Como planejar uma viagem pelos Balcãs: dicas de roteiros e muito mais

Este texto é um grande índice para todo o conteúdo de viagem que temos sobre os países dos Bálcãs e uma forma ajudar você a planejar uma viagem por essa região pouco explorada da Europa. Mesmo quem pensa em viajar pelo Leste Europeu não costuma incluir os países balcânicos na lista, com exceção da popular Croácia. Este grande guia de viagem pelos Bálcãs tem roteiros para explorar os países, informações sobre quanto custa uma viagem pra essas bandas e de como se locomover por lá, entre outras dicas.

Quais são os países Bálcãs?

onde ficar em belgrado centro histórico

Belgrado, Sérvia

A península dos Bálcãs inclui países que têm uma forte relação cultural e histórica entre si. Foram todos invadidos pelo Império Turco Otomano durante a Idade Média, dividem uma etnicidade comum, têm gastronomia bastante semelhante e até tomam o mesmo tipo de café.

Mais ao leste estão Bulgária e Romênia. Aqueles que um dia se uniram e formaram a antiga Iugoslávia são: Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Croácia, Eslovênia, Macedônia e Kosovo (que até hoje não é formalmente reconhecido como um país). Para completar, tem a Albânia e suas praias, que não perdem em nada para a famosa Grécia, o único dos países da região que não fez parte da União Soviética.

Esse é um dos motivos pelo qual não vou incluir a Grécia nas ideias de roteiros pelos Bálcãs, apesar de várias semelhanças, principalmente gastronomicas, que eles dividem. A Grécia também faz parte da União Europeia, tem uma enorme extensão insular e é um destino turístico de nome poderoso por si só. Acredito que faz mais sentido não confundir as cabeças de ninguém e deixar a Grécia de fora.

Leia também: Os principais pratos da culinária dos Balcãs

culinária dos bálcãs comida

Kebab nos Balcãs

Por fim, uma notícia boa é que brasileiro não precisa de visto em nenhum desses países. Na entrada, você vai ganhar um carimbo novo no passaporte, seja pelas fronteiras terrestres ou aéreas.

Ideias de Roteiro pelos Bálcãs

A primeira vez que circulei por essa região, em 2015, fiquei 20 dias na Grécia, depois segui de ônibus para 10 dias na Bulgária (dois dias em Sofia, três dias em Plovdiv, um dia em Veliko Tarnovo e um dia em Ruse). E ainda fui por 10 dias para a Romênia (Bucareste, Brasov, na Transilvânia, com bate-voltas para Sighisoara, Bran, Sinaia).

castelo de bran transilvânia romênia

Castelo de Bran, também conhecido como Castelo do Drácula, na Romênia

Na segunda vez, em 2017,  fiz uma viagem que começou em três dias em Sofia, na Bulgária. De lá, segui para dois dias em Skopje e dois dias em Ohrid, na Macedônia. Em seguida, passei dois dias em Tirana, um dia em Berat e quatro dias nas praias em Ksamil, na Albânia. O país seguinte foi Montenegro, onde fiquei só um dia e meio em Budva (mas recomendo pelo menos três para explorar a região). Seguimos para a Bósnia, em Mostar por dois dias e Sarajevo por três dias. Por fim, estivemos em Belgrado, na Sérvia, por três dias.

Além disso, temos conteúdo sobre viagens pela Croácia e pela Eslovênia, que a nossa amiga Gabriela compartilhou aqui no blog.

Nos links indicados você entra nos posts de roteiro específico de cada um desses países.

onde ficar em plovdiv bulgária centro

Plovdiv na Bulgária

Uma semana nos Balcãs

Eu acho que uma semana é muito pouco para explorar essa região. Se você só tem esses sete dias, a minha recomendação é que foque em um país só.

Viagem de mais dias?

Visitar todos os países dos Bálcãs levaria um mês, para ver o básico, e uns dois meses para explorar com mais calma. A melhor ideia é tentar combinar numa viagem o que você conseguir.

Essa é uma região de muitas facetas. Você encontra praias lindíssimas nas costas da Albânia, Montenegro, Croácia e Bulgária. Os lagos em Ohrid, na Macedônia ou Escodra, na fronteira entre Albânia e Montenegro, também são famosos pela beleza. Todos esses países têm montanhas e trilhas de caminhadas para nenhum aventureiro ou amante da natureza botar defeito. E, inclusive, com algumas das opções mais baratas da Europa para esquiar no inverno.

