fbpx
Tags:

Como viver mais leve em um mundo cada vez mais ocupado

Um belo dia, eu surtei. Soterrada entre uma lista enorme de coisas a fazer, eu movia o cursor do mouse para baixo e para cima sem ter ideia de por onde começar. Acho que todo mundo conhece essa sensação de que o dia, a semana ou o mês não têm horas suficientes.

Vivemos em um mundo de gente ocupada, em que cada minuto tem que ser preenchido com a tarefa mais importante dos últimos tempos da última semana. E, ei, se eu posso responder emails do meu celular até quando vou ao banheiro, por que não fazê-lo, não é mesmo? Mas um dia eu peguei aquela minha lista e quis mandá-la para o inferno.

A nossa sociedade premia os ocupados com uma boa dosagem de status. É preciso ter um milhão de coisas na agenda se você deseja se sentir importante, esforçado, reconhecido. Há um certo glamour em ter centenas de emails e chamadas para responder e não poder parar para conversar com alguém no corredor da empresa porque você tem algo para fazer do outro lado que não pode esperar.

Tanto que fazer hora extra se tornou quase um atestado de competência profissional. Mas a verdade é que enchemos nossa vida de coisas pouco importantes que acabam nos roubando o tempo daquilo que realmente importa. E tempo, meus amigos, é um bem raro que vale muito mais que dinheiro neste nosso mundo moderno.

Lista de tarefas

Shutterstock

Entre o trabalho e a academia, as aulas da pós e o frila que você pegou para complementar a renda, fica difícil encontrar um espaço na agenda para simplesmente aproveitar o dia. E se você força um pouquinho de ócio para dentro do seu cronograma, é o sentimento de culpa não vai te deixar em paz.

É quase como se a sua lista de afazeres começasse a gritar para você, pedindo atenção. Mas o problema com essas listas é que elas nunca vão te deixar em paz. É impossível riscar todos os itens sem colocar outros no lugar. Estar ocupado é uma armadilha da qual não se pode sair a menos que você pare e dê um passo para o lado.

E sabe o que mais? Ter uma lista longa de coisas a fazer não é sinal de que você está indo a algum lugar. Produtividade só existe se suas tarefas diárias te deixam mais perto de quem você quer ser. Caso contrário você só está preenchendo seu tempo e correndo em círculos, perdendo seus dias em uma avalanche de inutilidades que não te levam a lugar nenhum.

Como ser menos ocupado sem ser menos produtivo

Por do sol em Istambul

Foto: Raphael Alexander/Journey Wonders

Da próxima vez que você se deparar com aquela lista infinita, o primeiro passo é eliminar tudo que não precisa ser feito. Busque atalhos, corte sem dó tarefas que não vão contribuir com nada para você ou para pessoas que você considera importantes. Assim você pode focar apenas no essencial.

Leia também: Como parar de procrastinar

Quer saber? Dane-se a sabedoria popular. Às vezes dá para deixar para amanhã o que se pode fazer hoje. Identifique aquilo que pode esperar, delegue o que pode ser feito por outra pessoa e simplesmente abandone o que não for te acrescentar nada.

Com a lista mais enxuta, defina suas prioridades baseando-se nos seus sonhos e objetivos. Quais são as três coisas que você quer ou precisa ter concluído até o fim do dia de hoje? O que vai fazer você se sentir melhor depois de feito?

Risque uma de cada vez e coloque toda a sua atenção naquilo que você está fazendo no momento para garantir que o trabalho será concluído a tempo. Desligue-se do seu email e mídias sociais enquanto estiver trabalhando. Estabeleça um pequeno horário para checá-los na sua rotina e evite espiadelas durante o dia.

Assim, você pode deixar bons espaços em branco na sua agenda. Use-os para ser criativo, trabalhar em projetos paralelos, se dedicar a um hobbie ou qualquer coisa que te faça feliz. E, quando for o caso de parar um pouquinho, coloque os pés para o alto e permita-se não fazer nada por um momento. Sem culpa.

