África do Sul: as vinícolas de Cape Town

África do Sul: as vinícolas de Cape Town

Eu não sou nenhum especialista em vinhos. Não sei qual harmoniza melhor com determinado queijo e não entendo como o verbo harmonizar pode ser usado na relação entre uma bebida e pedaços de gorgonzola. Esclarecido o ponto de que de vinhos eu não entendo nada, uma revelação: em duas ocasiões, durante minhas viagens, resolvi gastar algumas horas (e outros tantos dólares) em tours em vinícolas.

A primeira delas foi em Cape Town, na África do Sul. Até eu sei que os vinhos sul-africanos não são exatamente os mais consumidos aqui no Brasil. A segunda vez que eu fiz um tour por vinícolas foi em Santiago, no Chile. Os vinhos chilenos lotam as prateleiras brasileiras e os brasileiros lotam as vinícolas mais tradicionais de Santiago. Ainda assim, o tour que eu fiz pelas vinícolas de Cape Town foi muito mais interessante – e barato – do que o que eu fiz no Chile, cerca de um ano e meio depois.

Planeje sua viagem: Saiba em qual região se hospedar em Cape Town

Ache e reserve as melhores atrações de Cape Town

As vinícolas da África do Sul

Os vinhos chegaram na Africa do Sul junto com os colonizadores holandeses. Foi no século 17 que as primeiras vinhas começaram a produzir no país. Hoje, o vinho é um dos principais produtos de exportação dos sul-africanos, um mercado que emprega quase 250 mil pessoas.

Na Cidade do Cabo não é diferente. Na região de Western Cape, a cerca de uma hora do centro da cidade, ficam várias vinícolas. Quando estivemos por lá, em janeiro de 2011, resolvemos gastar cerca de cinco horas num tour por algumas das mais importantes delas.

Viícola em Cape Town

Fechamos nosso tour direto no hostel onde estávamos hospedados, o Blue Mountain Backpackers. Pagamos cerca de R$ 30 reais. O preço incluiu transporte da porta do nosso hostel até as vinícolas, as entradas e  degustação de vinhos e queijos. Muitos queijos. E sim, eu disse vinícolas, no plural. O nosso tour passou por Villieira, Fairview e uma terceira vinícola cujo nome se perdeu após algumas garrafas de vinho.

A motorista, que era também a guia oficial do passeio, chegou às 8h na porta do hostel. Após cerca de 40 minutos, a van parou na primeira vinícola do dia. Lá testamos diferentes bebidas e recebemos explicações sobre vinhos. Depois, visitamos as videiras e conhecemos um pouco sobre o processo de produção.

De lá, fomos levados para as outras vinícolas. De longe a Fairview foi a melhor: além de liberdade para tomar quantas taças de vinho eu quisesse, uma mesa com diferente tipos de queijos fez a minha alegria. Ficamos cerca de uma hora por lá, tempo suficiente para testarmos todos os tipos de queijos disponíveis com cada um dos vários vinhos produzidos ali. Saímos da vinícola consideravelmente mais felizes e fomos deixados novamente no hostel ainda em tempo de um almoço tardio.

Vinícolas da África do Sul

Vale a pena fazer um tour pelas vinícolas de Cape Town?

Se você bebe vinhos, sem dúvida vale. Se você não bebe, mas gosta muito de queijos, certamente visitar a Fairview vai te agradar. E com certeza não é preciso entender muito de vinhos para gostar do passeio, que é pensado justamente para quem não tem o fator enólogo mode on, tipo eu e a Naty.

Além disso, vale lembrar que pagamos só R$ 30 pelo tour de cinco horas em três vinícolas da Cidade do Cabo, com transporte incluído. Apenas a entrada na Concha Y Toro,  uma das mais tradicionais vinícolas de Santiago, custa cerca de R$ 40. Lá, quem optar pela degustação de queijos paga algo em torno de R$ 70, bem mais do que eu paguei pelo tour triplo na África do Sul. A comparação deixa claro que esse país é mais barato do que a casa dos nossos nossos vizinhos sul-americanos, o que não deixa de ser um atrativo na hora de considerar incluir ou não uma visita às vinícolas no roteiro de uma visita à África do Sul.

Como eu fiz esse tour há dois anos, é claro que alguns preços aumentaram, mas ainda assim continuam atrativos. Não achei o tour de meio período no site do hostel onde fiquei, apenas o tour de um dia inteiro. Esse tour – mais longo do que o que eu fiz – e com transporte, almoço e longas degustações de vinhos e queijos incluídas hoje custa em torno de R$ 100.

Quer reservar seu tour com antecedência, antes de sair do Brasil? Nesse caso nossa dica é a Ticketbar, uma empresa holandesa que faz reservas do tipo em todo o mundo e é parceira do 360. Eles vendem alguns programas por vinícolas de Cape Town. Fica mais caro, mas o planejamento é bem mais simples. Detalhes aqui.

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

2 comentários em África do Sul: as vinícolas de Cape Town

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem