Tags:
Atlas: São Luís, Maranhão

A lenda da serpente encantada de São Luís

Nunca dê as costas para a Fonte do Ribeirão. E não apenas porque essa construção tem quatro séculos de história e é uma das principais atrações de São Luís. O problema é outro: é que lá vive uma serpente gigantesca, um ser que nasceu há séculos e passou toda sua existência dormindo. Dormindo e crescendo no Maranhão.

Há quem diga que a serpente, que pode ser vista por qualquer um que ouse entrar nas galerias subterrâneas da cidade, hoje ocupa quase toda a área abaixo do centro histórico de São Luís, que é enorme.

Segundo a boca miúda, a barriga do bicho está na altura da Igreja do Carmo, a cauda já alcançou a Igreja de São Pantaleão, enquanto a boca graúda da serpente está na Fonte do Ribeirão. O bicho é tão grande que, garantem os ludovicenses, em breve sua cauda alcançará sua boca.

Veja também: O que fazer em São Luís, no Maranhão

Onde ficar em São Luís, no Maranhão

Serpente encantada de São Luís

Fonte de Ribeirão (Foto: Marcus Soares)

Quando isso ocorrer, a serpente resolverá que a soneca de quatro séculos já deu o que tinha que dar, levantará os braços, numa boa espreguiçada, notará que está com fome e em seguida pensará: “Uhnn, comida”.

Mas a comida é, você adivinhou, o próprio rabo dela, causando uma série de fatos inesperados: uma tremenda dor na própria cauda, o movimento brusco e violento do maior ser vivo do planeta e a destruição completa da cidade, que será engolida por um gigantesco maremoto. Tudo isso e a repentina certeza de que lendas urbanas são, afinal de contas, verdadeiras.

O Padre Antônio Vieira, que esteve no ponto turístico do Maranhão em 1654, mencionou a serpente, que já era temida pelo povo. Quando o governador do estado, Fernando António Soares de Noronha, resolveu construir a Fonte do Ribeirão, em 1796, a ideia era apenas levar água potável para a cidade e melhorar o saneamento de São Luís. Só que a fonte e suas galerias acabaram virando a casa da serpente. Na cabeça das pessoas ou no subterrâneo da cidade. No fundo tanto faz.

Centro histórico de São Luís

O tempo passou, as pessoas conversaram e a lenda urbana encontrou formas de crescer. Séculos mais tarde, Zeca Baleiro falou da serpente em uma de suas músicas.

Céu azul rio anil
dorme a serpente
levanta miss serpente
põe tua lente de contato
mira dos mirantes
os piratas não param de chegar
vem vem ver como é que é
vem sacudir a ilha grande
vem dançar vem dançar
alhadef te espera na casa de nagô

eu quero ver
eu quero ver a serpente acordar
eu quero ver
eu quero ver a serpente acordar
pra nunca mais a cidade dormir
pra nunca mais a cidade dormir

Há quem diga que Padre Antônio Vieira estava certo em seus Sermões, quando disse que no “Maranhão até o sol e os céus mentem”. Eu discordo. A questão está mais para aquilo que garantiu o escritor Roberto Drummond, ao analisar outras lendas brasileiras: “Eu acho que a realidade, no Brasil, é uma ficção. Em qualquer país também é, mas no Brasil a gente conhece. O Brasil é uma ficção. (Foi) escrito por Deus, Diabo, Shakespeare, Tolstoi e por aí.”

São Luís, Maranhão

Numa matéria da Folha de São Paulo sobre o assunto, publicada em 2004, a então diretora do Centro de Criatividade Odylo Costa Filho tentou explicar a origem do mito: “O isolamento da ilha, com um grande contingente de negros, gerou esse misticismo, que também era reforçado pelos portugueses”.

Ficção ou realidade, ao passar pelo Centro Histórico de São Luís, não tire os olhos da Fonte do Ribeirão nem por um minuto. Muita gente não acredita na serpente encantada de São Luís, mas que ela existe, existe. E o mais indicado é não estar na reta dela quando o despertador tocar. Ninguém fica feliz quando ouve o toque do despertador – ainda mais depois de uma noite que durou quatro séculos.

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!


Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

45 comentários sobre o texto “A lenda da serpente encantada de São Luís

  1. Só acredito no que vejo, então aos 10 anos fui visitar a fonte com uma tia e ali senti algo me olhando bem no meio da galeria algo preto com grandes olhos vermelhos ainda pude sentir um ar quente saindo de seu Nariz fiquei hipnotizada mal consegui me mexer fiquei com uma febre 🥵

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.