15 dicas de como viajar gastando pouco

15 dicas de como viajar gastando pouco

Viajar pode ser mais barato do que você pensa. E não, você não precisa dormir em quartos coletivos de albergues ou almoçar pão com salame todos os dias. Existem muitas maneiras de economizar seu rico dinheirinho sem abrir mão de conforto. Durante nossa viagem de volta ao mundo, aprendemos muitas coisas sobre esticar o orçamento de uma viagem. Quer viajar gastando pouco? Então veja as dicas abaixo.

1. Economize no café da manhã

No Brasil, é comum que os hotéis e pousadas incluam o café da manhã no preço da diária. Se esse for o caso, aproveite! Poucas coisas são melhores que os cafés das pousadas brasileiras. No entanto, no exterior essa prática não é tão comum e, muitas vezes, guest houses com café incluído podem adicionar alguns dólares extras à conta. Quando o seu hotel não incluir o desjejum, aproveite para economizar comprando comida em supermercados – tipo biscoito, pão e suco – ao invés de ir a padarias e lanchonetes. Em alguns lugares, como a Índia, comprando comida no mercado nós gastávamos um décimo do que gastaríamos tomando café em restaurantes.

Vai viajar? Contrate conosco seu Seguro de Viagem com desconto!

Vitrine doces Madrid

2. Coma fora no almoço

Cozinhar ou comprar comida no supermercado, como eu disse acima, são ótimas formas de economizar. No entanto, conhecer comidas locais é uma das coisas mais legais em uma viagem e muita gente não quer abrir mão disso, com toda razão. Uma boa ideia para tentar equilibrar os gastos com comida é cozinhar no jantar e comer fora na hora do almoço. Os motivos são vários: como o almoço é no meio do dia, você não precisa voltar ao hotel para comer. Além disso, diversos países oferecem opções de almoço executivo, o que torna sua refeição muito mais barata. Em Madri, pagamos apenas 7,50 euros por uma paella com salmão, suco e sobremesa. Pedir esses pratos fora do menu teria resultado em uma conta muito mais alta.

Restaurante em Madrid Espanha

3. Faça um piquenique

Na Europa as cidades são lindíssimas e possuem diversos parques e praças. Então, por que não aproveitar o espaço urbano para fazer um delicioso piquenique em algum lugar bonito? Compre algumas coisas no supermercado e aproveite a luz do dia! Essa era a nossa estratégia na França. Saudades dos fins de tarde comendo baguete e bebendo vinho em frente ao Rio Sena.

4. Aprenda a falar a lingua local

Não precisa se tornar fluente em dialetos africanos, mas saber algumas frases básicas do idioma local pode ser útil na hora de economizar. Na Ásia, por exemplo, saber os números e algumas expressões é de grande ajuda para vencer a barganha. Abordar vendedores falando a língua local pode te livrar dos “preços para turista”. Em qualquer lugar do mundo, as pessoas tendem a simpatizar com estrangeiros que se esforçam para se comunicar no idioma local. E isso faz diferença, especialmente em lugares onde a população não fala inglês, você pode conversar com os nativos para tentar descobrir hotéis e restaurantes que não são muito visados por turistas ou até mesmo ser convidado para uma refeição.

5. Utilize milhas e pontos do seu cartão de crédito

Ainda não inventaram um jeito de comprar passagem de avião por tão pouco. Comece a acumular e utilize suas milhas de viagem. A gente explica como nesse post aqui.

Notas de reais dinheiro

Foto: Rodrigo Denúbila, Creative Commons

6. Tome cuidado com taxas de banco e de conversão

Uma das partes mais complicadas de planejar uma viagem é encontrar a melhor forma de levar seu dinheiro. Como as taxas cobradas variam de banco para banco, de cartão para cartão, o melhor é procurar o seu gerente e ficar por dentro de todas as regras para saque internacional. Se o seu banco cobrar taxa de saque, compensa mais sacar grandes quantidades de cada vez e abusar da função débito. Os travel cards (VTMs) são opções práticas, mas que possuem um câmbio muito desfavorável. Eu pessoalmente só recomendo se você for para um país cuja moeda é a mesma do seu cartão. Carregar um VTM em dólar e viajar para a África do Sul, por exemplo, significa que você vai perder dinheiro na conversão entre dólar e rand a cada vez que usar o cartão.

