O que não fazer na Tailândia

Em geral eu sou uma pessoa calma e que nem gosta de falar, muito menos falar alto. Mas aquela não era uma circunstância normal – eu tinha acabado de deixar a Índia, país onde vivi por seis meses. E na Índia, se você não falar alto, não será ouvido. Este texto não é a história do tremendo choque cultural que enfrentei na Índia. Não, este post fala sobre o choque cultural que tomei na Tailândia, também com potencial elétrico para derrubar um elefante.

Não sei se você, caro leitor, já reparou, mas nossa experiência na Tailândia não foi das mais incríveis. Além do azar que demos com a chuva, cometemos o erro de nos comportarmos na Tailândia mais ou menos da mesma forma que fazíamos na Índia. E isso não podia estar mais errado. Para te ajudar a não cometer o mesmo (ou outro) erro, fiz uma lista com coisas que você não deve fazer na Tailândia. Sério, não faça.

Não desrespeite o Rei e a família real

Nunca. E não apenas por uma questão de educação, mais ou menos como você não faria com a Rainha da Inglaterra. Não faça isso porque é lei. Quem ofende à família real tailandesa comete um crime e pode, como consequência, passar um tempo razoável na prisão. Já aconteceu, inclusive com estrangeiros. Em 2007, um suíço foi condenado a 10 anos de prisão por ter pichado cartazes que falavam do Rei.

Pensa comigo: que tal trocar 30 dias de férias numa praia paradisíaca por uns 10 anos numa cadeia tailandesa? Melhor não, certo?

King_Bhumibol_Adulyadej_2010-9-29

O Rei Bhumibol Adulyadej, Monarca há mais tempo no trono no planeta. Foto: Governo da Tailândia/Divulgação  

Nem pense em violar a lei, achando que o Rei nunca vai descobrir: os tailandeses o amam e ele está no poder desde 1947. E o respeito com a família real vai além da óbvia atitude de não sair falando mal deles. Não pise em imagens reais, não se comporte de forma mal-educada em prédios reais (tipo o Grande Palácio de Bangkok) e muito cuidado com o lugar e a direção em que você aponta seus pés.

Antes que você me pergunte, sim, você pode ofender um tailandês sem saber, ao não prestar atenção aos movimentos que você faz com o pé. Veja o próximo tópico.

Os pés, partes mais sujas do corpo

A sociedade tailandesa tem uma verdadeira fobia de pés, que são considerados a parte mais suja do corpo e nossa ligação direta com o mundo terreno. Nunca, jamais, em hipótese alguma coloque seus pés em lugares onde eles não deveriam estar, como mesas, por exemplo. Também lembre-se que é fundamental retirar os sapatos antes de entrar em templos e casas.

Até no hotel que ficamos, em Bangkok, era necessário fazer isso. Está na dúvida e não sabe se a convenção social exige que você esteja descalço? Na dúvida, tire os calçados. Melhor assim.

Quando visitar templos, tome cuidado para nunca apontar seus pés (mesmo que descalços) na direção das estátuas e altares. Em Bangkok, você verá cartazes explicando qual a conduta correta e o que não fazer. Na dúvida, imite o comportamento dos tailandeses. Dá uma olhada nessa foto, ó:

O que não fazer na Tailândia

Foto: JJ Harrison, Wikimedia Commons

A cabeça, a parte mais limpa

Se você deve evitar fazer qualquer coisa com os pés, também há uma conduta social correta para a cabeça. O bom é que essa é simples: nunca toque a cabeça de um tailandês, já que essa é considerada a parte mais pura do corpo.

Ok, é claro que você não sairia encostando na cabeça de tailandeses adultos por aí, mas essa regra tem muito valor mesmo é na hora que você tiver vontade de fazer aquele cafuné numa criança, por mais fofa que ela seja. Não faça.

Não grite

O maior desafio que enfrentamos lá foi saber o tom de voz exato que deve ser usado. Certa vez, em Bangkok, pegamos um tuk-tuk. Na hora de descer, tivemos uma pequena dificuldade de dividir o dinheiro entre as várias pessoas que estavam no veículo. Nada de anormal, afinal na Índia nós fazíamos isso todos os dias. Só que o motorista ficou impaciente e tentou pegar minha carteira. Erro dele.

Com isso, eu fiquei impaciente e falei um pouco mais alto do que deveria com ele. Erro meu.

Pagamos o cara, não sem uma breve discussão entre as várias pessoas do grupo, provavelmente feita num tom de voz muito longe do adequado para uma rua da Tailândia. Depois de receber o dinheiro, o motorista fez algo inesperado: me chamou pra briga. E ainda fez questão de lembrar que ele sabia Muay Thai e que os pés deles poderiam até ser impuros, mas ele não teria problemas em enfiá-los na minha cara.  Eu não curti muito a proposta, por isso pulei fora de lá.

