Final de semana em Buenos Aires: roteiro de dois dias

Pensando em aproveitar um final de semana em Buenos Aires? Não precisa ficar com medo da correria. A capital da Argentina tem opções de passeios, restaurantes, cafés, parques e praças que agradam a todos e a frequência de voos saindo de diversas capitais do Brasil fazem dela o destino internacional perfeito para uma escapadinha rápida, em especial se você consegue emendar a sexta-feira. Reunimos algumas dicas para quem vai passar um final de semana em Buenos Aires e concentramos as principais atrações da cidade em um roteiro de dois dias e meio.

Não é por ser perto de casa que dá para viajar sem seguro: saiba por que contratar um seguro de viagem para conhecer a Argentina e como garantir um com boa cobertura (e com desconto).

Como se locomover em um final de semana em Buenos Aires

Buenos Aires é uma cidade plana e muitas atrações são relativamente próximas, então dá para caminhar bastante pela cidade. Além disso, há um bom sistema de transporte público, que integra metrô e ônibus urbanos com passagens baratíssimas – e os táxis e Ubers também não chegam a ser caro. Para se locomover pela cidade, recomendo abusar do transporte público e deixar os táxis para a madrugada. Se pegar um táxi na rua, tome cuidado ao entregar o dinheiro ao motorista, já que eles têm a fama de tentar passar a perna nos passageiro, em especial turistas brasileiros. Conte as notas na frente dele e, se possível, já entregue o valor trocado. Se você escolher bem a sua hospedagem, não deverá ter problemas com deslocamento. Leia nosso guia de como se locomover em Buenos Aires.

Onde ficar durante um final de semana em Buenos Aires

As duas vezes em que me hospedei em Buenos Aires, fiquei no Centro. Apesar de não ter uma vida noturna bombante e não ser o lugar mais indicado para circular durante a noite, o bom do centro é a proximidade com praticamente todos os pontos turísticos e a facilidade de deslocamento. Em uma visita curta, essa pode ser uma opção interessante, já que você não perderá tanto tempo com deslocamentos. Um bairro mais agradável, porém que ainda tem uma localização central é San Telmo, talvez a melhor opção para esse tipo de viagem.

Se você já conhece os principais pontos turísticos da cidade, uma boa ideia é se hospedar na Recoleta, porque sem dúvida é o bairro mais charmoso e no qual você poderá aproveitar seu final de semana em Buenos Aires com mais tranquilidade, mas a região tem opções mais restritas de transporte público. Palermo, que tem um ar mais “badalado chic”. O problema de ficar ali é a distância do resto da cidade. Eu recomendaria essa região para quem tem mais tempo e já conhece a cidade. Para mais detalhes, veja nosso post sobre onde ficar em Buenos Aires.

Encontre hotéis em Buenos Aires

Roteiro de um final de semana em Buenos Aires

Sexta-feira

Comece seu final de semana em Buenos Aires explorando o centro da cidade. O ponto de partida é o obelisco da 9 de Julio, no cruzamento com a Corrientes, um dos principais cartões postais e marco zero da capital. Na mesma avenida está o Teatro Colón, um lindo prédio inaugurado em 1908, palco de apresentações de balé, ópera, concertos e peças teatrais. Vale a pena conferir a programação no site para ver se não tem nada legal durante a sua visita. Além disso, a administração oferece uma visita guiada pelos bastidores do teatro.

Hospedagem Barata em Buenos Aires

Siga para o cruzamento da 9 de Julio com Avenida de Mayo e vire a direita em direção ao Congresso Nacional, um prédio lindíssimo localizado em frente a três praças muito agradáveis. A sede do poder legislativo da Argentina tem visitas guiadas gratuitas durante toda a semana, mas mesmo que você não queira entrar, vale a pena conferir a arquitetura dessa e de outras construções em volta, como o Palacio Barolo, que foi inspirado na Divina Comédia de Dante e que fica na Avenida de Mayo, ali pertinho.

Leia também: Uma visita ao Congresso Nacional da Argentina

Dali, suba pela Corrientes até a Calle Florida, uma rua fechada para tráfego de carros, mas que tem trânsito intenso de pedestres. Tente se desviar das pessoas vendendo passeios e shows de tango superfaturados. Nessa rua fica a famosa Galerias Pacífico, um shopping que funciona dentro de um prédio lindo e que tem lojas chiquérrimas.

Final de semana em Buenos Aires: Galerias Pacífico

Final de semana em Buenos Aires: Visite as Galerias Pacífico

Bateu a fome? Então corre para o Café Tortoni, na Avenida de Mayo, 825, perto da Plaza de Mayo. O lugar tem um belo salão e mais de 150 anos de história, sendo o café mais tradicional em uma cidade que tem uma forte cultura de cafés. Aproveite para provar os deliciosos doces argentinos, com muito doce de leite, de preferência.

Suba para a Plaza de Mayo, palco da Revolução (advinha?) de Mayo, e também da declaração da Independência da Argentina. Durante a ditadura, mães de jovens que desapareceram pelo regime se reuniam ali para protestar. Ainda hoje, já idosas, sua luta pelo direito de saber o que aconteceu a seus filhos não terminou e elas seguem protestando, todas as quintas-feiras sem descanso. Sua determinação as fez ficarem conhecidas como as mães da Praça de Mayo.

Visita à Casa Rosada em um Final de semana em Buenos Aires

Essa praça é o centro político da cidade. Ali fica a Casa Rosada, sede do governo argentino. Dá para visitar a Casa gratuitamente aos sábados, domingos e feriados, de 10h às 18h. As visitas ocorrem a cada 10 min, duram 60 minutos e existem guias em português, inglês e espanhol, mas é preciso reservar horário antes no site visitas.casarosada.gob.ar. Também na praça ficam a Catedral Metropolitana e o Cabildo de Buenos Aires.

Sabe aquela famosa foto com a estátua da Mafalda e amigos? Para encontrá-la, desça a Calle Defensa, que começa ali na praça. A homenagem à famosa personagem dos quadrinhos de Quino está em frente ao número 698. Você voltará aqui no domingo, dia de ver a Feira de San Telmo, mas se quiser uma boa foto, melhor garantir agora que a rua não está cheia de vendedores e turistas. Essa também é uma ótima região para encontrar um bom lugar para comer, já que há muitos restaurantes legais por ali, em especial nas Calle Chile e Peru, que cruzam com a Defensa. Na esquina da Calle Chile, ali pertinho da Mafalda, a dica é o mexicano Aquí me Quedo.

Em San Telmo, na Calle Peru, também está a Manzana de las Luces, um quarteirão histórico erguido por jesuítas em 1608. Há uma rede de túneis no subsolo da Manzana, construídos para caso fosse necessária uma fuga no meio da noite. Os túneis só foram descobertos em 1912 e estão abertos ao público.

Continue o passeio em direção a Puerto Madero. Ali você vai conhecer outra cara de Buenos Aires, com os arranha-céus luxuosos e modernos. Pegue uma sobremesa na Sorveteria Fredo e sente-se de cara para o Rio da Prata para descansar. Em Puerto Madero estão a Ponte da Mulher, outro cartão postal da cidade, e o Museu Marítimo, que funciona dentro de um barco e é uma atração interessante para quem vai com crianças.

Puerto Madero, Buenos Aires

Leia também: Buenos Aires a pé: as atrações do centro

À noite, a dica é jantar no Sarkis, um restaurante armênio considerado um dos melhores da cidade. Chegue cedo, às 8h, para garantir mesa, já que o lugar é concorrido. A kafta de cordeiro com arroz piaf é mais que recomendada. Se ainda houver ânimo, feche a noite com um espetáculo de tango.

Leia também: Onde comer bem e barato em Buenos Aires

Sábado

A manhã de sábado é dia de visitar o famoso Cemitério da Recoleta. Alguns podem torcer o nariz para esse passeio, mas acredite, vale muito a visita. É um lugar muito bonito e bem cuidado, com lápides super elaboradas de famílias ricas. A mais visitada, sem dúvida, é a da Evita Perón. O cemitério abre todos os dias e a entrada é gratuita.