Leia mais: Como levar dinheiro para o exterior

Por fim, a maioria dos caixas eletrônicos que eu encontrei mundo afora cobrava também uma taxa de saque, o que significa que você paga a taxa do seu cartão + a taxa do caixa eletrônico. Procure algum caixa que não cobre pelo saque e economize uns bons dólares. Nós chegamos à conclusão de que caixas pertencentes a bancos são mais prováveis de não cobrar pelo saque que caixas genéricos (como os caixas 24 horas no Brasil).

Notas de rúpias indianas

7. Quer viajar gastando pouco de verdade? Então planeje-se

Definir seus passos com antecedência reduz o custo da viagem de forma inacreditável. A começar das passagens aéreas, que aumentam de preço conforme a data do voo se aproxima. Planejando de antemão, você pode monitorar os sites das companhias aéreas por um tempo até encontrar as melhores tarifas. Veja nossas dicas para planejar uma viagem independente.

8. Escolha destinos baratos para viajar

As vezes, as pessoas ficam tão focadas em visitar os destinos mais badalados, como Estados Unidos e Europa ocidental, que se esquecem que essa é só uma pequena parcela cara do mundo e que tem muito mais o que se ver por aí (não me levem a mal, eu amei a Europa e os EUA devem ser minha próxima parada). Lugares como o Leste europeu, a Ásia, a África e a América Latina possuem, na maioria das vezes, moedas desvalorizadas com relação ao Real e um custo de vida bem mais barato. Em Bali, por exemplo, pagamos apenas R$7 por pessoa para ficar em um chalé com piscina e wi-fi. Inacreditável, não é? E nós ainda estávamos a uma distância andável de praias maravilhosas. É verdade que as passagens para esses lugares podem ser mais caras, mas se você seguir o item acima pode conseguir excelentes tarifas.

No Brasil, fuja das praias badaladas e prefira aquelas que ainda não possuem forte exploração turística. Muitas vezes elas estão a poucos quilômetros dos destinos mais famosos. Veja também: viajar pode te deixar milionário.

Bali - Uluwatu praia

9. Faça trabalho voluntário

Eu sou uma grande entusiasta do volunturismo. Apesar de algumas ONGs cobrarem por sua participação nos projetos (o dinheiro normalmente vai para a sua manutenção no local e para ajudar o projeto do qual você participa), é possível achar instituições que te aceitam de graça e ainda oferecem hospedagem. Assim você ajuda alguém, economiza na hospedagem e faz uma verdadeira imersão na vida da comunidade. Outra forma de economizar na hospedagem é através do Couchsurfing. E veja também como foi minha experiência de trabalho voluntário na África do Sul.

Leia mais: Saiba como escolher uma instituição para fazer trabalho voluntário no exterior

Crianças na África do Sul

10. Não seja um colecionador de pontos turísticos

Você não precisa ver todos os museus, templos, parques, zoológicos, prédios e exposições só porque eles estão listados no seu guia. Escolha os melhores, vá com calma, aprecie o lugar e tenha em mente que muitas coisas são absolutamente desnecessárias. Você vai economizar dezenas de dinheiros se conseguir entender isso (demorou um pouco no nosso caso).

11. Visite atrações gratuitas

Cidades grandes ao redor do mundo estão cheias de atrações gratuitas, basta saber encontrá-las. Procure em sites locais, recolha panfletos turísticos, esteja atento a tudo que pode ser legal sem te tirar um tostão. Praças, parques e alguns museus são ótimos exemplos. Em Hong Kong, os museus não cobram entrada na quarta-feira, por isso reservamos esse dia para conhecer os mais caros. Utilize esse tipo de informação a seu favor.

12. Não gaste com besteira

De dólar em dólar, você economiza um montão. Repare quais dos seus gastos são supérfluos e sempre pense duas vezes antes de comprar alguma coisa. Essa para mim é a dica mais valiosa de todas.

