fbpx

Dicas para fazer trabalho voluntário no exterior

Fazer trabalho voluntário no exterior e dedicar-se a projetos sociais que buscam tornar melhor a vida em uma comunidade pode parecer uma ótima forma de dar mais significado às suas férias ou ano sabático. E realmente é. No entanto, é preciso ter certeza de que você está investindo seu tempo em uma coisa que leve real significado à vida dos que moram ali. O objetivo, afinal de contas, é tornar  o mundo um lugar melhor – nem que for só um pedacinho dele – e não apenas fazer com que a gente se sinta bem.

O volunturismo é uma experiência de viagem cada vez mais procurada. Ao mesmo tempo que pode ser muito válida, pode ser uma enganação se você não pesquisar bastante e se preocupar com alguns detalhes antes de embarcar. Veja o que eu aprendi com minha experiência.

Intercâmbio em Uganda

Foto: Gabriela Auricchio, intercâmbio na Uganda

Não use o volunturismo apenas para preencher seu itinerário

O tempo que você tem disponível é suficiente para uma ajuda significativa? Se você propõe ajudar em alguma causa, então esteja disposto a abrir mão de boa parte do seu tempo de viagem para fazê-lo. O ideal é que os voluntários possam se dedicar por alguns meses, para que o trabalho tenha consistência e não seja interrompido todo dia com a alta rotatividade de voluntários. Dificilmente você vai conseguir fazer a diferença se reservar apenas um final de semana para isso ou não puder se dedicar de forma mais consistente. Tenha em mente que trabalho voluntário é justamente isso: um trabalho. Não é algo que você faz nas horas vagas, como se estivesse indo ao cinema. Quando eu fui para a África do Sul, fiquei quatro semanas me dedicando de forma integral ao projeto. Ainda acho que foi pouco, mas esse é o tempo que a maioria das pessoas tem. Em geral, evite ficar menos que um mês, embora eu ache que o ideal seja a partir de seis semanas. Quanto mais tempo você puder se dedicar, melhor.

É claro que tudo depende do tipo do projeto e da natureza do trabalho que você vai realizar. Antes de se decidir, faça uma pergunta sincera: quanto impacto eu consigo causar nesse projeto durante o tempo que eu tenho disponível? Vale a pena tanto para mim quanto para as vidas que desejo ajudar? Pode ser que algum projeto exija menos tempo, outros requerem uma dedicação maior para ter um resultado efetivo. Só não vá distribuir balas para crianças pobres durante uma tarde e achar que fez um bem enorme para a comunidade. Doar dinheiro para uma instituição séria ajuda bem mais que isso.

No entanto, eu sei que para muita gente é impossível conseguir viajar por muito tempo. Nesse caso, procure projetos onde o comprometimento por períodos mais curtos, como quatro ou seis semanas, seja interessante. Um bom exemplo são projetos que visam entregar melhorias em infraestrutura. Em um mês, você pode ajudar bastante na construção de casas ou de sistemas de entrega de água potável.

Trabalho voluntário na Argentina

Outra boa ideia é se envolver com iniciativas que tratam de casos de urgência, como a entrega de suprimentos em zonas afetadas por desastres e contingência de epidemias. Nesses casos, qualquer dia de trabalho que você puder dispor já é de grande ajuda.

villages da servia

Foto: Tennily Pessoa, voluntária na Sérvia

Encontre o projeto que mais combina com você e suas habilidades

O que você sabe e gosta de fazer? Como seus conhecimentos, características e personalidade podem ajudar? Talvez você saiba falar inglês e queira dar aulas de idioma para crianças carentes. Ou, quem sabe, ajudar com aulas de reforço de matemática, ciências, geografia, meio ambiente? Se você for engenheiro, pode ajudar a construir casas baratas e sustentáveis ou um sistema que leve água limpa para determinada comunidade, por exemplo. Se você trabalha com biologia, pode ajudar em projetos de educação ambiental ou mesmo colocar a mão na massa na hora de preservar uma área em perigo. Administradores podem trabalhar com workshops para ajudar os locais a tocarem melhor seus pequenos negócios. Artistas podem ajudar com oficinas ou entretenimento.

