O que fazer em Bangkok: guia completo de atrações

Diversidade é o que não falta na hora de escolher o que fazer em Bangkok. Mercados repletos de sabores exóticos, tuk tuks que cortam as ruas de uma ponta a outra da cidade, budas por todos os lados, bairros que nunca dormem. Bangkok tem muitas caras que agradam desde o mais aventureiro dos mochileiros até aqueles que buscam luxo, restaurantes estrelados e bares modernos e sofisticados.

A cidade, que começou como um pequeno centro comercial e portuário, foi promovida à sede do Reino de Sião no século 18, depois que os birmaneses devastaram a antiga capital, Ayutthaya. Hoje, Bangkok possui uma região metropolitana com quase 15 milhões de habitantes e é um dos principais polos comerciais, culturais e financeiros do sudeste asiático, sem falar na sua importância turística. Está planejando passar alguns dias por ali? Então fique por dentro das principais atrações e saiba o que fazer em Bangkok.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável em qualquer viagem. Não fique desprotegido na Tailândia.Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício com nosso código de desconto.

Quem preferir visitar a cidade acompanhado de um guia local que fale português pode entrar em contato com a Norma pelo email [email protected] ou pelo telefone +66818459710.

O que fazer em Bangkok: as principais atrações turísticas

E mais:

Visitar o Grande Palácio e ver o Buda Esmeralda no Wat Phra Kaew

 

Grande Palácio de Bangkok

Construído no ano 1782,  Grande Palácio é a residência oficial da família real da Tailândia e sede administrativa do governo. Majestoso, o complexo abriga também um dos mais importantes santuários budistas de toda a Ásia, o Wat Phra Kaew (ou Capela Real), também conhecido como o templo do Buda Esmeralda. Essa é casa de orações oficial do rei, sendo a única em todo o país na qual não residem monges. Apesar do complexo ser aberto ao público, o Buda Esmeralda só pode ser visto em dias determinados.

Para entrar ali, assim como na maior parte dos templos na Tailândia, é preciso seguir um código de vestimenta: homens devem trajar calças compridas, blusas de manga longa e sapatos, já as mulheres só entram de saias longas. Caso você esteja vestido de forma inapropriada, pode comprar lenços e saias nas lojinhas ao redor do Palácio. Antigamente, o próprio templo costumava oferecer roupas adequadas e gratuitas para os visitantes, mas isso já não acontece. Abre todos os dias das 8h30 às 15h30; a entrada custa 500 baht. Saiba mais sobre o Grande Palácio de Bangkok.

Se perder nas centenas de templos da cidade

Bangkok tem mais de 400 templos espalhados por suas ruas. Locais de adoração que vão desde pequenos altares até construções grandiosas com direito a budas gigantes folheados a ouro. Para você não ficar perdido no meio de tantos wat (que significa templo em tailandês), indicamos aqui os principais.

Leia também: Guia de templos de Bangkok: quais deles visitar

Wat Pho

Buda reclinado no wat pho - templo em Bangkok

Um dos maiores e mais antigos wats (templos) da Tailândia, o Wat Pho é também muito importante para a cultura tailandesa. Foi ali que nasceu um dos mais famosos produtos locais: a massagem. Antes de ser templo, o local era usado como centro educacional de medicina tradicional tailandesa. A principal atração deste complexo de templos é o Buda Inclinado, uma gigantesca estátua com quase 50 metros. Abre todos os dias das 8h às 17h; o ingresso custa 100 baht. Leia o post completo sobre o Templo do Buda Reclinado.

Wat Arun

Wat Arun, o templo do amanhecer em Bangkok

Em tailandês, o nome deste templo significa Templo do Crepúsculo. Ele foi construído em homenagem à divindade indiana Aruna e é uma representação arquitetônica do Monte Meru, o centro do mundo na cosmologia budista. O templo fica às margens do rio Chao Phraya River e para chegar lá basta atravessar de ferry. Dizem que a melhor vista do templo é na hora do pôr-do-sol, quando a construção fica recortada contra o céu. Abre todos os dias, das 8h às 17h; o ingresso custa 50 baht. Saiba mais sobre o Templo do Amanhecer em Bangkok.

