Roteiros pelo Douro, em Portugal: um guia completo de viagem

Um bate-volta fácil para quem está na cidade do Porto ou uma escapada perfeita de alguns dias para quem quer relaxar em meio a belas paisagens: o Vale do Douro, em Portugal, é uma região conhecida no mundo todo por conta da produção do vinho do porto. Neste texto, vamos contar para vocês todas as dicas e detalhes para conhecer essa parte tão linda de Portugal.

Índice do post (clique para ir direto ao que te interessa):
Onde fica o Vale do Rio Douro
Como chegar e circular na região do Douro
Qual a melhor época para visitar o Douro
Quantos dias ficar
Roteiro de cidades pelo Vale do Douro: o que fazer por lá
Miradouros do Vale do Douro
Vinícolas no Douro: quais quintas visitar?
Onde ficar no Douro, Portugal: dicas de hospedagem 

Onde fica o Vale do Rio Douro

O Vale do Douro fica na região Norte de Portugal, conhecida como Trás-os-Montes, seguindo pelo curso do Rio Douro. A paisagem, que é Patrimônio da Humanidade segundo a UNESCO, também é conhecida como Alto Douro Vinhateiro. Essa é uma área demarcada para a produção de vinho do Douro e vinho do Porto, por uma extensão de cerca de 150 km, que vai desde Mesão Frio até Freixo de Espada à Cinta.

A região do Douro, em Portugal, é dividida em três partes: o Baixo Corgo (até a cidade de Régua) e Cima Corgo (mais central, onde fica Pinhão, até Cachão da Valeira), que são onde se concentram a maioria das Quintas (vinícolas). Por fim, há o Douro Superior (até quase na fronteira com a Espanha), que tem menos produção de vinho, mas é onde fica um parque arqueológico.

Do aeroporto do Porto até Vila Real são 99 km pela estrada IP4. Já o caminho do Porto até o “final” do trajeto, em Foz Côa, é de 247 km, pela IP2.

Vai viajar pelo Norte de Portugal? Então leia também:
O que fazer no Porto: roteiro de 2 ou 3 dias
O que fazer em Braga: guia completo
O que fazer em Guimarães: 1 dia na cidade

Como chegar e circular na região do Douro

De carro

O jeito mais fácil de chegar e circular pela região do Douro, em Portugal, é de carro. Isso porque há um limite de lugares em que o transporte público alcança: a maioria das aldeias e das quintas só é acessível de carro. Além disso, entre as vantagens do carro está poder chegar aos miradouros e cruzar as estradas cênicas, como a EN222, entre Pinhão e Régua. Leia esse texto aqui para saber como alugar carro em Portugal por menos de 10 euros por dia.

estrada do douro para porto

Claro, o carro tem suas desvantagens: em primeiro lugar, quem for o motorista terá bastante limitações para beber vinho. Além disso, apesar das estradas serem boas, quanto mais para o interior você vai, mais rodovias sinuosas e estreitas você vai encontrar.

De trem

Para quem só quer fazer um bate-volta, a melhor forma de ir é de trem. A Linha do Douro é um trajeto desde Porto até Tua, passando por 203 km de uma paisagem linda. Normalmente, as pessoas descem na Estação de Pinhão ou de Peso da Régua, que são as cidades mais centrais.

Estacao de Trem de Pinhão no Douro

A estação do Pinhão fica à beira do rio, é decorada com azulejos e considerada uma das mais bonitas de Portugal 

O trajeto, com o Comboio InterRegional, saindo do Porto, até Pinhão, custa 11 euros (22 euros, ida e volta). Parte a cada duas horas e a viagem leva 2h20. Também para em Régua, Tua, Pocinho e outras cidades ao longo do Vale. Para consultar horários e comprar as passagens, entre no site da Comboios de Portugal.

