O que fazer em Lençóis (BA), a “capital” da Chapada Diamantina

A magia em torno de Lençóis é conseguir reunir, em uma cidade tão pequena, as melhores características de um lugar rústico e, ao mesmo tempo, vibrante e cosmopolita. E é por isso que não são poucos os que visitam a “capital ” da Chapada Diamantina e não querem mais ir embora.

Capital assim, entre aspas, porque é ali que se concentra a maior parte da infraestrutura turística em torno do Parque Nacional da Chapada Diamantina, incluindo inúmeros hotéis, restaurantes excelentes e agências de viagem. Por tamanha facilidade, Lençóis acaba sendo a base preferida de viajantes de todas as partes do Brasil e do mundo, o que cria a atmosfera multicultural e festeira de dar inveja a muita metrópole por aí.

Veja aqui como alugar um carro na Chapada com o melhor custo/benefício

Onde ficar em Lençóis

O albergue Chapada Hostel, localizado no centrinho da cidade, tem uma avaliação fantástica entre os hóspedes. Com opções de quartos privativos e compartilhados, o local oferece diárias a partir de R$50 por pessoa, assim como o Tropicália Hostel. Hospedagem familiar, acolhedora e com conforto, é o que não falta por ali. Nessa linha, a Casa de Jorge, a Casa Solar Azul e a Cantinho de Lençóis estão entre as favoritas dos viajantes do Booking. Quem prefere algo mais sofisticado pode dar uma olhada na Pousada Vila Serrano.

Encontrar hotéis em Lençóis

Lençóis: passeios dentro da cidade

Centro histórico

Foto: Shutterstock, por Raphael Comber Sales

Embora pequeno, o Centro Histórico de Lençóis concentra a maior parte dos hotéis e restaurantes da região, muitos deles localizados nos casarios do século 19. Hoje tombados pelo Iphan, são herança da época em que a extração de diamantes fez a riqueza local. Como a maior parte das pessoas passa o dia nas cachoeiras, é no fim de tarde e início da noite que as ruas da cidade começam a ferver.

Grande parte do agito fica em torno das ruas das Pedras e da Baderna, que formam um centrinho cheio de bares e restaurantes. Subindo a Av. Sete de Setembro você dá de cara com a Praça do Coreto, que também costuma encher em datas comemorativas, com shows e festas abertas ao público.

Entre os edifícios históricos, se destacam o Mercado Cultural (Praça Nagô), um testemunho do comércio de trabalhadores escravos que eram usados na região, a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja do Senhor dos Passos e a residência da Família Sá, na Praça do Coreto, e que hoje foi transformada em sede da Prefeitura de Lençóis.

Há um único Banco do Brasil em Lençóis, localizada na Rua das Pedras, próxima aos Correios. O ideal é que você chegue na cidade com algum dinheiro em espécie, já que não é raro que os caixas eletrônicos da agência fiquem desabastecidos. Isso costuma acontecer, em especial, em feriados e durante a alta temporada.

Parque Municipal da Muritiba (Serrano)

A entrada do Parque fica dentro da cidade, o que faz dele uma excelente opção para o primeiro dia ou para quem quer um passeio mais tranquilo, sem gastar tanto as pernas. Lá dentro, a primeira parada é o Serrano, um conjunto de poços com hidromassagem natural. Dali, dá pra seguir para as demais atrações: as belas formações rochosas do Salão de Areias Coloridas, o Poço Halley e a Cachoeira da Primavera. Ali foi encontrado o primeiro diamante da cidade.

A trilha tem, no total, 4,5 quilômetros, ida e volta. Quem encará-la por completo pode contratar um guia na portaria, já que há pouquíssima sinalização pelo caminho. O nível de dificuldade é baixo e dá para completar o percurso em três ou quatro horas. O trecho final dá acesso a um bonito mirante. A entrada no parque é gratuita.

Poços Serrano no Parque da Muritiba

Ribeirão de Baixo, do Meio e de Cima

O Ribeirão do Meio não está exatamente dentro de Lençóis, mas a 3,5 quilômetros de caminhada a partir do centro da cidade e faz parte de um conjunto de quedas d’água do Rio Ribeirão, juntamente com o Ribeirão de Cima e o Ribeirão de Baixo. O Ribeirão do Meio é a mais frequentada delas, e tudo por causa da formação da cachoeira, que por sua pequena inclinação permite que os banhistas escorreguem por ela, como em um tobogã natural. No entanto, a quantidade de banhistas e de ambulantes no local pode irritar quem prefere um ambiente mais recluso em meio à natureza.

