Roteiro para uma viagem de 15 dias pela França

Todo mundo ama Paris. A capital da França é uma das cidades mais visitadas e adoradas do mundo, com suas construções charmosas, cafés românticos e ruazinhas fotogênicas. E, claro, ainda tem a Torre, o Sena, os cenários de cinema que fazem com que a cidade ocupe um lugar especial nas listas de lugares para se ver antes de morrer. Mas a França é muito mais que Paris.

É uma pena que o charme do interior acabe ofuscado pelas luzes da capital. Mas, conforme a estrela do país vai se tornando uma velha conhecida dos viajantes, cresce o interesse em deixar Paris por mais tempo que uma daytrip pelo Vale do Loire.

Em 2013, eu tive a oportunidade de conhecer esse lado diferente da França. Um lado mais rural, nada comparado à cosmopolita Paris, mas tão incrível quanto. Ao descobrir diferentes regiões da França, percebi como um país do tamanho de Minas Gerais pode abrigar diferentes culturas, tradições gastronômicas, paisagens e histórias. E é esse roteiro que proponho para vocês.

Roteiro de 15 dias pela França

Todo esse roteiro foi pensado para ser feito de trem. As rotas são viáveis para esse tipo de transporte, mas também pode ser feito de carro, se você preferir. Se for de trem mesmo, aconselho comprar as passagens com antecedência para encontrar as melhores tarifas. Leia sobre como viajar de trem pela Europa. Se você quiser pesquisar qual a melhor forma de viajar (ônibus ou trem e avião), dá uma olhada nesse post com dicas de como pesquisar qual forma de transporte mais barata na Europa.

Paris – Para facilitar a vida de quem chega de avião, Paris é o ponto inicial da viagem. Se você for entrar na França de outra forma ou desembarcar em outra cidade, pode escolher um ponto de partida diferente. A ordem dos fatores não altera o produto, afinal. Em quatro dias você consegue ter uma visão geral da cidade e conhecer os principais pontos turísticos.

Se você já é íntimo de Paris, pode escolher nem ficar por lá ou aproveitar o clima agradável da cidade fazendo programas menos turistões. Quando eu fiz esse roteiro, dormi apenas uma noite na cidade e parti no início da tarde do segundo dia. Sacrilégio? Não acho. Eu já conhecia Paris de outros carnavais. Você pode gastar esse tempo para ir a outro lugar que te interesse. Questão de escolha.

Torre Eiffel, em Paris

Lyon – No início do quinto dia, siga pra Lyon. Os trens para lá saem da Gare de Lyon e o trajeto dura em torno de duas horas. Por isso, o legal é você conseguir sair cedo de Paris para aproveitar o dia. Lyon é cheia de histórias, passagens secretas, ruínas romanas e ruas medievais. Já ouvi muitas vezes, e concordo até certo ponto, que a cidade é até mais legal que a própria Paris. Quer saber por que? Aqui estão todas as nossas dicas sobre Lyon. Fique por lá três dias.

Onde ficar em Lyon

Lyon, França

Sète – Sète é uma escolha pouco usual no roteiro. Conhecida como a Veneza do Languedoc, a cidade não tem grande apelo entre turistas estrangeiros, apesar de ser um balneário famoso entre os franceses. E é por isso que ela está aqui. Sendo a cidade menos badalada de todo o roteiro, você vai poder experimentar a França sem as hordas de turistas.

Além disso, vai ser um baita contraste chegar em uma cidadezinha pacata depois de visitar as duas cidades mais importantes do país. E o que tem por lá? Praias legais, comida da boa, vinhos, canais, povo amigável, casas e restaurantes charmosos. Aconselho contratar um guia turístico para um tour na cidade antes de se deitar nas espreguiçadeiras e relaxar com uma boa taça de vinho branco (especialidade da região) na mão.

Para chegar lá, você precisa fazer uma baldeação de trem, descendo em Montpellier (a duas horas de Lyon) e depois pegando outro trem para uma viagem de menos de 30 minutos até Sète. Fique dois dias e três noites. Leia aqui nossas dicas para a cidade.