Eu acho que esse motorista era meio esquentadinho e que ele passou dos limites ao tirar a carteira da minha mão, mas percebo hoje que o tom de voz que usávamos entre a gente pode ter irritado o cara. Além disso, entendo que eu jamais deveria ter aumentado o tom de voz com ele, mesmo após o incidente da carteira.

Khao San Road Bangkok

Khao San Road, em Bangkok

Como eu disse no começo do texto, esse foi um costume que eu adquiri na Índia, onde falar alto é quase necessário e parte do jogo. Levar o costume para a Tailândia foi um erro e me trouxe problemas. Nada muito sério, mas que afetaram minha relação com o país. Não cometa o mesmo erro. Mesmo em situações críticas, mantenha a calma e o tom de voz. Se você fala naturalmente alto (caso de boa parte do nosso grupo), redobre a atenção. Ainda que sem querer, você pode ser considerado rude.

E mesmo que tudo esteja uma merda, controle-se. É provável que os tailandeses sempre te respondam com um sorriso. Esse sorriso não é irônico e nem uma prova de que eles são um povo zen, só uma marca cultural. Faça o mesmo: coloque um sorriso na cara na hora de tentar resolver problemas. Esse texto aqui, em inglês, dá mais explicações sobre o assunto. A Tailândia é a terra do sorriso. Na dúvida, sorria.

Respeito com o Buda e a religião

Você pode até ter visto Se Beber Não Case. Pode até ser que meio mundo ache que a Tailândia é um país louco onde coisas loucas acontecem. E pode até ser que, numa pequena medida que não reflete o todo, coisas loucas aconteçam na Tailândia. Mas não se esqueça que esse é um país conservador e muito religioso. Segundo a Wikipédia, 85% da população é budista.

O que não fazer na Tailândia

Para você imagens de Buda podem ser só lembrancinhas, mas não se esqueça que para eles aquilo é motivo de adoração. Você pode até encarar templos como pontos turísticos e estátuas como cartões-postais. Só não se esqueça de que aquele é um local de fé. Por falar nisso, lembre-se que para levar antiguidades e algumas imagens com perfil religioso para fora do país é necessário pedir autorização legal – não basta embarcar no avião. Caso contrário, você pode ter a mercadoria apreendida e até pagar multa. Para mais detalhes, veja esse fórum do TripAdvisor.

Por fim, o respeito pela religião envolve se vestir da forma adequada, principalmente quando for visitar locais religiosos. Mulheres devem evitar mostrar os ombros e usar roupas decotadas. Sandálias de dedo e chinelos também não são apropriados. Homens também devem estar atentos, já que bermudas não são aceitas em muitos templos.

Viagem para a Tailândia

Grande Palácio Real de Bangkok 

Também mantenha a distância necessária de monges, já que muitos deles são amigáveis, mas não podem tocar em outras pessoas. E lembre-se de controlar as expressões públicas de afeto, mesmo entre outros viajantes, já que esse comportamento não é comum por lá. Respeite também qualquer espaço que for reservado para monges.

Monges na Tailândia

O que não fazer na Tailândia: outras dicas

Além de todas as questões culturais, observar o contexto histórico pode te ajudar a evitar problemas.  Já pesquisou como anda o contexto político no país? 2014 começou com uma série de protestos violentos em Bangkok, muitos deles ocorrendo em locais turísticos. A Embaixada Brasileira no país emite alertas constantes sobre a situação. Monitore o problema pelo site da Embaixada.

A própria Embaixada aconselha o turista a ler notícias de veículos de comunicação locais, de forma a saber tudo que acontece por lá. Para isso, entre nos sites do Bangkok Post e do The Nation. Tenha em mente também o seguinte aviso, disponível na íntegra aqui: “A Embaixada desaconselha fortemente viagens às províncias de Narathiwat, Pattani, Songkhla e Yala, de população islâmica, no extremo sul da Tailândia, em razão de frequentes atentados terroristas, situação que perdura há vários anos e que, até agora, não se estendeu ao resto do país, nem mesmo a províncias vizinhas”.

Budas-Tailândia

Está pensando em alugar um carro e dirigir pela Tailândia? Não faça isso. De novo, abro aspas para a Embaixada Brasileira em Bangkok, que entende mais desse assunto do que eu: “Segundo as leis tailandesas, os motoristas, para dirigir na Tailândia, devem portar carteira de motorista tailandesa. Carteiras de motorista estrangeiras ou carteiras internacionais não são aceitas para dirigir no país, nem mesmo no caso de turistas de passagem”.

Então quer dizer que turistas não podem dirigir na Tailândia? Exato! Para dirigir lá, só mesmo sendo residente no país. É claro que é possível burlar essa lei e achar uma empresa que alugue um carro para você. Esse, inclusive, é o receio da Embaixada, que lembra duas coisas: 1) o seguro pode não cobrir valores de um eventual acidente. E 2) você pode ser processado por direção ilegal.

