Do Curanto ao Navegado, as comidas típicas de Chiloé

Choveu o tempo inteiro em que eu estive em Chiloé. E aí que minha viagem se resumiu em procurar um lugar seco e quentinho para me proteger. Valia igreja, valia lojinha de artesanato, mas meus favoritos mesmo eram os restaurantes. Comi até dizer chega. E com a rica gastronomia local, cada refeição era uma descoberta. Faltou foi estômago para experimentar todas as comidas típicas que Chiloé tem a oferecer. Tarefa para uma próxima viagem, porque eu ainda quero ver sair o sol por trás daquelas palafitas.

Chiloé é um arquipélago chileno, mas bem que poderia ser um caldeirão. Pegaram a cultura mapuche e misturaram bem com a dos conquistadores espanhóis. Uma pitadinha de tempero patagônico e pronto. Deixe cozinhando um tempo e o resultado é a cultura chilota, que tem em sua gastronomia um de seus principais orgulhos. O ingrediente principal é a batata, que está presente na maior parte das preparações, seja em forma de farinha, moída, ralada ou cozida. Existem mais de 400 tipos de batata na região, o que pode afetar a consistência e sabor dos pratos. O tubérculo está sempre acompanhado de peixes e frutos do mar, afinal Chiloé está no meio do oceano e a tradição pesqueira por ali é forte tanto na cozinha, quanto nas cantigas, mitos e lendas que povoam o imaginário local.

As cazuelas são pratos ensopados com carne ou peixe e que são comuns em toda a região andina. Chiloé tem sua própria versão, que leva cholgas secas (um molusco parecido com o mexilhão), piures (outro fruto do mar que vive na costa chilena) e repolho. Outra forma de preparação é com carnes bovinas ou de cordeiro, ervilhas, luche (uma alga) e batatas.

Como o inverno em Chiloé é rigoroso, uma taça de Navegado ajuda a aguentar o frio. Parecido com o nosso quentão, é comum em todo o sul do Chile e é preparado a partir do vinho tinto aquecido, rodelas de laranja, açúcar e especiarias como a canela. Outra bebida alcoólica famosa por ali é o licor de oro, feito do soro do leite e aguardente, açafrão e cascas de limão, com sabor adocicado que lembra xarope para tosse. Há também a Chicha de maçã. A fruta é a mais comum no arquipélago e é usada em diversas receitas, inclusive nessa bebida fermentada semelhante à sidra.

Dica Importante: Não cometa o erro de viajar para o Chile sem um seguro viagem. 

Entenda a razão e saiba como conseguir um seguro com desconto

Comidas típicas de Chiloé: Navegado

Navegado

Mas de todos os pratos típico das ilhas, o rei é o curanto. Talvez porque sua preparação envolva um verdadeiro ritual. Em um buraco de mais ou menos meio metro feito na terra, coloca-se grandes pedras que são aquecidas por uma fogueira até que elas estejam em brasa. Sobre as pedras, os chilotas colocam folhas aromáticas (chamadas nalca ou maqui) que servirão de bandeja para uma mistura de mariscos, carnes de todos os tipos (sim, bovina, de cordeiro, frango, porco. Diga o nome de um bicho e é provável que ele esteja no prato), linguiça, batata, batata-doce e vegetais diversos. Quem inventou a palavra mistureba certamente tinha acabado de comer um curanto. Bolinhos de batata fritos, chamados milcao, também podem fazer parte do curanto ou consumidos separadamente, acompanhados de vinhos.

Comidas típicas de Chiloé: Curanto

Curanto sendo preparado no chão

Assistir ao ritual do curanto é uma experiência mais interessante do que provar o prato em si, que tem forte sabor defumado e é bastante pesado devido à quantidade de carnes que fazem parte da preparação. Se você não tiver alternativa a não ser pedir em um restaurante, a dica é estar acompanhado, já que as porções são imensas e você lutará com seu estômago para não jogar comida fora. Quando preparado em panela, o curanto recebe o nome de pulmay.

Comidas típicas de Chiloé: O curanto e Chapalele

Chapalele cozido no vapor do curanto

Chiloé também tem seu pão típico, o chapalele. A massa é preparada com farinha e batata, cozidas em água ou ao vapor do curanto. O comum é que a preparação seja servida na once – nome dado à refeição do meio da tarde no Chile, no melhor estilo chá das cinco – acompanhada de geleia ou mel, mas se você quiser colocar uma colherada generosa de doce de leite, não vou contar para ninguém.

Fotos: Shutterstock

Clube Grandes Viajantes

Olá, somos a Luíza Antunes, o Rafael Sette Câmara e a Natália Becattini. Há 10 anos fazemos o 360meridianos, um blog que nasceu da nossa vontade de conhecer outras terras, outros povos, outras formas de ver o mundo. Mas nós começamos a sonhar com a estrada ainda crianças e sem sair de casa, por meio de livros sobre lugares fantásticos. A gente acredita que algumas das histórias mais incríveis do mundo são sobre viagens: a Ilíada, de Homero, Dom Quixote, de Cervantes; Harry Potter, Senhor dos Anéis e Guerra dos Tronos. Todo bom livro é uma viagem no tempo e no espaço. E foi por isso que nasceu o Grandes Viajantes: o clube literário do 360meridianos. Uma comunidade feita para você que ama ler, escrever e viajar.

Somos especialistas em achar livros raros, já esquecidos pelo tempo. Fazemos a curadoria de crônicas, contos e histórias de escritores e escritoras incríveis, que atualizamos numa edição moderna e bonita. A cada mês você receberá em seu e-mail uma nova aventura sempre no formato de livro digital, que são super práticos, para você ler onde, quando e como quiser.

Além do livro raro e do bônus exclusivo, recompensas que todos os nossos associados recebem, oferecemos duas experiências diferentes à sua escolha:

1) Para quem quer se aprofundar nas histórias e conhecer pessoas com interesses parecidos;< br/>
2) Para quem, além de ler, também quer escrever seus relatos.

Conheça cada uma das categorias e escolha a que combina melhor com você. Venha fazer parte do Clube Grandes Viajantes.

recompensas clube recompensas clube


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comentários sobre o texto “Do Curanto ao Navegado, as comidas típicas de Chiloé

    1. Adriana,

      Lá em Chiloé, diversos hostels ou hotéis provem eventos nos quais preparam o curanto da maneira tradicional. Há também diversos restaurantes que o preparam dessa forma (outros o fazem na cozinha, sem que participemos do processo). Uma boa forma de garantir que vc vai conseguir ver um é procurando uma agência que inclua a atividade no pacote.

      Abraços!

  1. Puuuuxa vida, deu uma saudade de Chiloé!

    Estive por lá ano passado; apesar disso, não tomei as bebidas (que me pareceram fantásticas), mas comi o curanto em um dos restaurantes de Castro…

    Quem sabe a próxima conseguimos ir para alguma das ilhas menores, e assistir/participar da preparação do curanto no chão! Obrigada pela lembrança 😉

    1. Denise, nem me fale! Quero voltar com certeza, de preferência no verão para fugir um pouco das chuvas e fazer as trilhas.

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.