Cidades grandes e multiculturais como Sofia, Belgrado, Bucareste, Sarajevo e Tirana costumam surpreender quem as visita. Cidades menores, lindas, coloridas e históricas, como Plovdiv, Ohrid, Budva, Brasov e Mostar, são daquelas que é um pecado programar só um bate-volta.

mostar bosnia o que fazer

Mostar, na Bósnia

Para você montar seu roteiro de acordo com o seu perfil de viagem, segue o nosso índice de posts por cidade:

Bulgária

Sofia – Plovdid – Veliko Tarnovo – Ruse

Romênia

BucaresteBrasovSinaiaBranSighisoara

Macedônia

SkopjeOhrid

Albânia

TiranaBeratKsamilButrint 

Bósnia e Herzegovina

MostarSarajevo

Kosovo

Pristina e Prizren, no blog Viaggiando

Sérvia

Belgrado

Montenegro

Budva

budva montenegro balcas

Croácia 

Zagreb, Plitvice, Zadar, Split, Hvar e Dubrovnik no blog Esse Mundo é Nosso

Eslovênia

Bled, Ljubljana e outras atrações no blog Andarilhos do Mundo

Como se locomover pelos Bálcãs

Essa é uma das maiores dificuldades para planejar uma viagem para os países na região dos Bálcãs, visto que ainda são poucos os sites com informações precisas sobre transporte e o fato de que não são todos os países que permitem comprar as passagens com antecedência. As viagens de trem entre esses países, quando existem, têm fama de muito lentas, então o ônibus acaba sendo uma opção melhor.

ksamil praia riviera albanesa

Ksamil, Albânia

Para pesquisar ideias de viagem de ônibus ou trem, os sites que usamos e recomendamos são o BalkanViator e o Rome2Rio, que mostram possibilidades de trajetos. Eu gosto muito de usar o Kiwi para pesquisar voos low cost dentro da Europa – inclusive, é um excelente site para você descobrir qual a melhor forma de chegar nos Bálcãs, porque eles permitem busca por raio. Foi assim que decidi começar um roteiro por Sofia e terminar por Budapeste, partindo de Portugal. Como não há voos diretos do Brasil para a península, é uma boa forma de descobrir como chegar lá do jeito mais barato a partir do resto da Europa.

É possível comprar passagens com antecedência em alguns países no site BusTicket4me (eu usei várias vezes e não tive problema), na Eurolines ou diretamente no guichê da rodoviária. Se você estiver viajando durante a alta temporada (julho e agosto) é recomendável comprar a passagem para o trajeto assim que chegar na cidade, visto que se você deixar para última hora, pode ser que não existam mais bilhetes.

Quanto custa uma viagem?

Na viagem em agosto de 2017, minha média de gastos total por lá foi de 37 euros por dia. Isso inclui hospedagem, seguro de viagem, atrações, alimentação e transporte dentro das cidades e entre os países. Eu revezei entre hostels e hotéis, fiz a maioria dos trajetos de ônibus e tinha uma média de gastos com alimentação e cerveja de uns 17 euros por dia. É possível achar hostels nesses países a partir de sete euros por noite e hotéis por a partir de 10 euros. E isso na alta temporada.

Essa foi mais ou menos a mesma média de gastos na viagem que fiz em junho de 2015. Ou seja, se você for um viajante econômico, pode seguir tranquilamente esse orçamento ou até planejar um pouco menos se for mais mão de vaca. Para quem faz questão de mais conforto, mas sem grandes luxos, eu calcularia algo em torno de 45 euros por dia.

berat albania balcas

Berat, Albânia

Como lidar com as diferentes moedas e câmbio

A maior parte dos países dos Bálcãs, com exceção de Montenegro e Kosovo, não usa o euro. Isso significa que a cada mudança de fronteira, uma nova moeda. Tem muitos lugares que aceitam pagamento em euros, mas a cotação fica tão desfavorável que faz bem mais sentido trocar o dinheiro. A única situação em que o pagamento em euros acaba fazendo sentido é na reserva de hotéis ou compra de passagem pela internet. Alguns passeios maiores também costumam ser cobrados diretamente em euros.

Minha recomendação é que você leve euros e troque nas casas de câmbio de cada país que entrar. Usamos casas de câmbio nas rodoviárias, no centro das cidades e num shopping e em todas foi bem tranquilo e sem taxas extras. Também dá para levar um cartão pré-pago e ir sacando, mas fique atento às taxas de saque.

Eu não tentei utilizar cartão de crédito ou débito do Brasil, mas muitos lugares aceitavam cartões bandeira Visa ou Master.


Compartilhe!






Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 29 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.