Por fim, o conselho mais básico sobre a Tailândia que alguém pode dar – lembre-se que a posse e o uso de drogas, em qualquer quantidade, é punida com muita severidade pelas leis da Tailândia. Faça isso e você pode ganhar permanência eterna no país. Mas numa cela lotada de presos, não numa praia paradisíaca. Melhor evitar.

 Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e importante em qualquer viagem. Na Tailândia, onde as coisas são bem diferentes em relação ao Brasil, ele é indispensável. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

81 comentários sobre o texto “O que não fazer na Tailândia

  1. Estive em Bangkok por 12 dias. Adorei! Povo amigável e tranquilo. Educado mesmo. Apenas não gostei do assédio dos motoristas de Tuk Tuk, muito chatos mesmos e dos vendedores de pacotes de turismo que ficam na porta dos hotéis. Outro ponto negativo. Vida noturna até 2 ou uma hora só. Tem que sair cedo para aproveitar. No meu caso que sou bem da noite tenho dificuldade com os horários deles. Super recomendo. País incrível. Se tiver oportunidade volto!

  2. Olá Rafael! Tudo bem? Seus relatos estão me ajudando muito a planejar minha viagem para Bangkok, irei sozinho na primeira semana de junho e estou em dúvida com dois pontos:

    1 – Pretendo ficar 5 dias na capital, para que eu consiga aproveitar melhor meu tempo, qual local de hospedagem você recomenda?

    2 – As chuvas podem afetar o passeio nessa época de uma forma extrema?

    Obrigado e boas viagens!

    Lucas

  3. Obrigada por se dispor a publicar informações tão importantes. Alertas aos viajantes são sempre benvindos por quem já viveu a experiência. Eu particularmente pensei em visitar esse país, mas continuo com um pé atrás. O caso do Suíço é um verdadeiro horror, e posso imaginar que a Declaração Universal de Direitos Humanos de nada vale nesse país.

    1. O Suíço acabou sendo libertado depois de negociação diplomática, Rosana. Agora, é muito simples: respeite as regras do jogo por ali e dificilmente um viajante terá problemas.

      Abraço.

  4. Rafael e demais colegas, bom dia.

    Sabem me dizer como as pessoas reagem, sobretudo nas ilhas do mar de andaman e no golfa da Tailandia, ao uso de sungas (speedos em inglês) por homens? E biquinis para as mulheres (o biquini brasileiro, mais cavado)?

    Abraços!

    1. Oi, Rafael! Obrigado!

      Olha, realmente não sei dizer. Em geral tem muitos turistas estrangeiros nessas praias, mas realmente não sei avaliar.

  5. Rafael
    Boa tarde

    Mais uma vez agradeço por sua ajuda.

    Seguindo sua orientação enviei e-mail para a embaixada do Brasil em Bangkok para obter um esclarecimento definitivo.

    Aproveito para te perguntar se o roteiro que pretendo fazer e que lhe informei está bom ou sugere alguma alteração ou inclusão de alguma outra cidade?

    Um grande abraço.

  6. Rafael
    Bom dia

    Obrigado por responder-me. Necessariamente não vou ficar 30 dias. Gostaria apenas de fazer o roteiro que citei anteriormente e apenas irei na Tailândia. Gostaria de sua opinião se o roteiro está bom ou se sugere algo diferente.

    Com referência locação do carro para mim seria importante pois minha filha tem pequeno problema de locomoção.

    Antes de fazer o primeiro contato com você telefonei para a embaixada da Tailândia em Brasília e fui informado que aceitam a habilitação brasileira. Depois, telefonei para uma locadora aqui no Brasil, que também aluga aí e fui orientado a tirar a permissão internacional para dirigir e no link do consulado que me enviou informam que apenas se pode conduzir veículos com a habilitação local. Isto é, deu um nó em minha cabeça. Certamente você poderá me dar a informação oficial pois se não puder alugar, não poderei ir conforme te relatei sobre o problema de minha filha. Mais uma vez muito obrigado e forte abraço.

    1. Oi, Guilherme. Um prazer ajudar. 🙂

      Olha, a informação mais oficial possível é a da Embaixada, a que está no site do Itamaray de Bangkok. Mas, sabe como é, não custa nada pra esse site estar desatualizado. Te aconselho a tentar ligar para a Embaixada Brasileira de Bangkok mesmo, que certamente está mais por dentro disso que a de Brasília. Nesse site há telefones (66 02-679-8567 / +66 02-679-8568 / +66 02-285-6080; você pode ligar por Skype) e email. Você também pode tentar a página de Facebook deles: https://www.facebook.com/EmbassyBrazilBangkok

      Torço para que seja uma informação desatualizada e você possa ir.