Existem milhões de formas de ajudar os outros e, por consequência, o mundo. Não pense que você precisa apenas brincar com crianças, há muito mais a ser feito – e, muitas vezes, são coisas bem mais efetivas. Procure ONGs que tenham projetos na sua área de atuação ou em coisas que você sabe e gosta de fazer. Tenho certeza que a experiência vai ser muito mais proveitosa para todos os envolvidos.

Leia também: Como fazer trabalho voluntário na África do Sul

foto de intercambio na bolivia

Foto: Tatiana Brito, professora de xadrez voluntária na Bolívia

Verifique quem trabalha nessa organização ou luta por essa causa

Escolha projetos onde os estrangeiros são minoria. Organizações que contratam locais estão criando empregos na região e, consequentemente, geram desenvolvimento. Mesmo entre os trabalhadores voluntários, é bom que nativos estejam envolvidos, pois eles têm uma percepção mais profunda das necessidades daquele lugar.

Projetos que contam única e exclusivamente com mão de obra estrangeira são, muitas vezes, mais conectados com a indústria do volunturismo que com as mudanças que pretendem alcançar. O ideal é que você tenha, no mínimo, um líder local acompanhando sua experiência.

Veja uma lista de organizações confiáveis para o seu intercâmbio voluntário

voluntarios you2africa

O plano de ação do projeto está de acordo com as necessidades da comunidade?

Em outras palavras, o plano pretende entregar realmente aquilo que as pessoas ou meio ambiente daquela região precisam? Você pode distribuir balas para crianças pobres por um dia inteiro e se sentir super bem com isso. Mas será que você está realmente ajudando?

Se essas crianças, por exemplo, sofrem com a fome e a desnutrição, talvez fosse melhor montar um plano nutricional, angariar fundos para conseguir comida, participar de um projeto que ajuda a implantar uma horta coletiva ou relacionado a iniciativas de agricultura familiar sustentável. Ajudaria muito mais, certo?  Por isso a importância de ter gente local envolvida. Muitas vezes o que a gente acha que vai ser legal está longe de ser o que os beneficiados precisam.

Qual o objetivo do projeto a longo prazo?

Menino em Hospital na África do Sul

Qual a missão daquele projeto? O que ele pretende deixar como legado? Se o seu projeto for sério e bem estruturado, responder a essas perguntas será tão fácil quanto ler algumas páginas no site da organização. Dê preferência para projetos que se comprometeram com aquela comunidade por um longo período. Isso é sinal de que eles visam alguma transformação maior no futuro.

Jogue o nome da instituição no Google e veja o que já foi falado sobre ela. Algumas vezes, pode ser que você tenha que fazer uma entrevista para ser aceito como voluntário. Aproveite a oportunidade para tirar todas as suas dúvidas.

Veja bem: quando eu digo realmente impactar numa sociedade, eu não estou falando apenas de projetos de longo prazo. Tratar sintomas de urgência também é muito válido. O programa Médicos Sem Fronteiras é um ótimo exemplo disso. Eles não trabalho melhorando a estrutura sanitária dos países para diminuir o risco de epidemias, mas levam tratamento para aqueles que precisam deles, o que é um trabalho maravilhoso. Dar comida para quem tem fome e saúde para quem tem doença são questões urgentes e que não podem esperar, mesmo que o projeto não esteja tratando as causas do problema. Mas perceba a diferença disso para dar bala pra crianças.

Quem são os fundadores da ONG ou projeto no qual você vai voluntariar?

Organizações que recebem estrangeiros para realizar algum tipo de trabalho voluntário no exterior costumam ser de ordem religiosa; um braço de alguma grande organização internacional, como a ONU, a Cruz Vermelha ou o Médicos Sem Fronteiras; ou uma ONG local, criada por pessoas da comunidade.

Em geral, projetos que nascem de baixo para cima, ou seja, idealizados pela própria população, têm mais chances de estarem mais conectados à realidade e às necessidades daquele lugar. Grandes organizações de ajuda internacional também costumam fazer um bom trabalho, já que se baseiam em estudos profundos para delinear um plano de ações. Quando você for escolher um voluntariado, não custa nada entender de onde aquele projeto surgiu.

Crianças na África

Os programas são implementados de forma a desenvolverem uma comunidade sustentável?

