O que fazer em Munique em um dia: roteiro a pé pelo centro

Nossa visita a Munique teve um motivo muito especial: a Oktoberfest. Era sonho dos três autores deste blog conhecer um dos festivais mais famosos do mundo, que celebra a cerveja de boa qualidade e reúne gente de todo tipo vestidos com roupas típicas da Bavária. Mas antes de falar da festa, criamos esse guia sobre o que fazer em Munique em um dia. Afinal, nem tudo se resume a cerveja e a capital da Bavária tem muito a oferecer.

Mesmo que você não vá participar da Oktoberfest, é uma boa ideia concentrar sua visita aos pontos turísticos dentro da cidade e montar uma roteiro de um dia em Munique. Assim, você pode aproveitar os demais dias da viagem para visitar as atrações ao redor de Munique, que são pra lá de interessantes. Ali perto fica o Campo de Concentração de Dachau, o primeiro campo do regime nazista e que serviu de modelo para os vários outros que se espalharam pelo país. Para amenizar o passeio pesado, também dá para fazer um bate-volta ao Castelo de Neuschwanstein, conhecido por ter inspirado Walt Disney a criar o castelo da Cinderela.

Veja também:
Onde ficar em Munique
Todas as dicas para participar da Oktoberfest em Munique

Quem quiser visitar a cidade acompanhado de um guia que fale português, recomendamos o serviço de Mário Dal Pra, profissional de turismo brasileiro que mora lá há anos.

O que fazer em Munique em um dia

Vista aérea do centro de Munique. Foto: Shutterstock, S-F

Onde ficar em Munique: como escolher sua hospedagem

Munique é dividida em 25 distritos, sendo o 1 o mais central. Para escolher uma hospedagem perto das atrações, basta focar as buscar nos bairros localizados dentro dos primeiros distritos. As vizinhanças de Altstadt, Hauptbahnhof, Theresienwiese e Au-Haidhausen são bem localizadas e bem servidas de transporte público, estando entre as melhores localizações da cidade.

Os preços costumam ser altos, mesmo fora de época. Por isso, se você for para a Oktoberfest, prepare-se para fazer sua reserva meses antes ou ficar até mesmo fora da cidade, na região metropolitana de Munique, como Rosenheim, a 65 quilômetros, e Augsburg, a 60 km. Com o excelente sistema de trens alemão, esse não chega a ser um problema.

Encontre hotéis em Munique

O que fazer em Munique em um dia: roteiro a pé

Um bom lugar para começar seu roteiro de um dia em Munique é a Marienplatz, uma praça bem no centro da cidade. De cara, ao sair do metrô, você vai ver o prédio da Prefeitura (Neues Rathaus), construção de estilo gótico e que tem um relógio especial – no alto da torre, em horários específicos, quando o relógio toca os bonequinhos dançam. Anote aí os horários do show: às 11h, 12h e 17h. Também dá para subir na torre da prefeitura e ver a vista da cidade. Do outro lado da praça está o prédio antigo da prefeitura (Altes Rathaus), que foi totalmente destruído na Segunda Guerra Mundial e reconstruído depois.

Seguindo a praça, você passa pela Igreja de São Pedro (Peterskirche), a mais antiga da cidade, construída em 1158. A torre tem a vista considerada a mais bonita de Munique. Os horários de abertura variam de acordo com as estações do ano.

 O que fazer em Munique em um dia: visitar um beer hall  O que fazer em Munique em um dia: visitar um biergarten

O que fazer em Munique em um dia: visitar o salão da cervejaria Hofbräu e um dos muitos biergartens da cidade

Seguindo atrás da Igreja, você chega ao Viktualienmarkt, uma praça cheia de barraquinhas com comidas típicas, flores e frutas. Por ali você também encontra um biergarten bem movimentado. Antes que você me pergunte o que diabos é biergarten, trata-se de um “jardim da cerveja”, onde os moradores se reúnem ao redor de mesas públicas para beber e ver a vida passar. Eles estão por toda a Alemanha e, quando o tempo sorri, ficam lotados.

De lá seguimos para a Frauenkirche, a Catedral de Munique, uma igreja de duas torres e um dos símbolos da cidade. Construída no século 15, o prédio tem um pé direito tão enorme que surpreende. Logo na entrada há uma pegada no chão. Reza a lenda que é uma pegada do próprio diabo (Teufelsschritt), que foi lá para conhecer o prédio. Com o objetivo de derrubá-lo, direcionou o vento contra a igreja, mas não teve muito sucesso – dizem que é possível ouvir o vento convocado pelo diabo circulando por lá até hoje.

Por fim, visitamos a Odeonsplatz, uma praça imponente onde você encontra construções históricas como o Feldherrnhalle, construído em homenagem ao exército da Bavária. A construção em arcos reúne estátuas de bronze de alguns generais e dois famosos leões rosnando. Um deles em direção à igreja Theatinerkirche, que tem uma fachada de coloração bem amarela e foi construída em estilo barroco, no século 17. O outro está em direção à Residenz, um palácio construído em 1385 e que serviu de residência para a dinastia que governou a Bavária até 1918. Ali hoje você encontra galerias e salas de concerto importantes.

Quando a fome bater é hora de conhecer outro ponto turístico muito importante de Munique: a cervejaria Hofbräuhaus. Em Munique, existem seis cervejarias que mantêm grandes salões de cerveja, os chamados beer halls. A Hofbräu é uma das mais tradicionais em todo o país, fundada em 1589. Além de beber uma cerveja deliciosa, almoçamos por ali, – comemos um mix de diferentes tipos de salsichas típicas da Bavária, acompanhadas de chucrute.

Roupas tradicionais da Bavária em Munique

Pessoas com a roupa tradicional da Bavária. Foto: Shutterstock, por S-F

O que fazer em Munique se você tem mais tempo

Caso você tenha mais dias há muito mais o que fazer em Munique.  lugares que entraram para uma listinha para a próxima visita à cidade:

Englischer Garten: Um parque enorme, maior que o Central Park, em Nova York, e com um atrativo ainda mais legal: biergartens. Por ali, no verão e primavera, é o point onde você vai encontrar gente de todos os tipos e nacionalidades, que se reúnem se em torno das mesas de madeira para beber cerveja e fazer um piquenique. Segundo o nosso anfitrião do Couchsurfing, um brasileiro que mora lá, no verão o pessoal costuma frequentar os biergartens vestidos com as roupas tradicionais bávaras – sim, as mesmas que são usadas na Oktoberfest.

Schloss Nymphenburg: Um palácio de estilo barroco, construído em 1664, que servia de residência para os reis da Bavária. Além do prédio clássico, também é possível visitar os jardins que o cercam e alguns museus que ficam no complexo.

Deutsches Museum: O Museu Alemão é enorme e tem mais de 100 anos. Seu acervo é dedicado à tecnologia e história natural. Além dele, Munique tem outros 61 museus, que vão de arte de todas as épocas à carros. Afinal, essa é também a casa da BMW.

Olympiapark: Esse parque foi montado para as Olimpíadas de 1972, mas não se transformou num elefante branco. Muito pelo contrário, a área é utilizada para eventos até hoje. Ali fica o Estádio Olímpico (mas não confunda com a Allianz Arena, estádio do FC Bayern München e um dos palcos da Copa do Mundo de 2006). As piscinas olímpicas são abertas ao público. De lá, rolam vistas bem bonitas da cidade.

Celebrar a cultura da cerveja: São seis cervejarias na cidade: Augustiner, Hacker-Pschorr, Hofbräu, Löwenbräu, Paulaner, Spaten-Franzi. Vale a pena procurar os beer halls e fazer visitas às fábricas. O pessoal do Sundaycooks fala de alguns desses tours.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

18 comentários sobre o texto “O que fazer em Munique em um dia: roteiro a pé pelo centro

  1. Olá Luiza!
    Acompanho o blog a bastante tempo e sempre me ajuda tanto nas viagens! <3
    Nesse nosso segundo mochilão a principio vamos fazer Berlim-Praga-Viena-Munich-Interlaken e Grindelwald nos alpes suiços e volta por Zurich (porque achamos passagem barata voltando por lá hehe.

    A questão é que coincidentemente chegaremos em Munique no primeiro dia da Oktoberfest :O
    A cidade ficará (ainda mais) cara. Não era nosso plano, mas foi o bateu certinho pelas passagens que já estão compradas porque conseguimos um ótimo preço.

    A pergunta: pulo Muniue e faço tipo Viena-Salzburg-Interlaken ou vale a pena a bagunça? haha
    Somos um casal tranquilo que nem bebe direito :/ haha

    Muito obrigado <3

    1. Oi Rafael, tudo bem?

      Eu acredito que vale a pena abraçar o festival. Primeiro pq a festa é só num lugar específico da cidade, então o resto ainda dá para visitar tranquilamente. Segundo porque é uma oportunidade única e vocês já vão estar lá mesmo… nem é por beber não, vocês podem só passear pelos pavilhões.

      Ao mesmo tempo, não conheço Salzburg, mas só ouvi coisas boas sobre a cidade.

  2. Gostei, Luiza de tudo boa dicas estou indo para munique eBerlim 5 dias Tu tens um guia para me indicar ….alguem estudando em Berlim claro os valores a gente acerta ..Parabéns ..grato Dilma.

  3. Primeiro, parabens pelo post, sucinto e completo ao mesmo tempo.

    Se possível gostaria de tirar algumas dúvidas, estou indo com dois amigos para a oktober deste ano, provavelmente chegaremos na tarde do dia 29 de setembro, qual a dica vc me dá? Pelo que li dia 29 esquecer a oktober, parque já vai estar lotado e ainda tem check-in no hotel, então, o que fazer? Acha que vale a pena pegar o tour pelas cervejarias e beber até esvair nelas? kkkk

    Nossa viagem é em busca de cervejas, temos uma meta de ficar apenas 3 dias em munique e seguir para viena, pilsen, salzburgo, praga, dresten, berlin, amsterdam e bruxelas… O que acha? Devemos reduzir e aproveitar mais alguns lugares?

    Me assustei também com os valores de Munique, rs, ir no intuito de beber muita cerveja, rs

    De novo, parabens, todas as dicas que li até então foram muito boas e já estou seguindo vcs no insta.

    1. Oi Filype,

      Bom, vocês podem arriscar. Talvez alguma das tendas ainda tenham vaga do lado de fora, mas o ideal da Oktober para conseguir lugar é ir de manhã. Eu não sei se eu pegaria o tour das cervejarias. Vale mais a pena fazer isso por conta própria. Eu sempre acho que esses tours você não tem tempo suficiente de sentar e beber tranquilo, no seu tempo e ir em cada uma por conta própria.

      Se a meta de vocês é cerveja, eu cortaria Viena. A cidade é linda, mas é cara e tem uma vibe bem mais museus do que bares. Budapeste pode ser mais interessante, ou dedicar mais dicas as outras cidades da própria lista.

      No mais, dicas de onde beber em Bruxelas: https://www.360meridianos.com/2016/04/cerveja-belga-pubs-e-cafes-para-conhecer-em-bruxelas.html
      bjs

  4. Olá Luiza, primeiramente gostaria de parabenizar e agradecer por vocês atualizarem sempre este site. É meu guia para o primeiro mochilão na Europa.

    Queria uma opinião sincera, estou entre Berlim e Munique, e não, não tem como vistar as duas, pelo menos dessa vez, ou seja, qual seria a sua indicação como destino? Antes da sua resposta, digo que vou eu e mais dois amigos e estamos a procura de conhecer a cidade, é claro, e sair para bares, boates, etc….curtir a noite mesmo.

    abçs

  5. Excelente post! Bastante prático e sem os “mimimi’s” de guias de viagem. Tô indo em setembro pra Munique e esse post foi muito útil. Também gostei das informações sobre onde comprar as roupas típicas da bavária.
    Parabéns e obrigado por compartilhar a experiência!

  6. Antes de tudo, meus parabéns pelo site! Encontrei-o por acaso em uma busca e fico feliz que existem outras pessoas com “wanderlust” (palavra em alemão para aqueles que gostam de perambular por outros lugares e países!).

    Fui a Munique em julho passado e posso dizer que a cidade superou as minhas (já) boas expectativas em todos os aspectos. A organização, a segurança em qualquer horário e o transporte altamente eficiente. Foi durante um mês lá que consegui perceber o quanto eles vivem de maneira equalitária (não há na cidade disparidade alguma entre os bairros ou sequer bairros marginalizados) e que isso resulta em uma sociedade mais justa e melhor pra se viver.

    Os arredores da cidade são maravilhosos e se perder lá é encher os olhos de coisas agradáveis. Recomendo a qualquer pessoa que deseja ir a Alemanha passar por lá e sentir um pouquinho da espontaneidade dos bávaros, festejando e jogando conversa fora com aquelas canecas gigantes de cerveja! 🙂

    1. Oi Martha,

      Tive uma impressão parecida nos meus dias em Munique. Torço para que um dia o Brasil fique assim.

      E quero volta a Munique e conhecer melhor a cidade.

      bjs

  7. Oi, Luíza 🙂

    Obrigada por indicar o Sundaycooks. Fico contente por saber que vocês gostaram de Munique. A cidade é realmente uma gracinha 😀 Mas fiquem tranquilos, oportunidades para voltar e conhecer os outros pontos interessantes da região, não vão faltar 😉

  8. Adoro Munique!! Pena que não tiveram tanto tempo pq o Nymphenburg é lindo demais!! Eu já passei quase 1 mês por lá, em 2 viagens, uma no inverno e outra no verão e não dei conta de fazer tudo que queria…

    1. Ei Fernanda,

      Pena mesmo, mas como Munique entrou na minha lista de cidades para voltar sempre, boto fé que vou conhecer o que falta em breve!

      bjs

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.