afinal os ventos não param de soprar nem nas lagoas.

Mangue seco em Jeri

E a viagem teve mais. Teve vila que foi coberta por dunas. Teve mangue. Teve passeio pelas dunas, inclusive com uma dose de adrenalina. Teve passeio de barco, avistamento de cavalos marinhos, cenários incríveis e restaurantes e bares interessantes. Porque Jeri é para relaxar, mas  também tem vida noturna e um pouco de agito.

jericoacora, Ceará

É claro que nada é perfeito. O turismo, essa atividade que movimenta bilhões e nem sempre é sustentável, já começa a cobrar seu preço. Me assustei com a quantidade de veículos que andam pelas praias e pela areia. O Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, vai lá desde que Jeri ainda era uma vila de pescadores. E garante: algo precisa ser feito, caso contrário o paraíso pode ser perdido.

Jericoacoara, Ceará

Será uma pena. A imagem que quero guardar de Jeri não é essa, mas a de um lugar que é sinônimo de esportes e preguiça. Culpa do vento, que permite ondas e kitesurf, redes dentro d´água e windsurf. Um lugar que o vento deixou até a árvore preguiçosa, procurando um lugarzinho para se deitar.

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

15 comentários sobre o texto “Jericoacoara: o paraíso é logo ali

  1. Hum! Meus planos é conhecer as praias de Fortaleza, inclusive, Jeri. Esta reportagem me ajudou bastante pois eu não sabia nada. Gostaria de receber informações sobre passeios coletivos, hostel porque eu viajarei sozinha.

    1. Para além de Jeri se possível e puder, não perca Canoa Quebrada, outro paraíso, com uma “noite” incrível, onde se come muito bem e uma Broadway Ave. simplesmente fabulosa.

  2. Adorei seu relato e achei muito interessante. Estou pensando em ir para Jeri nas minhas férias (Julho) e to pesquisando tudo que posso pq irei sozinha.

    Dê mais dicas quando puder Rafael!

    Vlwww

  3. Jeri é, sem sombra de dúvidas, um dos mais belos locais que já estive na vida!
    Aliás, o Nordeste em si é premiado e abençoado de tantas belezas! Estivemos, eu e o namorado em Jijoca de Jericoacoara, Trairi e Canoa Quebrada!Muito amor por esse Ceará! <3
    E o melhor de tudo, em Novembro (2015), fora de alta temporada, fomos reis! rsrs..
    Também estamos com um blog, em fase inicial ainda. Não dá para visitar um lugar desses e não compartilhar dicas, como vc mesmo fez aqui! 🙂

    Caso alguém tenha interesse: levesemdestino.com

    Abração!

  4. Conheci (Fomos pra ficar um final de semana, ficamos uma semana inteira) Jeri em 2014, e de lá para cá já conheci muito lugar bacana, fiz mochilão pelo México (Com direito a Cancún), Peru e Bolívia, mas Jeri não saí da minha cabeça, em 2016 quero voltar, mas para um temporada maior, quem sabe até morar por lá alguns meses vivendo da arte, das coisas que a natureza dá…rsrs, acho que me apaixonei pela vila de nome complicado.

    1. Muita gente vai e fica meses, Renan, principalmente estrangeiros. Eu entendo a escolha. hehehe

      Espero que você alcance seu objetivo.

  5. Mais um destino do meu top 5 Brasil que você visita esse ano, Rafael!

    Esse post só me deu mais vontade de embarcar logo pra Jeri antes que as coisas por lá fiquem muito diferentes e o ar rústico se perca de vez.

    1. Quais foram os outros, Adriana?

      O Brasil é gigante, esse é o problema. Tenho meu top 5 daqui pra frente: Chapada Diamantina e Amazonas estão na lista. Quem sabe não dá. 🙂

      Abraço.

  6. Envie por favor passeios de baixo custo e com boa qualidade .sou aposentado .inclusive com aéreo .qualquer lugar, desde que seja interessante .

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.