Final de semana em Buenos Aires: Cemitério da Recoleta

Terminado o passeio, explore os arredores do cemitério. A Recoleta é o bairro mais charmoso de Buenos Aires, com ruas lindas, prédios com arquitetura interessante, cafés bonitinhos nas esquinas – tem aquele ar europeu do qual os argentinos tanto se gabam. Logo em frente ao Cemitério, tem uma pracinha bem bonita com vários restaurantes e bares que ficam cheios de gente no final de semana. Encontre por ali um lugar para almoçar ou apenas tomar um café. Depois se perca pelo bairro. Por ali ficam o Museu Nacional de Belas Artes, a Biblioteca Nacional Argentina e alguns parques e praças.

Leia também: Visita ao Cemitério da Recoleta em Buenos Aires

Depois de se perder pelas ruas, siga para a Avenida Santa Fé, nº 1860. Ali fica a livraria El Ateneo, considerada uma das mais bonitas do mundo. O edifício é um antigo teatro que eles transformaram em loja de livros e café. É um prédio lindo e vale muito a visita, principalmente para quem curte literatura.

Ateneu Grans Splendid Buenos Aires

À tardinha, siga para os Bosques do Palermo, um parque lindo e enorme no qual os argentinos costumam se reunir nos fins de semana para jogar, praticar esportes ou só passar o tempo com os amigos. Considere levar uma mate e passar algumas horas por ali jogando conversa fora.

Domingo

Domingo de manhã só tem um programa em Buenos Aires: a Feira de San Telmo. Além de ser um mercado de pulgas enorme e muito interessante, no qual você encontra de tudo, a feira ainda conta com apresentações artísticas nos diversos centro culturais e bares espalhados ao longo da Calle Defensa. Passeie por ali um pouco e compre as lembrancinhas que quiser. Se preferir, pode esperar até bater a fome para experimentar outro dos restaurantes de San Telmo.

Depois, se afasta um pouco da muvuca e pegue um táxi para o La Bombonera, o estádio do time de futebol Boca Juniors, ali, juntinho, tem o Museo de La Pasion Boquense. Se você curte futebol, vale a pena fazer a visita guiada pelo estádio, que já inclui a entrada ao museu.

Leia também: Visita guiada ao estádio La Bombonera

Final de semana em Buenos Aires: Caminito

Terminada a visita, pegue outro táxi e desça no Caminito, a charmosa sua de casinhas coloridas famosa pelas atrações de tango na rua. Há quem não goste nada dali: as casinhas foram pintadas com a intenção de atrair turistas, os restaurantes são caríssimos e, assim como o Museu do Boca, do qual é vizinhos, está em uma área que não é das mais seguras. Mas a verdade é que o Caminito é bonito, rende boas fotos e tem uma história interessante: o antigo bairro de imigrante era dos mais pobres de Buenos Aires e as casas de madeira ali eram consideradas um sinal de miséria e vergonha para os moradores, mas com criatividade e um bocado de  tinta, viraram o jogo. Se você está na dúvida, leia nosso texto Vale a pena visitar o Caminito?

Gostou das nossas sugestões do que fazer em uma final de semana em Buenos Aires? Não deixe de ler todos os nossos textos sobre a cidade.

*Foto Destacada: Martin St-Aman, Wikimedia Commons


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

33 comentários sobre o texto “Final de semana em Buenos Aires: roteiro de dois dias

  1. Bom dia
    Estamos aqui em Buenos Aires com minha família. Tudo muito caro. Uma água custa em média R$ 12,00. Hospedagem rasualvel se fizer reserva com antecedência.
    Para três pessoas por dia 2.000 pesos por dia(taxi, almoço, lanche).
    Se ficar hospedado no centro pode ser mais econômico . Passeios a pé.
    Um grande abraço.

  2. Acabei de chegar de lá. Para quem é baladeiro nem precisa ir, é um lugar meio bucólico, com ar europeu . Acreditem, eu presenciei um assalto na cara dura na feira de San Telmo.

    Achei tudo muito caro, a comida é boa, mas é cara, aliás, tudo está caro lá.