Wat Saket

Golden Mount Temple em Bangkok

Localizado no topo de uma colina artificial construída a partir dos escombros de uma antiga estupa que desabou após o solo ceder sob seu peso, o Wat Saket, também conhecido como Golden Mount Temple, é um dos templos mais interessantes de Bangkok, pois proporciona uma boa vista da cidade ao redor. Para chegar até o topo, é preciso vencer os 318 degraus que sobem em espiral ao redor da colina. Dizem que lá dentro estão restos mortais de Buda, trazidos da Índia. Abre todos os dias, das 9:00 às 17:00. O ingresso é gratuito, mas para entrar na estupa é preciso pagar 10 baht (R$1). Saiba mais sobre o Wat Saket.

Se aventurar pelos mercados tradicionais

Não dá para listar o que fazer em Bangkok sem falar dos animados mercados de rua que fazem parte da vida cotidiana dos tailandeses. Veja uma lista com os mais interessantes deles.

Saiba mais: Mercados para visitar em Bangkok

Mercado Flutuante

O que fazer em Bangkok: mercado flutuante

Uma das atrações mais famosas de Bangkok, o mercado flutuante fica, na verdade, a 110 km da capital tailandesa, na província de Rachaburi. Para chegar até lá, você tem duas opções: pegar um táxi ou agendar um tour no seu hotel. A segunda opção, além de mais prática, também costuma ser a mais econômica. Os tours saem cedo, por volta das 6:30 a.m. e duram meio dia. Ao chegar no local, você ainda precisa desembolsar mais alguns baths para garantir seu lugar em uma das canoas que navegam por entre os canais que formam o mercado. Esteja preparado para o assédio dos vendedores, que vão te oferecer desde artesanato até frutas e vegetais. Embora a experiência pareça tentadora, é preciso alertar o turista desavisado: há anos o Mercado Flutuante perdeu sua essência, a maior parte das lembranças vendidas lá são made in china e o processo de visitá-lo é caro e complicado. Há mercados MUITO mais interessantes na cidade, mas é inegável que o passeio rende boas fotos.

Chatuchak Weekend Market

Um dos maiores mercados da Ásia, o Chatuchak Weekend Market funciona apenas aos finais de semana. Lá, é possível encontrar de tudo: comida, temperos, sapatos, bolsas, camisetas com estampas legais, brinquedos, móveis e objetos de decoração. Aproveite para ir às compras gastando pouco, pois os preços são incríveis. A melhor forma de chegar é via BTS, Skytrain (Linha Sukhumvit), descendo em Mo Chit. A estação está a uns 5 minutos de caminhada do mercado.

Pak Klong Talat, o Mercado das Flores

Mercado das Flores de Bangkok

Todas as noites, caminhões e mais caminhões repletos de jasmins, rosas, orquídeas, flor de lótus, lírios e margaridas chegam para abastecer o maior mercado de flores de Bangkok. Não é à toa que é depois que o sol se põe que esse mercado aberto 24 horas por dia fica mais interessante. Ao passar por ali, você verá floristas trabalhando em oferendas e arranjos de flores para rituais, cerimônias religiosas e presentes. Esse é um dos mercados mais interessantes da cidade. O Pak Klong Talat fica na Maharat Road com a Chakraphet e abre todos os dias. Não deixe de ler nosso poste completo sobre o mercado das Flores em Bangkok.

Talad Road, o mercado do trem

Esse mercado funcionava próximo aos trilhos de trem que passavam atrás do Chatuchak Weekend Market, mas foi mudado de lugar por causa das obras do BTS Skytrain. Hoje ampliado e com uma proposta mais jovem e moderna, o Talad herdou de seu passado o apelido carinhoso: train market. Com ares hipster, o lugar é perfeito para comprar roupas, artesanato, antiguidade ou apenas jantar com amigos. Abre de terça a domingo, a partir das 17h. Para chegar lá é preciso pegar o Skytrain até On Nut e, de lá, um táxi ou Uber até o mercado, que fica atrás do Shopping Seacon Square.