      Abraço!

  7. Olá Rafael
    Espero que estejas bem

    Irei em janeiro. Pretendo fazer o seguinte roteiro e peço sua opinião se está correto. Inicio por Chiang Rai depois Chiang Mai, Sukhothay, Ayutthaya, depois para o sul curtir praias e ilhas e finalizar em Bangkok.
    Pretendo alugar um carro, deixa-lo no hotel nas respectivas cidades e me deslocar para os passeios nos meios de transportes locais. Você me deixou apavorado quando aconselha a não alugar carro. Mas para me deslocar de uma cidade para outra e deixa-lo no hotel mesmo assim desaconselha?
    Gostaria de conhecer bastante as atrações nas cidades citadas. Nas praias e ilhas, nem tanto.
    Tenho 30 dias de férias. Na sua experiência quantos dias ficaria na Tailândia.?
    Um grande abraço

    1. Oi, Guilherme. Se você ficar 30 dias achará o que fazer, mas pode ser interessante dividir o tempo com outros países do sudeste asiático, como Laos, Camboja e Vietnã. Veja esse texto: https://www.360meridianos.com/2015/04/cinco-roteiros-de-viagem-pelo-sudeste-asiatico.html

      Sobre o carro, o conselho de não alugar não é meu, mas da Embaixada brasileira em Bangkok. Dá uma olhada nesse link: http://bangkok.itamaraty.gov.br/pt-br/tailandia_informacoes_uteis.xml

      Abraço.

  8. Olá!
    Estamos indo a Tailândia em Junho, 01 de junho a 13 de junho, então inciamos agora os estudos sobre este paraíso!

    Muitas das dicas do blog foram muito relevantes para nós, e que já anoitei para não esquecer.. Mas a que mais me preocupa é a questão da comunicação.. Falamos ingles, entendemos muita coisa, mas não falo fluentemente.. isto será um grande problema ou precisaremos de guia?

    Estamos vendo vários passeios maravilhosos e experiências únicas em nossas pesquisas, mas temos o receio de chegar na hora e não conseguirmos encontrar os locais e/ou encontra-los. Você pode nos dar uma dica? ou se possível o contato de algum guia brasileiro? (não sei se tem)

    Muito Obrigada! Já baixei a planilha de vcs e é ótima!

    1. Acho que dá para se virar, Mariany. Use e abuse da mímica quando o inglês falhar. Infelizmente não conheço guias brasileiros por lá para indicar. 🙁

      Mas vocês conseguem entender? Tentem dar uma melhorada no inglês nesses meses que faltam. Nem que seja vendo séries com legenda em inglês, por exemplo, ouvindo músicas e acompanhando as letras, essas coisas. Pode ajudar. Mas o inglês que você precisa é básico mesmo.

      Abraço.

    2. Vou para a Tailândia no fim do ano, e indicaram um guia em português, segue o whatsapp: +66830142144 Fabiana. As recomendações foram muito boas!

  9. Eu estou indo pra Tailandia no meio de Março e fico até o final do mes, costumo viajar sozinha apesar de não gostar, mas essa viajem esta me deixando um pouco tensa…primeira vez na Asia e quero conhecer o Cambodja tbm, sempre leio sobre o pais e fico encantada, já encontrei muitas pessoas locais querendo ser os espertos com turistas e já caí em varias, meu ingles não é tão fluente, mas enfim passagens compradas e agora vou. Alguma dica o que evitar além das postadas para uma mulher sozinha?

  10. Ola!

    estarei indo no final de Março, sabe me dizer se tem algum preconceito com o Surf, ja vi que nao vou poder alugar carro, de Bangok pretende ir ate regiao de Pucket, melhor barco entao? vlw

    1. Não sei informar, Eduardo, mas imagino que não exista problema. O surf é bem comum no sudeste asiático. Em Bali, na Indonésia, há surfistas aos montes, por exemplo.

      Abraço.

    2. Tem pouca onda, mas tem e bem boas e é uma delicia, mas tem uns horários que as ondas simplesmente param, de uma hora pra outra, achei tri estranho quando fiquei sozinha no mar e a galera local saiu, depois q me dei conta que não ia pegar nadinha!

      1. Olá Rafael,tudo bem? Escolhi a Tailandia como minha viagem de lua-de-mel. Quero ficar por 15 dias em janeiro de 2017. Mas lendo o seu post fiquei com um pouco de medo,pois minhas experiencias com viagens é apenas Suíça,França e Alemanha. Todas essas regras são difíceis de gravar.
        Gostei muito das dicas!!!
        O que você me aconselha a mais??

