Viagem de Trem Noturno: tudo o que você precisa saber

Viajar de trem noturno é uma ideia que divide opiniões. Por exemplo, o Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, diz para você pensar duas vezes antes de usar esse tipo de transporte, visto que você vai chegar cansado, sem dormir direito e muito cedo no seu destino. Já o pessoal dos guias Lonely Planet considera esse um tipo de viagem interessante, tanto que volta e meia a colocam como experiência imperdível em certos roteiros e países.

Sendo eu uma viajante que já experimentou trens noturnos nos mais diversos lugares, climas e cabines, acredito que tenho uma opinião diferente das duas acima e um pouco a acrescentar no debate caso você esteja considerando viagens ao longo da noite por transporte ferroviário.

Leia tudo sobre viagem de trem:

Como viajar de trem pela Europa

Como viajar de trem pela Índia

Como viajar de trem em Portugal

Como viajar de trem pela Tailândia

Eurostar: o trem entre Londres e Paris

No meu ponto de vista, o trem noturno não é necessariamente ruim. Pelo contrário, já tive excelentes jornadas com essa modalidade de transporte. Mas nem sempre é bom. Por isso, vou tentar compilar aqui os principais mitos e informações concretas possíveis a respeito.

Economia na hospedagem, vale?

Muita gente decide encarar um trem noturno por pensar na economia: não só você acabará escolhendo a modalidade mais barata de transporte (às vezes!), como também irá dispensar a conta do hotel por aquela noite que estiver viajando.

Visitar a Grécia

Só que o raciocínio não é bem assim. A verdade é que para que a passagem do seu trem noturno não seja tão cara, pelo menos na Europa, você terá que viajar na cadeira ou poltrona, junto com várias pessoas, sem nenhum conforto e às vezes até sem um lugar marcado como seu. E aí, amigos, fica o peso da economia de dinheiro X economia de tempo. Uma noite inteira sem dormir certamente vai te custar o dia seguinte exausto.

Sério, eu bem me lembro dos momentos tristes de luz na cara, barulho de conversa e frio intenso em pleno verão. As áreas de cadeira, da Malásia a Portugal, não são apropriadas para a noite e o sono.

Mas calma, não precisa se desesperar com a fortuna que é uma passagem de avião! Existe um meio-termo:

Uma boa noite de sono?

O trem noturno pode ser sua escolha por conta da economia apontada acima ou então porque é a sua única opção para ir de A até B. E essas longas horas de viagem não precisam ser um suplício, desde que você invista uma graninha extra numa cabine com cama. Na Índia e na Tailândia, por exemplo, essa era nossa escolha sempre e valia muito a pena.

Trem de Portugal para Espanha Cabine Cama

Aqui na Europa, eu já fui de cabine e já fui na cadeira. E garanto: vale cada euro investido na cama. Mas, eu entendo o coração dos pobres mão de vaca. Minha sugestão para vocês é: pense se dá para economizar em outra coisa. Se não der, a vida é assim e um Red Bull no dia seguinte talvez te ajude a sobreviver até a hora do check in no hostel ou no hotel.

Ah, só tem uma situação que eu considero realmente válida (para além do dinheiro) comprar o bilhete da cadeira. É quando você tiver que descer do trem noturno no meio da madrugada. Aconteceu comigo de Madrid a Coimbra. O trem parava na minha cidade às 4h20 da manhã, por pouquíssimos minutos, antes de seguir para Lisboa. Se eu tivesse numa cabine com cama, provavelmente perderia a parada ou gastaria todo o tempo acordada, ansiosa para não perdê-la.

Onde fica a minha bagagem

Trem não é igual avião, que você despacha sua mala e só se lembra dela na esteira, horas depois. A sua mala vai estar com você o tempo inteiro. O problema é que na maioria dos trens não há espaço para malas grandes ficarem perto de você.

São duas opções: nas áreas de cadeiras há um espaço de bagageiro que fica nas entradas do vagão. Há também um bagageiro minúsculo acima das cabeças dos passageiros e pouco espaço debaixo da cadeira. Então, não, não tem jeito de manter sua mala por perto se ela for grande.

