fbpx
Tags:

As carreiras para quem quer ser um nômade digital

Trabalhar de qualquer lugar, seja numa praia paradisíaca ou numa vila perdida no alto de uma montanha. A internet fez muito mais do que mudar a forma como nos comunicamos. Hoje, é possível viver de maneira completamente diferente também a vida offline. Não é mais preciso ficar preso ao escritório, seis dias por semana, oito horas por dia. Dá para ser um nômade digital e trabalhar viajando.

Se você acompanha o 360meridianos, já sabe que desde meados de 2013 nós aderimos a esse estilo de vida. Largamos empregos fixos e hoje temos liberdade para ganhar dinheiro de qualquer lugar do mundo. Desde então, já passamos por vários países da Europa e alguns estados brasileiros.

estrada, Nova Zelândia

Tudo isso é muito bom, mas fica a pergunta mais complicada: como? Em outras palavras, saber que algumas pessoas conseguem viver o sonho é encorajador, mas como eu posso fazer o mesmo? Quais áreas profissionais facilitam que alguém seja um nômade digital?

Muitas, caro leitor. Neste texto nós listamos cinco delas, mas temos certeza que existem várias outras. O ponto central é usar a tecnologia a seu favor – para ser um nômade digital você precisa trabalhar com ou na internet. Sempre foi possível trabalhar viajando de forma offline, ao procurar emprego no comércio local, por exemplo. O problema é que muitos países consideram isso ilegal ou exigem um visto específico para essa atividade.

Como um nômade digital, você não trabalha realmente no exterior, mas no mundo da internet e para brasileiros. Então, se nenhuma das carreiras listadas abaixo te interessar, pense se você consegue trabalhar com alguma coisa somente online. Quando você achar essa reposta, terá encontrado a chave para se tornar um nômade digital.

Produza conteúdo

Nomades digitais

É isso que nós fazemos. Formados em Comunicação Social, já estávamos acostumados a produzir conteúdo para empresas da área. Escrever textos, produzir vídeos, gerenciar mídias sociais, fazer (e vender) fotos… tudo isso pode ser feito online. Se você é jornalista ou já tem experiência na área, então o próximo passo é procurar empresas dispostas a te pagar pelo serviço de freelancer.  Faça uma lista com todas as companhias do setor. Entre em contato. Mande dezenas de e-mails com propostas de conteúdo. Acima de tudo, seja paciente e persistente.

Mas note que você não precisa ser formado em jornalismo para ganhar dinheiro com conteúdo. Você escreve bem? Faz isso em mais de um idioma? A internet está cheia de empresas dispostas a pagar por seus serviços – basta procurar. Também é interessante ter um portfólio para mostrar, algo que convença a seu chefe em potencial que vale a pena te contratar de forma remota. Criar um site pessoal e tratá-lo de forma profissional é o primeiro passo para ser respeitado (e requisitado) como um produtor de conteúdo.

Nessa área, podem trabalhar jornalistas, blogueiros, fotógrafos, videomakers, tradutores, escritores… Existe até quem procure por ghostwriters, ou seja, alguém para escrever conteúdo que é assinado por outra pessoa. A beleza da internet é que a era do mediador acabou. Quer escrever um livro? É possível fazer tudo por conta própria e depois vender online. Quer ser lido? Você não precisa mais trabalhar para um grande veículo de comunicação. Na internet, quem se esforça e mostra conteúdo relevante acaba sendo recompensando, inclusive financeiramente.

Crie e gerencie sites

Se produzir conteúdo não é o seu forte, que tal desenvolver as plataformas onde o conteúdo fica disponível online? Web designers, programadores, analistas de seo, enfim, gente que domina computadores pode facilmente cair na vida nômade. Um exemplo interessante é o do casal do blog Never Ending Voyage, que há quatro anos resolveu largar tudo para embarcar numa viagem sem data para acabar.

Vista das montanhas em Pokhara - Nepal

Pokhara, Nepal

Um deles trabalha como web designer. Detalhe: embora ele já fosse muito bom em informática antes de encarar a vida nômade, a opção de fazer um curso e começar a trabalhar na área foi tomada com o objetivo claro de viver na estrada. Aqui fica um ponto muito importante para quem acha que a profissão não combina com o nomadismo, mas sonha em ter esse estilo de vida – faça cursos, capacitações, mude o cenário ao seu redor. Mesmo que demore um pouco, mais cedo ou mais tarde você vai conseguir cair na estrada.

