Tags:
Atlas: Lima, Peru

O que fazer em Lima: roteiro e atrações na capital do Peru

Eu não tinha muitas expectativas sobre o que fazer em Lima, confesso. Toda a viagem ao Peru foi planejada em torno de um objetivo bastante claro: alcançar a famosa cidade perdida dos Incas, a sonhada Machu Picchu. Tínhamos pouquíssimo tempo e perderíamos dois dias inteiros dentro de um ônibus em direção a Cusco. Lima entrou no nosso itinerário única e exclusivamente porque precisávamos desembarcar e embarcar ali. Apesar disso, foi um dos lugares que mais surpreendeu em toda a viagem.

Antes de ser capital do Peru, Lima foi capital do Império Espanhol na América e, antes disso, um importante centro do Império Inca. O passado deixou fortes marcas na cidade, que vão de prédios de imponente arquitetura colonial até centros arqueológicos da era pré-colombiana. Isso sem falar na comida boa e barata. Por ali, é possível desfrutar de uma refeição completa, com direito a suco, sobremesa e dose de Pisco Sour por entre de R$10 e R$15 nos menus turístico.

Veja também: Onde ficar em Lima: os melhores bairros e hotéis 6 roteiros de viagem pelo Peru

 

Praça em Lima Peru  Lima-o-que-fazer-Peru

O que fazer em Lima

  • Visitar os edifícios históricos do centro
  • Bairro Miraflores
  • Huaca Pucllana
  • Pueblo Libre
  • Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru
  • Museu da Nação
  • Huaca Hullamarca
  • Santuário de Pachacamac

Roteiro pelo centro histórico de Lima

O centro histórico de Lima e suas construções antigas e majestosas, dignas da capital de um império, são considerados Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Como qualquer outra metrópole latina, Lima é um pouco caótica. Apesar disso, é possível visitar toda a região central da cidade a pé. E não se intimide com o comentários negativos que você pode ler por aí: essa é a parte mais interessante da cidade, uma mistura de vida cotidiana da capital com história pura. O centro histórico é o coração da cidade, pelo quais as pessoas passam todos os dias para trabalhar e onde se reúnem para manifestações políticas e celebrações religiosas.

Lima, Peru

Para chegar lá, a forma mais confortável e rápida é de táxi. Se você optar por isso, lembre-se de negociar o preço antes com o motorista. Há também diversos ônibus que levam até ali, e não precisa ter medo de usar o transporte público. É barato e relativamente seguro. Assim como em qualquer outra cidade grande, fique atento para a ação de batedores de carteira, tanto dentro dos ônibus quanto nas movimentadas ruas do centro.

Comece a explorar a região pela Plaza Mayor. Esse foi o palco de alguns dos maiores eventos da história do Peru, incluindo a fundação da cidade, em 1535. Em volta dela estão o Palácio do Governo, a Catedral de Lima, o Palácio do Arcebispo e o Palácio da União, todas elas construções imponentes e bem preservadas. A Catedral possui um tour guiado oficial que custa 30 soles e dá acesso também à visita guiada ao Palácio do Arcebispo. Mas com passeio guiado ou não, não deixe de entrar na igreja para conferir seu belo interior. Já as visitas guiadas ao Palácio do Governo ocorrem de segunda a sexta, das 10 às 11h. Para participar, é preciso fazer um agendamento pelo e-mail [email protected] com pelo menos 48 horas de antecedência.

A Igreja de São Franscico é uma atração indispensável. Com 7 novos soles você faz um tour guiado pelas dependências da igreja, que também é um convento, e pelas famosas catatumbas. Prepare-se para ver muitos ossos humanos e uma biblioteca imensa que parece a de Hogwarts, cheia de livros antigos, além de muitas obras de arte sacra.

Lima Peru  O que fazer em Lima Peru

Na hora do almoço, dê uma parada na Pasaje Santa Rosa, um calçadão com vários restaurantes legais. Vale a pena andar pelas ruelas e conferir as dezenas de igrejas e construções históricas dali. O povo peruano é muito católico e as igrejas estão sempre cheias nas horas da missa.

De lá, siga para o Museu da Inquisição. Fique de olho nos horários das visitas guiadas, pois o lugar interessa mais pelas explicação histórica do que pelas exposições, feitas, em sua maioria, de bonecos e reconstituições. A entrada é gratuita.