Eles são projetados para que, no futuro, o trabalho da organização não seja mais necessário ali? Para que as pessoas beneficiadas por ele construam sua independência de modo a não precisarem mais daquele benefício?

O ideal é que esses programas tenham como objetivo deixar de serem necessários algum dia, mesmo que seja em um futuro muito distante. Um projeto que cria uma comunidade dependente não está comprometido com mudanças reais ou pode estar apenas interessado em explorar o mercado do volunturismo. Um parâmetro legal para avaliar isso é se a instituição se preocupa com a capacitação de mão de obra local para que ela se torne menos dependente de voluntários estrangeiros.

Não espere viajar de graça

Muita gente se choca quando eu digo que paguei para fazer trabalho voluntário no exterior. Existe uma lógica invertida de que você já está abrindo mão do seu tempo, então eles obviamente deveriam ter dar acomodação e comida durante a sua estadia. Você não precisa fazer como eu fiz e ir por uma agência, o que obviamente encarece o processo, mas espere pagar, no mínimo, pela sua própria manutenção no local. Muitas vezes, é preciso também fazer uma doação. Se você quer fazer isso apenas como uma forma de viajar por menos, não faça. Faça porque você quer ajudar os outros.

É verdade que é possível encontrar alguns projetos que ajudam nos custos dos voluntários, mas isso não é, de forma alguma, a regra. Se você for pensar, os projetos que mais precisam de você não vão ter muito como te ajudar. Para entender mais sobre essa questão, não deixe de ler o post Por que pagamos para fazer trabalho voluntário no exterior?

ONG em Moçambique

Foto: MaishAfrica, intercâmbio da Ângela Prestes em Moçambique

Cuidado com programas em orfanatos

Crianças na África do Sul - Trabalho Voluntário

A ideia pode parecer linda: você vai para um orfanato e brinca com as crianças, tornando o dia delas mais divertido e cheio de carinho. No entanto, existem alguns pontos éticos a se considerar aqui.

Quando vários turistas ao redor do mundo pagam agências e vão cuidar de órfãos em países pobres, eles criam um mercado lucrativo, tanto para as empresas quanto para os orfanatos, que recebem doações toda vez que um estrangeiro passa pela porta da frente da instituição. E aí, meus amigos, eu pergunto: qual o produto desse mercado? Isso mesmo, as crianças. E você já sabe o que acontece quanto tem muito dinheiro na parada, não é?

Acredite ou não, algumas instituições pouco confiáveis começaram a “criar órfãos”. Em muitos países, grande parte das crianças nos orfanatos não são, de fato, órfãs. Isso pode acontecer tanto por causa políticas erradas – orfanatos são soluções simples, você joga as crianças lá dentro e pode parar de pensar nelas -, quanto por picaretagem das próprias instituições, que colocam as crianças lá durante o dia para fazer volume para os voluntários estrangeiros. Os pais, muitas vezes em situação de miséria, acham que nesses lugares os filhos terão melhores condições de vida que a que eles podem dar.

Existem casos ainda piores, de agentes que enganaram famílias para fazê-los colocar seus filhos no sistema. Veja aqui um trecho de um artigo sobre o assunto (em inglês).

Menina em Hospital - Trabalho Voluntário áfrica do Sul

Pense sobre a pergunta: por que orfanatos atraem tanta empatia de voluntários e doadores? Porque são lugares tristes. Essa deveria ser a última opção, depois de tentar colocar a criança com outro membro da família, tentar encontrar pais adotivos, ajuda comunitária… o orfanato deve ser a última possibilidade, mas, muito por causa desse tipo de turismo e da má vontade de certos países de encontrarem soluções melhores, até mesmo não órfãos estão sendo jogados dentro desses lugares.

No Camboja, a coisa é tão grave que já tem até uma campanha combatendo esse tipo turismo:

Orphanage Tourism from Regina Rivard on Vimeo.

Em qualquer tipo de trabalho voluntário, pesquisar se a instituição é séria muito importante, mas quando se trata de crianças, isso é essencial. Mas, e se você achar um orfanato de verdade, onde os órfãos realmente não têm família? Aí está ok trabalhar com eles? Bom, nesse caso, depende.