Nesse caso, o jeito é enfrentar a curta trilha até o Ribeirão de Cima. Pela facilidade da caminhada, é possível terminá-la em um passeio de meio-dia, sem necessidade de guia, a menos que você esteja sozinho. Também é uma boa ideia combinar a visita com a trilha para a Cachoeira do Sossego, embora o nível de dificuldade até lá aumente bastante.

Quem quiser algo mais pertinho pode visitar o Ribeirão de Baixo, esse sim dentro da cidade e com fácil acesso de carro – e que também não costuma estar tão cheio quanto o Ribeirão do Meio.

Principais atrações ao redor de Lençóis

As agências e guias locais costumam montar roteiros com duas ou três atrações por percurso. O custo dos passeios fica em torno de R$ 200, refeições e taxas de entrada inclusas.

Morro do Pai Inácio

Morro do Pai Inácio em dia de Neblina

Diz a lenda que Inácio, escravo de uma das fazendas da região, se apaixonou pela filha do Coronel. Quando o caso de amor foi descoberto, o Coronel colocou sua cabeça a prêmio. Perseguido pelas capangas da fazenda, ele subiu com agilidade o Morro que hoje leva seu nome e, encurralado, pulou lá de cima. Os capangas então voltaram para a fazenda dizendo que ele estava morto. Inácio, no entanto, havia pulado sobre uma pedra que se sobressaia da rocha poucos metros abaixo do topo e conseguiu se esconder. Algumas versões mais mirabolantes dizem que ele pulou de guarda-chuvas aberto, mas o fato é que Inácio conseguiu sobreviver e voltou para buscar sua amada.

Hoje, o local é o principal cartão-postal da Chapada Diamantina e está a 26 quilômetros do centro de Lençóis, no município de Palmeiras. Com 1.120 metros de altitude, oferece uma bela vista lá do Monte do Camelo, o Morrão e os Três Irmãos. Não é à toa que esse é o passeio favorito de muita gente. Prefira fazer a visita em um dia claro, de boa visibilidade, para aproveitar a vista, embora as condições climáticas por ali mudem bastante e seja difícil prever como vai estar o céu na hora da sua visita. As agências costumam incluir no pacote uma parada na Gruta da Lapa Doce e a piscina natural da Pratinha com a Gruta Azul.

Cachoeira da Fumaça

Com 380 metros de altura, a Cachoeira da Fumaça é a mais alta do Brasil. São seis quilômetros de caminhada na trilha que leva até o topo, mas quem fez garante: a experiência de estar lá em cima compensa qualquer esforço de subida, considerada a trilha desgastante da Chapada, em especial nos dois primeiros quilômetros. Ao chegar lá, você é recompensado com os imponentes paredões rochosos em meio ao verde.

A Fumaça fica a 75 quilômetros de Lençóis, também no município de Palmeiras, ou o famoso Vale do Capão.

Cachoeira do Mosquito

Cachoeira na Chapada Diamantina

A cachoeira fica dentro de uma fazenda a cerca de 40 quilômetros de Lençóis. A trilha até ela é fácil, já que o poço fica no fim de um lance de escadas colocado ali pelos donos do terreno. O nome não é por causa dos insetos, mas pelos pequenos diamantes que encontraram ali.

O passeio até a Cachoeira do Mosquito é vendido junto com a visita ao Poço do Diabo e Mucugezinho. Essa é também uma opção de passeio para fazer sem guia, caso você esteja de carro.

Fazenda Pratinha

O complexo de ecoturismo (Rodovia BA -122) conta com tirolesa, praia fluvial e a Gruta Azul, grande atração dali, que tem a água de um azul impossível de tão transparente. Dá pra fazer snorkel para ver de perto os peixinhos coloridos e as formações rochosas, e fotografia subaquática por uma taxa extra (R$ 20 cada atividade). Depois, relaxe e tome uma cerveja no bar na beira da água. Esse é outro passeio para fazer sem guia, se você estiver de carro. Evite fins de semana e feriados e vá para passar o dia.

Poço Azul e Poço Encantado

Poço Azul na Chapada Diamantina

Dentro dessas grutas há poços de água cristalina e de um peculiar tom de azul royal. O fenômeno é causado pela presença de minerais e a incidência da luz do sol. No Poço Encantado é proibido nadar, já no Poço Azul a experiência de flutuar em meio aquelas águas é inesquecível.