Também é possível, normalmente entre junho e outubro, viajar com o Comboio Histórico do Douro, uma locomotiva a vapor com carruagens de madeira do início do século 20. O percurso é entre Régua e Tua, parando em Pinhão. Para quem sai do Porto ou de outra cidade do Norte, o passeio custa €47,50. Mais informações sobre dias e horários do passeio na CP.

Comboio Histórico do Douro

De barco: cruzeiro pelo Douro vale a pena?

Outro jeito que muitos turistas usam para conhecer a região é fazendo um cruzeiro pelo Douro. Mas aqui ficam alertas importantes para vocês não caírem em pegadinhas!

A questão é: não faça o passeio longo, o cruzeiro que sai de Vila Nova de Gaia até o Vale do Douro. Muita gente tem vontade de fazer esse tour pensando que vai ver uma linda paisagem, mas acaba preso 6 horas dentro de um barco numa parte em que a visão não é tão bonita assim, o almoço incluído sempre gera reclamações e não sobra muito tempo para visitar a vinícola, quando você finalmente chegar ao Douro.

como chegar no vale do douro

Dito isso, vale sim fazer um passeio de barco, desde que você opte pelo mais curto, de 1 ou 2 horas, partindo do cais de Pinhão. Esses passeios custam a partir de 10 euros (bem mais baratos que os cruzeiros), e ainda te permitem almoçar onde quiser e visitar uma vinícola com calma – um programa perfeito de um dia!

Tours guiados

Na minha opinião, a forma mais fácil de conhecer o Vale do Douro em um dia, para quem tem foco em visitar as vinícolas, é num passeio guiado. Há diversas agências que promovem esse tipo de tour a partir do Porto. Eu conheço e já tive a chance de experimentar o trabalho da Bago d’Uva, que é uma agência dirigida por um casal de portugueses focada em tours vínicos e com uma pegada sustentável: são grupos pequenos e visitas a vinícolas menos conhecidas.

O tour da Bago d’Uva me levou por duas vinícolas – com degustação, incluiu almoço e prova de doces, passagem por um miradouro e tempo livre em Pinhão. Veja as dicas sobre o passeio pelo Douro que escrevi para o blog deles.

De ônibus

Se você não puder alugar um carro, quiser tentar fazer alguns deslocamentos entre cidades do Douro ou tiver como foco visitar a zona do Douro superior, como São João da Pesqueira ou Vila Nova de Foz Côa, então, o jeito é ir de ônibus. Duas empresas de “autocarro” em Portugal fazem esses trajetos, a Rede Expressos e a RodoNorte.

Qual a melhor época para visitar o Douro

A paisagem de parreiras de uva nas encostas do rio é linda em qualquer época do ano, mas, para otimizar sua visita, vale a pena considerar algumas épocas importantes.

  • Dezembro e Janeiro: No inverno, os dias são mais curtos e frios, costuma chover bastante.
  • Fevereiro e Março: época da rota das amendoeiras – entre Porto e Pocinho há três trajetos para ver as árvores em flor.

amendoeiras vale do douro

Por Camaforbusiness – Shutterstock

  • Abril: é um mês coringa, pode ter um tempo bem ruim ou pode fazer dias lindos.
  • Maio e Junho: Você encontrará as cerejeiras em flor e, mais tarde, as cerejeiras com frutas. Também é nessa época da primavera que várias frutas estarão nos pés e os vinhedos particularmente verdinhos.

cerejeira no douro portugal

  • Julho e Agosto: Alta temporada! São os meses de muito calor, pouca chuva, e alto fluxo de turistas, por conta das férias dos europeus.
  • Setembro (ou Agosto/Outubro): Esse é tradicionalmente o mês das vindimas, ou seja, quando é feita a colheita da uva e todo o processo para produção do vinho. Muitas quintas recebem turistas para participar da colheita, pisar na uva e fazer festa. Tenha em mente que as vindimas podem variar: em anos de verão muito quente podem acontecer em agosto; em anos de verão frio podem se estender para outubro.

azulejo vindimas douro portugal

  • Outubro e Novembro: Nesses meses você verá paisagens mais outonais, com as cores tradicionais da época. Em novembro também é o período de colheita das azeitonas e de produção do azeite, que pode ir até dezembro.