Outro exemplo é o casal do blog Vangabonds, que cruza as Américas de carro! Como se isso fosse pouco, eles ainda levam dois cachorros – Maya e Olmec – que são companhias de todas as aventuras. Junto com a família vão também dois escritórios itinerantes, um de web desiner e outro de marketing.

Venda produtos

Já se foi o tempo em que comerciante precisava necessariamente ter uma loja física. Só no Brasil, o e-commerce movimenta quase 30 bilhões de reais, isso segundo a e-bit, empresa especializada na área. Muita gente já prefere comprar produtos pela internet e receber tudo no conforto da casa. Vários nômades digitais usam esse método e passam a vender alguma coisa para se manterem na estrada.

Mas como vender produtos físicos se você não vai estar presente para cuidar do processo? Hoje em dia é possível entregar qualquer produto sem ter dor de cabeça. Basta aderir ao Drop Shipping.

Se você não faz ideia do que seja isso, saiba que existe até um artigo da Wikipedia explicando o assunto. É uma técnica de vendas em que o comerciante (ou seja, você) não fica com aquele montão de produtos estocados. Antes, tudo fica com um fornecedor, que depois da venda embala o produto e manda entregá-lo na casa do cliente.

Se você tem talento para vender coisas, mas faz questão de uma vida nômade, está aí a resposta: ache o produto certo para você, comece a vendê-lo e contrate uma empresa de drop shipping.

Merlion Cingapura

Cingapura

Venda seu conhecimento

Dizem que esse é seu bem mais precioso. Por isso mesmo, uma forma de garantir o salário de cada mês é vendendo conhecimento. Isso vale para um número incrível de profissionais, professores e consultores incluídos. Você é bom de inglês? Sabe dar aula? Então lembre-se que você não precisa estar no mesmo continente que seu aluno! Basta usar ferramentas como como o Skype e o Google Hangouts.

Conforme mostra uma matéria da Exame.com, existem empresas dispostas a contratar talentos das mais diversas áreas, como matemática, biologia e, claro, para dar aula de idiomas. Além disso, também é possível trabalhar ensinando português para gringos, tudo pela internet. Acredite: há demanda, sobretudo pelo PT-BR, o português que falamos aqui no Brasil. E quem melhor para fazer isso do que um nativo na língua?

Além de procurar empresas que oferecem o serviço, um caminho mais demorado (e ao mesmo tempo mais livre) é criar um site oferecendo o serviço. Com persistência, os clientes virão. E isso vale para qualquer que seja o seu conhecimento. A pergunta é: o que eu sei fazer que outros me pagariam para ensinar?

Faça o que você já faz, mas de forma remota

Responda de forma sincera: sua presença no escritório ou local de trabalho é realmente necessária, ou você poderia fazer tudo de forma remota, usando o Skype para se comunicar com o Brasil? Em muitos casos a segunda opção é plenamente possível. Segundo uma pesquisa feita pela Hays, empresa internacional de recrutamento, cerca de 30% das companhias já usam esse modelo de trabalho.

Já pensou em conversar com seu chefe a respeito disso? É possível que ele não goste da ideia, mas você pode provar que a empresa teria algumas vantagens em permitir que você passasse a fazer home office. Entre elas estão a diminuição no espaço necessário para acomodar os funcionários, menos gastos com infraestrtura e – acredite se quiser – até um aumento comprovado de produtividade. É  isso mesmo, especialistas garantem que ao não ter que se deslocar para o escritório e nem passar horas no trânsito, alguns funcionários passam a produzir mais.

Se você for o empresário, e não o funcionário, a situação pode ser ainda mais simples. Um exemplo é o do Dustin Main, um canadense que percorreu todos os continentes desde 2009. Ele tem um blog de viagens e faz frilas como fotógrafo, mas a maior parte da renda dele vem de uma empresa sediada no Canadá. O segredo do cara? Delegou as funções que necessitavam da presença dele e passou a fazer todo o resto pela internet. Será que você poderia pensar em algo assim?

