Viver de blog: a vida de um blogueiro de viagem

Nem todo mundo está preparado para a minha resposta à pergunta “O que você faz da vida?”. Por isso, na maior parte das vezes eu apelo para a via simples: “sou jornalista autônoma”. A verdade é que a profissão blogueiro ainda gera muita desconfiança, espanto e incredulidade por parte dos que não conhecem esse mercado que começa a se consolidar. Deve estar cheio de gente por aí que acha que eu passo meus dias brincando na internet, enquanto meus pais bancam minhas viagens. Outros tantos devem pensar que meu verdadeiro ganha-pão é o tráfico internacional de drogas e que o 360 é pura fachada.

Essa desconfiança tem sentido. Se você cria um blog para postar sem compromisso, quando der na telha, só para se divertir, realmente não dá quase trabalho nenhum. E a maior parte dos blogs nasce, cresce, se reproduz e morre com esse objetivo. Mas a partir do momento em que você resolve transformá-lo em um negócio, é preciso estabelecer metas, rotinas, prazos e responsabilidades, como qualquer emprego.

Escritório - trabalho

Eu sou uma pessoa inquieta, que se entedia facilmente. Mal dá tempo de comemorar um objetivo alcançado, já estou pensando no próximo. Talvez isso explique porque eu nunca fiquei muito tempo no mesmo emprego. Isso também explica como, em termos profissionais, o 360meridianos já é o trabalho que me prendeu por mais tempo.

Quando começamos a blogar, ainda sem muito compromisso, eu era uma jornalista recém-formada. Precisei estudar e aprender um milhão de coisas que não tinham me ensinado na faculdade. Embora a atividade central do blog seja muito parecida com aquela que eu estudei para exercer, havia diversas atividades secundárias que a gente tinha que se virar para dar conta. SEO, gerenciamento de mídias sociais, marketing, vendas, CSS, HTML, design, fotografia, edição de vídeos e empreendedorismo, só para começar.

Talvez nem todo mundo vai entender o que é, para alguém que sempre sonhou em ser repórter, ter construído um veículo de comunicação do zero, sem nenhuma grande marca por trás para nos emprestar credibilidade. Cada leitor conquistado, cada post compartilhado, tudo foi fruto do nosso trabalho diário. Um veículo de comunicação lido por quase 145.000 pessoas diferentes todos dos meses. Ter conquistado, em menos de três anos, 300.000 pageviews mensais, milhares de seguidores nas redes sociais e mais de 700 artigos publicados foi, sem dúvidas, o maior desafio que já enfrentei – e continuo enfrentado – na minha vida profissional. Sei que os números ainda são pequenos se comparados aos maiores sites e blogs do Brasil, mas também sei que no nicho de viagem eles representam muita coisa.

viver de blog - audiência 360meridianos

Por todos esses motivos e também por um orgulho enorme de tudo o que conquistamos, resolvemos abrir nossa rotina de trabalho para vocês. Blogueiros: O que fazem? Onde vivem? De que se alimentam? Descubra isso e muito mais agora, no 360meridianos.

nomades digitais - trabalho em Lyon

Leitura obrigatória

Eu devo ler uma média de 50 artigos por dia. Isso pode até parecer aquelas coisas que a gente faz para procrastinar o trabalho, mas eu considero essa uma parte importantíssima do que eu faço. É pelas minhas leituras diárias que eu acompanho as tendências na internet, o que está sendo falando no mundo das viagens, descubro sobre as mudanças de humor do Google, as novidades das redes sociais e aprendo mais sobre SEO, produção de conteúdo e todas aquelas coisas que eu já te contei que precisei aprender. Conhecimento é poder, já dizia o outro.

Mas eu não leio só artigos sobre web e turismo. Meu leitor de feeds tem blogs e sites dos mais variados temas. Sempre que eu me deparo com um blog bem sucedido, de qualquer área, ele entra para a minha listinha. Isso porque, mesmo que a gente aborde assuntos diferentes, sempre acho que posso aprender mais sobre a arte de blogar acompanhando blogs que se deram bem. Essas leituras também me ajudam muito a pensar em novas pautas para o 360. Às vezes você vê uma foto, junta uma informação com outra e pimba! Surge a ideia de um novo post.