        1. Deves sim falar alto para impor o teu respeito quando eles querem abusar, ate com a policia. Deves sorrir sempre porque e o pais mais tranquilo que conheço, e já lá vão uns 40. Aproveita

        2. Simone, pode vir tranquila. Aqui eh seguro e brasileiro ganha visto de 3 meses. Só não esqueça de passar no health control assim que desembarcar no aeroporto. Tenha a vacina da febre amarela tomada em posto de saúde que da a carteira branca (internacional).

        3. Simone, eu estou aqui na Tailândia neste exato momento e e se pudesse te dizer uma coisa é: venha! Não fique com medo.
          Realmente, a cultura é diferente da nossa, mas tendo bom senso, respeito e vendo como os outros se comportam, você não terá problema algum! É um país encantador, não só pelas belezas naturais, mas também pela simpatia de seu povo.

  11. Olá pessoal estou indo embora hoje dia 12-08 passei 12 dias na Tailândia, muito bom, estive 5 dias em Bangkok, achei muito 3 dias basta, venham para as praias, as ilhas são TOPs praias maravilhosas, Phi-Phi é um sonho de lá você vai para todas as outras.
    Viagem para repetir

  12. Olá pessoal tudo bem ? Estou planejando uma viagem para Tailândia em maio de 2017, passar 15 dias lá é muito tempo ? Bem, confesso que estou com receio enorme, creio que essas questões acima (pagamentos, cartão de credito, comunicação e até mesmo roubo ou perda de passaporte) me deixaram bem assustado. Eu estive em lugares como Nova Zelândia, EUA e Argentina onde a realidade parece ser muito diferente (desde pegar um táxi ate escolha de um restaurante) eu particularmente só falo português e inglês.

    De uma maneira geral, como são as pessoas que vivem lá ? Receptivas, comunicativas ou mais fechadas e rudes ? Estou indo pra conhecer as praias e os parques que existem no país assim como restaurantes.

    O que me aconselham ?

    Muito obrigado.

    1. Aconselho que não tenha tanto receio, aproveite a viagem, é um país incrível com uma culinária exótica e deliciosa, adorei fazer um curso rápido de culinária típica onde se come depois os pratos que cozinhou, fácil de encontrar! Nos parques aproveite para ir em horários pouco comuns e fique tranquilo pois com ingles já consegue se virar muito bem, mas sempre bom se prevenir com um endereço no idioma local. Você vai amar!

    2. Não precisa ter tanto medo, Chris. Não é mais complicado em termos de segurança que países como Brasil ou Argentina não. As pessoas são simpáticas – basta entender as diferenças culturais.

      Acho que 15 dias é até pouco. 🙂

      Abraço.

  13. Olá, tudo bem com vocês?
    estou planejando ir para a thailandia, só que li que o Buddha é uma imagem sagrada para eles, e eu tenho uma tatuagem com o rosto dele, é desrespeitoso? pensei em bangkok usar uma calça para esconder, pois fica na minha panturrilha, mas nas cidades de praia como eu faço? ;// me ajudem por favor.

    1. Uy Lucas, melhor esconder mesmo. Eles podem até mesmo barrar sua entrada (já aconteceu). Nas praias mais turísticas você deve ter menos problema, mas tente esconder também nos templos e lugares mais religiosos.

      Abraços!

  14. Conheci o site através dessas postagens sobre a Tailândia pois estava procurando informações para uma futura possível viagem.
    Confesso que fiquei bem informado e bem assustada. Apenas lendo já me senti acuada.
    Tenho 20 anos e o único país estrangeiro que conheço é o Estados Unidos, mais precisamente Orlando/Miami, lá onde tudo parece fácil e descomplicado, onde as regras são “parecidas” com as Brasileiras, fez a Tailândia parecer assustadora.
    Acho que não será dessa vez que vou me aventurar pela Ásia.
    Ainda bem que achei essas postagens, o site de vocês me mostrou que mar azul límpido não é tudo de bom que posso encontrar.

    1. Thais, pelo pouco que sei da Tailandia, você está mega certa…lá tem um nível estrondoso de corrupção… macumunado com a justiça…prendem você se o seu cartao de credito for recusado, nem dao chance de se explicar… se acharem que você nao pagou uma conta e se vc nao tiver como provar, te dão cadeia… advogado bandidos, pegam seu dinheiro e somem! as bizarrices de pé e cabeça da reportagem não são nada em comparação com a lei maluca de lá…

  15. Tenho lido e pesquisado bastante sobre a Tailândia, já que será a minha primeira viagem internacional. Adorei as dicas do post e fiquei realmente impressionada com a questão dos souvenirs de Buda. Não sabia que era proibido e necessitava de autorização para trazer um item desses para casa. Li por cima o fórum do TripAdvisor, e aparentemente eh realmente difícil trazer um item desse tipo pra casa de forma legal. Vocês conseguiram comprar algo?