Qual a sua saída para virar um nômade digital?

tempos modernos

Pode ser que seja uma dessas. Pode ser que não. Saiba que os caminhos existem – basta procurar o que mais se encaixa com você. Para isso, se planeje. Trace metas. Faça planos. Lembre-se  que ser um nômade digital não é algo que surge facilmente, mas que na maioria das vezes requer um grande esforço. Mas é possível – tem um monte de gente que prova isso.

Quer saber mais? Entre no grupo de discussão sobre Nômades Digitais, no Facebook.

*Foto destacada: Steven Zwerink, Creative Commons

Clube Grandes Viajantes

Gostou deste texto? O 360meridianos faz jornalismo de viagem profissional, completo e de qualidade. Com a pandemia, vimos o site entrar em risco. É que produzir conteúdo bem-feito dá trabalho – e custa caro. Infelizmente, não conseguimos escrever reportagens especiais, dicas de viagem completíssimas e histórias cativantes sem dinheiro.

Foi por isso que criamos o Clube de Assinaturas Grandes Viajantes, um espaço para apaixonados pelo 360meridianos, por viagens e por leitura. As contribuições de 9 ou 19 Reais garantem não só que consigamos continuar produzindo textos como este, mas também te prometemos diversas recompensas exclusivas: ebooks, lives, um grupo de discussão, um minicurso de escrita e muito mais! Venha fazer parte do Clube Grandes Viajantes.

recompensas clube recompensas clube


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

64 comentários sobre o texto “As carreiras para quem quer ser um nômade digital

  1. Olá! Boa Tarde!!!

    Gostaria de receber alguma orientação/ajuda de vocês em um assunto muito especial. Estou fazendo um treinamento para encontrar um próposito de vida, resumidamente falando, fazer algo que gosto muito para ser feliz e conseguir alguma remuneração com isso.
    Um dos assunto que mais amo na vida é viajar, inclusive estou me mudando com a minha familia para Espanha com o objetivo de ter mais qualidade de vida e também estar mais perto de milhares de lugares que ainda não consegui conhecer.
    Tenho facilidade de preparar roteiros e organizar viagens, sou bastante de detalhista e meus amigos amam quando faço isso pra eles.

    Será que vocês conseguem me dar alguma dica de como posso trabalhar isso e nisso para conseguir fazer o que eu amo em tempo integral e assim transformar a vida de pessoas que me procurarem para esse fim?

    Já agradeço a imensa atenção!!

    Muito Obrigada!!!

    Erica Scorzello.

  2. Meu sonho é ser nômade digital, porém eu não tenho qualificação nenhuma… sou funcionária pública desde os 18 anos e por isso não tenho nenhuma formação específica 🙁
    O que eu gosto mesmo é falar sobre viagens (escrevo bem) e cultura, porém nem dinheiro pra viajar eu tenho! hahaha
    Meu sonho seria montar uma agência de viagens que auxiliasse pessoas a planejar suas próprias viagens, ou algo do tipo… mas sem a experiência de ter viajado isso fica tão difícil 🙁
    Já pensei em ter uma loja em drop shipping tbm, mas não consigo pensar em nada que dê dinheiro sem ser um nicho saturado…
    Queria ter uma grande ideia pra mudar minha vida, mas tô estagnada!

      1. Boa noite Bruna,

        Meu sonho desde criança foi ser nômade e acabei caindo no sistema.
        Tenho 53 anos e larguei um casamento para viver a tão sonhada liberdade e estou perdida.
        Tenho a alma jovem, sou bem maluca e a minha aparência demonstra bem menos a idade que tenho.
        Sei fazer várias coisas e também adoro artesanato.
        Penso em começar viajando pelo Brasil com passagem só de ida…rs porém quero companhia.
        Qual sua idade?

        1. Boa noite Bruna,

          Meu sonho desde criança foi ser nômade e acabei caindo no sistema.
          Tenho 53 anos e larguei um casamento para viver a tão sonhada liberdade e estou perdida.
          Tenho a alma jovem, sou bem maluca e a minha aparência demonstra bem menos a idade que tenho.
          Sei fazer várias coisas e também adoro artesanato.
          Penso em começar viajando pelo Brasil com passagem só de ida…rs porém quero companhia.
          Qual sua idade?
          Se quiser, entre em contato Meu face é Simone Guilhen.