Trem em Portugal

Já para quem compra cabine, em geral o lugar para colocar a mala é abaixo da cama, mas se você estiver nas camas superiores também vai ficar longe da bagagem. Sem contar que malas grandes nem sempre cabem embaixo da caminha. A não ser que você coloque a mala para dormir com você no espaço pequeno.

Na Índia, nós costumávamos amarrar as malas dos três umas nas outras, de forma que seria difícil de alguém roubar sem fazer barulho. Tem quem tenha corrente e cadeado para amarrar a mala ao pé da cama também. Fica a critério da sua ansiedade.

Mudança de trem

Eu acho que já contamos essa história aqui no blog, mas vou contar novamente, por motivos de que vocês não cometam a mesma burrice. Em 2013, estávamos comprando a passagem entre Munique e Amsterdam. Iríamos direto da Oktoberfest, num trem noturno. E achamos que era uma excelente ideia economizar 20 euros cada num trem que precisaríamos fazer duas trocas durante a noite, uma de cerca de 1 hora e outra de 30 minutos. Nem preciso dizer que tudo isso foi uma catástrofe. Não fosse um jovem muito gentil nos acordar, estaríamos até hoje perdidos em alguma cidadezinha da Alemanha.

Economia porca é um negócio feio e idiota e recomendo que vocês não façam isso. Ou seja, se for possível, e normalmente costuma ser, não compre nenhum trem que você tenha que trocar no meio da madrugada. É um estresse tremendo ter que acordar na hora certa, correr para pegar a mala, descer numa estação no meio da noite fria e escura e ainda ter que encontrar outra plataforma para pegar outro trem. #Furada.

Prepare-se para uma boa viagem

Se você está seguindo meu raciocínio até agora, eu considero o trem noturno uma boa ideia desde que você invista um pouquinho mais do seu rico dinheirinho num lugar adequado para dormir. Sempre, nas cabines, mesmo de segunda classe, o bilhete inclui uma roupa de cama, travesseiro e cobertor limpos. Mas, mesmo nessas situações, é bom se preparar para uma boa viagem. Alguns itens são indispensáveis:

Trem indiano

– Roupas confortáveis, já que você vai passar a noite inteira usando essa roupa. O ideal é que sejam de um material tipo algodão, de forma que não vão te fazer transpirar demais ou sentir frio.

– Sempre leve um casaco, mesmo no verão. Eu já quase congelei em trens na Malásia e na Índia porque o ar-condicionado estava ligado no modo Ártico. Mas também não vá completamente agasalhado. Já sofri uma noite inteira de muito calor, na viagem entre Romênia e Hungria, porque o ar-condicionado estava desligado em pleno julho.

– Esteja preparado para atrasos: leve todos os seus eletrônicos carregados (alguns trens tem plug para carregar, mas nem todos), um livro, caderno e caneta, baralho, enfim, coisas para te distrair. Mais de uma vez eu fiquei presa dentro do trem por horas além do previsto.

– Se você tiver muita dificuldade para dormir, invista num tapa-olho e tampão de ouvidos. Principalmente na área das cadeiras, onde várias vezes eles mantém a luz acesa a noite inteira. Também invista num remédio para enjoo, se você normalmente passa mal com movimento.

– Leve água e um lanchinho. Nem sempre tem carrinhos de comida ou dá tempo de descer na parada. Ninguém merece passar horas com fome e sede.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

29 comentários sobre o texto “Viagem de Trem Noturno: tudo o que você precisa saber

  1. O trem na minha opinião é o meio mais rápido e civilizado de chegar a qualquer lugar. Se comparar um vôo de uma hora de duração por exemplo, que costuma resultar em pelo menos quatro horas de viagem, contando os perrengues envolvidos no deslocamento, check-in e recolhimento de malas, de trem, você faria o mesmo percusso em menos de duas horas!