  16. Olá Rafael
    Eu e meu companheiro estarmos fazendo 10 anos juntos em agosto 2016 e gostaríamos de fazer uma viagem especial … Nos deram dicas de fazer Tailândia e hong kong … O que acha? O que me indica ? Qual moeda e Qto vale ? Qto acha que gasto por dia? Temos 20 dias .. Acha caro ficar por lá esses dias todos ? Enfim desculpe as perguntas mas me ajudaria muito …

  17. Oi pessoal
    Adorei as potagens de vocês. Ja vivi algumas aventuras no Egito em guerra, cheguei em Jerusalem as 3 da manha sem reserva em hotel, o ano passado fomos para o Nepal e sobrevivi a loucura da encantadora India.
    Estou pensando em ir em janeiro para Tailândia e Indonesia ( Bali , devido ao filme Comer Rezar e Amar )
    Minha duvida é: eu e meu amigo sempre viajamos de forma independente , ele mora em Londres e tem certa experiência em viagens pelo mundo . Mas dessa vez estamos preocupados em fazer essa viagem sem guia. O que vocês podem nos aconselhar? Teria um roteiro para nos orientar? Ou seria melhor fazer como a Marcela citou acima guia.
    Obrigada

    1. Oi Maria do Carmo, tudo bem?
      Pode ir tranquila de forma independente, a Tailândia é muuuuito mais fácil de viajar do que Egito e Índia, nem se compara! O pais é muito bem preparado pra receber turistas, chegando lá vc vai ver que tudo funciona e é bem mais simples do que a gente imagina!
      O meu receio (devido as manifestações e situação política naquela época) foi infundado! Acabou que não contratei guia e andei só a pé e de transporte público o tempo todo! Fizemos 2 day trip que já estavam contratadas, foram os únicos passeios que não fizemos por conta própria.
      Pode ir sem medo! É uma viagem linda e bem fácil, principalmente se vc for ficar dentro do eixo turístico do país!
      Qualquer dúvida pode perguntar!
      Beijos!
      Marcela

      1. Oi, Maria.

        Concordo com a Marcela. Com esse tanto de experiência de viagem que você tem, você certamente não precisa de um guia. É muito mais tranquilo que a Índia mesmo. Nem se compara.

        Abraço.

    1. Olha, há passagens frequentes em promoção para Bangkok. O jeito é ficar de olho nas promoções. O Melhores Destinos lista muitas.

      Sites como o Kayak podem te ajudar também. Crie um alerta de preços lá – o site te avisa quando as passagens estiverem mais baratas.

      Abraço,

  18. OLa amado obrigado pelas dicas,tenho acompanhado atentamente suas orientaçoes,mas preciso que me ajude numa resposta,estou num site de relacionamento com uma tailandesa,pergunto sao mulheres boas pra casarem?como devo proceder ao chegar na Tailandia,se puder me passar todas as informaçoes eu fico agradecido,um grande abraço,[email protected]

    1. Oi, André. Acho que ser confiável ou não não depende de nacionalidade. É complicado te responder isso. 🙂

      Sobre como ir, fique de olho em promoções para Bangkok. O site melhores destinos tem promoções frequentes para lá.

      Abraço.

  19. Rafael, tudo joia? antes, gosto do jeito que vc relata suas experiencias, tem talento pra escrita mesmo hein moço? 🙂
    Comprei meu bilhete pra viagem a tailandia, tudo lindo, comprado, ansiosíssima, animada, até me tocar que o mes escolhido( ferias trabalho, paciência) será em setembro e fico por 1 mes…. fria?? vou pegar as tais monçoes meu deus do céu?! encaro? o que acha? ou alguém ja teve a felicidade de ter ido em setembro e nao ter caído uma gotinha de água? um Abraço Rafael e mantenho esse blog firme e forte, bacana demais!

    1. haha!

      Obrigado, Sandra. 🙂

      Então, eu mesmo estive na Tailândia durante as monções. Chove. Pode atrapalhar a praia, mas não afeta muito a vida em outras cidades.

      Enfim, dá pra contornar o problema, afinal as monções na Tailândia não são tão terríveis quanto no Vietnã, por exemplo.

  20. Oi, Rafael,
    Estou planejando minha viagem para a Tailândia em abril (#ansiosissíma) e os posts de vocês estão sendo bem úteis. 🙂
    Parabéns pelo blog! Adoro!
    Beijão!

      1. Oi, Carla! Eu também estava bem receosa quando ao tempo, mas foi tudo ótimo no fim das contas e quase nada de chuva. Só o calor que foi intenso, mas nada que atrapalhasse. Eu tenho um blog (www.viajadora.com) e lá coloquei alguns posts que dá pra você ter uma ideia, pelas fotos, de como estava o tempo. Espero que dê tudo certo com você também por lá!
        Beijos e boa viagem, a Tailândia é incrível! :*

  21. Ola! Estou planejando uma viagem pela Asia e meu percurso seria mais ou menos assim: India -Thailandia- Filipinas – Indonesia. Gostaria de saber se na opiniao de voces e’ perigoso para uma mulher viajar sozinha nesses locais. obrigada

    1. Oi, Bianca.

      Na Tailândia é tranquilo sim, basta tomar cuidados básicos. Sobre a Indonésia, se for Bali também é tranquilo. Já das Filipinas não posso falar, uma vez que nunca estive no país.

      Sobre a Índia, não recomendamos que uma mulher viaje sozinha por lá. Veja esses textos:

      https://www.360meridianos.com/2012/01/as-mulheres-na-india-ou-falta-delas.html

      https://www.360meridianos.com/2013/02/guia-para-mulheres-india.html

      Abraço!

  22. Olá, Rafael! Gostei muito do seu blog.

    Estou indo para a Tailandia no dia 10/05/2014 e volto dia 03/06/2014, tenho 21 dias líquidos por lá. Você acha que com esse tempo daria para conhecer bem a Tailandia e outros países, ou melhor ficar só por lá mesmo?

    Abraço

    1. Oi, Felipe.

      Isso depende do seu estilo de viagem, mas em tese dá tempo de conhecer outros países sim. Eu fiquei 18 dias na Tailândia e foi super tranquilo, sem correria. Estive em Bangkok, Phuket, Phi Phi, Chiang Mai e Ayutthaya. Se for o caso, reduza um pouco o tempo das praias e jogue uns dias para outro país.

      Só não caia na tentação de colocar muitos lugares no roteiro e fazer uma viagem muito apressada e cansativa.

      Qualquer coisa é só falar!

      Abraço.

      1. Entendi!
        Mais outra pergunta, o transporte lá é muito sinistro? Demora muito para se chegar de norte a sul no país? Pelo mapa parece ser perto, mas dependendo da rota pode demorar bastante. Digo isso porque se eu quiser ir para o Camboja ou para a Malasia, vou ter que cruzar o país inteiro…

        Obrigado

        1. Tem trem, tem ônibus e tem avião. Mas pode demorar sim, porque as distâncias, ao contrário do que parece, podem ser grandes.

          Se a distância for muito grande, o melhor é ir de avião. Trens noturnos também são bons.

          Abraço.

    1. Claro! Acabei de te enviar um email.
      E o que vc se sentir a vontade de perguntar por aqui, é bom que outras pessoas podem responder também! Bjs!

  23. Obrigada pelas dicas! Estou mesmo pressionada a decidir porque tenho que marcar voos internos.

    A minha viagem inicial era 19 a 23 em banguecoque
    24 a 26 chiang mai
    27 a 03 maio phi phi sendo que dia 3 tenho que regressar a banguecoque para o aeroporto.

    Eu teria que ir para o aeroporto dia 24 para voar para chiang mai daí ter surgido a ideia de não ir directamente para chiang e passar talvez por um desses países 2 dias e depois voar desse país para chiang! como os voos são muito cedo acaba por se rentabilizar mas não sei!

    Vou então deixar só para banguecoque a tarde de dia 19 e o dia 20 (e logo se vê se dá para visitar alguma coisa) Achas que se for seguro 1 dia dá para visitar os principais pontos?

    deixo outro dia para ayutthaya

    e dia 22 ou voo para logo para chiang mai ou achas que uma vez que ganhei esses 2 dias devia dar um pulinho a outro país! já vi posts que dá para conhecer a Malásia em 48 horas.

    Não gosto desse tipo de viagens mas como surgiu este contratempo era uma maneira de visitar um país que por pouco dinheiro está alí ao lado!

    Estou com muita muita pena de encurtar banguecoque porque era mesmo a parte cultural que mais me agradava ;(

    obrigada

    1. Bom, se você já vai ao aeroporto, realmente a perda de tempo fica diluída. É lógico que não é a situação ideal, mas dentro do contexto, pode ser uma boa dar um pulinho num país vizinho.

      Tanto Kuala Lumpur quanto Cingapura são cidades interessantes. Dá para conhecer bastante coisa em dois dias. E um dia em Bangkok não é o ideal, mas dá para você ver o Palácio e o Buda Inclinado, por exemplo. Se estiver tudo em segurança, claro. =)

    2. Oi Verônica!
      Tomei a liberdade de palpitar porque estamos na mesma situação que vc, também estaremos (eu e marido) na Tailândia em Abril! Teremos 6 dias em Bangkok e tomei as seguintes precauções:

      1- Dividi os 6 dias em 3 no início da viagem e 3 no final (se a coisa estiver muito “quente” nos primeiros 3 dias, ainda teremos a chance de estarem mais tranquilas nos últimos 3 e vice versa). Em cada uma dessas estadias ficaremos em regiões diferentes da cidade, seguindo a mesma lógica.