Reuniões semanais

Quando nós três tínhamos outros empregos além do blog, fazíamos uma reunião mensal, geralmente no final de semana e com hooooras de duração. Eram divertidas. Hoje, optamos por nos reunir todas as segunda-feiras pela manhã, via Google Hangouts mesmo. Nesses encontros nós discutimos todos os assuntos e pendências do blog, criamos uma listinha de tarefas da semana, definimos projetos futuros, metas e estratégias para alcançá-las.

Trabalho de campo

Vista Castelo de Praga

Essa é a parte que faz todo mundo achar que viver de blog é pura moleza e que esse é o melhor trabalho do mundo. Para escrever sobre viagens, é preciso viajar. Estamos na estrada constantemente e, durante esses períodos, visitamos lugares, conhecemos culturas, pesquisamos, exploramos e voltamos cheios de novas pautas para o blog. Uma parte muito importante do conteúdo do blog já é produzida nesses momentos – as fotografias e vídeos. Acredite: não tem nada pior que querer escrever um post e descobrir que não tem as fotos certas para ilustrá-lo porque você foi burro, relapso ou preguiçoso durante a viagem.

Eu já vi blogueiro reclamando que parou de curtir tanto as viagens por ter essa obrigação de fotografar tudo, anotar informações importantes, perguntar preços de coisas que você nem vai comprar, etc etc etc. É óbvio que nossas viagens são bem diferentes de quem viaja sem compromisso e só está a fim de curtir as férias, mas a gente não está ali a passeio, afinal. No trabalho nunca dá para fazer só o que a gente quer, não é? Com a gente é a mesma coisa. Não que eu esteja reclamando…

Planejar, escrever, publicar

Nós temos um planejamento de conteúdo para os próximos dois meses, que anotamos em uma tabela no Google Drive, para que todos possam acessar e editar. Essa planilha é norteadora, mas não definitiva. Se alguém não está a fim de escrever aquele post, naquele dia, tem a liberdade de mudar. Mas nós sempre tentamos manter um balanço entre destinos e assuntos, para que o blog não fique monotemático e agrade tanto o sr. Google quanto aos leitores que entram aqui todo dia em busca de algo interessante.

Em geral, quem dá a ideia de pauta é o dono dela, mas isso pode mudar por vários motivos. Já tive ideias de post que achei que a Luíza deveria escrever, por exemplo. Nos últimos meses, como eu estava ocupada escrevendo sobre a minha viagem aos Estados Unidos, acabei cedendo alguns posts que eram meus para que outra pessoa escrevesse. Essa dinâmica é normal e muito tranquila.

tabela de posts - viver de blog

Além da tabela, também temos um banco de pautas no Evernote. Para lá vão as ideias que vão esperar mais tempo para entrar no blog porque a tabela já está cheia ou porque ainda não é o momento para elas. Esse hábito é recente e eu peguei emprestado da rotina jornalística. Acontecia muito de alguém ter uma ideia mirabolante de post, mas que só ia entrar daí a três meses. Quando chegava o dia de escrever, nem a pessoa sabia mais o que tinha pensado. Na pauta, a gente anota a ideia geral, o que pensamos em escrever e possíveis referências. Agora ninguém mais perde a ideia.

modelo de pauta- viver de blog

Escrevemos entre 7 e 10 artigos por semana, a atividade que nos toma mais tempo. Nós já até tentamos, mas não é do nosso estilo escrever posts curtinhos e rápidos. É preciso pesquisar, checar as anotações que fizemos durante a viagem, escolher e editar as fotos. Depois de pronto, cada texto passa por duas edições, para só aí ir ao ar.

Manutenção de posts antigos

Depois que um post vai ao ar, ele não cai no limbo do esquecimento. De tempos em tempos a gente volta nos posts antigos para atualizar informações, corrigir erros de diagramação (que podem ocorrer quando a gente mexe no layout) e acrescentar links para os artigos mais novos que se relacionam com aquele tema. Blogar é um trabalho em constante desenvolvimento.

Comentários e email

Trabalho como Nomades Digitais

Desde o início, nós firmamos o compromisso de responder todos os leitores. Quanto mais o blog cresce, mas difícil fica. Uma vez por semana, cada um responde aos comentários nos seus posts. Algumas vezes as repostas demandam pesquisas, em outras tantas as pessoas perguntam coisas que já estão no post ou que não conseguimos responder. Como o volume de dúvidas é cada vez maior, pode acontecer que algum comentário se perca no meio do redemoinho e fique sem resposta. Se isso acontecer com você, comente outra vez ou puxe nossa orelha.