Amulet Market

Os corredores estreitos desse pequeno mercado estão abarrotados de amuletos, talismãs e mandigas de todos os tipos, preços e tamanhos. Os vendedores garantem que os itens vendidos ali protegem de todos os tipos de mal, seja ele físico ou espiritual: além de proteções pessoais, também dá para encontrar amuletos para a colheita, para abençoar uma casa e prosperidade. Há quem garanta também que os produtos são resquícios de templos sagrados que viajaram de outras partes do país até chegar ali. Mas uma coisa é certa: a experiência de visitar esse mercado é fascinante até para o mais convicto dos ateus. Nos becos adjacentes ao principal, você encontrará melhores pechinchas. Para chegar lá, pegue uma ferrie dos piers Chang Pier, Maharaj Pier ou Phra Chan Tai Pier ou desça na estação National Stadium do BTS.

Conhecer o Museu Nacional de Bangkok

O primeiro museu público do país foi construído nos terrenos de uma palácio do século 18 e guarda uma abrangente coleção de arte tailandesa e objetos que um dia pertenceram à Família Real, como armas, vestuário, estátuas, carruagens, máscaras e outros. Através das peças, o lugar conta a história do país desde a pré-história até a atual monarquia, sempre com descrições em Inglês. Há visitas guiadas gratuitas em inglês diariamente. Fica na Na Phrothat Road, perto do Grand Palace.

Provar o melhor da deliciosa comida tailandesa

A comida tailandesa é mundialmente famosa por sua mistura de sabores, temperos e texturas. E é claro que na capital do país é possível achar de tudo um pouco sobre essas tradições culinárias com preços variados.

Comida de rua em Bangkok

Vocês podem conferir o post sobre onde comer em Bangkok, que trás dicas de vários restaurantes na cidade, incluindo aquele que é considerado o melhor Pad Thai. Ainda, é preciso se aventurar pelas barraquinhas de comida de rua: é que nada é mais tradicional nesse país do que os pratos feitos nas barraquinhas e mercados populares. Para isso, você pode contar com o nosso guia para comida de rua em Bangkok. Se você não sabe o que pedir, veja nossa lista com os pratos essenciais da comida tailandesa.

Onde comer o melhor Padthai de Bangkok

Muitos podem até se gabar de vender o melhor padthai de Bangkok, mas é difícil bater o Thip Samai em títulos e reconhecimento. Esse pequeno restaurante localizado em uma lojinha modesta a menos de cinco minutos da Khao San Road começou como uma barraca de comida de rua, mas cresceu a medida que ganhava fãs e clientes. Vende diversas opções do prato mais famoso da Tailândia, desde a tradicional com camarões até receitas vegetarianas e com outras carnes. Abre todos os dias, das 17h às 2h, mas fecha uma vez a cada quinze dias. Fica na 313-315 Maha Chai Rd, Khwaeng Samran Rat.

Comida de rua em Chinatown

Quem quiser provar o melhor da comida de rua tailandesa pode se aventurar pela Chinatown depois do por do sol. As ruas do bairro chinês se enchem de vendedores de comida local ou com influência chinesa e são amplamente frequentada pelos moradores da cidade para uma boquinha depois do trabalho. A dica é provar vários pratos diferentes por ali.

Comer em um restaurante Michelin

Da comida de rua aos restaurantes mais balados da cidade. Em Bangkok dá para comer em alguns dos 17 restaurantes de Bangkok que constam no Guia Michelin sem gastar o equivalente a um rim. A dica é o Paste Bangkok, que serve a tradicional comida tailandesa, com toques criativos e contemporâneos. Espere gastar entre 1000 e 3000 baht por pessoa (entre R$100 e R$300). Abre todos os dias das 12h às 14h e das 18h30 às 23h. Endereç: 999 Phloen Chit Road Level 3 Lumphini Pathum Wan Bangkok.

Curtir a noite em Bangkok

 

Khao San Road

Sonhada por muitos, evitada como o demônio por outros tantes, a Khao San Road talvez seja a mais icônica rua de vida noturna em Bangkok. Bares, restaurantes descolados, insetos no espeto, bebidas, camelôs que vendem de camisetas da cidade a diplomas falsos de Harvard e centenas de estrangeiros em estado de consciência alterado dispostos a se divertir. É na Khao San Road que você vai encontrar tudo aquilo que você estava procurando, se você veio a Bangkok em busca dos seus dias de Se Beber Não Case. Você pode ler o post completo sobre a rua mais famosa da Tailândia aqui. 

Mesmo quem prefere evitar a ressaca do dia seguinte pode se aventurar pela Khaosan em plena luz do dia, quando a festa ainda não começou, e sentar-se em um dos bares e restaurantes para conhecer a atmosfera da rua mais famosa da cidade. As ruas ao redor também possuem muitos bares e algumas opções mais baratas para jantar. Listamos aqui algumas opções de hospedagem nessa região.

Rooftops

Tantos arranha-céus espalhados pela Bangkok moderna propiciaram o surgimento de dezenas de rooftop bars, ou, em bom português, um barzinho na cobertura, com vista para a cidade. O mais famoso deles é o Sky Bar do Hotel Lebua, que além de ser um dos mais altos do mundo – está no 63o andar -, ainda foi cenário do filme Se Beber Não Case 2. Outro que vale a pena conferir é o The Roof @38th Bar, com vista 360o da cidade e um cardápio de dar água na boca.

Secret bars

Outra tendência das metrópole modernetes que pegou em Bangkok é o dos Secret Bars, esses bares secretos que se escondem detrás dos lugares mais inusitados da cidade. Becos, cabines telefônicas, saídas de emergência. Você nunca sabe o que pode ter detrás de uma porta em Bangkok. Um desses lugares é o Q&A Bar, um secret bar localizado na 235/13 Soi Sukhumvit 21, que oferece uma carta de 52 coquetéis, dos mais clássicos, como o Mojito, aos que agregam ingredientes inusitados e são de exclusividade da casa. Para chegar lá, caminhe pela Soi Sukhumvit procurando por uma grande parede de mármore com uma pequena placa no topo. Recomenda-se reservar um lugar com antecedência.

Receber a tradicional massagem tailandesa

Eu não sou de cagar regra, mas nesse caso, preciso ser enfática: não saia da Tailândia sem receber uma massagem tradicional tailandesa. O serviço é oferecido até mesmo nas ruas, em cadeiras dispostas na calçada da Khao San Road e adjacências, por um preço muito camarada. Quem preferir atendimento mais vip pode procurar um dos muitos SPAs dentro e fora dos hotéis da cidade. Apesar do preço mais salgado, a experiência é também mais completa e costuma incluir chás e uma porção de mango sticky rice no final. Outra opção bastante em conta e com a garantia de profissionais certificados é no Wat Pho, um centro oficial de ensino da medicina tradicional tailandesa. A sessão ali sai por cerca de R$18.

Passear de Longtail boat pelos canais

Os coloridos barcos long tail são itens obrigatórios nos cartões postais da Tailândia. Em Bangkok são diversas as agência que oferecem passeios de uma ou duas horas nessas embarcações pelos canais que cortam a cidade. O interessante é ver como a vida da cidade ainda tem nos canais um de seus principais elementos. Se você der sorte, também poderá ver os gigantescos lagartos que habitam as margens do rio. Os passeios podem ser contratados diretamente com os canoeiros em qualquer um dos grande piers da cidade, incluindo o principal, Sathorn Pier. Nesse caso, o preço vai variar de acordo com a demanda (se tiver mais gente lá para se juntar no seu tour, fica mais barato) e o seu poder de negociação. Outra maneira é contratar o passeio diretamente com as agências de turismo locais.

Conhecer o novo Lhong 1919

Passeios alternativos em Bangkok - Lhong 1919

Inaugurado em novembro de 2017 em um espaço que antes funcionava um antigo armazém utilizado por imigrantes chineses no país, o Lhong 1919 é uma nova galeria de design, arte e gastronomia em Bangkok. Embora tenha sido completamente reformado e ganhado ares de hipster moderninho, o projeto preserva a arquitetura e as pinturas originais, que contrastam com os belos grafites de artistas que colorem outras das paredes. Uma perfeita representação do que é a mistura do antigo e do moderno em Bangkok. Não deixe de visitar o segundo andar para ver de perto as gravuras das paredes e entrar nas pequenas lojas no primeiro piso. O Lhong 1919 fica na Chiang Mai Road, 248, no Klongsan District. Pegue o barco público no pier Central Sathorn ou na China Town e desça na Wanglee Pier.

Assistir a uma apresentação de teatro de marionetes na Casa do Artista

Casa do Artista: passeios alternativos em Bangkok

Esse pequeno centro cultural independente que funciona em uma velha casa de madeira a beira de um dos canais oferece, todas as tardes, às 14h, uma apresentação de um teatro tradicional de marionetes recontando lendas do folclore tailandês e cenas do Ramayana.  As apresentações são gratuitas, mas recomenda-se deixar uma doação voluntária. Para confirmar a sessão, só ligando para lá (+66 02-868-5279).

Para chegar, pegue o Skytrain até a estação final em Bang Wa e caminhe por 20 minutos pela Phetkasem Soi até o canal ou pegue um táxi na estação. Diga ao taxista que você quer ir para a Baan Silapin ou para o mercado no canal, o talat nam Klong Bang Luang. Não hesite em pedir informações para moradores locais, já que o lugar é complicadinho de encontrar mesmo.

O que fazer em Bangkok: bate-volta a Ayutthaya, a antiga capital da Tailândia

Fundada em 1350, Ayutthaya foi a capital do Reino de Sião por cerca de 400 anos, até ter sido completamente destruída por invasores da vizinha Birmânia. Em seus dias de glória, chegou a ser a maior cidade do planeta em 1760, quando somava um milhão de habitantes. E muitos estrangeiros – comerciantes e até mesmo alguns embaixadores de nações europeias – desembarcavam por lá todos os anos e logo ficavam impressionados com a grandiosidade e beleza do lugar. Hoje Patrimônio Mundial da Unesco, a cidade é um perfeito bate-volta desde Bangkok, já que pouco mais de uma hora separam as cidades.

Para chegar, pegue o trem na Estação Hualamphong. A viagem de terceira classe custa 15 baht (R$1,50). Também é possível ir de ônibus, saindo da Northern Bus Terminal de Bangkok. Da estação, a dica é contratar um dos motoristas de tuk-tuk para te levar pelas atrações da cidade. Ele te leva nos templos que você escolher e, se você der sorte, ainda pode te dar todas as dicas e contar um pouco da história do local. Há ainda a possibilidade de alugar uma bicicleta para rodar pela cidade. Leia nosso post completo sobre O que fazer em Ayutthaya.

Quando visitar Bangkok

A melhor época para visitar Tailândia em geral, e também Bangkok, é entre novembro e fevereiro. Essa é a estação seca do país e quando o clima não está insuportavelmente quente (entre março e maio as temperaturas sobem mais). As monções em Bangkok ocorrem nos meses de maio a outubro.

Leia nosso guia de monções asiáticas.

Como se locomover em Bangkok

Uma cidade enorme como Bangkok exige um complexo sistema de transporte. Em Bangkok você tem a opção de pegar metrô, skytrain, barcos ou balsas, além de táxis e tuktuk. Fizemos um post desvendando todos os mistérios de como se locomover em Bangkok.

Onde ficar em Bangkok

As ruas ao redor da Khao San Road são o paraíso dos mochileiros – pela quantidade de hostels bons e baratos – e o inferno de quem busca paz e sossego. Para uma boa vista e comodidade, procure por hospedagem em Riverside, próximas ao rio Chao Phraya. Já os entornos da Sukhumvit Road são os favoritos de muitos viajantes em busca de hospedagem mais confortáveis e luxuosas. Leia nosso guia de bairros e onde ficar em Bangkok.

Encontre hotéis em Bangkok


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

20 comentários sobre o texto “O que fazer em Bangkok: guia completo de atrações

  1. Olá!

    Gostaria de saber se lá existe cartão sim pré-pago ou pocket wi-fi para conseguir internet nas ruas…
    Vou para a China também, se souberem de lá, agradeço também.

    Obrigada!

    1. Olá Carol, o cartão com certeza existe, só não sei como comprá-lo porque não o fiz quando estive lá. Mas havia internet wifi sempre disponível em restaurantes e hotéis

  2. O que fazer em Bangkok? Pegar um vôo pra outro lugar… A cidade podia ser bem legal se a gente não tivesse que passar o tempo inteiro discutindo com taxista, motorista de tuk tuk etc… Várias máfias, cada grupo te leva pra onde convém a eles. País super livre mas a de escolha de quem visita é ignorada. Pior viagem EVER.

    1. Também tivemos problemas com taxistas e motoristas em Bkk, mas isso é bem comum em países do sudeste asiático. É preciso ter jogo de cintura para lidar com isso e não deixar estragar a viagem.

  3. amigos,
    aproveitando o site, estou indo para a Tailandia e vou ficar 15 dias….
    tem alguma sugestão, considerando que tenho bastante tempo?
    ainda, vou chegar lá no dia 15 de setembro…é uma época boa?
    Juliana,
    você vai mesmo em Setembro? planejou algo interessante?
    abs.

  4. Olá! Estou planejando uma viagem para a Tailandia em Setembro. Espero que até lá os protestos tenham melhorado. Queria saber quantos dias sugerem de eu ficar em Bangkok.
    Adoro o site de vocês! Parabéns!
    Abs,
    Juliana

    1. Oi, Juliana.

      Acho que entre 3 e 4 dias. É claro que dá pra achar mais coisas pra fazer, caso você tenha mais tempo, mas com esses dias você consegue ver bastante coisa.

      Abraço.

    2. Ei Juliana,

      Não sei como está a situação lá por causa desse golpe de estado, viu! Mas sugiro ficar no mínimo uns 4 dias na cidade para dar tempo de ver tudo e visitar Ayutthaya.

      Abraços!

  5. Bom dia

    Preciso da vossa ajuda! A situação na tailândia não tem melhorado e a agência aconselha ou a evitar banguecoque ou a cancelar.

    A minha distribuição da viagem era a seguinte 19 (só parte da tarde) a 23 de abril banguecoque
    24 a 26 chiang may
    27 a 3 phi phi

    Neste momento o problema é mesmo banguecoque sendo que defini esses dias porque queria tirar 1 dia para a excurssão do mercado flutuante e outro para a ayuttaya.

    Tinha assim uma tarde e 4 dias completos.

    Estou a pensar encurtar dois dias em banguecoque e ir até a Malásia e depois da malásia para chiang.

    Que acham?

    Assim ficava com uma tarde para banguecoque e dois dias completos, sendo que, 1 dos dias deveria optar por ayuttaya ou mercado? Será que não há possibilidade de visitar o mercado só numa manhã?

    Estou mesmo num dilema e com medo! Aguém esteve lá recentemente?

    1. Olá Verônica,

      Bom, acho que se existe essa recomendação, talvez você deva evitar Bangkok mesmo. Acho que nas outras áreas está tranquilo, portanto foque nas praias e em Chiang Mai. Se tiver que escolher, vá a Ayutthaia. É bem mais interessante que o mercado. Muita gente tem a opinião de que ele é produzido para turistas e eu concordo que é um pouco decepcionante. Acho que não dá para fazer apenas em uma manhã e ficaria corrido pra você em Ayutthaia, que é, na minha opinião, um dos lugares mais legais que eu visitei lá.

      Abraços

    1. Ei Ary, protestos em qualquer lugar são incovenientes para os turistas, mas não precisa cancelar a viagem. Procure se informar sobre onde os manifestantes estão se reunindo e evite essas partes da cidade – sede do governo, etc. Se você puder diminuir o tempo em bangkok e ficar mais nas praias ou no norte, melhor ainda. Se fizer isso não deve enfrentar maiores problemas. Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.