Veja também: Viaje mais, gaste menos em compras

13. Faça uma carteira de estudante internacional

Se você ainda estiver na escola, faculdade ou pós-graduação, vai conseguir desconto em um monte de estabelecimentos por aí. Se você não é mais estudante, mas tem menos de 26 anos, ainda pode fazer a carteira da juventude. Ela não é tão útil como a de estudante, mas ainda assim é de grande ajuda em países que oferecem descontos para jovens em passagens de trens e entradas de museus.

14. Procure hotéis no local

Sites de reserva como o Booking e o Hostelbookers são uma mão na roda na hora de encontrar hospedagem, mas nada substitui o bater de pernas. A maior parte dos hotéis baratos ainda não estão na internet, infelizmente. Na Índia, nós pedíamos para o motorista do tuk-tuk largar a gente na parte mais turística da cidade e começávamos a bater de hotel em hotel em busca da melhor tarifa. Conseguimos preços inacreditáveis por hotéis razoáveis, mas só tínhamos coragem de fazer isso porque estávamos bastante familiarizados com o país e porque tínhamos tempo para perder por lá. Se esse não é seu caso, eu tenho um truque: quando você for ficar muito tempo em algum lugar, reserve apenas um ou dois dias pela internet e utilize esse tempo para encontrar acomodações mais baratas. Foi assim que encontramos o maravilhoso chalé de R$7 em Bali que eu citei lá em cima.

15. Viaje em baixa temporada

Tudo é mais barato: da comida e hospedagem à passagem aérea. Em alguns lugares, viajar em baixa temporada pode fazer você economizar até 50%. Pode ser que o clima não seja o mais adequado, mas na maioria das vezes o incomodo vai ser mínimo. No nordeste brasileiro, por exemplo, basta viajar fora do período de férias escolares para notar a diferença.

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma. Siga @natybecattini no Instagram

79 comentários em 15 dicas de como viajar gastando pouco

  1. Oi gente, estou atras de dicas. Moro em Montréal, no Canada. Quero conhecer Bali e posso sair a qualquer momento à partir das proximas 2 semanas (estamos em 14 maio 2017). Gostaria tbém de ficar 1 ou 2 semanas em Lisboa e alguns dias em Barcelona. Talvez fique 3 ou 4 semanas em Bali (nao sei se é exagerado). Sou uma pessoa tranquila, nao estou atras de baladas, mas de conhecer a cultural local, as pessoas, os templos, tirar fotos; gosto de conforto e tranquilidade.

    Vcs teriam boas dicas, de passagem e estadia?

    Grata 🙂

    • Ka, não entendi exatamente que tipo de dicas você quer… No post tem várias de economia que servem para qualquer lugar do mundo…

      Abraços

  2. Boa tarde Natalia!

    Obrigado pelas dias, estou a ponto de viajar para Portugal. Alguma dica para esse destino? Como economizar em passagens e escolher o momento certo para comprar euro?

    Obrigado.

    • Olá Flávio,

      Portugal é um dos destinos que a gente mais tem dicas aqui no blog. Te convido a ler aqui: https://www.360meridianos.com/portugal

      Sobre as passagens, não tem tanto mistério: é preciso pesquisar bastante e comparar os valores com datas e companhias diferentes. Já os euros, também é um sorte já que não dá para prever o mercado, mas é preciso avaliar a tendência e muita gente gosta de comprar aos poucos pq ai tira um média das cotações…

      Abraços

  3. Comecei agora esse sonho de conhecer o mundo, acabei de casar então quero ate 2020 (sei q ta longe mais vou conseguir) ir para a Europa fazer um tour pelos estádios de futebol (Londres, Barcelona e Lisboa), eu e meu marido amamos futebol (eu aprendi a amar rs).
    Como estou com muito tempo pra pesquisar como proceder em relação as passagens? Não entendo nada e nunca viajei de avião.
    Estou amando o blog!
    😀

    • Denise, use os buscadores de passagens aéreas e vá olhando os preços de vez em quando. Tem como pedir para eles irem mandando as variações nos preços para o seu email.

      Abraços

  4. Olá Natália, qual época do ano você acha mais em conta para conhecer Suécia, Noruega e Holanda? E Lisboa?
    Quantos dias você acha adequado para cada cidade?

    E se conhece algum Hostel nessas cidades, agradeço a informação.

    Beijosw e obrigada.