Outras tantas horas são voltadas a ler e responder emails. Muito do que chega em nossa caixa de entrada são releases de imprensa, mas também recebemos convites de parcerias, propostas absurdas, mensagens de gente pedindo divulgação de outro blog e apresentando um projeto legal e dúvidas dos leitores (para isso, usem os comentários, por favor!).

Redes sociais

Nós nos dividimos para cuidar das redes sociais. Essa é outra parte muito importante do nosso trabalho, afinal as redes ajudam a construir e divulgar a marca do 360meridianos, além de serem uma importante fonte de audiência. Estamos presentes no Facebook, Twitter, Google +, Instagram e Youtube. Nossos esforços no momento estão mais voltados para fortalecer o Instagram (segue lá, gente!) e alavancar nosso canal do Youtube. Isso porque o Zuck está fazendo de tudo para que a gente odeie o Facebook, entregando nossas postagens para cada vez menos gente. Aquilo ali não está fácil para ninguém.

Projetos especiais

De tempos em tempos a gente inventa umas modas. Em geral, esses projetos especiais nos dão uma trabalheira danada, mas são deliciosos de fazer. A gente classifica como projeto especial aqueles que não fazem parte da nossa rotina comum e que têm data para começar e acabar.  Como quando a gente chegou a trabalhar 10 horas por dia para terminar o e-book Roteiros da Índia. Antes desse, tivemos o Primeira Viagem. E, não conta pra ninguém, mas essa semana começamos a escrever mais um livro.

Além dos e-books, também temos os Hangouts do G+ e fazemos projetos em parceria com empresas, como quando escrevemos para o blog da Sony durante nossa viagem para a Europa.

Blogueiros 360meridianos

Nosotros todos arrumadinhos para dar uma palestra no Encontro de Viajantes

Então, essa é a nossa vida, esse é o nosso clube. Ser blogueiro é uma profissão como qualquer outra. Eu me considero sortuda por fazer algo que amo, mas não sou diferente de um médico, um ator ou de qualquer pessoa que tem paixão pelo que faz. Penso em trabalho por aproximadamente 70% do tempo em que estou acordada, às vezes tenho que trabalhar sem querer, às vezes trabalho mais do que deveria por não conseguir parar e faço o que posso para esticar meu dinheiro até o próximo pagamento. Mais ou menos como todo mundo.

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!


Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

93 comentários sobre o texto “Viver de blog: a vida de um blogueiro de viagem

  1. Na sua opinião qual a melhor opção para hospedar um blog ?
    Blogspot / WordPress / Wix ou vc teria uma boa indicação para quem tem bom conteúdo e não sabe para onde ir ?

    1. Olá Rosana, eu recomendo o WordPress com hospedagem própria pq é o mais profissional. Se você começar nas gratuitas vai ter que mudar depois quando o blog crescer e isso dá uma dorzinha de cabeça…

  2. ADOREI iiiii esse texto! Nao posso negar que conheci vcs há pouco tempo e desde a 1a. leitura me apaixonei. Foi como se eu estivesse entrando na redaçao do jornal onde trabalhei trabalhei durante o meu periodo de faculdade. Pegando pauto, tentando imaginar uma materia diferente para acrescentar na pauta, etc. Enfim tudo que fui lendo foi despertando um maior interesse. Viajo desde os anos 80 e tenho uma bagagem (modestia a parte) q extrapola o limite de 100 passageiros, kkk . Do Brasil a Africa do Sul, e mais e mais outros continentes e paises q vcs nao imaginam. O tipo de informaçao que tenho para passar é muito valiosa, mutas\vezes leio alguns blogs e começo a enumerar algumas coisas importantes que ficou pra traz.
    Parabens, quero estar com vcs sempre

    1. Olá Iracema! Que legal! A gente tentar trazer um pouco da nossa experiência em redações para o trabalho no blog sim. Acho que acrescenta muito, em especial na hora de pensar pautas. Que incrível sua experiência, quem sabe você não se anima a contá-las em um blog também? Adorei seu comentário, espero te ver por aqui mais vezes!

      Grande abraço!

  3. Fantástico!! Não sou da geração dos Blogs… Sou ‘das antigas’!:D Mas como uma grande curiosa, estou sempre buscando novidades, quem sabe um novo trabalho. Amo viajar e escrever, e assim acabei por encontrar vcs! O Blog é muito esclarecedor, autêntico, bem pé no chão! Obrigada pela generosidade de compartilhar suas experiências e vivênias! Sucesso e ‘excelentes mochiladas’ a todos!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.