  2. Luíza, você é engraçadíssima. Adorei a forma que nos informou cada detalhe sobre viagens em trem noturno. Ainda estou em dúvida sobre a minha situação. Meu marido mede 1,98. Gostaria de saber do tamanho das camas e se todos os trens tem várias camas em cada cabine, ou seja, se sempre temos que compartilhar a cabine com estranhos…

  3. Olá =) O seu post foi beeem completinho rsrsrs, eu estava mesmo procurando por esse tipo de informação porque logo vou fazer uma espécie de mochilão pela Europa e queria mais conteúdo desse tipo… E como aqui no Brasil não tem nada parecido com isso, é uma experiência completamente nova mesmo

  4. Luizaaaaaaaaaaaa, as melhores dicas que já li sobre as viagens de trem pela Europa… e olha que seu post tem quase dois anos. Tudo muitooo bem explicadinho. Vou continuar pesquisando no seu site.
    Preciso muito da sua ajuda, como faço pra ir de trem de Colonia ou Dusseldorf para Praga!!! Qual empresa faz esse percurso? Eu e meu marido iremos optar pelo trem noturno pra economizar tempo, afinal apenas este percurso será o mais longo ( e desgastante )e vai valer a pena, se Deus quiser… O vagão exclusivo vai depender do valor, senão vamos nas cadeiras mesmo e nada que um tapa olho e um dramin não resolva. rsrs.
    Queria sua opinião sobre o roteiro que montei:
    Paris 2 dias, Amsterdã 3 dias, Bruxelas 1 dia e noite, Bruges (bate e volta), Ghent ( bate e volta), Dusseldorf 1 dia, colonia 1 dia ( farei bate e volta num desses, preciso de dica sua em qual estabeleço base), Praga 2 dias, viena 2 dias e Budapeste 2 dias. Sei que o indicado seria voltar da parada final pro Brasil mas tá saindo bem mais em conta pra gente pegar ida e volta por Paris mesmo. Daí dei uma pesquisada de Budapeste pra Paris de avião ( Ryanair) tá saindo por 91,00, só preciso saber sobre a questão das bagagens- quantos kilos tem direito ( ou não!), pq se for pra pagar muito em excesso de bagagem, temos que reformular essa volta pro Brasil. Muuuuuuuuuuuuuuito obrigada desde já.

    1. Oi Flavia!

      O site para pesquisar esse trem é o da cia de trens alemã: https://www.bahn.com/en/view/index.shtml

      Eu, pessoalmente, achei seu roteiro extremamente corrido. Vocês terão muito pouco tempo para ver as atrações e será realmente só um gostinho, além de muito cansativo. Porém, tem quem goste de viajar assim, se esse for o seu caso, desconsidere minha opinião. Agora, na minha opinião, cortaria uns 2 ou 3 lugares nessa lista.

      Infelizmente, não conheço Colonia ou Dusseldorf, então não sei dizer qual seria a melhor base. Sugiro que vc verifique isso com base na facilidade de ir para Praga.

      Você tem direito a uma mala de mão de 10kg e mais uma bolsa ou mochila pequena. Tem que ser aquela mala pequena, que cabe na cabine do avião. Aí você pode comprar uma bagagem extra de 15 ou 25 kg.

  5. Oi, Luiza, obrigada pelas dicas. Irei em julho com duas amigas para a Europa e estamos pensando em usar o trem noturno para fazer Bruxelas- Florença. Já me informei que há duas paradas, mas não ficam no meio da noite: uma acontece em Paris, 1:20 depois e outra já é em Milão as 6:oo, para depois ir a florença. O trem sai às 16:OO horas de Bruxelas e chega em Florença no dia seguinte às 8:oo. Li que há couchettes para se dormir. Vc aconselha esse trajeto de trem com essa comodidade? Ja viajou dormindo num couchette? Obrigada desde já.

    1. Oi Alice,

      Sim, já viajei de trem em couchette, achei tranquilo para dormir. Mas dado que vocês terão que fazer duas trocas de trem e que essa é uma viagem longa, aconselho a verificarem o valor das passagens de avião. Pode ser que fique muito mais em conta.

  6. Oi Luiza,
    ótimas dicas! você acha que vale pena pegar o trem noturno de Roma para Viena? A diferença entre a passagem aérea (mesmo em cias baratas) e a primeira classe no trem não é muito significativa. A julgar pelos seus comentários, acho que a reposta srá positiva, vamos ver… Sendo positiva: devo comprar com antecedencia ou posso comprar l’mesmo (em Roma) alguns dias antes?

    1. Oi Yara,

      Se as passagens de avião estiverem mais baratas, acho que vale bem mais a pena, tendo em vista que o trecho de trem demora pelo menos 11 horas.