      2- Agendei o transfer aeroporto-hotel para o dia da chegada diretamente com o nosso hotel.

      3- Marquei alguns day tours fora de Bangkok (Ayutthaya, Floating markets, assim como vc está pretendendo fazer) e infelizmente não os faremos de forma independente. Devido à situação, melhor evitar trançar demais pela cidade, seja procurando estação de trem, descendo do onibus/metrô no lugar errado, perdendo, etc. (é uma pena, porque perambular a pé fuçando a cidade é nossa praia, a gente adooora!)

      4- Se a situação estiver mesmo muito feia, pretendo contratar um guia e/ou passeios guiados para os ultimos 3 dias. Eles normalmente sabem onde está seguro e onde é melhor evitar. (Fizemos isso no Cairo em fevereiro do ano passado -auge das manifestações políticas por lá- e deu super certo, foi tudo super tranquilo!)

      Talvez esses links possam te ajudar:
      http://www.followmebiketour.com
      http://www.bangkok.com/tours
      Guias:
      Nok ([email protected]), indicação da Fernanda do blog precisoviajar.com
      Jeff ([email protected]), indicação da Cláudia do blog viajarpelomundo.com

      Vai encarecer a viagem? Sim, claro! Mas como estamos viajando de férias e com os dias contados, vamos literalmente pagar um preço pela tranquilidade e segurança. Garantia a gente nunca tem né, mas numa situação dessas acho que vale a pena tentar minimizar ao máximo qualquer perrengue e consequentemente as chances de ter sua viagem arruinada!

      E olha, nós não somos as únicas malucas! Alguns hoteis que eu havia olhado em Koh Tao e Phi Phi já estão lotados. Acho que nem com todos esses protestos espantando os turistas teremos a Maya Bay só pra gente! (ó ilusão! rsrsrs!!!)

      No mais, use o bom senso e confie nos seus instintos de viajante! Vai dar tudo certo!
      Ótima viagem pra vc!

      Rafael, peço desculpas pelo mega comentário, mas como já passei por isso uma vez e agora estou de novo nessa situação, me senti na obrigação de tentar ajudar!

      Aproveito para parabeniza-los pelo blog, adoro!

      1. Que isso, Marcela, não precisa pedir desculpas de jeito nenhum. Esse seu comentário vai ajudar não só a Verónica, mas muita gente que deve estar na mesma situação.

        Muito obrigado!

  24. Olá

    Alguém esteve muito recentemente na tailândia? Rafael a minha estadia em banguecoque seria de 19 (só parte do dia) a 24 de Abril. Estava a pensar dia 20 tentar conhecer a cidade ou eventualmente ficar fechada no hotel se me parecer muito inseguro, dia 21 ir ao mercado flutuante e dia 22 a ayutthaya, ou achas que não deve ser seguro fazer estas duas excursões e devia mesmo eliminar banguecoque?

    dia 24 ia para chiang mai e ficaria lá até dia 26 mas vou antecipar para dia 23 porque não me parece que neste contexto seja seguro ficar tantos dias na capital.

    Se fosses tu adicionavas mais um dia em chiang mai (dia 23 a 26 quando está marcado para 24 a 26) e depois sigo para as phi phi, ou aproveitarias para dia 23 a 25 visitar outro país como malásia, hong kong ou singapura e depois ir de lá para chiang mai?

    obrigada

    1. Oi, Veronica.

      Não estive lá recentemente, mas conheço gente que esteve. Aparentemente as coisas estão tranquilas fora de Bangkok. Francamente, neste momento (hoje), eu seguiria o conselho da Embaixada brasileira em Bangkok e evitaria circular pela capital além do que for necessário.

      Acho que eu acrescentaria tempo em Chiang Mai mesmo, talvez uma ida a Chiang Rai, que fica próximo, também no norte. Uma ida de dois dias em Kuala Lumpur ou Cingapura não seria ruim, mas envolve o deslocamento para o aeroporto, que sempre é uma perda de tempo, né?

      Enfim, é uma escolha pessoal. Qualquer saída é interessante. Acho que sua viagem não ficará muito prejudicada, só em Bangkok mesmo. E a Tailândia tem lugares muito interessantes longe da capital e que estão com a situação tranquila.

      Abraço.

  25. Hmm… Maravilhoso post! Bem, nada como ler muito sobre o país de destino, pra saber o que fazer e o mais importante: o que não fazer, nem que a vaca tussa. 🙂 Evita muitos desassossegos.

    Abraço!

      1. Oi, Rafael!

        Não, pelos menos não agora. Sou café com leite no que diz respeito à viagens, então prefiro começar por algo menos impactante. Estou pra fechar o programa ‘trabalho e estudo’ no Canadá ou Nova Zelândia (Kaplan Opus). Vamos ver no que que dá. Estou com medo do assunto ‘visto’. Fingers crossed!

        Abraço!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.