Existem projetos sérios em orfanatos que causam verdadeiro impacto na vida das crianças – principalmente os que tem viés educacional ou que envolvam melhorias na estrutura -, mas não entre em um se não tiver certeza. Brincar, abraçar e ler para uma criança pobre durante algumas semanas pode ser extremamente gratificante para você, mas é pouco efetivo para melhorar a vida delas e pode até piorar a situação. Lembre-se de que você vai embora e a criança vai continuar ali. Ela vai crescer naquela instituição e vai criar laços com os todos os voluntários que chegam e se vão, criando um ciclo eterno de abandono. Leia mais nessa reportagem do The Telegraph (em inglês).

Trabalho Voluntário África do Sul

Mas Naty, não foi isso que você foi fazer na África do Sul? O meu programa tinha uma sutil diferença: era em um hospital, não em um orfanato. A estadia das crianças ali era tão passageira quanto a minha. A maior parte ia voltar para casa e para o convívio dos pais em algumas semanas e teriam contato com, no máximo, dois voluntários. Havia um limite de tempo em que elas podiam ficar ali, elas não estavam crescendo naquela instituição – aquele não era o dia a dia delas, era algo excepcional. Por isso, o ciclo de abandono dos voluntários não se aplicava lá. Eu tentava tornar a estadia delas no hospital menos tediosa e ajudar as enfermeiras nas tarefas diárias e, depois, tanto eu quanto elas, partíamos.

Saiba o que você vai fazer antes de chegar lá

No entanto, existe uma coisa da qual eu me arrependo no meu intercâmbio: não ter um plano de atividades detalhando o que eu iria fazer. Eu poderia ter contribuído muito mais se não tivesse apenas ajudado a fazer as crianças tomarem os remédios e comerem na hora certa (eram poucas enfermeiras e muitas crianças para alimentar). Por mais que elas precisassem de ajuda nessas tarefas diárias, acho que contribuir para tornar o hospital um lugar mais sustentável e implementar mudanças reais seria melhor. Na época em que estava lá, uma voluntária sul-africana estava tentando criar um projeto mais estruturado, onde os voluntários fossem melhor aproveitados. Eu espero que ela tenha conseguido.

Uma coisa que eu aprendi com o meu primeiro trabalho voluntário é que é importante que você saiba exatamente o que você vai fazer. Caso contrário, você corre o risco de ser largada em uma instituição sem ter muita ideia de por onde começar e acabar não fazendo tanto a diferença quanto você gostaria. Um ótimo sinal de que o trabalho é bem estruturado é se eles oferecem um treinamento inicial para os voluntários.

Já no meu segundo trabalho voluntário, eu aprendi que ter um plano de atividades não quer dizer que você vai conseguir cumpri-lo. Muitas vezes, a vontade das ONGs é enorme, mas a realidade é tão diferente que as coisas acabam não passando de ideias. Nesse caso, proatividade é a palavra. Se a instituição for muito precária, você pode criar um plano de ação, montando um planejamento de comunicação, organizando as coisas internamente, ajudando-os a colocar a casa em ordem para receber voluntários no futuro.

Por isso, exija um plano de atividades bem elaborado ou, se for o caso, elabore um você mesmo, buscando implementar melhorias realmente efetivas.

Vonluntariado Internacional

Saiba de onde vem e para onde vai o dinheiro

Como essa organização se sustenta? De onde vem e para onde vai o dinheiro deles? Uma instituição séria possui uma política de transparência e disponibiliza relatórios anuais de suas contas. O projeto é mantido pelo governo? Por doações particulares? Em que eles investem o dinheiro recebido?

Se você vai comprar seu pacote de trabalho voluntário no exterior em uma agência ou com a ONG, saiba exatamente para onde está indo o seu dinheiro. Quanto fica com a agência? Quanto será doado para a instituição? Onde é investido o dinheiro doado? Qual parte do valor vai para sua própria manutenção no local? O que está incluído? Todas essas são perguntas a serem feitas caso você tenha que pagar  pelo programa. Caso alguém tenha problemas em responder, procure outro lugar para investir seu dinheiro.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