      Caso você decida pelo trem, sim, compre com antecedência, ou você corre o risco de pagar até 50% mais caro pela passagem.

  7. Olá Luiza!!

    Acha que vale a pena pegar o trem Madri-Lisboa ?

    Nunca viajei de trem noturno, e a diferença de valores com o vôo é bem tentadora.

    Quase desisti de pegar o trem quando li a opinião do Ricardo Freire, mas agora você trouxe essa opção de volta! =]

    Beijos

  8. Show Luíza esse artigo!!!

    Em Janeiro vou fazer meu primeiro mochilão pela Europa e pretendo utilizar bastante o trem noturno, um dos meus amigos que já pegaram o trem noturno na Europa disse que o trem de Paris para Veneza é muito bom e vale a pena conhecer.

    Eu não tenho muita frescura para acomodação, creio que eu goste! hehehehe

  9. Ola, ótimo post, vou descrever um pouco minha experiencia sobre o trem noturno que conheci.
    Fiz agora em agosto deste ano o trajeto Paris x Veneza no trem noturno, confesso que fiquei bem receoso quanto ao passeio pois há muita divergência sobre o assunto na internet.
    Ocorre que, minha experiência foi incrivel, mas graças a pontos levantados aqui no texto, estava com minha familía, então eramos 4, como ia dar para economizar uma diária em uma das duas cidades mais caras das Europa, acabou que compensava o trem noturno, mas investimos em uma cabine para 4 pessoas, ou seja, viajamos fechados, com todo conforto, espaço, sem nenhuma preocupação, a viagem transcorreu tranquila, o trem apesar de não ser novo foi super interessante, pois havias as camas que eram novidades, as paisagens, mas confesso que, ao passar pelas outras cabinas com 6 pessoas, muitas sem se conhecerem era possivel verificar o desconforto, a preocupação com quem estava do lado, mas se compensar para você que consegue fechar uma só para você, nao pense duas vezes, é uma experiencia incrivel poder dormir em um trem.
    Abraços.

  10. Luiza, adorei as dicas e adoro o site!
    Estou com viagem programada agora para dezembro/2015 – Hungria e Romênia, e estou na maior dúvida em relação a transporte. Estaremos em 4 pessoas e pensamos em fazer o trajeto de carro, porém não sei se neva a ponto de não conseguir guiar. Fico pensando que perderemos muito tempo nos deslocamentos de trem, haja vista já ter lido em vários blogs e sites (inclusive aqui), que os trens do leste europeu não são exatamente lá muito rápidos…rs
    Teria algum conselho em relação ao melhor meio de transporte a utilizar? Iremos fazer Budabeste X Bucareste e pensei no carro para conseguir visitar a maior parte das cidades pequenas entre as duas capitais.
    Desde já agradeço!

    1. Oi Fernanda,

      Mil desculpas não ter respondido antes, seu email ficou perdido na caixa de comentários.

      Olha, de carro sem dúvida é mais fácil a locomoção entre as cidades pequenas, principalmente se vocês quiserem conhecer a região da Transilvânia, que é meio imperdível.

      Dei uma olhada em fóruns e as opiniões são bem divididas. Porém, o sistema de limpeza de neve deles são eficientes. Se vocês alugarem um carro com pneus adequados para o inverno e não dirigirem a noite, pode ser uma boa.

  11. Oi, Luiza!
    Na Espanha, indo de Valencia para Granada, optei por um trem noturno e paguei uma opção que era uma poltrona mega reclinável e que valeu super a pena!!!
    Beijos

  12. Luiza, eu fico na maior neura com as malas, mesmo em trem diurno. Porque é muito fácil alguém pegar a sua e se mandar, mesmo se você estiver atento. Até pensei em levar desses cadeados tipo de bicicleta, mas achei o maior mico. Nunca vi nada parecido na Europa, e vc?

    1. Oi Márcia,

      Nos trens rápidos aqui em Portugal tem uma cordinha com cadeado para prender sua mala, mas eu nunca vi ninguém prendendo a mala, efetivamente. Eu fico um pouco ansiosa sempre, mas acho que é isso, o pessoal aqui é bem mais tranquilo…

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.