    • Ellen, em geral é bom evitar a alta temporada em qualquer lugar. Como nunca estive na noruega e não sei quais cidades você pretende visitar nos países também não sei te responder.
      Abraços

    • Natália, te aconselho a conhecer a Europa na Primavera (Março/Abril/Maio) ou no Outono (Setembro/Outubro/Novembro). Vc fugirá da alta temporada (preços elevados) e de fortes nevascas.

  5. Vou viajar o mundo ano que vem ja esta certo comunicado a família o dinheiro ja temos. Vai eu e minha esposa eu tenho 30 anos ela 26.
    Mais nao sabemos inglês isso atrabalha mto? Mesmo assim vamos kkkk eu sei um pouco espalhol.

    • Valter, inglês ajuda, mas não é obrigatório, dá pra se comunicar de outras formas. Dependendo de onde vcs vão o espanhol é até melhor.

      Abraços

  6. OI Bom dia, meu nome é a Carla e tenho 28 anos. Estou planejando fazer minha primeira viagem sozinha e para o exterior. Meu sonho é conhecer a Itália. Para me sentir mais segura e por não falar língua estrangeira soube a respeito de uma escola em Camerino, é um intercâmbio onde aprendo a língua Italiana e faço passeios. Além de ficar hospedada em um hotel, alojamento, próximo da escola que está incluso no valor do curso.
    Vocês sabem me dizer se é confiável? Se vale a pena? Alguma dica? Mais para frente pretendo fazer uma viagem mais independente sem precisar de escola ou intercâmbio.
    Tem data específica para ida e volta. A viagem é em junho de 2016. Minha dúvida é que pensando em economizar devo já comprar às passagens? qual é a melhor época para comprá-las? se ficar muito perto corro risco de não ter?

    Nas minhas pesquisas a linha aérea que está mais em conta é a Tap Air portugal com uma parada em MAdri e depois Roma. É confiável? segura? Precisa de seguro?

    Se puderem me responder serei muito grata. Estou vendo tudo sozinha, apreensiva, porém, sonhando muito. Obrigada, Carla.

    • Olá Carla, não sei te dizer se é confiável ou se vale a pena porque não conheço a escola. Sugiro que você vá pesquisando as passagens e faça um monitoramento dos preços, ainda está bem cedo para comprar, mas se você começar a acompanhar os preços desde agora, vai saber quando surgir uma tarifa que valha a pena. Em geral, é bom comprar uns três meses antes, mas passagens aéreas são muito imprevisíveis e não dá para afirmar ao certo a melhor data. Por isso é preciso ficar de olho.

      Abraços

      • Carla, você pode fazer umas simulações de preço de passagem no viajanet.com.br ou decolar.com.
        Quando você faz a pesquisa de passagem, tem alguns sites que oferecem a alternativa “não tenho data certa da viagem”… Quando você seleciona nessa opção e faz a busca, ele dá o comparativo de evolução dos preços durante os meses. Isso pode te ajudar a ter ideia do valor a pagar…
        Bjs

  7. Em meio a essa crise, estou deseperançosa quanto a arranjar um emprego aqui no Brasil. Pensei em fazer uma viagem ou tentar trabalhar na Austrália, Portugal na minha área.
    Sou arquiteta e me formei nos EUA (colegial).
    Tem alguma sugestão de busca para algo mais certo?
    Bjs

    • Paula, infelizmente não conheço a sua área para saber como encontrar emprego nesses países. Você pode tentar um intercâmbio profissional ou ver se a Austrália está querendo arquitetos (eles buscam profissionais de algumas áreas e para eles é bem fácil conseguir o visto)

      Abraços

        • Qualquer agência tem programas de estágio profissional, eu já viajei com a CI, mas pode ser a Experimento ou a IE… enfim, sugiro que você entre contato e peça orçamento para avaliar preço e serviço. Também tem a AIESEC, que promove intercâmbios profissionais para vários países e é bem mais em conta…

    • Oi Paula, vou me intrometer na resposta para te dizer que achar emprego em Portugal, com a atual crise aqui, é uma tarefa quase impossível. A crise aqui é 100 vezes pior do que no Brasil…

      • Sério Luiza? Que pena! Aqui no Brasil trabalho com muitos portugueses… acho que viram que o negócio estava feio aí e vieram tentar a sorte aqui. Está dando certo, pelo visto…

    • oI pessoal.
      O site de vocês é, como dizem aqui no RS, tri-legal Somos um casal, nem tão jovem nem tão velho, que gosta , muito, muito, de viajar. Já conhecemos todo o Brasil, a América do Sul e a América Central. Somos velhos mochileiros e é assim que gostamos de curtir nossos passeios.
      Recentemente,( maio e junho), ficamos 38 dias em Paris e na Itália (Turim, Gênova,Florença, Roma, Bolonha, Veneza, Verona e Milão).Aproveitamos nossos conhecimentos de mochileiros e as dicas de vocês : café da manhã, comprado no mercado mais próximo do hotel,( quando não incluído na diária), almoço na rua e nosso jantar é bem brasileiro : frutas, suco e pão/baguete,com queijo e presunto.
      Agora, estamos seguindo vocês e estamos planejando viajar em maio/jun do ano que vem para o Leste Europeu. Informem mais dicas.
      Gratos pelas dicas,informações, etc.etc.
      Abraços nossos,

      Jura e Elaine.

      • Olá Jurandir e Elaine,

        Que legal! Obrigada pelo comentário e por seguir o blog! Fiquem ligados porque a Luíza está no Leste Europeu e em breve vão pintar muitas dicas sobre essa região por aqui. =)

        Abraços

  8. Penso ir a dublin em setembro visistar minha filha,pretendo ficar 15 dias por la,queria visitar paris disney,londres e mais alguns lugares se der,disponho de 15,000,00 reais será suficiente para tudo isso para 3 pessoas,as passagens ja estão pagas em dublin vou ficar em hotel,,,,abraços1

  9. Olá!
    Parabéns pelo blog! Muito útil cada post que fazem 🙂

    Fiquei interessada em saber mais sobre a carteira de estudante internacional. Não tinha ouvido falar sobre ela ainda. Como posso consegui-la?
    Outra dúvida. Não sei se foge um pouco do tema do blog, porém descobri recentemente que tenho intolerância a lactose e estou tendo dificuldades para planejar as minhas próximas viagens por conta de não saber como é a disponibilidade dos produtos no exterior. Também li em muitas paginas da internet como restrições alimentares podem atrapalhar planos de viagens. Vocês teriam dicas/exemplos/depoimentos sobre esse assunto?

    Obrigada desde já!

    • Ei Tatiana, você encontra mais informações sobre a carteira internacional de estudantes nesse link: https://www.carteiradoestudante.com.br/

      Sobre a sua restrição alimentar, não tenho experiência com esse tipo de problema, mas acredito que lactose não seja difícil de evitar no exterior. Em países desenvolvido, você pode ir sem medo, pois a disponibilidade e produtos deles é ainda maior que a nossa. Em grandes cidades ao redor do mundo também vai ser fácil encontrar o que você pode comer. Se você for para lugares mais remotos ou com menos estrutura, pode exigir um pouco mais de planejamento.

      Abraços!

  10. Oi Natália!
    Adoro as postagens de vocês, aprendo muito!
    Aproveito pra deixar uma dica que pra mim e meus irmãos funcionou muito bem: o cartão pré-pago Global Travel da American Express. Tem opção de dólares, euros e libras, e tem várias vantagens (isenção de tarifas, promoções, etc). Não lembro de todos os detalhes, mas deixei de pagar várias taxas de cartão normal usando ele! E em caso de emergência/perrengue você pode pedir pra qualquer pessoa depositar na sua conta e te salvar do sufoco. Recomendo!
    Grande abraço, parabéns e obrigada pelo trabalho de vocês!