Poço do Diabo e Rio Mucugezinho

Poço do Diabo na Chapada Diamantina

A trilha, que começa em um restaurante, passa pelo leito do Rio Mucugezinho e termina no Poço do Diabo, um dos locais de banho mais apreciados da região, a 20 quilômetros de Lençóis. É de dificuldade baixa, o mergulho no poço é refrescante e a cachoeira, de mesmo nome, rende fotos lindas. O acesso é pela BR-242 (direção Seabra), km 22.

Gruta Lapa Doce

Localizada no município de Irariquara, a Gruta da Lapa Doce é parte de um complexo de 42 quilômetros de cavernas subterrâneas. O passeio turístico percorre uma pequena parte desse complexo, descendo 72 metros debaixo da terra por um caminho repleto de formações rochosas curiosas e, algumas vezes, extremamente raras. São centenas de estalactites, estalagmites, colunas e cortinas formadas por minerais como o calcário e a sílica. Em determinado momento, o guia solicita que todos desliguem as luzes das lanternas para que experimentem a mais completa escuridão.

A entrada inclui o serviço de um guia especializado no complexo, que dá informações sobre a gruta, auxilia na descida e cuida da preservação do local.

Vale do Pati

Mirante no Cachoeirão no Vale do PAti

Considerado o trekking mais bonito do país, o Vale do Pati é um roteio de três a cinco dias de total imersão na natureza. A caminhada passa por locais como o Cachoeirão, o Mirante do Pati e o Morro do Castelo, algumas das formações mais bonitas de toda Chapada. A pernoite é feita nas casas de moradores rurais, o que proporciona uma enorme troca cultural com as famílias que habitam o vale há séculos. Uma aventura inesquecível no coração do Brasil.

Leia mais: Vale do Pati – Tudo sobre o trekking mais cênico do país

Onde comer em Lençóis: dicas dos melhores restaurantes

Lençóis, capital da Chapada Diamantina

O quadrado entre a Rua das Pedras, Miguel Calmon e 7 de Setembro concentra a maior parte dos restaurantes de Lençóis

Quilombola

 Rua das Pedras, 89

A indicação unânime quando eu perguntei onde provar comida típica da Chapada foi o Quilombola. O cardápio inclui escondidinho, carne do sol, moquecas e o Apanhari frito, mas a escolha mesmo foi o Godó de Banana, um picadinho de carne com banana da terra que é uma das principais tradições culinárias da região.

Café do Mato

R. Miguel Calmon, 50 

Crepes, massas frescas e molhos artesanais, sempre com um toque regional e produtos típicos da Bahia. Não deixe de provar também os cafés especiais produzidos na Chapada e preparados ali por baristas de primeira.

Ba-kana

Rua das Pedras

Ambiente agradável, música ao vivo e cerveja gelada pra quem chega morrendo de sede das trilhas. Aproveite a deliciosa feijoada aos domingos.

Jerimum

R. Miguel Calmon, 4

Outra opção de primeira para quem quer provar a gastronomia típica da Chapada. O prato que enche os olhos aqui é a abóbora recheada, mas o cardápio é bastante variado. Boas opções também para vegetarianos. Não deixe de provar a sobremesa de cocada com sorvete de creme.

Bavarois Café e Confeitaria

R. Miguel Calmon, 109

Sentiu falta de uma comida afetiva? O Bavarois se orgulha de ter os melhores hambúrgueres gourmet da cidade, sem deixar de lado aquele toque regional. A casa também serve sorvetes e doces irresistíveis.

Garimpo Café

Rua Almirante Barroso

Bolos, cuscus, tapiocas, crepes e sucos diversos. O Garimpo é conhecido por ali por servir o melhor café da manhã (ou da tarde) de Lençóis, com preços convidativos.

A Toca Bar

Praça Horácio de Matos

As minhas noites em Lençóis sempre terminavam ali. O bar, que pertence a um hostel, tem uma programação musical diferente, cerveja gelada e um público fiel que sempre passa para ver o que vai rolar.

Salve essas dicas no seu board do Pinterest:

capa pinterest lençóis na chapada diamantina cachoeira


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comentários sobre o texto “O que fazer em Lençóis (BA), a “capital” da Chapada Diamantina

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.