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

14 comentários sobre o texto “Como viver mais leve em um mundo cada vez mais ocupado

  1. Verdade! Desde setembro, estou trabalhando apenas 4h por dia, me dedicando ao mestrado e aproveitando ao máximo o meu tempo livre…mesmo tendo minha renda cortada em 30%, eu nao voltaria a trabalhar 7/8h por dia, simplesmente pq estou amando demais ter tempo! Meu pai, que nao está mais entre nós, tinha uma regra que eu vou levar para toda a vida: trabalho apenas no trabalho e trabalhar para viver, nao o contrário. Minha chefe nao gosta muito da minha postura, mas já acostumou! Ótimo texto!

    1. Eu sempre digo que tempo é tipo barra de ouro, vale mais que dinheiro. Então pra eu vender meu tempo para alguém tem que pagar muiiito bem. Seu pai era um sábio 😉

      Abraços

  2. Oi pessoal,

    Não sei se fui só eu, mas não recebi no meu e-mail planilha para te ajudar a calcular o orçamento da sua viagem, organizador de roteiros nem o Check list com tudo o que não pode faltar na sua viagem que vocês falam quando fazemos a inscrição.

    Vocês onsegue me ajudar? Faço inscrição de novo?
    Obrigada
    Beijos

  3. Ótimo texto, Natália.

    Acredito que para não sentirmos culpa pelo “tempo livre” só se colocarmos ele na nossa lista de afazeres!rs

    É fundamental num momento de ócio e tranquilidade tanto para saúde física e espiritual quanto para produtividade.

    Abraço,

    1. Isso ajuda muito! Planejar seu dia já deixando esses espaços para relaxar pode ser uma forma de não parecer que você está de bobeira quando deveria estar fazendo outra coisa.

      Abraços!

  4. Caramba sempre penso nisso! Fico muito incontente como parece que trabalhamos e trabalhamos e as coisas (IMPORTANTES) não acontecem. Digo, temos trabalhos comuns, vidas comuns, mas eai? E o mundo tá melhor? E vc tá fazendo alguma coisa relevante pro mundo, pras pessoas que te cercam? Tá fazzendo algo que realmente agrega? Não…. Só estamos produzindo, produzindo e enriquecendo mais e mais quem já é muito rico. É fato que não dá pra todo mundo ter o trabalho dos sonhos, mas sinceramente eu nao consigo me contentar com esse modelo. Só tive boas experiencias trabalhando na industria até hoje embora seja muito nova, não tenho do que reclamar do ponto de vista profissional, mas é TÃO VAZIO… Sinto que desperdiço MUITO meu real potencial na frente do computador, trabalhando por uma visão/valor/missão que não são minhas. Apenas para enriquecer quem já é rico. Fazer a companhia crescer.
    Vou começar já a ler esse livro 4hours week pra ver se me inspiro. rs

    1. Mônica, é verdade. Muitas vezes fazemos as coisas em piloto automático e quando a gente vai ver a vida passou e todos os dias parecem o mesmo. É preciso estar desperto para viver. Você deveria começar a ler sobre empreendedorismo, pela sua fala me parece que tem perfil.

      Abraços 🙂

  5. As pessoas têm que perceber que estar ocupado não é significado de produzir ou fazer coisas. A sensação de estar ocupado e mesmo assim o tempo passar rápido sem nada de relevante ter acontecido é a prova disso.
    Todas as pessoas deviam ler o livro do Tim Ferris (4 Hour Week) nem que seja para pensar o tempo e a organização e a produtividade de forma diferente.

    Abraço!

  6. gente, eu amo vcs e essas reflexões! já tem um tempo que na verdade faço algo um pouco mais “radical” que é viver (ou pelo menos tentar) como se fosse o último dia. e por isso, sim! existem coisas, que com certeza não PRECISAM ser feitas hoje. podem, simplesmente, serem feitas outro dia…

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.