    Eu tinha um baita preconceito contra Argentino, não os amo desesperadamente, mas deu para notar que é o brasileiro que cisma mais com eles do que ao contrário.

    1. Sandel, acho que você não procurou as baladas nos lugares certos. Tem muita, mais muita coisa em Buenos Aires! O agito começa tarde lá. 🙂

      Sobre a segurança, é bem igual ao Brasil mesmo. O problema é que turista é sempre alvo fácil.

      Abraço.

  3. Oi, pessoal. Viajarei para BsAs agora em março pela primeira vez, e confesso que já devorei todas as dicas que vcs dão aqui, mas eu queria saber uma coisa:

    A cidade é bem sinalizada para os turistas, ou será que vou precisar ficar consultando mapa e gps o tempo todo?
    Obrigada desde já pela resposta e por todas as dicas!!

    1. Oi Camila,

      É uma cidade bem fácil de se locomover, na minha opinião. Muitas atrações são perto umas das outras, então dá para fazer boa parte andando, e sim, tem placas e sinalização.

      bjs

  4. Suas dicas foram preciosas pro meu fim de semana. El Ateneo com certeza ficará pra sempre entre meus lugares preferidos no mundo!
    Recomendo Gran Bar Danzon pra um jantar a luz de velas, música maravilhosa e lugar agradabilíssimo!!

  5. Luiza bom dia,

    Mês passado estive em Buenos Aires e aproveitei em 5 dias tudo o que a cidade podia me oferecer me guiando na grande maioria das vezes pelas dicas aqui do 360meridianos.com.
    Gostaria assim de deixar aqui um especial agradecimento a vocês por todas as dicas que nos foram super-úteis, desde o cardápio nos dias por lá até os principais pontos turísticos que visitamos, tudo com base nas dicas de vocês.
    Aproveitando gostaria de deixar algumas outras dicas que descobrimos lá e que foram gratas surpresas para nós (Eu e minha noiva Carla em nossa trip).
    Aqui em baixo fica então nossa singela contribuição para o 360meridianos.

    -> TANGO: Em Buenos Aires, todo mundo diz, não se pode ir lá e não ver um show de tango. Mas sinceramente, queríamos ir lá? Não, não estávamos afim. Pensávamos ser um daqueles shows feitos pra “pegar” turistas, um lugar onde um monte de gente que nunca viajou iria só pra constar no caderninho “O que fazer em Buenos Aires?” e pronto, em suma pensávamos ser chato, com um público também chato.
    CAFÉ TORTONI, espetáculos todos os dias em dois horários às 20:30 e 22:30, fica na Avenida de Mayo, super fácil de achar. O preço 180 pesos por pessoa.
    Não há bebidas ou comidas inclusos mas há serviço de garçom e o preço e o atendimento são excelentes.
    O melhor, o show, o espetáculo é incrível, no dia que eu fui 5 casais se apresentaram em uma peça animadíssima, muito bem executada e até cômica. Havia ainda música ao vivo e demonstração de malabares.
    Aconselho a qualquer um que for a Buenos Aires, não somente pelo preço que foi o mais em conta que encontrei na capital argentina, mas com certeza pelo show que é simplesmente incrível.
    Importante: Os ingressos para o show de 20:30 acabam cedo e as vendas iniciam as 11:00 da manhã (no dia que fui acabaram às 16:00). Portanto vale a pena adquirir estes ao passar pelo centro da capital ainda pela tarde.

    -> Bicicletas gratuitas:
    Turistas em Buenos Aires podem desfrutar do Sistema de Transporte Público de Bicicletas para percorrê-la de uma maneira diferente.
    Basta ir à estação mais próxima e apresentar o passaporte original e uma cópia. Além disso, tem-se que preencher uma ficha com seus dados pessoais e a informação de contato do lugar onde se hospede: endereço, nome do hotel (caso corresponda) e telefone. Eles tiram uma foto e entregam um número de senha. Você assina a declaração juramentada de aceitação das condições e sai pedalando.

    Importante: O serviço é gratuito e funciona de segunda a sexta, das 8 às 20 hs. e aos sábados de 9 a 15 hs.