  3. Oi Rafael
    adorei o seu blog. Ja tenho idade avancada mas estou aplaudindo esta nova geracao por conseguirem trabalhar e viver a vida de forma mais livre. Isso e maravilhoso.
    Vou postar aqui o link da minha nora que conseguiu mudar de carreira e trabalhar viajando. Talvez isso possa contribuir como incentivo para outras pessoas tornarem-se tambem um nomade digital.

    http://happyandhomeless.com

    1. Curti o blog. Com muito conteúdo interativo para mochileiros de plantão. Continue assim….
      Eu ainda não trabalho online. Falta um gatilho entre aspas ou mesmo a coragem. Moro no Japão e trabalho 12 hrs.. aceito dicas de como ser um nômade digital.

  4. Rafael, tudo bem?

    Sou noiva e sonho do meu noivo é viajar o mundo. Confesso que nunca pensei sobre o assunto antes conhece-lo, ademais ultimamente andei pesquisando sobre o assunto e me deu uma vontade enorme de largar tudo e seguir com ele nesse sonho, porém, me sinto muito insegura de tomar uma decisão nesse sentido, pois não vejo como uma advogada possa ganhar dinheiro pela internet e morro de medo de largar o emprego e ter dificuldade no caminho. Enfim, das opções que li, achei interessante vender, sou boa vendedora, mas não faço idéia de como começar…poderia me ajudar nesse sentido? Obrigada

    1. Olá Amanda!!

      O seu questionamento em 03/03/2017 e a minha resposta agora após 2 anos e meio, quase soa como uma mensagem na garrafa que foi jogada ao mar… rsrsr. Mas vamos lá! Espero que durante este tempo já estejas bem adiantada na estrada da realização de seus sonhos com seu noivo que creio agora já marido. Mas se por acaso você deu uma segurada, e não quis se jogar no seu sonho por causa do exercício da advocacia. Digo-lhe então colega: Também advogo. Com certeza a nossa nada mole vida de advogado nem passa perto de ser um nômade. É fórum… é carga de processo… é agravo de orelha no balcão… é cliente querendo saber quando recebe o alvará… é petições e recursos e pesquisas de jurisprudências que não acabam mais… ufaaa!!! Como ser nômade??
      com todas as mudanças que temos visto em vários setores do judiciário, também já senti a vontade de jogar a toalha sem sair da advocacia.
      Ceio que um dos caminhos bons a ser seguidos é a produção de conteúdo jurídico. Para encaixar com a estrada sem ter que ir a fórum, audiências, etc… Todos os dias os sites especializados tem despejado muitos temas que tratam apenas superficialmente e eu e muitos colegas não encontramos matérias discutidas de forma mais aprofundada. Pense nisso!!! Eu tô lendo bastante e “escrevendo ainda para mim” exatamente para desenvolver o hábito da escrita. Livros de até 120 páginas também são excelentes opções com uma chamada esperta no título que instigue o leitor a adquirir o livro. Enfim… Busquei te dar uma dica, de repente até já pensastes nisso também, sei lá. Mas tá valendo a intenção de ajudar vc a embarcar nessa viagem com seu noivo sem jogar sua carreira fora. Felicidades!! Sejam felizes porque vocês merecem!! Abs. Nilo

  5. Oi, Rafael!!!

    Parabéns pelo blog!!! Admiro vocês!!!

    Estou há um tempo querendo muito me tornar nômade, digital ou “natural” hehe Sinto uma necessidade absurda de sair no mundo (inclusive morar fora definitivamente), especialmente estar em contato com a natureza. Tenho 37 anos, não tenho filhos, por opção. Hoje tenho empresa, mas trabalho home-office. Trabalho na área de arquitetura promocional e eventos, mas não sou arquiteta. A questão é que não quero mais trabalhar com isso. Não tenho mais ressonância com esta profissão, além de que é muito estressante.
    Só que tem alguns pontos que gostaria que, se possível, você ou alguém, me desse uma LUZ!:
    1 – Tenho 3 gatinhos. Não sei como poderia ser nômade com eles. Não vou deixá-los no Brasil, de jeito nenhum.E gatos não gostam muito de mudar de casa. Logo, não sei o que fazer…

    2 – estou estudando TARÔ. Gosto muito do tema espiritualidade, me identifico muito. Pensei em trabalhar com isso. Atender via Skype. Muitos fazem isso. Só que tem muito charlatão neste mercado. Não queria ser confundida ou sofrer preconceito por isso.