Sète, França - Laguedoc

Carcassonne – Na manhã do terceiro dia em Sète, vá a estação de trem da cidade e siga para Carcassonne. A viagem dura pouco mais de uma hora. Carcassonne é uma cidade murada do século 13 que vai te fazer sentir dentro de um conto de fadas. Em geral, os turistas costumam passar apenas um dia ali, chegando cedo e seguindo viagem no fim da tarde.

Eu, no entanto, aconselho ficar pelo menos dois dias para que você tenha tempo de explorar a fortaleza e a bastide, vila que cresceu aos pés da cidade murada, conhecer algumas igrejas antigas, fazer um cruzeiro no canal de midi e alugar uma bicicleta para explorar a região. Além disso, a cidade murada toda iluminada durante a noite é uma visão e tanto. Ah, e não se esqueça de provar o cassoulet, prato típico da região. Quer saber mais? Clique aqui.

Carcassonne, França

Biarritz – Da estação de Carcassonne, siga para Bourdeaux (o nome da estação é Bordeaux Saint-Jean, três horas de viagem). De lá, você vai pegar o trem para Biarritz (mais duas horas de viagem). Ao desembarcar, você estará no País Basco. A cidade já foi considerada tanto balneário de luxo quanto a capital europeia do surf e oferece opções para os dois estilos de viagem.

Possui construções lindíssimas e uma cultura totalmente diferente do que você viu até aqui. Passe lá os quatro últimos dias da sua viagem, aproveitando para fazer um bate-volta a San Sebastian, cidade basca no lado espanhol, e também um passeio pelas charmosas vilas bascas no entorno da cidade. Mais sobre Biarritz.
biarritz-franca

Biarritz, França

Leia também o post sobre um roteiro pela região da Alsácia e a rota do vinho

Variações no roteiro de 15 dias pela França

Esse roteiro pode ser feito em menos dias, se você quiser. No entanto, resolvi distribuir os destinos de uma forma que não fique muito cansativo ou corrido. Se você tiver mais tempo, pode continuar o roteiro a partir de Biarritz ou acrescentar cidades no caminho.

sete-franca-canais

Um roteiro alternativo a esse envolveria retirar Sète e incluir Nice ou Toulon no lugar, se você quiser ter um gostinho da Riviera Francesa. Marselha também é uma escolha que se encaixaria ali. Essas trocas, no entanto, poderiam aumentar os tempos de deslocamento para esses trechos. Caso você escolha Toulon ou Nice, será preciso fazer uma baldeação em Marselha antes de seguir para Carcassonne (três horas de viagem).

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países e importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

52 comentários sobre o texto “Roteiro para uma viagem de 15 dias pela França

  1. Achei ótimo o blog. Eu tenho atualmente 76 anos e gosto de viajar. A cada ano eu e minha esposa vamos para algum lugar diferente. Fizemos uma visita maravilhosa a Paris – daquelas em que tudo da absolutamente certo. Ja fomos a NY e Washington, Visitamos Roma – cidade que adoramos, Florença, e cidades do norte da Itália, inclusive, é claro, Veneza. Fomos a Viena e a Londres. Eu sozinho já visitei Lille, o fronteira da Belgica com a França, e algumas cidades da Alemanha Nesses casos, não foi turismo e sim trabalho. Agora estamos começando o planejamento de uma viagem de 15 dias na Europa. As alternativas parecem infinitas. O que você sugere?

  2. Olá, obrigado pelo artigo. Muito útil. Sou estudante universitário, e vou juntar dinheiro pra poder viajar ano que vem. Quanto em média você diria que da pra viajar? Talvez R$ 12.000 seja suficiente?

    1. Hoje em dia 12.000 reais dá, aproximadamente, 2.800 euros. Se isso vai dar ou não depende do tempo e do seu estilo de viagem. Em uma viagem de 15, dias, como a do post, daria 186 euros por dia (excluindo passagens), o que é uma pequena fortuna e dá tranquilamente.

  3. Olá Natália, boa tarde,
    Moro em Recife e pretendo viajar com mais 3 pessoas para a Europa entre os dias 01 e 15 de novembro deste ano.
    Seremos 4 pessoas no grupo.
    A idéia é seguirmos direto para Frankfurt pela Condor e de lá seguirmos imediatamente por trem para a França.
    Que cidades da França (Norte e Centro, pois não pretendemos ir ao sul), você sugere para que possamos incluir no Roteiro?
    O nosso voo de retorno para Recife será também por Frankfurt.
    Agradeço sua prestimosa atenção.

  4. Oi Natália, estou montando meu roteiro para viajar em junho pelo interior da França e adorei seu relato e posts, mas a duvida fica que seu roteiro termina em Biarritz com os 15 dias de viagem, então como e por onde retornar, como vc fez?
    Te aguardo. Bjs

  5. Olá Natália, estou planejando ir para a França em Dezembro de 2018, acha uma boa época para ir? Gostaria de ficar 15 dias lá. Se pudesse me dar umas dicas adoraria ! Adorei sua proposta de viagem !

  6. Boa noite, estou programando uma viagem para a França em 2018 e queria aproveitar para conhecer Auschwitz e Amsterdam, mas confesso que estou muito perdida em montar um roteiro que que encaixe Auschwitz, também vou a Lyon rsrs. Você poderia me dar alguma sugestão? Desde de já agradeço pela atenção.

    1. Olá Fabiana, para conhecer Auschwitz o melhor é incluir uns dias na Cracóvia. Você pode fazer França – Amsterdam – Cracóvia e se locomover de trem ou avião entre países…

      Abraços!

  7. Boa noite!!
    Primeiramente, parabéns pelo site!
    Eu, minha esposa e nossa filha de 8 anos, chegaremos em Paris no dia 25 de janeiro de 2018.
    De lá, de carro, iremos para o Monte Saint Michel, onde dormiremos.
    No dia seguinte, partimos para Bruxelas com uma pequena parada em Bruges.
    Dormiremos em Bruxelas e no dia seguinte, esticaremos até Amsterdã, retornando depois de um dia, para Paris onde ficaremos até o dia 02 de fevereiro.
    Vocês tem alguma sugestão, de cidades nestes percursos para serem visitadas, mesmo que rapidamente?
    Alguma sugestão, em função da época, inverno?
    Muito obrigado

  8. Nat, da França é possível conhecer quais outros países de trem, você sabe me dizer? Eu não conheço nada da Europa e está nos meus planos…

    1. Ei Josie, tudo bom?

      da França dá para conhecer quase que a Europa inteira de trem hahah depende do tempo que você tem e de quanto tempo de viagem quer encarar, se quer trens diretos ou topa fazer baldeações, etc. Como o pessoal falou ai, a Bélgica e Amsterdam são boas opções para visitar desde a França, mas dá para ir para outros lugares também…

      Abraços

  9. Estamos começando nossa busca por dicas para viajar ano que vem. Esperamos fazer o melhor roteiro econômico pois queremos aproveitar ao máximo. Gostamos da dica da trilha também.

  10. Olá, Natália! Em primeiro lugar, parabéns pelo post. Pretendo viajar para a França ano que vem e esse roteiro me parece muito interessante. Só tenho algumas dúvidas: Para quem vai embora de avião, qual seria a opção mais em conta? Seria necessário voltar a Paris ou outra cidade maior? E quanto as passagens de trem? me disseram que algumas são bem caras.

    Desde já agradeço!