Passeio pelo bairro de Miraflores: bares, restaurantes e uma vista de tirar o fôlego

Miraflores é o bairro favorito de muitos turistas e moradores de Lima e também um dos melhores lugares para se hospedar na cidade. Moderno e descolado, é cheio de bares e restaurantes sempre movimentados. O calçadão de Miraflores é uma atração por si só. Gaste um tempinho caminhando por ali e aproveite a vista deslumbrante da Avenida Beira-Mar e do Pacífico lá embaixo. Um dos pontos mais conhecidos do calçadão é o Parque del Amor, um excelente lugar para desfrutar o pôr do sol. Ali fica a estátua O Beijo, de Victor Delfín, e os bancos são decorados com mosaicos e frases famosas de artistas peruanos.

Vista de Miraflores, Lima

Vista do calçadão de Miraflores, em Lima

Estátua O Beijo, em Miraflores, Lima

Estátua O Beijo, de Victor Delfín

É em Miraflores que fica também o Huaca Pucllana, o mais importante sítio arqueológico da cidade, que abriga uma pirâmide pré-Inca. Por ali, também é possível visitar barraquinhas com frutas típicas do país e mercados de artesanato local. Perfeito para quem quer levar souvenirs para toda a família.

Encontre hotéis em Miraflores

O charmoso bairro de Pueblo Libre

Simpáticas casinhas coloridas te esperam no charmoso distrito de Pueblo Libre, em Lima. Por ali, a tranquilidade das ruas mais se parecem com um povoado do interior do país que com a sempre elétrica capital. Essa também é uma excelente região para se hospedar. A Plaza Bolívar é o centrinho local. Ao redor dela ficam pequenos cafés, restaurantes de comida típica peruana e as destilarias de pisco mais antigas da cidade, além do Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru (entrada 10 soles), um dos mais importantes de Lima, que reúne artefatos, objetos e documentos que contam a história peruana desde a pré-história até o passado recente. Se passar por ali, não deixe de tomar um pisco sour na Antigua Taberna de Queirolo, bar tradicionalíssimo em funcionamento desde 1880.

Encontre hotéis em Pueblo Libre

Museu da Nação

Localizado dentro do prédio do Ministério da Cultura, o Museu da Nação é reconhecido como o maior conservador do patrimônio da arte peruana. A coleção conta com 15.500 obras, a maior parte delas de obras pertencentes à era pré-colonial. São artigos feitos em metal, tecido e cerâmica que também ajudam a compreender a grandeza dessas civilizações. Também há alas para arte dos períodos colonial e republicano. Está localizado na Av. Javier Prado Este 2465, no distrito de San Borja. Funciona de terça a domingo, das 9h às 17h e a entrada é gratuita.

Huaca Hullamarca: um sítio arqueológico entre edifícios modernos

huaca Huallamarca, lima, no peru Outra pirâmide pré-colombiana, pré-inca e pré-lima, a Huaca Huallamarca (site oficial) não é tão conhecida quanto sua irmã Huaca Pucllana, mas é um importante resquício arqueológico de um dos principais locais de adoração dos Pinazo, povo que habitou essa parte da América do Sul a partir do século 1 a.C. A entrada custa 5 soles e a permite a subida até o topo da pirâmide. O lugar impressiona pela imponência, mas principalmente por deixar evidente como uma metrópole de 8 milhões de habitantes se desenvolveu ao redor de um lugar que já era sagrado há dois milênios. Veja nosso post completo sobre a visita e a história da Huaca Hullamarca.

Santuário de Pachacamac

Pachacamac, Peru Localizado a 40 quilômetros de Lima, o Santuário de Pachacamac data de dois séculos antes de Cristo e foi um importante centro religioso das civilizações Lima, Wari, Yshma e, já no final do século 15, dos Incas. Mas não espere encontrar ruínas bonitas como Machu Picchu. Ali há muita poeira, terra e 16 pirâmides sem topo, construídas em diferentes épocas, entre 900 e 1533 d.C, cada uma com sua função (administrativa, religiosa ou residencial). A visita inclui acesso a um museu arqueológico com 300 peças que contam um pouco da história pré-colombiana da região. Vale visitá-lo para entender a história de Pachacamac e aproveitar melhor a visita. Para chegar ao Santuário de Pachacamac é preciso alugar um carro ou contratar um passeio de meio dia com uma agência local por cerca de 30 dólares. O Santuário abre de terça a domingo, das 10h às 17h. Aos domingos o local fecha uma hora antes. A entrada custa 10 soles (está incluído no valor dos passeios da agência). Veja nosso post completo sobre a visita e a história do Santuário de Pachacamac.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

22 comentários sobre o texto “O que fazer em Lima: roteiro e atrações na capital do Peru

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.