Quantos dias ficar

Para quem só tem um dia, é uma boa se concentrar na parte central do Vale do Douro. Você pode tanto contratar um passeio guiado como ir de trem até Pinhão, e de lá almoçar, ir até uma vinícola e fazer um passeio de barco; ou ainda tirar o dia e fazer o passeio com o Comboio Histórico.

Quem realmente quer conhecer toda a região do Alto Douro Vinhateiro, até os sítios arqueológicos do Rio Côa, pode montar um roteiro de viagem de 3 a 5 dias, passando por várias aldeias e quintas. Um roteiro mais básico pode considerar cada uma das três zonas por dia, por exemplo.

Roteiro de cidades pelo Vale do Douro: o que fazer por lá

Ao longo da paisagem Cultural do Alto Douro Vinhateiro, nas duas margens do rio, são 13 municípios, onde você tem a chance não só de beber muito vinho, mas de passar por vilas históricas, palácios, miradouros e muito mais. No mapa abaixo e no texto a seguir explico exatamente o que fazer no Douro, em Portugal.

Legenda: cidades (azul), miradouros (vermelho), atrações (amarelo), vinícolas (roxo), aldeias (verde)

Aviso sincero: eu ainda não conheço toda a região, mas tinha esse roteiro pronto, baseado não só no que já vivi, mas em informações retiradas do site do Visit Portugal e de alguns blogs e sites linkados ao longo do texto.

Cidades do Douro

  • Lamego

Na margem sul do Douro, é uma cidade histórica que conta com diversos prédios medievais, incluindo um castelo. A principal atração é o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Nos arredores de Lamego ficam várias quintas, duas aldeias vinhateiras, o Mosteiro de São João de Tarouca e o miradouro de São Domingos.

castelo de lamego

Foto: Por Sergey Peterman Shutterstock

  • Peso da Régua

Peso da Régua não tem muito para visitar em si, é uma das principais cidades para a produção de vinho do Porto no Douro. Não é à toa que ali fica o Museu do Douro e diversas vinícolas. No caminho entre Régua e Pinhão fica o Miradouro de São Leonardo de Galafura – e é também nessa parte que a viagem de trem subindo o rio fica especialmente bonita.

peso da regua vale do douro portugal

Foto: Por Takashi Images Shutterstock

  • Pinhão

Tal como Régua, apesar de não haver muito para ver em Pinhão, ali é um ponto central e de fácil acesso para quem quer conhecer toda a região do Douro. O cais, a beira do rio, de onde saem os passeios de barco, é espetacular. Não deixe de reparar na ponte de ferro, que foi projetada por Gustav Eiffel. A estação de trem também é muito bonita, com seus painéis de azulejos contando parte da história do Douro e das pessoas que ali vivem.

cais de pinhao passeio de barco

De Pinhão, é fácil visitar a pé ou de táxi algumas vinícolas nos arredores. Por ali também fica o Miradouro do Casal de Loivos.

  • São João da Pesqueira

São João da Pesqueira conta com um centro histórico muito bem conservado, com vários prédios do final do século 18, como a Igreja da Misericórdia, a Torre do Relógio e a Arcada. Tem, nos arredores, vinícolas, a aldeia vinhateira de Trevões, o miradouro de São Salvador do Mundo e algumas atrações históricas.

O que fazer no douro sao joão da pesqueira

Foto: Vitor Oliveira (CC BY-SA 2.0) – Flicker

Atrações históricas e culturais

  • Palácio Mateus

Nos arredores de Vila Real fica o Palácio Mateus, que já visitamos e eu falei a respeito nesse post sobre a região de Trás-os-Montes. O prédio barroco é do século 18 e fica rodeado de jardins. É possível fazer uma visita guiada ao palácio (13 euros), que é gerenciado pela Fundação Casa Mateus.