    3 – comecei a cuidar mais da minha alimentação e passei a gostar de cozinhar. Devido a isso, resolvi experimentar fazer lanches saudáveis para vender por encomenda, para festas, etc. Ainda estou ensaiando as receitas, mas sei que é um mercado que está crescendo. Será que posso ser nômade fazendo isso?

    4 – amo fotografar. Mas sequer tenho câmera, só o celular mesmo hehe não tenho curso também, mas faço boas capturas. Só que sei que este mercado está bem saturado também..

    Não sei o que achas. Preciso de uma ideia! hehe Ficaria imensamente grata com sua ajuda ou de mais alguém.

    Já decidi que vou vender tudo, casa, carro e vou colocar o pé a na estrada, só nao estou encontrando o caminho certo para o sustento.

    Um forte abraço e muito obrigada!

    1. Oi, Cristina.

      Que história incrível a sua! Olha, a forma mais fácil de ser nômade seria certamente mantendo sua profissão, já que você trabalha de home office, mas não é a única.

      Acho que você tem boas ideias. A da fotografia me parece a mais complexa, pois para viver com dinheiro de fotos é preciso ter equipamento e estudar o tema.

      Sobre os gatos, realmente não sei dizer. Conheço muita gente que viaja o mundo com cachorros, mas gatos são de fato mais complicados nesse aspecto. Penso que uma possibilidade seria viajar num ritmo mais lento, passando vários meses em cada cidade, morando mesmo em cada lugar. Achei os seguintes links:

      http://www.updateordie.com/2016/04/27/mulher-viaja-pelo-mundo-em-companhia-de-seu-gato/

      http://www.catster.com/lifestyle/cat-care-behavior-travel-the-world-with-cats-tips-interview

      https://nomadforum.io/t/how-can-i-travel-the-world-with-a-cat/4699

      Abraço e boa sorte.

      1. Muito obrigada, Rafael por sua resposta! Então, minha profissão exige minha presença “in loco” algumas vezes também, logo, seria mais um empecilho. Mas a ideia de mudar de profissão, já é antiga…hehe

        Acessei os links que me enviastes, nossa, me emocionei com as fotos da Liz com usa gatinha! Surreal! Um animal, como um gato, encontrar golfinhos, animais marinhos! Lindo! 🙂
        Mas com certeza ficar períodos mais longos em cada país seja a solução mais acertada. Vi ali gente que viaja com os bichanos em motor-home. Mas não tenho como fazer isso… hehe

        Fiquei interessada na venda DropShipping, trabalho com vendas e acho que não teria problemas. Mas tenho algumas dúvidas, não sei se você ou alguém poderia me ajudar:

        1- isso é como venda de afiliados? Saberias me dizer como é feito a a divulgação dos produtos? Particularmente, eu como cliente, acho muito chato receber aqueles e-mails de afiliados querendo vender algum produto.

        2 – poderias me indicar alguma empresa que faça Dropshipping séria aqui no Brasil? Estou fazendo uma pesquisa, mas não tenho referência das mesmas. Ou citar alguém que trabalhe com Dropshipping e tenha tido sucesso.

        3 – já pensei em criar um blog, falar de minhas experiências, contudo, não tenho muita familiaridade com o tema e as ferramentas. E nem em criação de conteúdo hehe Existe algum profissional que possa me ajudar a colocar esse projeto em andamento?

        No mais, é isso. Dúvidas sempre me surgirão, e me sinto acolhida por terem pessoas como você, que tem essa preocupação em ajudar o próximo. Todos temos um sonho, e ter pessoas que nos auxiliam neste projeto, não tem preço.

        Muito obrigada!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.