  11. Oi gente! Estou acompanhando o blog há um tempo, sou de BH também e fico muito empolgada com a experiência que vocês tiveram, vários posts me motivaram grandemente a encarar viagens que antes só estavam no papel ou na cabeça. Uma dúvida que tenho é se vocês indicam pacotes comprados via Hotel Urbano e outros, pois apesar de não ser uma viagem independente dá para conhecer vários lugares com preços bem acessíveis… Enfim, galera, beijão pra vcs, espero não ter feito pergunta repetida, pq não cheguei a ler os outros comentários ;P

  12. Estou pensando em fazer um mochilão pela Europa daqui a dois anos. Terei 18 anos e queria saber se vale a pena pela minha idade. Se tudo der certo, vou entrar na faculdade(vou dar a vida por uma pública hahaha) no segundo semestre e na primeira parte do ano queria viajar. Ja fui para a Europa uma vez, há dois anos com meu irmão, mas foi com agência de viagens. Dessa vez queria ir por conta própria e usar esse tempo para descansar,conhecer e praticar o inglês, que considero de nível mediano, aqui fica outra dúvida; só esse idioma e 0% dos outros da Europa garantem uma boa viagem ? Não sou restrito a grandes centro apenas. Última coisa, como terei 18 anos, as festas e boates são acessíveis e de boa qualidade, certo? E parabéns pelo site é claro.

    • Ei Paulo, claro! Vale a pena sim. Com inglês e boa vontade você se vira bem, não se preocupe. E vai estar cheio de festas e boates pra você! Vai ser incrível! Espero que dê certo seu plano.

      Abraços!

  13. Oi Natália, qual lugar da América Latina vc indicaria por ser bonito e nosso dinheiro mais valorizado?

    Ah propósito adorei suas dicas!

    • Ei Sanmis! Na América Latina? Tá fácil! Praticamente todos os países são mais baratos que o brasil e possuem moedas desvalorizadas. Se você quer gastar pouco meeesmo, vá para a Bolívia. Peru é barato também, tirando Machu Picchu. Chile é quase a mesma coisa que aqui e dizem que a Argentina tá sofrendo com a inflação e já não é tão barata quanto era antes. México possui lugares bem baratos também.

      Abraços!

  14. Olá Natália,

    amo viajar e sempre fiz mais do que imaginava e menos do que queria, mas encontrei o namorado perfeito que também ama viajar como eu, ele acabou me convencendo a largar minhas coisas aqui, vender o carro e partir para uma volta ao mundo, na verdade estamos vendo a possibilidade de trabalhar um tempo em navio também para conhecer um pouco e economizar uma grana para a grande viagem tao sonhada, de qq forma se a volta ao mundo nao sair dessa vez iremos com certeza para a Ásia passar um tempo e me chamou atenção esse chalé por R$7,00 que vc citou no texto, espero que ainda lembre do nome do lugar, da praia ou como encontrar esse lugar, Bali está no roteiro e nao quero perder esse chalé por nada nesse mundo!!!

    estou devorando os textos de vcs a uns 3 dias já e ainda nao consegui ler tudo.
    outra é, tentei simular a RTW pelas tres companhias citadas, mas nao consegui nem na oneworld nem na skyteam, as duas deram o mesmo erro,a ultrapassagem de trechos permitidos, porém eu escolhi muitos trechos onde os voos eram diretos ou tinha apenas 1 conexão e contando direito na hora de escolher os voos nas ultimas cidade nao completava pois dizia que havia estrapolado os trechos, so conseguir organiza, diga-se de passagem + – da mesma forma que nas outras companhias e com o msm cuidado de escolher voos diretos ou com 1 conexao pela star alliance, onde já aparece os valores antes de vc escolher cada voo de cada trecho, o que será que fiz errado nas outras? pois até contei os voos e sempre dava menos do que estava aparecendo, uma vez eu contei 8 voos e aparecia como se tivessem 16 !!!

    help meeee!!!

    • Ei Carolina! Nossa, não sei te explicar porque isso tá acontecendo. =/
      A diferença da Star Alliance pras outras é que ela cobra por milha enquanto as outras cobram por região ou continente. Isso acaba fazendo a star ficar mais cara. Eu sugiro que você leia atentamente as regras e tente variações do seu itinerário. Talvez você tenha que trocar países ou esteja infringindo a regra das regiões (não são exatamente iguais a divisão de continentes), ou ainda, está fazendo mais voos por região que o permitido. Enfim, vá tentando, brincando com o navegador e tentando entender as regras da passagem, que não são as mais simples!

      Abraços e boa sorte no planejamento.