Roteiros pelo Douro Palacio Mateus Vila Real

  • Museu do Douro

Em Peso da Régua fica o Museu do Douro, que conta toda a história dessa região, dá informações sobre os tipos de vinhos produzidos ali e muito mais. Tudo de uma forma bem leve, interessante e interativa. Leia sobre como é a visita no blog Cultuga. O museu conta também com um restaurante e winebar. Há diversas opções de visita, incluindo algumas guiadas ou provas comentadas de vinho. Veja todos os programas de visita ao museu.

  • Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Em Lamego, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios fica no alto de um morro e é necessário subir os 686 degraus de uma escadaria monumental – decorada com azulejos e esculturas – para chegar até a igreja. Toda a construção é barroca, do século 18, e lembra bastante algumas das igrejas de Minas Gerais.

Mosteiro de Nossa Senhora dos Remedios em Lamego Douro

Foto: Sergey Peterman – Shutterstock

  • Castelo e Vila Muralhada de Ansiães

As ruínas do milenar Castelo de Ansiães, cuja construção começou no período romano, estão conectadas com a história de Portugal, tendo sido utilizadas na época da reconquista cristã. A entrada é gratuita.

castelo-ansioes

Foto: Divulgação Porto e Norte

  • Igreja Matriz de Moncorvo

A Igreja Matriz de Moncorvo, também conhecida como Igreja de Nossa Senhora da Assunção, é uma das maiores da região do Douro. O templo é do século 16, com um altar feito em talha dourada.

  • Museu e Parque Arqueológico do Vale do Côa

O Parque Arqueológico do Vale do Côa é a maior descoberta arqueológica da Europa dos últimos tempos. Ali, às margens do vale do rio Côa, você encontra diversas pinturas rupestres do período paleolítico (25 a 10 mil anos atrás), formando o maior complexo de arte rupestre ao ar livre desse período no mundo. O local já é, há 20 anos, Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Um museu muito moderno e interativo, inaugurado em 2010, explica melhor as artes encontradas no parque. Saiba mais sobre como é a visita no Viajar entre Viagens.

Parque Arqueologico Foz Coa

Foto: Takashi Images – Shutterstock

A visita ao museu custa 6 euros, incluindo o audioguia (com descontos para crianças, idosos e residentes em Portugal). Há um suplemento de 2 euros para visitas guiadas. Confira os horários no site do Museu Côa.

Museu do Coa

Foto: Luis Pedro Fonseca Shutterstock

Já a visita ao Parque Arqueológico é obrigatoriamente guiada, e é dividida entre três sítios (Canada do Inferno, Ribeira de Piscos ou Penascosa). Cada visita a um sítio custa 15 euros. O parque também informa que os tours são pensados em horários de melhores condições de luminosidade e por isso não é possível visitar mais do que dois sítios em um dia. Também há possibilidades de passeios de caiaque e visitas noturnas.

  • Freixo de Numão

O Freixo de Numão é uma aldeia na região de Foz Côa. Ali, além de visitar os edifícios históricos da aldeia, também é possível fazer um percurso a pé pelo Circuito Arqueológico de Freixo de Numão, que tem vestígios da habitação humana desde o paleolítico.

castelo de freixo numão

Foto: Homydesign Shutterstock

Aldeias Vinhateiras

As Aldeias Vinhateiras do Douro, também conhecidas como “wine villages”, são uma rede de seis vilas, todas históricas, habitadas desde a antiguidade. Contam com prédios datados desde a Idade Média a finais do século 18: você pode visitar quintas, casarões, igrejas, capelas, pelourinhos, etc. Saiba mais no site oficial.