    1. Bianca, se você fizer esse mesmo roteiro, no final você pode pegar um avião para Paris ou alguma outra metrópole europeia, porque de Biarritz não saem voos internacionais. Você teria que fazer uma busca em companhias low cost para descobrir qual vai estar mais em conta na época que você for, porque isso varia muito em função de temporada e promoções… As passagens de trem podem sim ser bem caras, o melhor é comprar com bastante antecedência para garantir boas tarifas…

      Abraços

  11. Natália, boa noite
    Eu e minha esposa estamos querendo fazer uma viajem pelo sul da França saindo de Paris, por volta de 20 dias, provavelmente de carro, gostaria de sua sugestão de roteiros e custo diário entre refeições e hotéis. Vamos ter dificuldade pela língua já que não falamos francês. Agradeço e parabenizo pelo seu blog.

    1. José, eu também não falo francês e nunca tive problemas na França. O único roteiro que posso indicar é esse, pois é o único que eu realmente testei. Você pode usá-lo como base para construir o seu, alterando cidades de sua preferência. Afinal, roteiros são bem pessoais e dependem dos seus interesses e gostos. Os custos variam de acordo com o seu estilo de viagem e possibilidades. Eu, que viajo de forma econômica, costumo separar entre 70 e 80 euros diários para a França.

      Abraços!

  12. Natália, identifiquei-me na hora com você quando vi a descrição de sua história. Acho que tenho a idade para ser seu pai, mas parece a sua história tem algo a ver com meu sonho. Você conseguiu fazer o que sempre sonhei, que era conhecer e morar no mundo. Casei cedo, fui pai com 23 anos, tornei-me funcionário de uma estatal no Nordeste, para poder bancar os compromissos da família. Paralelamente, tornei-me professor universitário e agora Coordenador de curso. Relativamente bem sucedido, mas com as asas cortadas para viajar. Nos últimos 10 anos, entretanto, passei a conciliar trabalho com as viagens para a Europa, principalmente. Agora em 2016, encerrei esse ciclo, vendo especialmente os locais da II GM, sobre os quais leio e converso desde minha adolescência. A outra identificação é sobre Barcelona. Guardamos um carinho especial por Barcelona, com a qual nos aproximamos desde que nossa filha Caroline sofreu um acidente e quase morreu quando morava aí. A dor do período em que passamos aí se transformou em extrema gratidão com os catalãos, que nos ajudaram muito a trazer para a vida novamente nossa filha. Ela agora está muito bem. O episódio nos levou a amar essa cidade.Um grande abraço!

    1. Eleazar, fiquei muito feliz com seu comentário. E que, apesar de ter sido um momento difícil, você guarde carinho de Barcelona, que é uma cidade incrível! Te desejo muitas viagens mais! 🙂

      Abraços

  13. Olá gostei muito das dicas. Viajarei para a França em janeiro para um curso e gostaria de saber se estes passeios valem a pena no inverno, sei que tem muita coisa que deixa de funcionar durante este época. Obrigada!

    1. Acredito que valem a pena sim, mas nunca estive nesses lugares no inverno. Talvez eu não iria para a costa, mas os outros lugares sim.

      Abraços

  14. Ótimas dicas
    Estou programando ir a França ano que vem e seu roteio ajudou bastante, apenas uma pergunta, com relação a alimentação, tem um preço médio de gasto?

    1. Joyce,depende do que você quer comer. Eu viajo em modo econômico e raramente como em restaurantes, por isso, dá pra gastar entre 10 e 15 euros por dia com alimentação.

      Abraços

  15. Boa noite Natalia , eu e uma amiga vamos para Lyon em meados de agosto, e de lá gostaríamos de sair pelo interior da França , temos 20 dias , poderia nos dar umas dicas para esse roteiro , você acha viável de trem ou carro , não falamos francês , e minha maior preocupação são onde dormir ? É necessário reservar hotel antecipado por ser interior ? Se puder ajudar fico grata !

    1. Neuzette, de trem é muito viável, mas vocês podem fazer de carro também. Se você tem medo de procurar hotel na hora, melhor reservar antecipado. Até porque agosto é alta temporada.

      Abraços!