121 comentários sobre o texto “Dicas para fazer trabalho voluntário no exterior

  1. Oi Natalia. Tenho um desejo profundo de dedicar meu amor, meu conhecimento e experiência profissional com quem realmente precisa. Sou fisioterapeuta e em todos os links que eu li nunca vi nada na minha profissão. Gostaria de saber de vc, que trabalhou no hospital se é possível eu conseguir me encaixar no processo de reabilitação. Vc viu algo assim lá, Voluntários fisioterpeutas? Se quiser compartilhar essa informação comigo agradeço, pois pretendo ir ano que vem pelo período de 90 dias, mas tenho intenção de fazer uma experiência bastante dedicada e proveitosa. Então quero me organizar. Se puder me auxiliar agradeço de coração. Meu e mail é [email protected]

    1. Olá Vanessa, eu nunca vi nenhuma vaga específica para fisioterapia, mas também nunca realmente procurei. Aqui tem a lista de algumas instituições que você pode entrar em contato: https://www.360meridianos.com/dica/como-encontrar-trabalho-voluntario-no-exterior

      Minha sugestão é que você veja quem tem programas legais na área da saúde entre em contato dizendo que gostaria de oferecer seu serviço como fisioterapeuta.

      Abraços e boa sorte!

  2. Oi Natália, adorei suas dicas e quero saber se pode me auxiliar a encontrar algum tipo de trabalho voluntário onde eu tenha a possibilidade de aprender inglês. Se for trabalho voltado à área de construção civil, melhor ainda!

  3. Eu e a minha namorada gostaríamos de fazer trabalho voluntariado no exterior, inglês básico. Onde podemos ir com hospedagem e alimentação grátis? A passagem a gente está apto a pagar. Queremos trabalhar com crianças e animais, ou fazer os dois trabalhos em sequência. Se possível em um período de tempo maior que 4 meses ou 6 meses.

  4. Natália, eu sou aluna de medicina do 5º ano, e gostaria de fazer um estágio voluntário por 1 mês na área da saúde, não tenho preferência por país, gostaria de ir para um país bem necessitado, e se possível, em algum hospital, gostaria de saber se tem alguma indicação de ONG ou agência, ou qualquer outra instituição para realização desse tipo de estágio.
    Agradeço desde já

  5. NATALIA,
    TENHO 65 ANOS BEM VIVIDOS. FILHOS E NETOS CRIADOS . APOSENTEI BEM GRAÇAS A DEUS.
    GOSTARIA DE CONCLUIR MINHA MISSÃO AJUDANDO A PESSOAS REALMENTE CARENTES.
    NÃO SEI LINGUA NENHUMA. ENTENDO O ESPANHOL E MAU MAU A MINHA , O O PORTUGUES. SE QUIZER ME AVALIAR MELHOR ONDE PODERIA ME ENCAIXAR , ADICIONE MEU NOME NO GOOGLE. TENHO ALGUMAS EXPERIENCIAS DE RELACIONAMENTO COM PESSOAS.
    TENHO VONTADE E DISPONIBILIDADE DE TEMPO. PORQUE TENHO TODO O TEMPO DO MUNDO , ATÉ QUANDO DEUS ASSIM O PERMITIR.
    GOSTARIA DE SUA INDICAÇÃO E ORIENTAÇÃO .

    1. Olá Paulo, a gente não faz o serviço de encaixar as pessoas nos trabalho, tudo o que eu posso fazer é ajudar e dar conselhos de acordo com minha experiência. Você pode ir para países da América do Sul ou para Moçambique, Angola e Cabo Verde, por exemplo, que falam português e o idioma não seria um problema para você. Recomendo que você leia todos os posts nesse link para entender melhor como funcionam os programas e como encontrar um que tenha a ver com você: https://www.360meridianos.com/tag/trabalho-voluntario

      Abraços

      1. Ola , eu fui um empresario na area da contruçao civil bem sucedido , estou reformado e gostaria o resto da minha vida trabalhar com gente pobre na minha area , sou desenhador construtor de profissao , considereme muito novo para estar parado , so domino o Portugues , quero ser voluntario so pertende dormida e alimentaçao Estou ao dispor

        1. Olá Antônio, como eu respondi pra Paulo, eu não faço parte de nenhuma organização nem tenho como encontrar trabalho voluntário para as pessoas que comentam aqui. Acho muito bonita a sua disponibilidade em ajudar. Eu apenas conto para as pessoas como foi a minha experiência. Você pode ir para países da América do Sul ou para Moçambique, Angola e Cabo Verde, por exemplo, que falam português e o idioma não seria um problema para você.

          Aqui nesse link você pode ler mais sobre onde encontrar trabalho voluntário: https://www.360meridianos.com/2014/08/como-encontrar-trabalho-voluntario-no-exterior.html

          Abraços

  6. Natalia,

    Muito obrigada pelo poste , estou em busca de um trabalho voluntário na África, já fui voluntária no Brasil, e muitas das coisas do que você falou eu realmente entendo e concordo, eu que sou uma adulta me apeguei e senti muito falta das crianças dos projetos , imagine eles, eu amo voluntariado , e acredito que eu nem preciso ir pra África ou qualquer lugar do mundo pra começar eu posso começar em qualquer lugar eu posso fazer o mundo melhor aqui onde estou, eu atualmente estou nos EUA o desejo de ir pra África foi depois de assistir alguns documentários , eu realmente me preocupo com o que você disse em relação aos orfanatos, eu quero servir ajudar em algo que não use as crianças ou as pessoas como meio para ganhar dinheiro, eu quero algo sério e comprometido com o bem estar de todos da comunidade, eu estou fazendo minhas pesquisas sobre os melhores lugares, eu sou formada em Gestão de Recursos humanos , mas como diz lá no Ceará sou pau pra toda obra se precisar pra desentupir vaso eu estarei lá com amor se isso tornar a vida das pessoas melhores eu estarei fazendo isso, bom eu preciso de dicas de como verificar o comprometido dos projetos , ainda não achei nenhum se já souber de algum que sério que possa me indicar eu agradeço,

  7. Olá Natália… Recentemente me formei em engenharia sanitária e ambiental e estou buscando me voluntariar levando água potável, tratamento de esgoto e resíduos sólidos para comunidades que necessitam muito, porém não consigo encontrar ONG voltada para minha área. Você conhece alguma? Eu estou naquele gás de querer fazer a mudança sabe… Quero aproveitar isso. Obrigado.

    1. Rafael, seu projeto é muito bacana. Não conheço muito quem pode te ajudar, mas talvez uma ideia pode ser você mesmo montar o projeto e apresentar para ONGs ligadas a desenvolvimento em algum país que você preferir e tentar implementar por maio de financiamento coletivo também. Já pensou nisso? Conheço gente que já fez isso com projetos ligados à educação.

      Abraços

      1. OI BOM DIA NATALIA BECATTINI
        EU ME CHAMO RICARDO TENHO 39 ANOS MORO EM PAULO AFONSO-BAHIA EU IREI CONTAR UM POUCO DE MINHA HISTORIA. EU SEMPRE GOSTEI DE FAZER TRABALHO VOLUNTARIO SE APRENDE ABSTANTE COM AS PESSOAS AQUI EM MINHA CIDADE E MUITO COMPLICADO EU HOJE EM DIA SOU PORTADOR DO HIV FAÇO MEU TRATAMENTO JA TEM MAS DE 07 ANOS MINHA FAMILIA TEM VERGONHA DE MIM TENHO DUAS IRMAS QUE ME CONDENA EU QUERIA PODER FAZER PARTE DE SEU PROJETO AI NO EXTERIOR SOU UMA PESSOA MUITO SIMPLES,HUMILDE E MUITO COMUNICATIVO GOSTO MUITO DE AJUDAR PESSOAS E APRENDER COM ELAS COMO VOCE SABE NADA DESSA VIDA LEVAREMOS SO APENAS SAUDADES,SENTIMENTOS E LEMBRANÇAS CASO VOCE TENHA INTERESSE IREI DEIXAR MEU CONTATO MEU ZAP E 75 98862-0270 MEU EMAIL E [email protected] ESPERO MUITO SEU CONTATO ESTOU DE BRAÇOS ABERTOS PRA AJUDAR A QUEM PRECISA
        ASS: RICARDO

        1. Oi Ricardo, fico muito tocada por sua história, porém acredito que você não entendeu meu texto. Eu não tenho nenhum projeto de voluntariado no exterior para o qual eu possa te levar. Apenas compartilho algum conhecimento que tenho sobre o tema para que as pessoas saibam como fazer caso tenham interesse no tema…

          Abraços e boa sorte!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.