  • Favaios

Vinhedos em Favaios

  • Provesende

Vila de Provesente Douro

Foto: Petr Pohudka – Shutterstock

  • Barcos

Aldeia Barcos Douro

Foto: Porto e Norte

  • Salzedas

Mosteiro de Salzedas

Foto: Vector99 Shutterstock

  • Ucanha

Aldeia vinhateira Ucanha

Foto: Vector99 Shutterstock

  • Trevões

Trevões Aldeia Vinhateira Douro

Foto: Divulgação Wine Villages

Miradouros do Vale do Douro

O link leva diretamente para localização no Google Maps

Miradouro de São Salvador do Mundo

Foto: Nuno Morão (CC BY-SA 2.0) Flickr

Miradouro Casal de Loivos vista do douro

Miradouro vale do mendiz

Sao Leonardo da Galafura vistas do rio douro

Foto: Turismo En Portugal (CC BY-SA 2.0) Flickr

Miradouro São DomingosMiradouro_Olhos_do_Tua

Foto: Divulgação

Vinícolas no Douro: quais quintas visitar?

As quintas, que são como os portugueses chamam as vinícolas, estão na casa das muitas centenas na região do Douro. Com isso, fica um pouco complicado escolher quais visitar. Há sempre opção de prova de vinhos, visita às vinhas e adegas.

Quer saber mais sobre vinhos portugueses? Então leia:
Vinho do Porto: a história, a produção e os tipos
O vinhos portugueses e o que esperar de uma visita a vinícola
Suvernir de Portugal: como e onde comprar vinhos e azeites

Segue aqui uma pequena lista daquelas que já conheci em tours e também dicas de algumas blogueiras amigas: a Rita, d’O Porto Encanta, e a Naiara do Aqueles que Viajam. Se você não for por uma agência, para realizar visitas guiadas e prova de vinhos, é necessário reservas com antecedência, por email.

Quinta do Bucheiro

Moscatel de Favaios Quinta da Avessada

quinta vinicolas para visitar no douro portugal

Vinhas no Vale do Douro

Onde ficar no Douro, Portugal: dicas de hospedagem

Há várias formas de pensar hospedagem no Douro, que dependem de como você montar o seu roteiro e do que você pretende com a sua viagem. Se o seu plano for apenas um bate-volta, então não deixe de ler o nosso guia de Onde ficar em Porto.

Veja no mapa todas as opções de acomodação no Douro

Onde ficar no Vale do Douro foto de Pinhao

Por ali, há os chamados “wine hotels”, que ficam em quintas produtoras de vinhos, como a Quinta da Pacheca – que tem até quartos dentro do tonel de vinho. Há spas e acomodações 5 estrelas para quem quer relaxar ou curtir uma hospedagem mais romântica, como a The Vintage House – Douro ou o Six Senses Douro Valley, na beira do cais de Pinhão.

Há também hospedagens rurais ou em casas históricas, para quem gosta de coisas pitorescas. Por exemplo a Quinta do Terreiro ou a Quinta do Chao D’Ordem.

E não podemos deixar de dizer que os econômicos também encontram hostels e campings na região do Douro: o Douro Village Hostel e o camping de luxo Woodpecker Yurt.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

7 comentários sobre o texto “Roteiros pelo Douro, em Portugal: um guia completo de viagem

  1. Meu lugar no mundo! São João da Pesqueira, linda, linda, linda. Na Pesqueira,temos o Museu do Vinho, visita bem interessante. São Salvador do Mundo proporciona uma das mais belas vistas da região.
    No cais da Ferradosa, tem um restaurante/bar à beira rio. Daí também pode-se alugar embarcações para passeios.
    Museu de Foz de Côa, vale muito a visita! O restaurante tem uma bela vista sobre o Douro.
    Região cheia de excelentes restaurantes. O Petiscaria Preguiça é um deles, com uma vista bela e um javali de comer rezando, sem esquecer os ótimos vinhos!
    Saudades da minha terrinha…

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.