Tags:

Ciclos de sete anos, crises e escolhas da vida

“Quantos anos você tem?” 27, respondi. “Ui, e como foi o ano da crise para você?” perguntou minha interlocutora. Não era a primeira pessoa ou situação que me atentava para o fato de eu estar passando por uma crise, uma espécie de período de transição. Os 27 anos tem meio fama de tenebrosos, principalmente pelo fato de alguns artistas terem morrido nessa idade: Janis Joplin, Amy Winehouse, Kurt Cobain, Jimi Hendrix, Jim Morrison. E alguns psicólogos dizem que essa é uma idade de questionamentos, dúvidas e pressões sobre fracassos e futuro.

Porém, apesar de admitir que vivi uma crise nos meus 27 anos, não acho que tal crise seja assim tão comum para todas as pessoas. Ou que crises estão delimitadas pela idade. Tem mais a ver com o momento de vida, com o que você construiu até agora e o que vai fazer no futuro. Eu escrevi sobre minha crise algumas vezes aqui no blog, sem antes me dar conta de que ela tinha começado pouco depois do meu aniversário (7 de junho). É uma crise sobre impermanências, sobre decisões e incertezas, sobre quais serão as minhas prioridades daqui para frente.

O que isso tem a ver com os tais ciclos de sete anos? Bom, tem uma corrente meio mística, baseada na antroposofia, que diz que a vida é dividida em ciclos de sete anos. Essa teoria do setênio busca compreender que a vida vem em ciclos, cada um com conhecimentos vindos do ciclo anterior e novos desafios para o seguinte. Aliás, essa coisa de ciclos de sete anos é a premissa de muitas culturas, tal como a judaica, que criou também nesse período a ideia de ano sabático. Vou tirar um parágrafo do post que escrevi sobre o tema uns anos atrás (ainda está super atual, podem ir lá ler):

“O termo é de origem judaica e significa “dia do descanso”. Além do sétimo dia da semana, reservado para o descanso, a cada ciclo de sete anos os judeus ficavam um ano inteiro sem trabalhar. Esse ano sabático servia para que a terra pudesse descansar depois de seis anos de colheita ininterrupta. Todo mundo estava liberado das responsabilidades: até mesmo as dívidas eram perdoadas”

E foi com uma carta de tarot, de brincadeira – logo eu, normalmente bem cética – que descobri sobre o setênio e me dei conta que os meus 27 anos, que em breve terminarão, finalizando assim meu último ciclo de 7 anos, culminam também com grandes mudanças na minha vida, mudanças essas que têm gerado esse tanto de crises sobre decisões e incertezas.

Eu nunca tinha lido sobre isso antes, mas achei que fazia sentido na minha vida. Quando fiz 21 anos, em 2009, tinha voltado há pouco tempo do meu primeiro intercâmbio e, céus, como eu me sentia diferente. Era como se eu estivesse começando uma nova fase da vida – pelo visto, estava – e me abrindo para isso. Nos anos seguintes, eu me formei na faculdade, corri atrás do meu sonho de fazer intercâmbio profissional fora do Brasil, fui parar na Índia, dei a volta ao mundo, comecei este blog, me mudei para São Paulo, larguei tudo pelo 360meridianos, vim sozinha fazer mestrado em Portugal

Tenho vivido coisas incríveis, transformadoras e mágicas. Construí coisas que sempre sonhei e tive sucesso no que eu faço. Eu descobri quem eu era enquanto mulher, eu amadureci para me tornar a mulher que eu queria ser. E então, agora que chego ao fim do meu mestrado em Portugal (tomara!) e esse ciclo está se fechando, eu estou de frente a um novo desafio que ainda não sei qual é, mas passei praticamente todos os últimos 12 meses ao redor dessa questão.

Me tranquiliza saber que nos últimos 7 anos eu tive a chance de aprender tanto sobre quem eu era, quais eram meus limites e o que sou capaz de fazer com a minha determinação. A certeza de que eu não quero voltar a ser quem eu era há 7 anos, tantas transformações depois. Aliás, até a nostalgia alheia me assusta. Eu não me arrependo de nada que vivi, coisas boas e ruins, mas de forma alguma gostaria de voltar para minha pele de anos atrás.

Basicamente, era isso o que dizia a tal carta que me fez refletir sobre meu futuro: “Você mudou, não sente mais o que sentia, sente coisas que nunca sentiu. Percebe diferente. Pensa o que nunca pensou que ia pensar, mas sua vida ainda não mudou, e isto traz uma certa agonia. É uma carta que diz: eu mudei, e agora quero mudanças na minha vida

Sim, eu quero essas mudanças e me assusta um pouco ter percebido que a prioridade do meu próximo ciclo deve ser minhas emoções. Nenhuma das minhas escolhas na vida vieram sem um custo e o preço que paguei foi a distância da família e dos amigos, as constantes mudanças de cenários, de pessoas, de sentimentos, que não são fáceis. Geram confusão, desconfiança, peso. E me assusta porque, muitas vezes, deixei minhas emoções e sentimentos em segundo plano. Meio negligenciadas, tomadas como desimportantes. Não digo só de relacionamentos amorosos, veja bem, digo de tudo. Eu nunca tomei uma decisão em que “como eu me sinto sobre isso” veio em primeiro lugar.


Eu comecei os meus 27 anos, o último ano do meu ciclo, falando sobre o que havia atrás dos sonhos realizados. Eu estava realizando um dos maiores deles: a concretização de uma viagem de 2 meses, sozinha – eu queria que fosse assim – que me levou da Grécia a República Tcheca, e garantiu que eu concluísse o objetivo de visitar 30 países antes dos 30 anos. Isso me fez muito feliz, mas era uma meta muito prática.

Estou a 7 dias de começar o meu tal novo ciclo místico do setênio. E não faço ideia de quais são meus sonhos neste momento, enquanto ainda tenho que finalizar os projetos iniciados no passado. Mas os 28 anos virão, depois os 29, depois os 30… Não me assusta a idade, me assusta um pouco o desconhecido. E o fato de que pela primeira vez na vida não estou fazendo planos. Estou abraçando a incerteza e o que vier dela. Vou decidir de acordo com o que eu sentir sobre isso. E algo me diz que será a decisão certa. Tomara que sim.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

34 comentários sobre o texto “Ciclos de sete anos, crises e escolhas da vida

  1. Luiza, obrigada por esse texto lindo e inspirador!!! Estou nessa fase de transição prestes a completar 28 anos e passando pelos mesmos conflitos internos que vc passou. Meu conselho é aproveitar essa fase para focar no auto conhecimento. Meditar e tentar descobrir o que queremos de fato pra nossa vida, focar nos nossos sonhos e descobrir oq queremos é a parte mais difícil, mas transformadora! Parabéns pelo blog e muito sucesso!

  2. A Bíblia Sagrada é muito clara em mostrar Deus como o arquiteto da história.
    O tempo não marcha para a frente por meio de do acaso nem é um ciclo interminável e re repetitivo. Em vez disso, o fluxo da história é linear e marcha em direção a umauma meta,proposito,objetivo. A história,às vezes pode parecer se repetir,mas mesmo tais exemplos são ordenados pelo SENHOR para seus propósitos.

  3. Fiquei aqui com os olhos marejados lendo esse post. Eu farei 28 em 21/06/2017. Mas já estou nessa vibração. Na sensação de mudança. A ideia tá crescendo dentro de mim, me consumindo. As perguntas sobre o que sou, o que quero ou que devo fazer… martelam sem parar na minha cabeça. O caos se instalou no meu coração. Mas eu tenho plena consciência de que é do caos que vem a harmonia. Que a luz nos guie para o melhor caminho sempre. Que bom que não tô sozinha no mundo com minhas crises 🙂

  4. Incrível… Encantadora. Por esse texto, apenas pelo que li, deu vontade de te ter no meu ciclo de amigos, me parece incrível. Parabéns e obrigada por compartilhar. Se visualiza o email que colocamos para postar, por favor, fala comigo através dele. Abraço

  5. Que texto bacana. Gostei pq não há aquela premissa muito visada Hj do “deixa a vida me.levar para sempre”, mas sim um.pé no chão de “a partir de agora, vou deixar rolar até onde ver que é necessário”. É bom ver pessoas que escolheram estilos de vida diferentes do fique rico até os 30 e seja feliz. Mas, sim que escolheram fazer o que desejavam é lutam muito, todos os dias para dar tudo certo. Obrigado por conpartilha um pouco de sua historia. Muito trabalho e sucesso. Continue a compartilhar! =) um bj

  6. Bom dia Luísa, Aqui é o Mario guia de Munique, lembra? Há um link de vocês pra minha pagina como guia Infelizmente no momento não esta funcionando e principalmente agora estou precisando Muitíssimo de sua ajuda. Grato pela atenção e se de alguma maneira posso lhe retribuir a é só me dizer
    Acredito também que entre 6 e 8 anos há mudanças nesta vida…quem sabe vir pra Munique? kkkk
    Sintam-se sempre a vontade e bem vindos aqui em Munique a qualquer hora e qualquer momento e sempre a disposição.
    Um grande abraço ta6mbem a Natalie e Rafael! Sempre enviando boa energia e lindas recordações!
    Mario

  7. Sabe quando você PRECISA ler/ouvir uma coisa que nenhum dos teus amigos e familiares conseguiu te dizer? Eu estava me sentindo assim pouco antes de ler essa matéria, Luiza. Ontem completei 18 anos, as piadinhas de “já poder ser presa” viram em peso, mas isso não me assustou, o que me assusta é o medo do futuro, de não saber por onde começar para alcançar meus sonhos… Uma frase desse texto fez com que uma tímida lágrima escorresse no meu rosto: “eu mudei, e agora quero mudanças na minha vida.”
    Por enquanto sou só uma menina indecisa que acabou de sair do ensino médio. Como meus sonhos virarão realidade ainda não sei… não sei o que vou fazer da vida pós escola e nem o que me espera lá na frente, mas acredito que me inspirando em pessoas como vocês do 360meridianos, estou no caminho certo. Obrigada, Luiza!

    1. Que comentário lindo!
      Eu senti as mesmas coisas nessa época, era ainda mais difícil quando eu tinha essa idade. Então, realmente, te entendo. E de coração espero que você cuide dos seus sonhos!

      bjão

      1. Obrigada por ler meu comentário e ter a paciência de responder. Obrigada também por me enteder! Exemplos como o seu sempre são bem vindos! Abraços, Luiza!

  8. Luiza, gosto muito de passar por aqui para ler seus textos! São muito inspiradores, eu tenho 25, quase 26 e to tentando entender o que aconteceu nos últimos 6 anos.
    A pressão de que a vida adulta tem que ser um sucesso é angustiante. To aqui sem saber os planos do futuro, mas com aquela vontade louca de me agarrar nas incertezas!
    Parabéns! Pelo aniversário, pelo texto e pelo blog!

  9. Muito louco pensar que, quando nos conhecemos, éramos adolescentes. Eu sou bem orgulhoso do privilégio que ter estado do seu lado, mesmo em continentes diferentes, em boa parte do tempo, nesse processo todo aí. 🙂

  10. Amo seus textos reflexivos!
    Gosto da sua sinceridade quando diz que não sabe quais são seus sonhos, e não estar fazendo planos. Poucos blogueiros e poucas pessoas na verdade, tem coragem de admitir que em algum momento não sabe o que quer.
    Todos passamos por momentos como este na vida, mas nem todos admitimos.
    Vc sabe que quer o nv e tudo que ele te trará!

  11. Que lindo texto Luiza! Também sou geminiana e jaja vou entrar nos 27 anos, e o seu texto me fez pensar no que eu fiz nesse último ciclo e no que posso fazer nesse próximo ano da minha vida! Espero que essa nova fase da sua vida traga muitas possibilidades 🙂

  12. Luiza, estou prestes a completar 27 anos e seu texto fez todo sentido para mim. Mas senti que comecei um novo ciclo agora, há alguns meses após o término de um relacionamento. Hoje sinto que consigo ser a pessoa que sempre sonhei ser, mais madura, mais consciente. Obrigada pelo texto! Um beijo

  13. Eu confio nessa teoria dos 7anos!
    Com 28anos fiz minhas primeiras tatuagens,por aí em diante estou fazendo coisas pela primeira vez ano após ano (viajar sozinha, conhecer praia) e também fazendo outras mudanças como assumir meu crespo e nunca mais usar química.
    Uma curiosidade é que nosso corpo de 7 em 7 anos é tipo um corpo novo,pois nesse período de 7 anos todas as células se renovaram.
    Eu achei interessante a sua frase: Não me assusta a idade, me assusta um pouco o desconhecido. Você já conheceu 30 países e afirma ter medo do desconhecido, uau!(boquiaberta). Idade me assusta,infelizmente cresci sendo uma pessoa tardia(por N motivos)até o primeiro beijo foi depois dos 15.(mas contrariando,eu nasci de 7 meses).
    Mas eu também aprendi que ter atitude é melhor que lamentar,né!

  14. Confesso que nunca tinha ouvido falar nesses tais ciclos de 7 anos, mas me fez muito sentido, pois fiz 21 anos em abril e ao invés de ter a “crise dos 20”, tive a “crise dos 21”. Foi aí que me dei conta que o mundo é grande demais pra gente ficar em um lugar só e inspirada em você, Luíza, decidi que também vou conhecer 30 países antes dos 30, começando pelo Canadá e EUA no fim do ano.

    Obrigada pelos posts maravilhosos 🙂

  15. Se esta teoria estiver correta, estou próxima de terminar um ciclo e começar outro. Sempre brinco que a minha vida é uma mistura de “I still haven’t found what I’m looking for” com “I just don’t know what to do with myself”….

  16. Luiza como vi os meus 27 anos nesse artigo! Senhor… fico tranquila de saber que não sou a única que viveu uma crise existencial nesse ciclo hehe. Alias… interessante saber sobre a existência de ciclos de 7 anos, vou procurar por mais! Que venha os maravilhosos 28 cheio de viagens e coisas incríveis para viver e aprender 🙂

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.