  16. Legal o post! Eu morei/viajei pela França durante 7 meses e conheci muita coisa por lá! Fiz uma viagem magnífica durante 40 dias de carro, desde o sul até o norte da França, parando em vááárias cidades! Foi inesquecível. Me apaixonei por esse país. Então vou falar um pouco do que vi e do que indico!
    Primeiro de tudo, o roteiro vai depender da ÉPOCA que você vai viajar! Viajar no verão é completamente diferente de viajar no inverno, óbvio. A melhor época, na minha opinião, é a partir do final de junho, julho e agosto, sendo que em agosto é tudo muito lotado, que é o mês oficial das férias francesas, especialmente nas praias – ou seja, evite. Vá em junho/julho!
    Não deixe Marseille de fora do roteiro! É uma cidade com praias deslumbrantes, em especial os Calanques – foi uma das paisagens mais lindas que já vi, com águas cristalinas. Tem também museus, praças e mercados imperdíveis. Dá pra ficar alguns dias lá e ir visitar algumas cidades vizinhas como Cassis. Não sei porque incluiu Toulon no roteiro. Eu morei lá 1 mês e não tem muita coisa pra fazer, é uma cidade basicamente da Marinha, cheia de navios militares e só! Tem algumas praias que são bem bonitas, mas eu daria preferência à outras cidades. Montpellier é uma cidade meio grande e bem bonita, mas só dei uma passada por lá.
    Uma região que eu nunca tinha ouvido falar e que inclui no roteiro no meio da viagem foi Les Pyrénées. Pra quem curte natureza, rios e trilhas, VÁÁÁ LÁ!! Pesquisa aí no google “Gorges de Kakuetta”. Foi o canion/rio mais lindo que eu já vi na vida, com a água mais pura e cristalina que já vi. A região de Provence (fui em julho, a estrada toda exalava cheiro de lavanda, com plantações de lavandas e girassóis por todos os lados, MUITA LINDEZA MESMO!) também vale a pena ir. Acampei uns dias em Vercheny e fiz canoeing/kayak descendo pelo rio la Drôme – meu deus, foi uma das melhores coisas que fiz pela França! Todos os rios por lá são magníficos, água cristalina, peixes e natureza preservada! Sem falar no CHARME das cidadezinhas ao redor, como Pontaix!
    Biarritz realmente vale muito a pena, assim como a cidade vizinha que é muito linda, Saint-Jean-de-Luz. De lá, dei uma passada na Dune du Pyla, que é a maior duna da Europa, no caminho indo pra La Rochelle. La Rochelle é linda, também vale a pena! Mas, melhor ainda é a Île de Ré, que dá pra ir de ônibus de La Rochelle. Pense numa ilha LINDAAA! Cada praia mais linda que a outra! Conheça!
    Dijon é a cidade das famosas mostardas e é lindinho lá. Uma cidade que nunca ouvia falar e que passei por acaso e AMEI foi NYON, uma cidade bem pequena mas que tem uns rios LINDOS!!
    De lá, subi para a Bretanha, mais expecificamente para Dinard. A Bretanha é uma região belíssima e bem particular, diferente das outras regiões. Muitas comidas típicas da região são maravlhosas. Lá, se prepare para um pouco de frio e CHUVA. Mas não deixe de ir para Saint-Malo e, óbvio, o Mont-Saint-Michel. Duas cidades medievais ÚNICAS no mundo!
    No inverno, vá para a região de Grenoble para esquiar! É onde todo mundo vai esquiar. Lyon é uma cidade linda. Tem um festival que vi lá muito bacana, a féte de la lumiére.
    Bom, tem várias outras cidades maravilhosas em TODA a França! Mas já escrevi demais! rs
    Enfim, aproveitem esse país maravilhoso que é a França! E prepare o bolso, viu? Porque tudo é caro! rs
    Boa viagem, galera!!

    1. Nathalia Carvalho, adorei suas dicas. Estive na França em junho/julho de 2015. Fiquei 5 dias em Marselha. Amei! Quero voltar em junho 2017 e ficar mais tempo. Suas dicas caíram como uma luva. Beijo.

  17. Ótimo artigo! Estou apaixonada por esse estilo de vida, o nomadismo. Quero muito ser um nomade digital, espero ganhar o suficiente para isso, um dia…

    Tenho uma questão, como sei se uma passagem está barata ou cara? Por exemplo, quero ir de sp para o chile, encontro uma passagem de R $700 ida e volta. Como sei se é barato (vale a pena) ou se é melhor viajar em outra epoca?

    Obrigada

    1. Olá Caroline, para ser nômade não é preciso ganhar muito, só ter flexibilidade.

      Para saber se uma passagem está com o preço legal, é preciso acompanhar, fazer pesquisas em dias e datas diferentes para saber qual é a média, assim você sabe se tá barato ou caro. Sugiro seguir páginas como o Melhores destinos e sempre pesquisar para os lugares que você quer ir, mesmo se não for comprar. Com o tempo, você já vai saber exatamente os preços para qualquer lugar do mundo.

      PS: 700 reais para o Chile está um bom preço…

    1. Olá Marly, sempre dá para se virar com mímica e boa vontade. O bom do francês também é que não é uma língua tão distante da nossa assim.

      Abraços

  18. Olá Natália! Muito tentador o post!!! Estive só em Paris em 2011 e também fiquei com aquele gostinho de quero mais da França, rsrs. Tempos atrás li que a França é do tamanho do estado de Minas Gerais, o que me surpreendeu que vc disse que é menor que o de São Paulo. E agora?

    1. Ei Marcolina, eu tinha achado uma fonte que dava esse dado, mas com o seu questionamento fui checar novamente e você está certa. A França está mais para Minas que para São Paulo.

      Abraços

  19. Oláaa, gosto muito das dicas de vcs. Recebo os email e fiquei muito feliz com esse post
    Estou montando um mochilão pela França e estou super atrasada.
    Algumas duvidas:

    Porque indicaram Sete ao invés de Montpellier?

    Acham que vale a pena ir na regiao da provence em setembro? Pelo que vi as lavandas não estão floridas, e gostaria muito de ver as plantações.

    Sabe me indicar uma boa base para ficar sem carro no sul da França, Avignon ou Béziers?

    Se puderem responder ficarei feliz!
    Obrigadoooo

    1. Olá Ana, =)

      Eu indiquei Sète porque esse roteiro é baseado na viagem que eu fiz em 2013 e foi pra Sète que eu fui. Achei legal lá e não conheço Montpellier para indicar. Mas claro, se você quiser trocar o roteiro ainda funciona super bem!

      Se você quer ir a Provence só pelos campos e eles não vão estar floridos, talvez compense mais ir a outro lugar, mas eu sou sempre da opinião de que a melhor época é aquela em que você pode ir. Infelizmente não conheço nem Avignon nem Béziers para te ajudar 😉

      Abraços

    2. Oi Ana,
      Eu viajei recentemente para Avignon, Arles e Aix-en-Provence. Todas as três cidades são típicas belezas provençais, mas sem lavandas, por que não era época quando fui. Na realidade, o centro histórico delas é lindo, com muitas casas belíssimas, igrejas e praças. Em Avignon, há o gigantesco Palácio dos Papas e a cidade é cercada de muros. Conhecemos essas três cidades tendo como base Marseille, pois era caro ficar hospedado em algumas delas. No site http://guiadonomadedigital.com/ tem posts sobre essas três cidades. Espero ter te ajudado.
      Boa viagem

  20. Realmente.. o interior da França é o máximo!! Estou programando uma viagem para setembro deste ano e quando comecei a pesquisar sobre lá fiquei doida, desbirutada!! Tem tanto lugar maravilhoso que é difícil escolher e definir um roteiro!
    Sério, meu primeiro roteiro eu queria dar uma volta na França inteira em sete dias.. kk Mas como isso é logisticamente inviável, pra num dizer impossível, tive que me contentar só com a região da Normandia que é relativamente próxima a Paris.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.