    ->Parque Rosedal: Mais um entre os muitos parques e bosques de Palermo o Rosedal se destaca por ser possuir rosas das mias diversas partes do mundo, e ser um local que exala um perfume naturalmente magnífico.

    ->ALFAJORES: Quanto aos alfajores, realmente o que você mencionou em outro post, os preços não estão convidativos assim, mas fica a dica, descobrimos lá uma marca que é uma delícia e o preço baratinho. CACHAFAZ, qualquer kiosko de esquina tem e vale a pena provar, trouxemos duas caixas fechadas para casa e pagamos 92,00 pesos na caixa com 12 unidades. A família adorou.
    Tão bom, ou melhor, que os de marca famosas, e segundo um amigo argentino, o verdadeiro alfajor que os argentinos comem.

    É isso aí Luiza, as outras dicas que eu usei, peguei aqui no site, estas descobri lá e acredito que possa ajudar quem vá a BsAs.

    Um abraço,

    Heitor Lichotti

  6. Carolina, bom dia.

    Gostaria muito de visitar Buenos Aires, só que fico com receio de não entender, pois não entendo muito espanhol e não sei nada de inglês… Pode me dar algumas dicas.

    1. Oi Rosana,

      Não fique com medo. Eles entendem bastante portunhol e são muito solícitos. Acho que a principal dica é ser bem educada e ter bom jogo de cintura se precisar fazer alguma mímica para se explicar. Mas como disse, a diferença de idiomas não é um problema em Buenos Aires.

      bjs

  7. Olá Luiza! Ontem foi a primeira vez que visitei o blog, estou gostando, tenho votade de conhecer a Argentina, talvez um final de semana. Você poderia me enviar por favor algumas empresas de turismo que oferecem essa viagem por curto período, com bom serviço, confiáveis…Obrigada!!

    1. Oi Carol, seja bem vinda ao blog, hehe

      Olha, eu não sei te indicar uma empresa que faça esse tipo de roteiro de final de semana, provavelmente qualquer agência que você procurar vai te dar essa opção de final de semana na Argentina.

      Mas, sinceramente, te recomendo fazer por conta própria porque vai sair bem mais barato e não é nada difícil. Apesar de não ser Brasil, é bem fáci entender e se fazer entender em Buenos Aires. Além disso, tem muito blogs brasileiros cheios de dicas passo a passo sobre o que fazer, onde ficar, como se locomover na capital portenha.

      O que você acha? Posso tentar te dar mais dicas nesses sentido.

      bjs

  8. Oi Luíza,

    Quero ir a Buenos Aires em setembro, mas estamos preocupados com os gastos lá. Vou com minha namorada, de “mochilão”, então ficamos na dúvida quanto ao custo de trasporte comida e etc.Não achei o preço dos hoteis e albergues ruins, na verdade me surpreenderam, mas vejo mta gente falando que os restaurantes estão caríssimos, não vale a pena comprar nada, que é pra evitar ao máximo pegar um táxi, essas coisas.
    Vc pode dar uma luz ai pra gente?Queremos aproveitar a gastronomia, os museus e etc.
    vlw!

  9. Olá!! Sou de Floripa e voltei ontem de Buenos Aires e no sábado começamos nossos 5 dias no paraíso e minhas impressões foram: Buenos Aires é um destino para adultos, tenho 3 crianças entre 14 e 3 anos e apesar do coração apertado de saudades não me arrependo de não tê-los levado (ficaram bem curtindo os avós). Por que a cidade é para depois dos 18 rs?? Porque ela clama por horas de caminhada no Centro pelas Calle Florida: olhares atentos nas etiquetas da Fallabela (decoração) pela Galerias Pacífico com sua arquitetura imponente e luxuosa, sentar-se ao sol na praça em frente a Casa Rosada para recuperar o fôlego e claro, sempre achar que é cedo para comprar os alfajores Havana e deixar para o último dia….
    Ah, Buenos Aires é também para as mulheres porque ao Norte, em Palermo Soho, as ruas com dezenas de boutiques chiques e/ou alternativas cheiram a baunilha (sim, o sistema de calefação que joga ar quente nas calçadas leva o cheiro doce dos aromatizadores de ambiente das lojas para a rua rs) e porque nos cafés com suas mesinhas na calçada tem habituees com um ar cool e elegante e então tomando um cappuccino quentinho você se sente em paz e tem a incrível sensação que o céu é ali… mas, ainda não.
    E a gastronomia?? Bem a comida em Buenos Aires é um caso a parte, um caso de amor… em Puerto Madero onde a gente fez uni-duni-tê escolhendo o melhor entre bons restaurantes de variadas cozinhas elegemos o La Parolaccia, preço honesto, comida italiana delícia, massa artesanal, vista fantástica e também porque lá trabalha o garçom Luciano que é uma graça
    Mas a cereja do bolo ficou por conta de nosso passeio pela Recoleta, onde após a parada obrigatória de todo turista no Cemitério da Recoleta, fomos dar uma olhada no Centro Cultural da Recoleta ao lado e de onde vinha uma música de um rock portenho dançante, era a Semana Cultural, e com uma exposição do fotógrafo particular do John Lennon, Bob Gruen, e mais emoção nas lindas fotos da rotina de John, Yoko e Beatles.
    Ainda houve o domingo de café da manhã na Tortoni e táxi para a feira de San Telmo (uma viagem ao passado).
    Há ainda o capítulo tatuagem, onde após intensa pesquisa, fomos para a Bond Street Galería (Santa Fé, 1670) e marcamos nossa viagem (como fizemos em todas) através das mãos dos excelentes profissionais do estúdio Los Compadres(Javier e Eric) pensa “nuns” caras gente boa obviamente saímos dali e aproveitamos toooda a Santa Fé cheia de lojas de tudo com um bom Freddo de Chocolate Suizo
    Amamos tudo!!!! faltou falar de muita coisa, mas por hoje é só
    Ah, o ponto final da viagem foi no céu em Terra, no free shop do Ezeiza, cheguem beeeem antes do horário do seus vôos porque “o saldo que sobrou no cartão de crédito é o limite!” kkkk

    1. Ei Paty,

      Obrigada por compartilhar seu roteiro!
      Buenos Aires é uma delícia mesmo. E olha, eu acho que tem bastante programação para os menores de 18 anos também 😉

    2. gostei muito do seu comentário , é a primeira vez que viajo para Buenos Aires e vc me ajudou muito ….. vou no mes que vem e acredito que tbém vou adorar obrigada pelas dicas ok !!

  10. O ideal no Domingo é ir de manhã tomar café no Tortoni, seguir p/ a casa Rosada (visita Guiada), depois seguir p/ Plaza Dorengo em San Telmo(tem uma feirinha imperdível), ai vc pode escolher almoçar em San Telmo ou na próxima parada q será o Caminito, de lá vc consegue ir andando até o La Bobonera, dá para fazer tudo até as 18h, até pq depois das 18h o bairro do Boca fica perigoso.

      1. Moro em Buenos Aires e conheço quase todos os restaurantes da cidade, mas um que pouca gente conhece e é o meu preferido de longe se chama Chan Chan, um peruano que fica na rua Hipolyto de Irigoyen,1390 perto da praça do Congresso. A comida lá é maravilhosa, muito boa mesmo, todos saem impressionados, O lugar é simples, tipico peruano e o atendimento sempre é muito bom, a comida sempre nota 10, e o preço é o melhor de tudo. Um almoço para duas pessoas com entrada, prato principal, bebidas e sobremesa, sai em média 150 pesos argentinos, que se colocamos em dolares oficiais seriam menos de 30 usd. O lugar é nota 10 mesmo, vale a pena fugir da comida Argentina que é pouco variada.

  11. Ótimo post, bem abrangente. Sou apaixonado pela livraria Ateneo e pelos parques do Palermo. Da última vez fiquei hospedado parte no centro e parte na Recoleta, e também fiquei com essa impressão de que na Recoleta fiquei meio longe das coisas. Mas deu pra balancear um pouco as atrações de acordo com a hospedagem. Abs.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.