  15. – Olá, adorei as dicas.
    Vou me casar e pretendo viajar ao invés de gastar com festa.
    Você tem mais ou menos uma ideia de quanto iria gastar pra passar
    uns 10 dias na Espanha ?
    Estou achando um pouco caro, quero economizar e ao menos tempo curti o País.
    É possível ?!
    Parabéns pelo blog.

    Beijoos, *-*

    • Olá Lilian,

      A Espanha é barata em relação ao resto da Europa. Acho que dá para colocar uns 60 euros por dia por pessoa, com sobra. Em Madri eu gastava bem menos, uns 30 euros, mas Barcelona, por exemplo é mais cara.

      Abraços!

    • Ei Ricardo, sobreviver você sobrevive, mas olha: passei 20 dias na Itália e só comia bem. Por lá é muito barato, é possível achar refeições completas por menos de 10 euros, vinho e queijos baratíssimos. Mcdolnalds lá não vale a pena, definitivamente. Já a Pizza é a coisa mais barata que você vai achar. Em Veneza, lugar onde o bolso apertou, comia um pedaço enorme por 1,50 euros. Abraços!

  16. EStou amando este site…minha viagem de volta ao mundo está prestes a sair da imaginação e vontade, falta data e planejamento. Gostaria que vc escrevesse (pois ainda não achei) sobre o que vcs realmente levaram na mochila, tipo itens básicos, como fizeram com remedios (tipo anticonscepcinais), quantas roupas? sapatos, sandalias, tenis, sapatilhas…aff…mulher é muito cheio de coisas….e não quero carregar nada desnecessário.
    Muito obrigada pela importante leitura! Parabéns!

  17. Muito bom o site! Estou amando! Principalmente porque trabalho em um ONG que realiza trabalhos voluntários ao redor do mundo (a AIESEC, parceira de vocês) em Aracaju – SE. Vou utilizar aqui para os intercambistas que estão planejando a própria viagem.

    Parabéns!!

    • Ei Priscila! Que bom que você gostou! Obrigada por nos indicar para os intercambistas aí de Aracaju! =) Espero que eles achem as informações que postamos aqui úteis! Abraços!

  18. […] Isso vai depender do quanto você está disposto a abrir mão de certos confortos, dos países que você vai visitar e de quanto tempo você pretende ficar viajando. Nossa viagem, por exemplo, foi extremamente econômica. Alcançamos um orçamento recorde em diversos lugares, mas isso só porque deixamos a frescura de lado e soubemos abrir mão de algumas coisas. Alguns posts atrás, a gente deu algumas dicas de como economizar no seu mochilão. […]

  19. Natália,
    Parabéns pelo post. Maravilhoso todas as dicas. Para quem não tem frescura e quer conhecer o mundo sendo parte integrante de cada região, tem que ser assim mesmo.

    Obrigada por dividir conosco todas as experiencias.
    Vou encarar minha primeira viagem longa, distante e como mochileira sozinha.
    Já estou me munindo de todas as informações possíveis.

    Um grande beijo no seu coração e parabéns a equipe. 🙂

    • Olá Cláudia!

      Quando viajamos, escolhemos economizar em algumas coisas para aproveitar melhor outras e hoje não me arrependo de nada, até sinto falta da época em que eu vivia de forma mais simples! Fico feliz que minhas dicas tenha ajudado! Tenho certeza de que sua viagem será inesquecível.

      Abraços e volte sempre!

  20. Muito relevante as dicas do seu post. Não somente para quem vai viajar com pouca grana, mas também é um tipo de educação econômica para viajantes de carteirinha. Valeu pelas dicas, e continuem nesse sentido de sempre ajudar. Abraço.

  21. Estou amando os posts de vocês. Comecei esse ano um blog, mas já sou mochileira há alguns anos. Incrível, mas parece que vocês leem meus pensamentos quando escrevem. Fazem as mesmas coisas que eu, pensam igual. Parabéns pelo texto maravilhoso. Espero que um dia, meu blog seja tão bom quanto esse.

    • Ei Claudia, que legal! Obrigada pelos elogios, deixa a gente muito feliz! Sucesso no seu novo blog! Que a gente possa trocar muitas experiências nessa blogosfera viajante! Abraços!

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: